GGN

Ministério da Saúde priorizou ofertas improváveis para combater covid-19

Foto: Agência Senado

Jornal GGN – Em meio à escalada de casos de covid-19 no Brasil, a cúpula do Ministério da Saúde priorizou reuniões para ouvir ofertas improváveis de vacinas e até mesmo a promessa de luminária germicida.

Embora as principais fabricantes de vacina afirmem constantemente que não trabalha com intermediários, a pasta realizou pelo menos 13 reuniões com vendedores que não apresentaram credenciais.

Quer ajudar o GGN a seguir com seu jornalismo independente? Clique aqui e saiba mais

A lista de vendedores recebidos envolvia de empresários sem tradição com o setor a militares ou até mesmo líder religioso, em conversas que não avançaram nem sequer para memorandos de intenções. As reuniões foram precariamente registradas nas agendas oficiais, e a pasta diz que nenhuma ata foi elaborada.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, tais encontros ocorreram em grande parte entre janeiro e março deste ano, quando o general Eduardo Pazuello era o ministro. Para funcionários que acompanharam tais encontros, a gestão Pazuello não adotou filtros que dispensassem as ofertas improváveis logo no início, e que militares e pessoas indicadas por políticos eram recebidas mais facilmente.

Leia Também

Em quanto tempo nos esqueceremos da pandemia?, por César Locatelli

Um senador e alguns parlamentares misteriosos deram graças ao silêncio do lobista na CPI

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Sair da versão mobile