STF reage a ameaças de Bolsonaro

Ministros consideram que atitude do mandatário tenta desviar foco da CPI da Covid-19

STF

Jornal GGN – Após Jair Bolsonaro (sem partido) afrontar o Supremo Tribunal Federal na tarde desta quarta-feira, 5, a Corte se conteve em responder “se acionado, com decisões efetivas”, segundo informações da CNN Brasil. Para ministros, o mandatário retomou uma “manobra antiga”, usada quando ele se sente acuado e se desgastando. Além disso, a avaliação é de que ele não tem apoio para fazer ameaças com o uso de força.

Já o ministro Marco Aurélio, por sua vez, considerou a atitude um “arroubo de retórica” e afirmou que é preciso não acirrar os ânimos no momento em que mais de 400 mil pessoas já morreram em consequência da Covid-19, informou o Globo. 

“Foi um arroubo de retórica. Vivemos em uma República, numa democracia em que, evidentemente, não se pode afastar do Judiciário. E, em se pronunciando o Judiciário, se o clima é democrático, há observância do que foi decidido. Foi um arroubo de retórica. Precisamos dar um desconto e não acirrar os ânimos”, disse. 

Mais cedo, Bolsonaro ameaçou editar um decreto contra as medidas adotadas por governadores e prefeitos a fim de frear a transmissão da Covid-19. Segundo ele, a medida deverá garantir o que ele chamou de “direito de ir e vir” por meio do artigo 5º da Constituição. Ele disse que “reza a Deus” para não ter que adotar a medida, mas se decretar o fim do que chamou de lockdown, o decreto “não será contestado por nenhum tribunal”, em clara afronta a Suprema Corte.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora