Covid-19 – Até o Natal, o país irá contabilizar ao menos mais 16 mil mortes, 4 mil delas no estado de São Paulo, por Felipe A. P. L. Costa

Ontem (25/11), de acordo com o Ministério da Saúde, foram registrados mais 47.898 casos e 654 mortes em todo o país.

Covid-19 – Até o Natal, o país irá contabilizar ao menos mais 16 mil mortes, 4 mil delas no estado de São Paulo.

Por Felipe A. P. L. Costa [*].

Em artigo anterior (ver No ritmo atual, o país irá contabilizar ao menos 5,9 milhões de casos e 166 mil mortes até o fim de novembro), publicado neste Jornal GGN, em 26/10, eu apresentei duas projeções para as estatísticas da pandemia em todo o país até o último domingo de novembro.

Estamos nos aproximando do fim do mês e, lamentavelmente, as estatísticas divulgadas pelo governo federal – em meio a um aparente festival de trapalhadas, erros e manipulações – estão a se alinhar com uma das projeções (a pessimista) que apresentei 1 mês atrás: 6.263.273 casos e 174.324 mortes até 29/11.

Para obter tais números, presumi que as médias semanais das taxas de crescimento (casos e mortes) [1] permaneceriam estagnadas em 0,43% e 0,3%, respectivamente. Lembrando que estes percentuais correspondem aos valores médios para a última semana de outubro (19-25/10), a semana imediatamente anterior ao da publicação do referido artigo (ver aqui).

Nada é tão ruim que não possa piorar.

Ontem (25/11), de acordo com o Ministério da Saúde, foram registrados mais 47.898 casos e 654 mortes em todo o país. Teríamos chegado assim a um total de 6.166.606 casos e 170.769 mortes.

Presumindo que as médias semanais das taxas de crescimento permaneçam estagnadas em torno de 0,43% (casos) e 0,3% (mortes) [2], os números esperados para o dia de Natal seriam os seguintes: 7.009.027 casos e 186.662 mortes.

Até 25/12, portanto, seriam esperados em todo o país mais 842.421 casos e 15.892 mortes. (Só no estado de São Paulo, por exemplo, seriam mais 168.190 casos e 3.919 mortes [3].)

Eis aí os frutos mais recentes de um matrimônio festejado por governantes incompetentes e empresários malandros. (Frutos estes, evidentemente, temperados pelo comportamento desleixado de muitos brasileiros.)

*

Notas.

[*] Para detalhes e informações sobre o livro mais recente do autor, O que é darwinismo (2019), inclusive sobre o modo de aquisição por via postal, faça contato pelo endereço [email protected]. Para conhecer outros livros e artigos, ver aqui.

[1] Para detalhes metodológicos, ver qualquer um dos três volumes da coletânea A pandemia e a lenta agonia de um país desgovernado (aqui, aqui e aqui).

[2] Entre 25/10 e 22/11, as médias semanais exibiram as seguintes trajetórias: (1) casos: 0,43% (19-25/10), 0,4% (26/10-1/11), 0,3% (2-8/11), 0,49% (9-15/11) e 0,5% (16-22/11); e (2) mortes: 0,3% (19-25/10), 0,26% (26/10-1/11), 0,21% (2-8/11), 0,3% (9-15/11) e 0,29% (16-22/11).

[3] Em 25/10, 20% dos casos e 25% das mortes registrados no país estavam concentrados no estado de São Paulo.

* * *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome