“Ultrapassou limite do bom senso”, diz Mourão sobre pandemia

Tom da declaração de vice é, contudo, de isolar a responsabilidade do colapso atual no ex-ministro Eduardo Pazuello, e não no governo

Foto: Reprodução/Alessandro Dantas

Jornal GGN – O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou, nesta quinta (25), que o número de mortos por Covid-19 no país “já ultrapassou o limite do bom senso”. A fala foi feita um dia após se reunir com o presidente Jair Bolsonaro e os presidentes da Câmara e do Senado.

Apesar de escancarar o cenário da crise sanitária no Brasil dentro do governo Bolsonaro, o tom da declaração de Mourão foi na mesma estratégia adotada pelo mandatário de tentar isolar a responsabilidade do colapso atual no ex-ministro Eduardo Pazuello, e não no governo como um todo.

Isso porque, segundo Mourão, os 12,2 milhões de contagiados e 300 mil mortes por Covid-19 são resultados de “decisões que já vinham sendo gestadas”, em referência a Pazuello, e que “agora tem um novo ministro da Saúde” que “assumiu o comando ontem”.

“Agora vamos enfrentar o que está aí e tentar de todas as formas diminuir a quantidade de gente contaminada e, obviamente, o número de óbitos, que já ultrapassou o limite do bom senso”, completou.

Conforme o GGN mostrou ontem, a mudança no discurso do mandatário somada à denúncia protocolada pela Procuradoria-Geral da República contra Eduardo Pazuello são partes da estratégia do governo de isolar a responsabilidade da pandemia no ex-ministro.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora