Procuradoria dos Direitos do Cidadão alerta 100 mil mortes por Covid-19

O marco de 100 mil mortes comprova que a doença não escolhe cor, classe social, etnia ou orientação sexual

Marco de 100 mil mortes comprova que a doença não escolhe cor, classe social, etnia ou orientação sexual

Da PFDC

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) se solidariza com todas as famílias que perderam entes queridos em decorrência da Covid-19 e com todos os brasileiros que lutam contra a doença. O marco de 100 mil mortes comprova que a doença não escolhe cor, classe social, etnia ou orientação sexual.

Todos devemos estar enlutados pelas milhares de vítimas. Neste domingo, muitos cidadãos passarão o Dia dos Pais sem seus filhos e muitos filhos sem seus pais.

O Sistema PFDC do Ministério Público Federal (MPF) está atento às consequências da pandemia para garantir a defesa de direitos fundamentais, como a saúde e a educação. A Constituição Federal é nosso guia e seremos sempre a voz da sociedade. É preciso união para que o país encontre caminhos para assegurar o adequado tratamento de todas as pessoas infectadas pelo vírus, que ainda desafia os esforços dos cientistas.

A PFDC também presta solidariedade à família e à congregação do bispo emérito Dom Pedro Casaldáliga pelo falecimento dele neste sábado (8). O mundo perdeu um espiritualista, grande defensor da população indígena e dos direitos humanos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora