Quilombolas do Amapá criticam negligência à saúde do poder público

“Lamentável o descaso com as comunidades. Vejo como um racismo institucional. Somos pessoas, existimos e queremos ser vistos e respeitados de forma igual”, protestou a presidente da Associação de Moradores do Quilombo do Rosa, Joelma Menezes, de 42 anos.

Sem políticas públicas voltadas para essas comunidades, entidade contabiliza 4.703 casos confirmados e 171 óbitos por Covid-19. Imagem do Quilombo Conceição do Macacoari (Foto cedida por Jonas Banhos/Barca das Letras)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome