PT elege 25 candidaturas jovens através de movimento interno de formação, por Milena Batista

Na primeira eleição após o “boom” de movimentos suprapartidários, o partido se organizou e conseguiu investir na juventude.

[Eleições 2020] PT elege 25 candidaturas jovens através de movimento interno de formação

por Milena Batista

Em 2018, após as eleições, o Partido dos Trabalhadores (PT) observou a baixa renovação, o envelhecimento e a pouca representatividade da bancada federal e das bancadas estaduais. Além da preocupação com o avanço de “escolas de políticos” de viés liberal, como Renova BR, Acredito, RAPS, entre outros que conquistaram inclusive jovens petistas e da esquerda em geral. Em dezembro daquele ano, João Victor Motta, um jovem dirigente do Diretório do PT Paulistano, apresentou uma proposta e convocou um Seminário Estratégico da Juventude do PT (JPT) para debater estratégias. Nesse seminário foi lançado o Representa, um projeto-movimento de formação política de lideranças petistas para disputar processos políticos na sociedade.

O programa foi desenvolvido em parceria com as Fundações Perseu Abramo (FPA-PT) e Friedrich Ebert (FES-SPD), aprovado como projeto do partido no Diretório Nacional e a partir dali, foi conduzido pela coordenação aprovada na Direção da JPT. A organização buscou soluções coletivas para algumas questões fundamentais à uma campanha: programa, organização, planejamento, comunicação e financiamento. Realizaram cursos com a FPA para ajudar aos candidatos e apoiadores, além de espaços de troca entre as coordenações e JPTs Estaduais. Na questão financeira, a ideia foi debater política de incentivo ao crowndfunding e o financiamento público.

O financiamento público, junto com as Secretárias de Combate ao Racismo, LGBT, Cultura, Meio Ambiente e Sindical, a JPT reivindicou que 5% do Fundo Eleitoral fosse investido nas candidaturas do segmento. Exclusivamente por indicação nacional, sem prejuízo à participação dos jovens na divisão do recurso estado a estado. Ao fim, tiveram 3%, dos quais a juventude teve direito à indicar 20%, ou 0,6% do total. O correspondente à R$ 1,2 milhões. O Representa foi estabelecido com um corte de 35 anos, e não 29 anos como a JPT, pois a juventude compreendeu que a disputa eleitoral é um resultado da militância pregressa e essa faixa agora abrange um espaço de transição. Foram mais de 4500 candidaturas Brasil afora e a demanda de dividir este recurso. O movimento definiu que não haveria prioridade à reeleição e escolheu 138 nomes que seriam contemplados à suplementação do recurso nacional.

O PT elegeu 25 candidaturas jovens, das 138 priorizadas pelo Representa. Na primeira eleição após o “boom” de movimentos suprapartidários, o partido se organizou e conseguiu investir na juventude. Há candidaturas que participaram do projeto nos estados e foram eleitas, como a Maiara Felício de Nova Friburgo e Vinícius de Olinda, mas que não entram nesse balanço inicial que contempla apenas as candidaturas priorizadas nacionalmente. Veja os dados:

Leia também:  As consequências do ódio ao PT, por Paulo Fernandes Silveira

O Representa priorizou 138 candidaturas, em todos os estados do país;

Conseguiram eleger 25 (18,1%);

Das 25 eleitas, foram 14 mulheres e 11 homens;

Alcançaram 9 primeiras suplências (6,5%) e 5 segundas suplências (3,6%);

Tiveram, em cidades onde o PT não alcançou o coeficiente, 9 candidaturas mais votadas do PT na cidade (6,5%);

Ou seja, 34,8% do total de candidaturas que priorizaram foram extremamente competitivas;

Além das 138 candidaturas que foram priorizadas nacionalmente, tiveram outras candidaturas eleitas apoiadas pelo Representa e pela JPT nos Estados, que ainda não foram contabilizadas.

Candidaturas Eleitas

Alarice Botelho Nunes – Xapuri – AC
Karla Silva Coser – Vitória – ES
Laiz Perrut Marendino – Juiz de Fora – MG
Moara Correa Saboia – Contagem – MG
Camila Jara – Campo Grande -MS
Beatriz Caminha dos Santos – Belém – PA
Flávia Hellen Oliveira Gomes – Paulista -PE
Brisa Silva Bracchi – Natal – RN
Estela Baladin da Silva – Caxias do Sul – RS
Laura Soares Sito Silveira – Porto Alegre – RS
Fernanda Stefani Curti – Guarulhos – SP
Paolla Catherine dos Santos Miguel Agard – Campinas – SP
Maria Eduarda Alencar Hidalgo – Ribeirão Preto – SP
Dandara Tonantzin Silva Castro – Uberlândia – MG
Luís Pedro Falcão Damasceno Cerqueira (Peu)- Santa Bárbara – BA
Pablo Rezende da Silva – Cruz das Almas – BA
Jonatan Pazoline Flor Silva – Central do Maranhão – MA
André Luiz da Silva – Guanhães – MG
Matheus Martins Leão – Nova Era – MG
Sharles Rodrigues Peixoto – Conceição do Araguaia – PA
Luiz Felipe Santos de Souza – Maricá – RJ
Eduardo José Barella Ferrari – Tenente Portela – RS
Guilherme Guimarães de Azevedo – Visconde do Rio Branco – MG
David Almansa Bernardo – Cachoeirinha – RS
João Gomes de Oliveira Neto – Floriano – PI

Leia também:  Raio X das eleições: Pernambuco, o domínio do PSB

As informações foram cedidas por Ronald Sorriso, presidente da Juventude do Partido dos Trabalhadores (JPT).

Milena Batista – Jornalista, roteirista e colunista do Voz das Comunidades. Ativista pelo meio ambiente a causas sociais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Tem esse caso aqui em Tatuí – SP, do vereador Eduardo Salllum, que já tinha sido eleito em 2016 e agora se reforçou como campeão de votos como vereador. Primeiro ele criou um movimento chamado de Práxis, depois da eleição ele montou uma sede do movimento e articulou seu mandato compartilhado. Chama a atenção suas ideias de renovação, ele tem 27 anos e é formado em sociologia. https://www.facebook.com/eduardosallum

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome