França corre o risco de perder o controle do coronavírus: conselho de ciência

No MedicalXpress: O primeiro-ministro Jean Castex pediu na segunda-feira à França "que não baixe a guarda" na luta contra o coronavírus, a fim de impedir um novo bloqueio nacional.

Credit: CC0 Public Domain

do MedicalXpres

França corre o risco de perder o controle do coronavírus: conselho de ciência

A França pode “mudar de rumo a qualquer momento” por disseminação descontrolada de coronavírus, alertou o conselho científico COVID-19 do governo na terça-feira, pois dados oficiais mostram o primeiro aumento de pacientes em terapia intensiva desde abril.

Em uma análise preparada para o governo, o conselho alertou que “o vírus circula mais ativamente recentemente, com uma perda crescente de medidas de distanciamento e barreira” desde que a França emergiu de um rigoroso bloqueio de dois meses em maio.

“O saldo é frágil e podemos mudar de rumo a qualquer momento para um cenário menos controlado, como na Espanha, por exemplo”, afirmou.

E o conselho alertou para uma possível “retomada da circulação do vírus em alto nível” até o outono de 2020, após as férias de verão em agosto.

Dados divulgados pelo departamento de saúde na segunda-feira mostraram que o número de pessoas em terapia intensiva subiu 13 desde sexta-feira, quebrando a tendência de queda observada desde abril, quando os franceses estavam sob ordens estritas de ficar em casa para conter a propagação do vírus .

Foram registradas 29 novas mortes no mesmo período, elevando o número total de mortes no país para 30.294.

No auge do surto em abril, havia mais de 7.100 pessoas em terapia intensiva nos hospitais franceses, que tinham 5.000 leitos de terapia intensiva disponíveis quando a crise ocorreu.

O país registrou milhares de novas infecções confirmadas na semana passada, levando algumas cidades ou regiões a impor restrições locais em meio a relatos de pessoas que ignoram as diretrizes de distanciamento social e uso de máscaras.

O primeiro-ministro Jean Castex pediu na segunda-feira à França “que não baixe a guarda” na luta contra o coronavírus, a fim de impedir um novo bloqueio nacional.

“Estamos vendo um aumento nos números da epidemia, o que deve nos deixar mais atentos do que nunca”, disse Castex.

“Convido todos os franceses a permanecerem muito vigilantes. A luta contra o vírus depende, é claro, do estado, comunidades locais, instituições, mas também de cada um de nós”, acrescentou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora