Rejeição a Doria chega a 52%, aponta pesquisa Ipsos

doria_cesar_ogata_secom_1.jpeg
 
Foto: César Ogata/Secom
 
Jornal GGN – De acordo com levantamento nacional do instituto Ipsos realizado na primeira quinzena de junho, a rejeição do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), saiu de 39% para 52% em um mês. 
 
O patamar de rejeição de Doria é similar ao de Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e fica abaixo do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que tem 54%. Mesmo com o aumento, o percentual de rejeição do prefeito paulistano ainda é bem menor que a de seu padrinho político, o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB), que aparece com 71%. 
 
Já o índice de aprovação do gestor municipal se manteve estabilizado em 16%. Os pesquisadores creem que o aumento da rejeição foi causado por uma mudança de humor em pessoas que antes estavam indecisas. A piora no índice corre depois das ações na chamada cracolândia, no centro da cidade. 

 
Datafolha
 
A última pesquisa Datafolha sobre a gestão de João Doria na Prefeitura de São Paulo mostraram uma leve queda em sua aprovação, que caiu de 43% para 41%. Sua rejeição aumentou, saindo de 20% para 22%. 
 
No levantamento feito pelo mesmo instituto sobre as intenções de voto para as eleições de 2018, o prefeito de SP aparece com 10%, atrás do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (30%), Bolsonaro e a ex-ministra Marina Silva (ambos com 15%). 
 
Assine
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. Comentário.

    Que prefeitos paulistanos sofram de impopularidade… Bom, Kassab e mesmo Haddad sofreram e o que importa é o motivo. Ou os motivos. Parece-me que o paulistano médio, aquele que elegeu aquilo que está na foto, não consegue enumerar os motivos, a tal ponto de um fulano dizer, por exemplo, que  governo Haddad era ruim pois não fez a poda da árvore em frente a sua casa. Compreendem? Parece estranho o exemplo, mas apenas para ilustrar que isso não dá pra levar a sério.

    A matéria destruidora que o Paulo Henrique Amorim divulgou em seu blog é um exemplo fatual do que o paulistano médio, aquele que buzina no trânsito, respira fumaça tóxica e acha que metrô privatizado é uma ótima e que faz questão de não usar pois prefere carro (assim mesmo, caro leitor), elegeu: https://www.conversaafiada.com.br/politica/doria-quis-explorar-miseria-seca.

    Essa matéria merece ser reproduzida. Esse nada alçado a prefeito chega ao nível da paciência que tenho contra nazistas, ou seja, nenhuma.

    Por fim, cabe saber que o digníssimo prefeito pretende fechar dezenas de AMAs pela cidade afora.  Quer dizer, aquela coisa que divulgou de maneira mentirosa o fim das filas para atendimento médico (com o nosso dinheiro) pretende piorar o que já está ruim. Notícias desde maio deste ano, caro leitor.

    Adivinha por qual motivo houve a ação na Cracolândia, cometidos pelo Rejeitado Estadual e Rejeitado Municipal? Desculpe a pergunta retórica.

  2. É como o Rui Pimenta

    fala: a direita não tem votos, a direita só ganha porque tem a manipulação da mídia burguesa.

    A rejeição não vai parar nesse indivíduo, vai acontecer  com todos os eleitos da direita na última eleição porque a ficha do povo está caindo.

      

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome