Recursos destinados para Sputnik V ficaram parados no Ministério da Saúde

Montante de R$ 693,6 milhões ficou retido por quatro meses: rescisão só foi assinada de forma unilateral em dezembro de 2021

Agência Brasil

Jornal GGN – O Ministério da Saúde segurou por mais de quatro meses a rescisão do contrato para a compra de 10 milhões de doses da vacina russa Sputnik V.

O contrato de compra foi deixado pelo general da ativa Eduardo Pazuello, que chegou a emitir uma nota de empenho no valor de R$ 693,6 milhões para o pagamento de vacinas que jamais foram entregues.

Levantamento do jornal Folha de São Paulo destaca que a reserva do dinheiro foi feita em 22 de fevereiro de 2021, sendo que o contrato com a União Química Farmacêutica só foi assinado de fato em 12 de março.

Em 03 de agosto, a área técnica do Ministério recomendou que o contrato para a compra das vacinas fosse rescindido em 03 de agosto.

Contudo, a rescisão unilateral só ocorreu durante a gestão de Marcelo Queiroga, em 14 de dezembro, com o ato sendo publicado no Diário Oficial em 16 de dezembro.

Leia Também

Coronavírus: ômicron predomina em 98,7% de amostras

Vacinar nossas crianças é uma urgência sanitária e ética!, por Ana Laura Prates

GGN Covid: em São Paulo, nível de ocupação de leitos bate em 45%

Com mais de 73 mil novos casos, procura por vacina aumenta e restrições retomam

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador