Coronavírus: Ministério da Saúde ignorou ofícios enviados pelo Butantan

Documentos foram revelados depois que Eduardo Pazuello acusou instituto paulista de atrasar entregas de imunizantes

Jornal GGN – O Ministério da Saúde ignorou três ofícios enviados pelo Instituto Butantan no ano de 2020, quando a entidade ofereceu vacinas contra a covid-19 ao governo federal.

A revelação foi feita pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, ressaltando que os documentos que ficaram sem resposta foram enviados em julho, agosto e outubro do ano passado.

“Vamos colocar a responsabilidade em quem tem a responsabilidade. Estão aqui os ofícios que foram encaminhados ao Ministério da Saúde ofertando vacinas”, disse Dimas Covas.

“O primeiro [ofício] foi em 30 de julho de 2020. Ofertamos nessa oportunidade 60 milhões de doses de vacinas prontas para entrega ainda em 2020 e 100 milhões para serem entregues em 2021. Não tivemos resposta”, disse, em entrevista ao portal G1. O instituto mandou mais dois comunicados, em dezembro e fevereiro.

As críticas ocorrem depois que o Ministério da Saúde, comandado pelo general da ativa Eduardo Pazuello, acusou o instituto de atrasar a entrega de doses da CoronaVac. Já o Butantan apontou, além da falta de planejamento da pasta, o “desgaste diplomático” entre o governo federal e a China pelo atraso na entrega.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora