Bahia: os caminhos da implementação de um programa de educação integral

Por Juliana Sada, do Centro de Referências em Educação Integral

Assim como outros estados e municípios, a Bahia deu o pontapé inicial da educação integral por meio dos incentivos e demandas trazidos pelo programa Mais Educação, do Ministério da Educação. A partir dessa primeira experiência, o estado decidiu construir o Programa de Educação Integral (ProEI), em 2014, desenvolvendo assim, uma iniciativa com as características locais e respondendo às demandas próprias da rede de ensino.

A construção do programa se deu em diálogo com a rede e a partir das experiências e discussões do Mais Educação. Ao longo de um ano, a Secretaria da Educação, gestores e professores articuladores participaram de formações mensais, de dois a três dias, em parceria com o Instituto Inspirare, organização da sociedade civil e integrante do Coletivo Articulador do Centro de Referências em Educação Integral. Os debates para construção das linhas gerais do programa aconteceram a partir de um documento base proposto pela Secretaria, debatendo demandas, realidades e colocações trazidas pelas escolas.

Esses espaços de formação e debate foram também responsáveis por pensar um currículo da educação integral que respondesse a alguns desafios comuns em todas as escolas. Um deles foi a construção de um currículo transversal e integrado, rompendo com a lógica do turno e contra-turno. “Temos a matriz curricular com a base comum e a diversificada, que são integradas”, explica Rowenna Brito, coordenadora do Programa de Educação Integral.

Local: Estado da Bahia
Início e duração: De 2014 aos dias atuais
Responsáveis: Secretaria da Educação do Estado da Bahia
Financiamento: Secretaria da Educação do Estado da Bahia

Leia também:  MPF apresenta balanço de ação sobre bloqueio orçamentário imposto pelo MEC a universidades e institutos

Clique aqui para conhecer essa experiência na integra.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Roda, roda, roda e não sai do lugar…

    Quase 50 anos depois de Brizola e Darcy Ribeiro terem iniciado o ensino em tempo integral ainda está-se engatinhando neste tema! Se tivesse tido continuidade desde aquela época, certamente, estaríamos muito melhor em vários aspectos da cidadania das nossas cidades.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome