Conass não foi avisada sobre mudança de critérios do Ministério da Saúde

Presidente da entidade afirma que decisão ‘tem de ser revista imediatamente’; acréscimo de informações represa divulgação de dados

Deutsche Welle

Jornal GGN – O Ministério da Saúda precisa rever “imediatamente” a norma que muda os critérios de mortes por covid-19, segundo o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Lula.

Em entrevista ao portal G1, Carlos Lula afirma que a decisão tomada “é equivocada, gera descrédito e tem de ser revista imediatamente”, ressaltando que a entidade não foi avisada e que, embora importante, ela não pode ocorrer de surpresa e sua revisão será solicitada.

Já o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) diz defender a retirada dos novos campos obrigatórios do Sivep-Gripe incluídos pelo Ministério da Saúde.

Depois que o Brasil bateu novamente o recorde de mortes por covid-19 em um período de 24 horas, o Ministério da Saúde mudou a ficha dos pacientes no Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe).

A nova ficha trouxe diversas mudanças, como a inclusão de um campo para informar se o paciente integra uma comunidade tradicional, enquanto outros campos foram retirados, caso do histórico de viagem internacional.

Contudo, as mudanças que mais afetam o trabalho de preenchimento do sistema envolvem a obrigatoriedade de informação do número do Cartão Nacional de Saúde (Cartão SUS); se o paciente é brasileiro ou estrangeiro; e se já foi vacinado contra a Covid-19. Caso o paciente não tenha o CPF em mãos, é obrigatório preencher o Cartão Nacional do SUS, com exceção para os pacientes declarados indígenas na ficha.

Com essas mudanças, pelo menos dois governos estaduais e um municipal relataram que houve queda na notificação de novas mortes devido às mudanças no sistema.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora