Anvisa recusa uso emergencial da vacina Covaxin

Decisão foi tomada após comunicado da Bharat Biotech, que encerrou contrato de representação com a Precisa Medicamentos

Agência Senado

Jornal GGN – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou o encerramento do processo que tratava da autorização temporário para o uso da vacina, em caráter experimental, da vacina Covaxin.

Em nota, a agência afirmou que a decisão foi tomada pelo colegiado de forma unânime depois de a instituição ser informada pela empresa indiana Bharat Biotech Limited International de que a empresa Precisa não possui mais autorização para representar a Bharat, fabricante da vacina Covaxin, no Brasil. 

“O processo será encerrado sem a avaliação de mérito do pedido de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, protocolado pela empresa Precisa Comercialização de Medicamentos Ltda. no dia 29 de junho deste ano”, ressaltou a Anvisa, que havia suspendido os estudos clínicos da Covaxin no Brasil na última sexta-feira (23/07).

Segundo a diretora Meiruze Freitas, relatora do processo, destacou no voto que “o rompimento da relação comercial entre as empresas, bem como a decadência de requisito fundamental para a Autorização de Uso Emergencial, implica impedimento da manutenção e continuidade da avaliação do pedido. A negativa está ancorada ao princípio da eficiência, uma vez que seguir com uma avaliação técnica de uma petição já administrativamente corrompida implicaria em significativo desperdício de esforços e recursos da administração”. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome