Um ano de COVID-19: OMS pede união e fim de ataques à ciência

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, divulgou uma mensagem um ano após a notificação pela China do surto de COVID-19 na cidade de Wuhan, em 31 de dezembro.

Mural em homenagem aos trabalhadores do sistema único de saúde britânico em Manchester, Inglaterra Foto | Matthew Waring/Unsplash

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, divulgou uma mensagem um ano após a notificação pela China do surto de COVID-19 na cidade de Wuhan, em 31 de dezembro. Ele prestou um tributo às muitas vidas perdidas para a doença e aos atos generosos que ajudaram a equipar hospitais e apoiar agentes de saúde e pacientes.

Na mensagem, o chefe da OMS afirmou que a escolha a fazer em 2021 é simples e profunda: “É preciso ignorar partidarismos, teorias da conspiração e ataques à ciência para combater a crise com compaixão e cuidado, compartilhando a vacina com todos, como numa grande família global”.

Ele fez um apelo a doadores para que a imunização chegue a mais países. Tedros afirmou que o mecanismo de vacinação da OMS, Covax Facility, precisa com urgência de US$ 4 bilhões para comprar doses para nações de rendas baixa e média. Para ele, este é o desafio que todos devem enfrentar no próximo ano.

Segundo Tedros, a pandemia provocou a resposta mais rápida e mais abrangente de uma emergência global de saúde de toda a história. Ele citou a mobilização sem paralelos da ciência e a busca de uma solução marcada pela solidariedade global.

Lições – Tedros Adhanom elencou algumas lições da pandemia. A primeira é a urgência de os governos aumentarem os gastos com o sistema público de saúde, desde o financiamento e acesso às vacinas para todos até a preparação para uma próxima e inevitável pandemia.

A segunda é que irá levar bastante tempo até que todos estejam imunizados contra a COVID-19 e por isso todos precisam continuar praticando as medidas de segurança contra o vírus: distanciamento social, uso de máscaras, lavagem de mãos e distância de lugares fechados e lotados.

Por fim, cooperação e solidariedade como uma comunidade global para promover e proteger a saúde hoje e no futuro.

A íntegra da mensagem (em inglês) está disponível aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora