Brasileiros desenvolvem equipamento que barateia exame da retina

Jornal GGN – Desenvolvido por três pesquisadores brasileiros, ex-alunos da USP, o Smart Retinal Camera pode diminuir o custo dos exames de retina em até dez vezes, ampliando o acesso às avaliações oftalmológicas preventivas.

Com o retinógrafo portátil, os pesquisadores venceram o primeiro lugar na seleção brasileira e irão para Berlim na final do The Falling Walls Lab, evento que reúne as melhores ideias de inovação científica.

De acordo com os desenvolvedores, o Smart Retinal Camera ainda terá de passar por exames clínicos, e eles esperam que o produto possa ser comercializado até 2018.

Um dos pesquisadores, o físico Diego Lencione, explica que o aparelho funciona acoplado com um smartphone e consegue obter imagens de alta resolução do fundo do olho.

O procedimento com a miniatura do retinógrafo não precisa ser feito por um profissional especializado, e a diminuição dos custos do exame poderá beneficiar moradores de locais carentes que não têm acesso a clínicas especializadas.

“O resultado das imagens pode ser enviado para a avaliação de um atendimento de excelência em oftalmologia e com isso se obtém um laudo remoto de alto nível técnico”, afirma Lencione, ressaltando que o diagnóstico precoce pode ajudar a prevenir doenças mais graves.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% dos casos de cegueira poderiam ser evitados através de prevenção e tratamento.

Além de Lencione, também participaram do projeto o eletricista Flavio Vieira e  José Augusto Stuchi, graduado em Engenharia da Computação. Eles fundaram uma startup para o desenvolvimento do produto e contaram com financiamento do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. APARELHOS PARA SURDEZ

    A revolução tecnológica campeia em todos os pagos. E vem em benefício da humanidade. Hoje, cada unidade de aparelho para surdez custa em média R$ 8 mil. Nova tecnologia em andamento reduzirá para menos de R$ 1 mil, em breve. Maravilha!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome