OMS é ‘controlada pela esquerda ideológica’, diz Osmar Terra após se recuperar da Covid-19

Foram três semanas em que o deputado lutou contra o coronavírus e isso só reafirmou suas convicções sobre a pandemia, já tão noticiadas.

Foto Metrópoles

Jornal GGN – Osmar Terra, deputado federal pelo MDB do Rio Grande do Sul saiu do hospital após uma internação de 12 dias por Covid-19. Foram três semanas em que o deputado lutou contra o coronavírus e isso só reafirmou suas convicções sobre a pandemia, já tão noticiadas.

Terra continua convicto que a pandemia não é tudo isso, minimizando seus estragos pelo Brasil, e já chegou a dizer que este coronavírus mataria menos do que o H1N1 e do que a gripe.

O ex-ministro da cidadania de Bolsonaro concedeu entrevista à revista Veja, neste dia 16, e contou sobre o seu período de infecção.

“Tenho resistência natural, não tenho comorbidade. Tenho 70 anos, mas, fisicamente, eu sempre estive bem, e isso pesa na hora que piora o quadro pulmonar. O meu começou com 4% de comprometimento, no quarto dia de doença. Uma semana depois, estava com 80% comprometido. O pior momento foi a UTI. Ainda assim, não precisei ser entubado, só fiquei com oxigênio. Em dois dias de UTI, comecei a melhorar bastante”.

O deputado recebeu alta no dia 4 e, no dia 5, foi às redes criticar a Organização Mundial da Saúde (OMS), que diz ser ‘controlada pela esquerda ideológica’, por orientar que pessoas evitem reuniões nas festas de fim de ano.

“Penso exatamente como eu pensava. Não mudou nada. Eu tenho experiência. Toda epidemia tem risco de vida, morrem pessoas. Eu passei por cinco pandemias, quatro delas muito piores do que essa. Nunca subestimei a doença. O que sempre critiquei foi o “lockdown”. Defendi, e defendo, que trancar as pessoas em casa não adianta nada, como não adiantou agora”, disse Terra. O deputado critica o isolamento e defende a imunidade de rebanho para combater a pandemia.

Médico, o deputado se diz perseguido pelos defensores do isolamento. Aproveitou o ensejo da reportagem e criticou João Doria, governador de São Paulo, dizendo que não ‘é governador nenhum que decide quando acaba uma pandemia’.

Com informações do jornal O Dia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora