GGN Covid Brasil: maiores avanços estão em Minas Gerais e estados do sul

Houve uma redução na média de casos dos últimos dias, mas provavelmente devido aos feriados de fim de ano, que reduz o trabalho de notificações.

Por dois indicadores – os novos casos per capita e as maiores altas de casos por região de saúde – percebe-se que a doença está se alastrando por Minas Gerais e estados do sul.

A segunda onda

O gráfico a partir de março mostra nitidamente a segunda onda de casos e óbitos.

Mapa de novos casos

Mapa de novos óbitos

Aumentos em 7 dias

São Paulo assume a liderança nos aumentos percentuais de casos em 7 dias. Os resultados não batem com o gráfico acima, que mede a variação em 14 dias, É possível que no caso de São Paulo as notificações sejam maiores devido a um sistema mais preciso que não foi afetado pelos feriados.

Curvas de casos: maiores altas

Curvas de óbitos

Taxa de mortalidade

Pelo menos houve uma redução geral da taxa de mortalidade, mostrando que os estados estão aprendendo a tratar a doença

Média de casos per capita

Repare que as regiões mais afetadas estão em Minas Gerais e nos estados do sul.

Picos de casos

Já são seis estados cujo pico ocorre agora, na segunda onda.

Picos de óbitos

Por enquanto, há trës estados com picos na segunda onda: Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul

Ranking per capita

Neste ranking há preponderância dos estados do Norte e Centro-Oeste. Chama atenção o nível extremamente alto do Distrito Federal e de Santa Catarina.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome