STF determina que governo retome atualização da Covid-19

O Brasil tem hoje, segundo os últimos registros, 37.134 mortes e 707.412 infectados com coronavírus Covid-19. O ministério manobrou para os números não aparecerem, mas não durou muito.

Jornal GGN – Por determinação do ministro Alexandre de Moraes, o Ministério da Saúde terá que voltar a informar os dados acumulados da pandemia. O MS criou nova plataforma onde os dados acumulados sumiram e somente os registros feitos no dia aparecem.

O ministério fez ontem uma coletiva onde se comprometia a lançar hoje uma plataforma interativa para expor os números da pandemia no Brasil, recuando em algumas restrições colocadas nos últimos dias. Na coletiva, o MS disse que voltaria a informar os números totais de casos e óbitos omitidos nos balanços do governo desde sexta-feira.

O Brasil tem hoje, segundo os últimos registros, 37.134 mortes e 707.412 infectados com coronavírus Covid-19. O ministério manobrou para os números não aparecerem, mas não durou muito. Ontem à noite o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou que a pasta retomasse a divulgação dos acumulados no portal oficial.

A liminar atende a ação apresentada pelos partidos Rede Sustentabilidade, Psol e PCdoB contra a ‘manipulação estatística’ do governo. ‘A retenção dessas importantíssimas informações inviabiliza o acompanhamento do avanço da covid-19 no Brasil, além de atrasar a correta implementação de política pública sanitária de controle e prevenção da doença”, argumenta a ação. Na decisão, o ministro deu prazo de 48 horas para que a Advocacia Geral da União (AGU) prestasse as informações “que entender necessárias’, continua o texto.

O Ministério da Saúde, na coletiva de ontem, disse que pretende atualizar o boletim diário às 18h. Élcio Franco, secretário-executivo interino, foi o que falou em nome da pasta na coletiva, e disse que se os problemas de ordem técnica forem resolvidos, se os dados forem recebidos até 16h de Brasília, eles conseguem divulgar os dados até 18h. Segundo ele, isso foi pactuado com o Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde). Desde o dia 3, além da falta de dados, o boletim tem sido divulgado depois das 22h por orientação do presidente Jair Bolsonaro em estratégia para não aparecer nos telejornais.

Na contramão do mundo inteiro, o MS coloca como estratégia a contagem de casos e mortes por data de ocorrência. O mundo inteiro registra os números conforme são confirmados, ou seja, na data da notificação. O governo brasileiro vai colocar na data da ocorrência querendo definir a curva com a evolução real.

Em reação, Câmara dos Deputados e Senado Federal tomaram providências para acompanhamento da pandemia. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disse que a comissão mista do Congresso criada por conta da pandemia, usará os dados fornecidos diretamente pelas secretarias.

A Câmara, por seu turno, vota hoje um requerimento de urgência de um projeto de lei que torna mais transparente a divulgação dos dados relacionados à pandemia. O PL determina que os gestores públicos e privados registrem os casos de covid-19 no Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cieves). Desta forma, o Ministério da Saúde não poderá mais optar sobre o que publicar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Ainda temos que conviver com essa encenação, piada morfética desse porra de ministro tucano do fhc golpista filhodumaputa.

    Deus nos ajude!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome