STF forma maioria contra celebrações religiosas presenciais na pandemia

Com o voto da ministra Cármen Lúcia, o placar do julgamento, iniciado nesta quarta-feira e retomado hoje, chegou a 6 a 2 para manter a decisão do ministro e relator do processo, Gilmar Mendes, contra a liberação dos templos

STF

Jornal GGN – O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria, no inicio da noite desta quinta-feira, 8, a favor da manutenção dos decretos estaduais e municipais que proíbem a realização de cerimônias religiosas presenciais durante a pandemia da Covid-19.

Com o voto da ministra Cármen Lúcia, o placar do julgamento, iniciado nesta quarta-feira e retomado hoje, chegou a 6 a 2 para manter a decisão do ministro e relator do processo, Gilmar Mendes, contra a liberação dos templos. Ainda faltam três votos.

Até o momento, somente Dias Toffoli e Nunes Marques votaram a favor das celebrações religiosas presenciais.

O plenário da Corte vota a ação, promovida pelo PSD e uma associação de pastores, que contesta a autonomia dos estados e municípios sobre medidas restritivas a atividades religiosas presenciais em razão da pandemia. O objeto já havia sido rejeitado pelo próprio Mendes em ordem liminar na segunda-feira, 5.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora