Coronavírus: Japão declara estado de emergência na região de Tóquio

A medida é muito menos rígida do que os bloqueios severos vistos em outras partes do mundo e mais branda do que o primeiro estado de emergência do país na primavera passada.

Jornal GGN – O governo do Japão declarou estado de emergência por um mês na área metropolitana de Tóquio após aumento recorde de infecções diárias. “Teme-se que a rápida disseminação nacional do novo coronavírus tenha um grande impacto na vida das pessoas e na economia”, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga ao anunciar as novas restrições, que começam na sexta-feira.

A medida é muito menos rígida do que os bloqueios severos vistos em outras partes do mundo e mais branda do que o primeiro estado de emergência do país na primavera passada. O alvo principal são os restaurantes e bares, que terão de deixar de servir bebidas alcoólicas às 19hs e fechar uma hora depois, e os residentes são orientados a evitar passeios não essenciais a partir das 20hs.

Em Tóquio e três áreas vizinhas, as empresas serão instadas a maximizar o teletrabalho com o objetivo de reduzir o tráfego de passageiros em 70%.

“Todos os dias vemos um número recorde de infecções. Temos uma sensação muito séria de crise”, disse Yasutoshi Nishimura, ministro encarregado da resposta à pandemia.

Tóquio registrou 2.447 novos casos na quinta-feira – quebrando o recorde anterior de 1.591 registrados um dia antes. Ainda assim, o surto no Japão permanece comparativamente pequeno, com pouco mais de 3.700 mortes desde que a primeira infecção no país foi detectada em janeiro de 2020.

O governo relutou em declarar estado de emergência por medo de reverter a economia logo depois de sair da recessão. A Grande Tóquio responde por um terço do PIB japonês. “Uma contração do PIB no primeiro trimestre é inevitável” com a nova medida, disse à AFP Masamichi Adachi, economista-chefe da UBS Securities para o Japão. “Equilibrar as preocupações econômicas e de saúde pública é difícil … é uma situação muito difícil de administrar para qualquer líder.”

A medida vem pouco mais de seis meses antes do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, adiados pelo vírus, e Suga insistiu nesta semana que ainda está comprometido em realizar os Jogos como “prova da vitória da humanidade sobre o vírus”.

Mas a emergência provavelmente endurecerá a opinião pública, com a maioria se opondo à realização dos Jogos este ano antes mesmo de a terceira onda se agravar.

Os organizadores do Tóquio 2020 disseram na quinta-feira que adiariam a exibição planejada das tochas olímpicas e paralímpicas na capital. Eles deveriam ser exibidos antes do início do revezamento da tocha em todo o país, em 25 de março.

O Japão ainda não aprovou uma vacina contra o coronavírus, com Suga dizendo esta semana que espera que as primeiras vacinações possam começar no final de fevereiro.

Com informações do MedicalXpress

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora