Suspeição de Moro deve ser julgada pelos 11 ministros em abril

Jornal GGN – A suspeição do ex-juiz Sérgio Moro na ação contra o ex-presidente Lula poderá ser revista pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) e já há data prevista: até a metade do próximo mês.

Esse é, pelo menos, o esforço da Procuradoria-Geral da República e do ministro relator da suspeição, Edson Fachin. Moro foi considerado suspeito para julgar Lula na ação do triplex do Guarujá, por 3 votos a 2, nesta semana.

Na Segunda Turma, Fachin votou a favor de Moro, juntamente com o ministro Nunes Marques. Já os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia consideraram o ex-juiz suspeito.

Agora, contudo, o pedido poderá passar pelo crivo dos 11 ministros do Plenário, onde a disputa poderá ser mais acirrada. Trata-se de um pedido da PGR que pede que o STF reconheça que as investigações contra Lula permaneçam em Curitiba e que, caso contrário, se remetido à outra Vara, que os atos já tomados por Moro sejam mantidos.

Na visão de alguns ministros da Corte, contudo, a tendência é que o Plenário confirme o resultado da Segunda Turma, considerando Moro parcial e confirmando a anulação dos processos do ex-presidente.

No julgamento que deverá ser levado nos 15 primeiros dias do próximo mês, entretanto, outros temas poderão ser debatidos: o impacto dessa decisão nas demais julgadas por Sérgio Moro na Operação Lava Jato, a anulação das condenações de Lula, o envio dos casos à Justiça Federal do Distrito Federal – que foi a última decisão de Fachin, que considerou que a instância poderia reabrir as investigações da Lava Jato, entre outros aspectos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora