A festa da derrota, por Arkx

A festa da derrota, por Arkx

como um previsível revés eleitoral tem o poder de conduzir milhares de pessoas até uma Cinelândia completamente lotada, para ali comemorarem juntas, entre beijos e lágrimas, dança, música e palavras de ordem, risos e choros?

apenas a vitória merece celebração ou derrotas também se festejam?  mas que gente louca seria esta que festeja a derrota?

a razão deles não nos serve. é uma razão que produz a loucura do mundo em que vivemos. se dizem que somos loucos é porque talvez estejamos no caminho certo.

ainda sob os anos de chumbo do coronelismo político, sob o jugo do fisiologismo e do assistencialismo e dominada por currais eleitorais, o Rio de Janeiro conquistou, após décadas, uma oportunidade de libertação.

uma cidade que fora vendida aos caciques do PMDB, em nome do “bem maior” do projeto nacional do lulismo.

mermão, aqui é o Rio de Janeiro. já sobrevivemos ao Garotinho, Rosinha, César Maia, Eduardo Conde, Sérgio Cabral, Pezão e Duduzinho Paes.

e como resultado daquele “bem maior” que nos condenou a um garrote vil político, estamos agora lutando contra o golpe, a PEC, a reforma do ensino médio. gritando “Fora Temer” e “Diretas Já”.

parceiro, no Rio a gente vive e morre nas ruas. amamos a convivência nos espaços públicos. o encontro nos butecos, na praia e na noite.

aqui é desse jeito. somos sempre multidão. a mistura, a diversidade, a comunicação. é assim que nos sentimos vivos.

amamos a vida. e celebramos a vida coletivamente nos espaços abertos. seja nas vitórias, seja na derrota.

Leia também:  Ciro: "Existiria bolsonarismo sem o lulopetismo e suas escolhas?"

muito além disto, a batalha do Rio não é apenas uma disputa eleitoral, ou mesmo um confronto entre programas e projetos. a batalha do Rio é uma guerra de mundos. por isto, não se completa numa eleição. nossos sonhos não cabem nas urnas.

é a luta de uma cidade de pessoas contra uma cidade de negócios, entre a cidade democrática e a cidade empresa.

uma luta que faz do Rio um laboratório do futuro. a capital da esperança. para que deixe de ser um maravilhoso cenário para uma cidade com pavorosas desigualdades.

mundos completamente antagônicos numa guerra de  vida ou morte. sem qualquer possibilidade de conciliação.

a cidade das zonas de exclusão, dos guetos e dos campos de concentração. a cidade dos mercadores da fé, dos operadores da teologia da prosperidade. os adoradores do deus dinheiro. os pregadores do fundamentalismo de mercado. os missionários da conversão de todos os povos da terra ao capitalismo como religião.

e a cidade libertária, do diálogo, da diversidade. uma cidade do encontro e do afeto. a cidade dos desejos, dos sonhos e das utopias.

esta foi uma campanha municipal não submetida à lógica eleitoral, resultado de um árduo e longo processo de construção de alternativa através da luta dos coletivos e da organização pela base.

tivemos como uma das vitórias, o resgate da juventude para a política. algo que nenhum marqueteiro pode vender. nenhum financiamento eleitoral pode comprar. apenas a alegria e a sinceridade de uma política feita com ética e amor.

Leia também:  Pesquisa mostra PT como maior culpado pela crise. O que significa para os progressistas?

festejamos o renascimento da política e o rejuvenescimento da militância, em sua ocupação na raça das ruas, das praças e das redes.

uma campanha que fez chegar a hora de rejuvenescer, pela aliança da experiência da geração das “Diretas Já” com o vigor da primavera secundarista.

uma campanha que botou por terra o mito da inevitabilidade de uma política de alianças vendidas em troca de tempo de TV. apenas 11 segundos foram suficientes para derrotar o PMDB e ir ao segundo turno.

uma campanha que provou que política se faz juntos, no maior financiamento coletivo como nunca antes houve na história deste país.

uma campanha na qual definitivamente ficou claro que a mídia somos nós. se eles tem a mídia, nós temos uns aos outros.

uma campanha na qual se desenrolou mais um capítulo da guerra de famiglias, o Império Global contra o Reino da Universal. com as capitanias hereditárias midiáticas sucumbindo frente ao monstro se erguendo da onda de ódio que contribuíram para insuflar: o fundamentalismo religioso.

nesta guerra de mundos, as batalhas pela libertação do Rio de Janeiro irão prosseguir. a única luta que se perde é aquela que se deixa de lutar.

por isto, estamos nas ruas, festejando a derrota. e na noite que se abate sob a nossa cidade e sob todo o Brasil, somos cada um de nós um brilho na escuridão.

não nos interessa apenas resistir. nosso desejo é outro, queremos re-exisitir.

a cidade somos nós. a cidade é nossa. vai ser desse jeito. vamos ocupá-la. com as nossas vidas.

vem vindo o verão.

Leia também:  Crise na Bolívia: missão da OEA não comprova fraude eleitoral e atua politicamente, diz CEPR em relatório

.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

122 comentários

  1. Quem vem vindo é….

    Quem vem vindo é…. CRIVELLA 

    Quem vem vindo é…. PEC 241

    Esse país está morto !!!!

    Gente que achava que a evolução era lenta demais nos mergulhou no retrocesso.

    Queria só 10% dos manifestantes de junho de 2013 nas ruas contra a PEC 241

    Arkx, o pessoal de junho de 2013 topa o desafio ??? Pq não saem de suas casas ??? E não adianta dizer qu estão nas ruas agora, só se aconteceu uma chacina e 9/10 daquele povo morreu.

    Botavam milhões nas ruas e agora não poem nem 10 mil ??

    Aquela história de saúde e educação era tudo mentira né ?? 

     

    • A gente cansou de dizer que

      A gente cansou de dizer que quem colocou o povo nas ruas em 2013 foi a rede goebbels. Mas as polianas não quiseram ouvir, estavam achando tudo muito lindo aquela garotada protestando, querendo mais saúde, educação, menos corrupção, quanta consciência política. E olha quem esse pessoal elegeu. Dória, Greca, Crivella e BH nem esquerda teve no segundo turno, dois adversários do mesmo naipe, um se vangloriando que rouba mas não recebe propina e o outro de que recebe propina mas não rouba. E os vereadores. Que coisa medonha. 

      • Admiro o otimismo do Arkx,

        Admiro o otimismo do Arkx, mas onde ele vê uma revolução iminente, eu vejo lua de mel do povo com o PSDB e com a PEC 241.

        Pelo menos ele não é um daqueles anarquistas que critiica o estado e não critica o mercado, e entende que o problema são os bancos….

         

         

          • Bom, a direita só precisa

            Bom, a direita só precisa aprovar o seguro-anti-esquerda, cuja apólice vale por 20 anos.

            Depois disso, pode ter onda vermelha, onda rosa, onda amarela, onda verde, onda cinza, que o neoliberalismo estará escrito na constituição. 

            A onda conservadora só precisa durar até a PEC 241 passar… depois, até 2038.

    • a festa da derrota

      o lulismo jamais compreenderá Junho de 2013. vcs precisam sair de dentro do caixão do lulismo e pensarem a partir de dados. por exemplo:

      segundo o SAG-DIEESE (Sistema de Acompanhamento de Greves),  em 2012 ocorreram 877 greves. em 2013 foram 2.050!

      teriam sido os demiurgos da CIA? este dado revela como a crise econômica já corroera a pax lulista com sua conciliação de classes.

      já escrevi repetidamente: Junho de 2013 foi o grande momento perdido pelo lulismo para se reencontrar com as ruas, com o movimento de massas e fazer o giro à Esquerda.

      .

      • A unica coisa que vi em junho foram Fascistas rasgando bandeiras

        Vermerlas.

         

        Batendo em militantes de esquerda e viralizando as fotos.  

         

        Junho de 2013, nada mais foi que a intensa manipulacao da CIA das redes sociais.

         

        A Fiat pagando milhoes pra tocar em suas propagandas a musiquinha coxinha “Vem Pra Rua”

         

        Uma tal Wise Up gastando milhoes num tal de #movimento #ChangeBrazil.

         

        Uma tal de Carla Dauden, moradora de Los Angeles, que surgiu do nada, sumiu do nada virando celebridade com apoio dos gigantes da Internet americanas, desancando o pais.

         

         

        Esta na hora de recriarmos a Esquerda Trablahista a moda de Brizola, sem travecos, maconheiros, e mulher feia querendo chamando atencao com o suvaco cabeludo.

         

        Que se preocupa menos pederastia e mais com emprego, estradas e bombas atomicas.

         

         

        • a festa da derrota

          -> sem travecos, maconheiros, e mulher feia querendo chamando atencao com o suvaco cabeludo.

          seria mera coincidência? o Crivella acha a mesma coisa. e o Bolsonaro também!

          é isso aí, galera! vamos mostrar a cara. esta é a “esquerda” resultado dos longos 13 anos do lulismo.

          é com este povo que alguns acham que é viável fazer uma “Frente Ampla”…

          .

          • desonestidade

            Pegar o comentário de Henrique e generalizar para o PT é desonesto. Eu acho que até arkx sabe disso.

          • SOU DE ESQUERDA MAIS NAO SOU MARXISTA.

            Cago e ando pra marx.

             

            E cago ainda mais pra ideologia do genero, o racialismo politicamente correto, e toda a pauta dos Liberais Golpistas Americanos que ultimamente a esquerda brasileira de crasse merdia (acostumada a importar tudo que lixo gringo) tornou o discurso unico dessa esquerda maconheira de universidade, que andam igual mulambos, nao produzem nada, e só sabem causar escandalos e chamar atencao como aqueles mleques que se vestem diferentoes pra chamar atencao na adolescencia.

             

            Toda a agenda da Esquerda atual, só serve pra alimentar Espantalhos que os Facistas e fanaticos religiosos usam clm maestria pra enganar os pobres.

             

            Nao quero banheiro exclusivo pra Traveco, cago e ando pra isso.  quero empresas de tecnlohiande ponta nacionais, gerandos empregos de qualidade e divisas pra bancar saude e educacao pro povo.

             

            Ligo nenhum pouco pra legalizacao da maconha, hoje quem quer fuma. se fumar em sua propriedade privada sem incomodar ninguem via em publica, fuma de boa.  a proibicao é pra ingles ver, e  hoje ningue  fuma mais isso, a droga que se usa hoje é cocaina que se tornou barata e acessivel e por ser uma droga muito social tem muito afinidade com o perfil do Brasileiro.  voces lutam por uma causa inutil sem menor problematica no Mundo real.

             

            Quero é bos estradas, ruas limpas, pracas bonitas e seguranca pra andar na rua.

             

            Maioridade penal, passou da hora, aos 13 ninguem é mais virgem, passam noitadas cheirando pratos inteiros de pó, a era lula é a prova que quem comete crimes, nao é vitima da sociedade, os jovens atuais foram os que tiveram as melhores opcoes de emprego e estudo se viraram bandidos é por que nao prestam e devem morfar na cadeia.

             

            Eu como trabalhador me revolto de me matar trabalhar as vezes negar um agrado a minha doce filha, pra economizar e me vem um noia e rouba.

             

            Devemos nos preocupar como quem com o noia ladrao ou com trabalhador roubado.

             

            O trabalhador acima de tudo.

             

            Essa é a unica bandeira que a esquerda deve defender.  

             

            Ponto final

      • O Lulismo está morto, mas

        O Lulismo está morto, mas quem o substitui não foi o cirandeirismo, foi a volta do lixo autoritário de 64.

        Veja quem administrará as cidades no Brasil nos próximos anos. Veja os efeitos danosos para a saúde e educação da PEC 241 ??

        Arkx, como morador de ipanema, vc tem uma dificuldade enorme para entender como essas coisas afetam quem não está com a vida ganha. Duvido que vc morra em uma fila de hospital, ou que seu filho ou neto estude em uma escola sucateada.

        A consequencia prática de junho de 2013 é que a vida de muita gente vai piorar dramaticamente por muito tempo, a concentração de renda aumentará. São 20 anos a brincadeirinha do Temer… para vc pode parecer engraçado o povo ser arremessado na merda se isso fizer vir a tona uma revolução, mas mesmo que dê tudo certo haverão muitas baixas e vítimas. Você não será uma delas. 

        • a festa da derrota

          -> como morador de Ipanema

          nobre, tu é um cara legal. mas por favor, se livra desses estereótipos! assim vc não tem a menor idéia de quem sou.

          já ouviu falar em Gramacho, Corte 8, Sarapuí, Lote 15?

          abraços

          .

      • continue repetindo

        Como ninguem consultou voc~e?

        Pode deixar, os petistas, que são uma coisa só, vão seguir você, é só dizer o que tem de ser feito.

        O MPL quer que o pai lula faça o que voc~es acham que é o certo.

        Va a luta, se torne uma liderança, organize as massas.

        Agora, no ggn voc~e é só mais um coxinha contra a frente de esquerda.

        • Parece que na sua frente de

          Parece que na sua frente de esquerda só cabe o PT. O pior cego é o que não quer ver.

  2. O povo brasileiro perdeu as
    O povo brasileiro perdeu as eleições para principalmente o psdb.
    Mas o fundamentalismo evangélico vem logo depois.
    Logo vão proibir biquinis nas praias do Rio.

    • PSOL já fez uma outra

      PSOL já fez uma outra auto-crítica.

      Olhe como pretende conquistar o eleitor suburbano conservador…

      http://extra.globo.com/noticias/rio/beijaco-marcado-para-dia-da-posse-de-crivella-ja-tem-mais-de-2-mil-participantes-20391225.html

      Vou fazer uma auto-crítica. Acho que o PT e o PC do B não deviam ter apoido o PSOL automaticamente. Em todos os lugares com esquerda não Psolistano segundo turno, o PSOL pregou voto nulo. O apoio ao Freixo devia ser condicionado ao apoio ao João Paulo no Recife, e o do PC do B ao apoio do PSOL em Aracaju.

      O partido pregar voto nulo não quer dizer que todos os eleitores do partido vão votar nulo. credito que se PT e PC do B tivessem se declarados neutros, a votação de Crivella não mudaria grande coisa. Mas estariam tratando o PSOL com respeito, como se fossem adultos, e não com a condescendência que tratamos um irmão mais novo.

       

    • Ao culpar o PT, o Freixo está

      Ao culpar o PT, o Freixo está apenas continuando com seu serviço, agora sujo, de tentar destruir o PT. Só isso! Logo, jamais isso dará em auto crítica.

      Pelas vias mais tortas possíveis, a democracia corre o risco de ser salva pelos resultados do Rio.

  3. A festa da esquerda carnavalesca

    Quem sabe até apoiada pela Globo!

    Brizola já dizia que o Lula era a esquerda que a direita gosta, até que o Lula conversou com Brizola e fizeram o “Brizula”, o que juntou a bandeira nacionalista de esquerda com as lutas operarias pela justiça social. Hoje o Lula e o PT observam o PSol como aquela esquerda que a direita gosta, que a Globo gosta, cujas bandeiras coloridas se repetem em cada novela modernosa em que a rede Globo leva o modelo de sociedade e de família que o mundo global deseja para nós.

    “mas que gente louca seria esta que festeja a derrota?” Louca ao ponto de achar que esquerda é apenas aquela bandeira colorida modernosa; loucos de acharem que os evangélicos são inimigos; loucos de trazer uma esquerda fresquinha da Europa no meio de um país colônia saindo incipientemente da escravidão.

    “já sobrevivemos ao Garotinho, Rosinha, César Maia, Eduardo Conde, Sérgio Cabral, Pezão e Duduzinho Paes”. Frase irresponsável e esperta, como se esses políticos tivessem ganhado com votos de São Paulo ou Minas Gerais. Poderiam falar que, graças ao Lula, reviveram a indústria naval, que receberam a Copa do Mundo e as Olimpíadas, e etc.

    “e como resultado daquele “bem maior” que nos condenou a um garrote vil político, estamos agora lutando contra o golpe, a PEC, a reforma do ensino médio. gritando “Fora Temer” e “Diretas Já”. Falso, lutaram nesta eleição apenas com bandeiras religiosas, de família e de sexo, querendo impor um modelo de sociedade da Suécia para as favelas cariocas. Foram irresponsáveis, ao dividir a esquerda morena e terceiro-mundista apenas para bandeiras culturais neoliberais. È mesmo a esquerda que a direita gosta!

    “amamos a convivência nos espaços públicos. o encontro nos butecos, na praia e na noite” É isso mesmo, é bom falar de pobre olhando para a praia com uma cerveja na mão.

    “é assim que nos sentimos vivos”. Claro que se sentem vivos, mas, o problema é de melhorar a vida dos pobres deste país.

    “a batalha do Rio não é apenas uma disputa eleitoral, ou mesmo um confronto entre programas e projetos. a batalha do Rio é uma guerra de mundos. por isto, não se completa numa eleição. nossos sonhos não cabem nas urnas.” Aí falou tudo. É uma guerra da esquerda modernosa contra os evangélicos e esses sonhos não cabem mesmo nas urnas. A urna é para discutir a soberania da nação e o viés social que queremos a ela imprimir. O terceiro banheiro para outros gêneros e o sexo do pato é algo para discutir em boteco mesmo.

    “uma luta que faz do Rio um laboratório do futuro”. Claro, experimentar a Europa moderna dentro do Brasil colonial.

    “mundos completamente antagônicos numa guerra de  vida ou morte. sem qualquer possibilidade de conciliação”. Frase nada democrática e tipifica a soberbia destes esquerdistas intransigentes de boteco.

    “uma campanha na qual definitivamente ficou claro que a mídia somos nós. se eles tem a mídia, nós temos uns aos outros.” O PSol teve a Rede Globo ao seu favor.

    “uma campanha na qual se desenrolou mais um capítulo da guerra de famiglias, o Império Global contra o Reino da Universal. com as capitanias hereditárias midiáticas sucumbindo frente ao monstro se erguendo da onda de ódio que contribuíram para insuflar: o fundamentalismo religioso”. O Império Global contra o Reino da Universal, guerra onde eles estiveram com a Globo. 

    • Falou tudo Alexis

      Muito grato Alexis, por uma excelente “leitura” do texto sobre a ‘celebração” da derrota. Realmente, está ficando cada vez mais claro a quem servem esses supostos “esquerdistas”. Essas pessoas estão profundamente equivocadas e nem de leve desconfiam. Esquerdistas pequeno-burgueses, como se dizia antigamente, é isto o que são.

      Me faz lembrar que uma vez, nos Estados Unidos, ouvi um programa excelente no Public Radio sobre o fato de Arnold Schwartzeneggar – governador da California naquele momento, Republicano – ser considerado “de esquerda” naquele estado só pelo fato de apoiar o aborto, ser feminista e simpático a casamento gay, liberação da maconha, e á causa ambiental, quando na Costa Leste, ele era considerado um cara bem de direita, em função de suas posições com relação a todos os outros assuntos que constituem a essência da esquerda.

    • a festa da derrota

      sua argumentação se reduz a uma sucessão de clichês e estereótipos, demonstrando que os sucessivos choques de realidade provocados pelo golpeachment ainda não foram suficientes para que o lulismo supere os 13 anos de Alzheimer político.

      -> uma esquerda fresquinha da Europa

      há muito não existe esta “Europa” que vc se refere neste e em outros comentários. a Europa é hoje um continente devastado pelo austericídio. o mesmo austerícidio que Dilma planejou aplicar, numa versão ligeiramente mitigada, e agora o usurpador golpista tenta impor plenamente.

      e aqui cabe uma decisiva questão:

      o governo Temer é ilegítimo. assim sendo, todos seus atos também são ilegítimos. portanto caberia ao lulismo, e principalmente ao seu grande líder:

      1. declarar que todas as decisões e atos do governo Temer são ilegítimos, porque oriundo de um golpe de Estado. sendo assim, todos os seus contratos, seja de privatizações ou emendas parlamentares, serão sumariamente revogados assim que se reconquiste o governo;

      2. expor a Lava Jato como uma operação umbilicalmente conectada aos interesses geopolíticos das corporações transnacionais e dentro do escopo de uma guerra mundial híbrida.

      3. percorrer diuturnamente o país desfraldando estas duas bandeiras e levantando a população contra o golpe.

      mas o que o lulismo ainda busca é alguma forma de acordo. a tentativa derradeira da última conciliação. tudo o que lhes importa é evitar a prisão de Lula tendo em vista um ano longe demais: 2018.

      mais do que nunca está exposto que o lulismo sempre foi a falsa esquerda que a Direita tanto preza.

      p.s.:

      para ter um pouco de contato com a realidade carioca, e a pertinência das lutas das minorias, experimente pegar o metrô num final de praia de domingo, na estação General Osório (Ipanema). observe com atenção a multidão indo para a conexão com a linha 2, predominantemente jovens, em sua maioria negros e muitos LGBT.

      evangélicos com Freixo

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=FQhPK-TDSNw%5D

      .

      • Por falar em “sucessão de

        Por falar em “sucessão de clichês e estereótipos”, que tal esse:

        “não podemos deixar de registrar mais uma sensacional vitória do lulismo: a eleição do “companheiro” Crivella no Rio.”

      • Quiridinho, quando foi que o

        Quiridinho, quando foi que o PSOL utilizou o espaço que a campanha eleitoral lhe propiciou para:

        – questionar a legitimidade dos atos do governo usurpador de Temer?

        – expor a Lava Jato – saudada com vivas pela sua candidata a presidente Luciana Genro – como operação conectada aos interesses geopolíticos das corporações transnacionais?

        – colocar-se contra o golpe? [Ok, durante o processo de golpeachment no parlamento, Freixo e a bancada na Câmara lutaram contra, reconheço e aplaudo, mas o tema morreu na campanha por puro e simples OPORTUNISMO!]  

        E agora me explica, porque sou petista e, portanto, nas suas palavras, sofro de Alzheimer (pra um psolista, não és tão politicamente correto, heim?): se “o lulismo sempre foi a falsa esquerda que a Direita tanto preza”, por que a direita se deu ao trabalho de golpear o governo petista e tudo faz para destruir Lula? 

  4. Romantismo demais. Provavelmente se continuar

    assim , talvez daqui uns 200 anos vão conseguir alguma coisa.

    Esse pessoal é igual a Marina , quer fazer política sem povo , com meia duzia de ricos e classe média mais alguns artistas globais.

    Juventude na rua? Viu o mapa da vitória do Crivela? Só se for a juventude rica que mora de frente pra praia. Esse pessoal se não vota no PSOL vota no PSDB.(Aecio e cia)

    Acho que porque a maioria do pessoal do PSOL é bem nascido e conhece a real pobreza e os pobres somente pelos livros , igual ao pessoal do PSDB e PMDB , é que fazem essa política , como se estivessem na Dinamarca ou Noruega.

    Quanto mais cedo despencar para a realidade melhor. Quem sabe assim ajudam a mudar a verdadeira situação da maioria do povão , que com a ajuda deles em 2013 está vendo regredir a maioria dos seus direitos conquistados a duras penas e com a verdadeira política , meio podre , mas a verdadeira política.

    • O que move o ser humano?

      Romantismo demais é o que está mobilizando Ana Júlia e centenas de jovens ocupando as escolas… avise a eles que eles estão “fora da realidade” e que só a “verdadeira política” nos salvará, assim como salvou os petistas….

  5. a festa da derrota

    além do resultado total, mais relevante é apurar caso a caso a diferença por Zona Eleitorais.

    – Crivella teve esmagadora votação na Zona oeste.

    – abstenção, nulos e brancos somaram 46,73%.

    ZE com diferença bem menor do que o total:

    Zona Norte e subúrbio com vitória de Freixo:

    Freixo venceu com larga margem em toda área da Tijuca, Pça. da Bandeira, Maracanã, Vila Isabel, Andaraí e Grajaú:

    no Leblon, Freixo ganha por reduzida margem:

    17ª  –  Leblon, Jardim Botânico e Gávea: 49,72% 12.169 x 50,28% 12.307;

    melhor % de Crivella: 241ª – Santa Cruz, Paciência e Cosmos: 77,82% 31.791;

    melhor % de Freixo: 16ª – Laranjeiras, Cosme Velho e Catete: 67,09% 18.705;

    .

    • Esse negócio de votos válidos

      Esse negócio de votos válidos não mostra a verdade. 50% não votou em ninguém. Freixo teve apenas 20% dos votos. Divida todos os percentuais acima por dois que aí teremos a noção exata do tamanho da votação do PSOL.

      • a festa da derrota

        na 3ª linha do comentário: – abstenção, nulos e brancos somaram 46,73%.

        é preguiça, má vontade, dificuldade de leitura? todas as anteriores?

        é por este tipo de falta de atenção ao analisar a realidade que o lulismo cegamente marchou passo a passo em direção a um golpe anunciado…

        .

        • Acho que você não entendeu.

          Acho que você não entendeu. Pra termos uma noção exata da votação, na minha opinião, o correto era colocar os percentuais comparativos que estão grandões em destaque em termos de votos absolutos e não válidos, ainda mais que eles representaram quase a metade dos eleitores. 

          • a festa da derrota

            ->na minha opinião, o correto era colocar os percentuais comparativos 

            encaminhe então sua sugestão ao TSE e TER-RJ. a metodologia é deles.

            seja como for, como os dados estão disponíveis, vc mesmo pode reformatá-los a seu gosto.

            ou se achar que isto vai dar muito trabalho, procurar entender que o principal é a votação percentual entre os dois candidatos por ZE.

            qto. a abstenções, nulos e brancos já sabemos que foram maioria.

            .

        • E nós, adoradores do sol

          aplaudimos o golpe e ainda vomitamos lava a jato em cima do Lula. Vocês estão parecendo meus conterrâneos gaúcjhos que todo dia 20 de setembro de todo ano comemoram uma derrota.

          Ao invés de brigar pela democracia, pelos direitos sociais, por mais igualdade, ficam disputando qual esquerda é mais pura. Tem mais é que se ferrar, mesmo.

  6. Não venceram, nem vencerão nunca.

    Nenhum ex-petista saiu do partido por alguma causa nobre, mas por ressentimento. Já o  PSOL é um partido de nicho, nascido de minoria, feito por minorias para minorias, excludente, radical e extremista, fadado a ser minoria. Não tem mais representatividade do que isso, e jamais será substituto do PT. Nenhum partido será. O PT é a esquerda mais radical possível do trabalhismo, do qual talvez o PDT seja atualmente o centro. Já o PSOL podia ter atuado junto ao Governo pela minoria que representa, mas é a esquerda que a direita adora, subalterna e colonizada como também grande parte do PT é. Ajudou e trabalhou com a direita pra derrubar o Governo petista, e com ele a democracia, seja por ressentimento, seja por 20 centavos, pelo vandalismo blackblock, ou pra “ocupar o espaço deixado pelo PT”. Não deu. Não vai dar nunca. Em vez de ser um partido “colorido”, cujas causas maiores são bandeira da própria mídia golpista e das classes abastadas, que são tb empurradas goela abaixo há anos, e por isso são cada vez mais aceitas socialmente, devia ser um partido popular, valorizando primeiro o ciddão comum, trabalhador, a democracia, a soberania a prosperidade e a independência nacional, essas sim causas universais e de muito mais valor.

    • 100% de acordo… apoio ao

      100% de acordo… apoio ao golpe na Ukrânia, hostilidade a Lula e Dilma no Brasil; o MBL não é fascista… e la nave va…

    • Perfeito comentário.
      Enquanto

      Perfeito comentário.

      Enquanto a direita está sempre unida; as esquerdas, cada uma delas, tenda “surfar” no “desprestígio”, ainda que momentâneo, da maior delas, ou seja, do PT.

      O problema das esquerdas é o pensamento único e exclusivo no seu próprio nicho individual. Não há a comunhão delas, o que resulta em pequenas partes de pessoas que pensam no melhor para o País. Mas, como disse antes, naquilo que cada parte de esquerda pensa.

      É preciso que as esquerdas pensam no bem maior e saiu do seu individualismo esgoístico. Que deixem suas vaidades de lado e pensem no bem maior que é o melhor para a Nação. Divergências sempre haverão, e é salutar que elas existam. Mas, na hora de derrotar os conservadores da direita, é preciso que as esquerdas sejam apenas a esquerda, isto é, um conjunto individual de pessoas progressistas.

  7. Deveriam cair na real

    Eu sempre defendi que as forças democráticas (esquerda e centro-esquerda) tivessem noção de lado.  E que divergências dentro da esquerda e centro-esquerda não fossem debatidas de forma a fragilizar o lado democrático. Isso significa saber que o adversário é a direita, focar nisso sempre. 

    Parte significativa dessas divergências, dentro da esquerda e centro-esquerda, é consequência das diferentes visões para se atingir o objetivo principal, que é construir uma sociedade justa, democrática e o mais possível igualitária. Um dos principais fatores que provoca essas diferenças de visões é, sem dúvida, a extrema dificuldade que têm alguns políticos de esquerda de levar em consideração aspectos pragmáticos da disputa do poder. 

    Durante os governos Lula e Dilma, eu ficava impressionado com a dificuldade de alguns entenderem que avanços desejados por todos nós tinham como limite uma questão simples: ausência de votos favoráveis no Congresso. 

    Por isso, acho que seria didático, para o PSOL, ganhar no Rio de Janeiro. Administrar uma cidade grande provavelmente seria um aprendizado de como é a disputa do poder na prática, não apenas na teoria. Não deu, e acho que o mais lamentável disso é que o PSOL perdeu a chance de sentir na prática como é o jogo. Daria mais concretude aos debates políticos dentro da esquerda.

       

    • deveriam…

      …as forças democráticas de esquerda e centro esquerda… E a direita e a centro direita? E outras ideologias? E quem não tem ideologia?  Que democracia é esta que já começa com ditadura? Que democracia é esta que não quer ouvir o lado antagônico? Ainda não temos a dimensão do que é democracia. “Do povio, pelo povo, para o povo”. “Posso ser mortalmente contrário à sua opinião, mas morrerei lutando pelo seu direito de exercê-la”.  O resto é ditadura travestida. . 

      • ai, meu deus

        Quirido, estamos falando sobre como deve devemos/podemos resistir a um golpe de direita que assassinou a democracia no Brasil. Capice? Ou vc não notou? O país é Brasil, planeta Terra, sistema solar etc. e tal.  

  8. a festa da derrota

    não podemos deixar de registrar mais uma sensacional vitória do lulismo: a eleição do “companheiro” Crivella no Rio.

    como se sabe, Crivella foi agraciado em 2012 por Dilma Roussef com o Ministério da Pesca e da Agricultura, para assim “cuidar das pessoas” de seu rebanho e pescar ainda mais fiéis para sua igreja.

    ainda é necessário lembrar que o partido de Crivella, o PRB,  é também o mesmo partido de José Alencar, por duas vezes vice-presidente de Lula.

    também é de conhecimento geral que Crivella e José Alencar politicamente compartilhavam da mesma fé.

    além de sua posição contrária ao aborto, José Alencar declarou que “o homossexualismo é uma forma de violência à natureza humana”.

    José Alencar também se posicionou contra as “invasões” do MST, classificando-os como “bravatas”. já em relação à CPMF, a considerou como um imposto “abominável”.

    neste 2º turno das eleições municipais no Rio de Janeiro, ainda outro mito do lulismo cai por terra: o poder imbatível da mídia Global.

    apesar dos golpes da Globo e midiáticas afiliadas, o bispo senador manteve seu rebanho cativo nos currais eleitorais.

    como também é sabido, assim como NÃO democratizou a grande mídia, pouco investiu nas mídias alternativas e sempre manteve intocadas as fartas verbas publicitárias para a Rede Globo, o lulismo jamais sequer cogitou em investigar os “dízimos” e a “prosperidade” do fundamentalismo evangélico.

    p.s.:  e que jamais se esqueça o batismo de Bolsonaro no rio Jordão, pelo pastor do PSC, partido que compunha a base aliada do lulismo.

     

    .

      • a festa da derrota

        ->Disputas dentro do campo progressista democrático só servem para fortalecer a direita.

        pois é. parece tão lógico. o problema é quando sai da intenção para a prática.

        vejamos:

        Eduardo Paes é campo progressista? obviamente que não. mas isto não impediu de PT, PC do B, PDT de com ele se coligarem em 2012.

        ocupar militarmente as favelas é medida do campo progressista? obviamente que não. mas isto não impediu Dilma de fazê-lo. assim como propor e sancionar uma Lei Anti Terrorismo.

        se mudar o mundo fosse fácil, se para mudar o mundo bastassem as boas intenções de fazer uma grande “frente progressista”, as gerações anteriores já o teriam conseguido.

        o maior inimigo da Esquerda sempre foi a própria Esquerda – aquela que trai.

        .

        • “o maior inimigo da Esquerda

          “o maior inimigo da Esquerda sempre foi a própria Esquerda – aquela que trai.”

          Você realmente acredita nisso?

           

          As contradições do Lula são responsáveis pela anti-política dominante nestas eleições “democratica”

          Você realmente acredita nisso?

           

          A palavra de ordem é: Abaixo ao Golpe de Estado!

           

          Ou a esquerda acorda para isso, ou vão fica brigando que nem crianças (como está ocorrendo aqui nos comentários do post) enquanto a Direita vai destruir TUDO conquistado nos últimos OITENTA anos.

           

          Trabalhadores, uni-vos!

    • Mbl Mpl dois lados da mesma

      Mbl Mpl dois lados da mesma moeda, não possuem compromisso alem de suas vontades individuais.

      freixo perdeu por que o povo não tem conhecimento e não por que o PT não deixou.

      Vai militar seu falador.

    • ainda bem

      Ainda bem que vc não vomitou suas baboseiras antes da eleição: Feixo iria perder muitos votos – eu mesma pensaria mil vezes antes de votar num partido que chama o poder golpista da Globo de “mito do lulismo”.

      Lembretinho: vencemos a Globo em 4 eleições presidenciais seguidas, daí a necessidade do golpe.

      Perguntinha: vc já ouviu falar de presidencialismo de coalizão? É uma merda sem dúvida, mas no Brasil de antes do golpe não era possivel governar sem isso. Aliás, o que eu mais sinto na derrota de Freixo é perder a chance de vê-lo governar uma metrópole como o Rio apenas e tão somente com os seus 6 vereadores e c****** na cabeça de todo o resto.   

  9. Oswald de Andrade, paulistano

    Oswald de Andrade, paulistano cosmopolita, certa vez disse que o problema “dessa bosta mental sul-americana” era que o contrário do proletário não era o burguês, era o boêmio.

    Ver as pessoas “festejando” a derrota do Freixo me parece ser a ressurreição dessa avaliação feita nos anos 20 ou 30.

    Alguns festejam a derrota da Globo.

    Que derrota?

    Ela também perdeu 2002, 2006, 2010, 2014.

    Que derrota?

  10. sonhar não custa nada…

    mas também não resolve nada.

    Quem resolve é povo e, infelizmente, temos o mais distraído do planeta. Um povo perdido no mundo mágico das tvs, dos celulares e dos Iphones, sem levar nada a sério.

    Assim foram guiados para os corredores estreitos de um matadouro. Lava Jato distraiu e golpe aconteceu

    Assim como ter sofrido o golpe, perder para Crivela deveria ser encarado como um pesadelo…………………

    um pesadelo sim, pode resolver muita coisa, principalmente se, ao despertar, jovens e idosos decidirem sonhar um mesmo sonho.

    Comemorando derrotas, nunca saberão o que é pesadelo………………………………..bem…

    a bem da verdade, comemoração de derrota é sonho à venda, mas só de quem perde

    • povo desejou satisfação imediata…

      e Lava Jato, mídia bandida e pastores, com cada um em sua área de interferência, souberam muito bem como transformar satisfação de suas necessidades básicas em salvação, colocando a magia no lugar da seriedade

  11. Dentro do pouco mais de

    Dentro do pouco mais de 1.160.000 votos (uns 20% do total geral) de Freixo encontram-se votos de petistas, outros progressistas e votos de muita gente que preferiu votar no PSOL do que ver Crivella prefeito, inclusive votos da direita. Até globo e veja apoiaram Freixo. Seria bom realizar uma análise para descobrir quantos destes votos foram mesmo para o PSOL.

  12. Deixa ver se eu entendi:
    A

    Deixa ver se eu entendi:

    A vitória de Crivella é culpa do lulismo? A derrota de Freixo é culpa do Lula? O fato dos cariocas terem votado sucessivamente em Garotinho, Rosinha, César Maia, Eduardo Conde, Sérgio Cabral, Pezão e Duduzinho Paes deve ser posto na conta da governança do presidencialismo de coalizão liderado por Lula? A eleição de Crivella se deve aos ecos que o projeto de Lula teima em ressoar?

    Por fim, quem é que comemora derrota? Não há nada de heróico nisso! Ao contrário, há uma certa soberba.

    O PSOL perdeu em Belém e no Rio, entre outras razões, pela visão obnubilada da política, que não identifica corretamente os adversários e gasta munição com tiros a esmo (péssima comparação em se tratando do Rio).

    • Pela ojeriza que os petistas

      Pela ojeriza que os petistas tem pelo PSOL parece que esta afirmação não está longe da verdade. Teve petista que faltou pouco para declarar que votou no Crivella, o que não acho impossível, pois a indisposição do PT tem muito a ver com insegurança. Parece que os petistas temem perder a hegemonia dentro da esquerda.

  13. Eu votei em Laranjeiras e

    Eu votei em Laranjeiras e como trabalho na Lapa, vi de perto a onda Freixo. De fato foi bonito e alegre. É muito bom ver a garotada engajada. Creio que faz parte do mesmo fenômeno que inlui o movimento secundarista com a surpreendente Ana Julia como símbolo.

    Dito isso, é preciso que o Psol comece a superar suas limitações. Se é que realmente quer govenrar alguma coisa. Seja município, estado ou país. Alianças com o centro são inevitáveis. Mas principalmente, ainda falta povo no Psol.

    Percebi que a onde pegou um ou outro que escapou do perfil eletizado do eleitor do Freixo. Mas foi pouco. É preciso que o Psol queira de fato ir às comunidades para combater o discurso obscurantista neopentecostal. E tem espaço para isso. Muita gente lá não quer ser oprimido pelo fundamentalismo evangélico. 

    Pode começar dfendendo os praticantes das religiões afro-brasileiras. Os gays e lésbicas das favelas que são muitos e os que querem fumar seu baseadinho em paz, sem estar envolvido com o tráfico

    • a festa da derrota

      -> Eu votei em Laranjeiras e como trabalho na Lapa, vi de perto a onda Freixo

      é que no Largo do Machado, Laranjeiras, Botafogo, Glória o Freixo venceu disparado, com Zona Eleitorais com mais de 60% dos votos.

      concordo contigo que o PSOL ainda tem muitas limitações e enfrentará enormes desafios. esclareço: não sou PSOL.

      inclusive o PSOL tem um problema de nascença. ao contrário do PT, que surgiu das bases de um amplo movimento de massas e eminentemente não parlamentar, o PSOL já nasce vinculado a um projeto eleitoral.

      as eleições não podem ser um fim em si mesmo,. as eleições são um meio. foi por perder esta perspectiva que o PT se auto destruiu.

      -> É preciso que o Psol queira de fato ir às comunidades para combater o discurso obscurantista neopentecostal.

      -> Pode começar dfendendo os praticantes das religiões afro-brasileiras. Os gays e lésbicas das favelas que são muitos

      concordo 100%. mas é o que já estão fazendo. o melhor exemplo é a eleição de de Marielle Franco. a 5ª vereadora mais bem votada. nascida, criada e ainda moradora da Maré.

      quanto ao LGBT, tem o Davi Miranda. e a Indianara.

      há um ciclo se fechando. o do lulismo. esta “festa da derrota” do Freixo marca o início de um novo ciclo. é inevitável. mais cedo do que parece, todos compreenderão.

      uma outra Esquerda já existe. uma nova forma de fazer política já está sendo praticada.

      abração

      .

      • Eu tb quero ver se entendi.

        Nova forma de fazer política ? Onde ?, quando ? Não estou conseguindo ver. Poderia explicar melhor ? O que estou vendo é o PSDB vencer sempre no 1º turno em SP, em quase todas as eleições. É pelo novo jeito de ser protegido  ? O PMDB vencendo na maioria das capitais. É pelo jeito de roubar ? O PT perdendo em muitas cidades, mesmo c/ a mídia sabendo (e escondendo), que a crise é mundial ?

        Mas o PT tem de fazer mea culpa, pedir perdão em praça pública pelos seus ERROS ? E os ACERTOS ? Tem de ter novo projeto, pois o existente caducou ? A inclusão de pobres, caducou ? o aumento do nº de universidades, não é mais necessário? O Petróleo não tem mais serventia nenhuma? O Bolsa família não tem mais razão de ser? E a privatizada Vale, tem protegido a população contra desastres provocados p/ ela?.

        E o Neoliberalismo ? ressuscitou ? junto c/ Ronald Reagan e Margareth Tatcher ?

        E eu até agora, não entendi qual o projeto do PSol. Honestidade ? Nenhum aliado ?

  14. As uvas estavam verdes…ou violeta?

    Bem, já não é mais possível esconder, e alguém disse: “os idiotas perderam a modéstia”.

    Então, fazer política se resume a criar fantasias e idiossincrasias para consumo interno, sem compromisso nenhum com as demandas de quem você diz estar querendo beneficiar.

    Então tá, é festa. Eu me lembro de ter desdenhado da derrota em 1989, usando quase a mesma infantilidade…

    Entre 1989 e 2002, alguns milhões de brasileiros foram privados dos mais básicos direitos, enquanto festejávamos nossas virtudes intactas…

    O texto ruim (um dos piores até aqui) reassume a postura raivosa (e cretina) de dizer que o golpe é culpa do PT (assim como os machistas que culpam as mulheres pelos estupros de que foram vítimas).

    Eu nem vou atacar a auto-visão que o pobre rapaz tem do Rio (lindo, afetuoso, plural), que pode até ser a do Leblon ou Barra (a Barra ainda faz parte do Rio?), mas que não confere em nada com a violência, segregação, machismo e homofobia transclassista que se esconde atrás dos mitos da malandragem hospitaleira do “carioca” (um tipo de narciso perverso, descrito pela psquiatria).

    O “carioca”, nas palavras do pobre rapaz, diz: “aqui é Rio, mermão, sobrevivemos a garotinho, cesar maia, etc…”

    Uai, mas quem votou nesses caras, mermão? Os subcariocas? Ahhhh, foram esses plebeus da zona norte ou os recém chegados do Nordeste…Eta raça!

    Mas afinal, quem bom que Freixo não tenha ganho, fica mais fácil fazer política no “SE”:

    SE Freixo tivesse ganho, com certeza conseguiria convencer os vereadores da maioria, contaminados pela “pior maneira” de fazer política (certamente herdeiros do coronelismo e do lulismo, quem sabe?), a aderir o projeto da “nova cidade arco íris” na base do “amor”…

    SE Freixo tivesse ganho, poderíamos enfim dizer ao mundo que somos uma cidade civilizada que detesta religião, mas que tem como símbolo um tótem de cristo de braços abertos (“…mas de punhos fechados na vida real…”).

    SE Freixo tivesse ganho, TODA gestão do município renderia homenagens aos bons princípios, aos critérios técnicos, a moralidade, abdicando completamente a qualquer desvio em nome do que é certo!!!!

    Tem razão o pobre carioca descolado que festeja a derrota…O diabo no rio são os outros…

    E tudo com as bençãos da máquina de propaganda global…

     

    PS: Enquanto Crivella era fiel ao projeto que incluiu 20 milhões, que abriu 200 e tantas universidades e outras tantas escolas técnicas, elevou o salário mínimo a mais de 300 dólares e conseguiu a “blasfêmia” de trazer médicos aos rincões, e levar pobres para estudar no exterior, o psol tocava com a banda da UDN…

    “deus salve a lava jato”, não é Luciana Genro?

     

     

     

     

    • a festa da derrota

      és um caso perdido. infelizmente. tens muitas cabeças, mas raciocinas com o fígado.

      na derrota eleitoral do PT em 1989, ficou patente que Lula jamais seria a liderança correta para o projeto e o programa então apresentados.

      o lulismo sempre foi uma farsa. os dados não mentem. é o mais contundente exemplo é a pretensaa recuperação do salário mínimo, que foi menos pior com FHC do que com o lulismo! 

      .

        • a festa da derrota

          -> Faz o cara ficar doente de inveja dos que brilharam.  Mostra um gráfico mequetrefe

          como vc se deu ao trabalho de postar uma grande qtde. de gráficos, achando que assim embasava sua argumentação, vou fazer a tentativa de algum tipo de diálogo contigo.

          antes de tudo:

          sua modo de escrever não condiz com quem quer dialogar: “doente de inveja”, “gráfico mequetrefe”. este é um contundente exemplo do mal que a “cultura do Facebook” trouxe a comunicação entre as pessoas. quando alguém assim se dirige a outra pessoa num contato cotidiano, sem ser virtual, ela está imediatamente fechando qualquer possibilidade de diálogo. ou se vira as costas ou se descamba para a porrada. portanto, quem quer conversar, mesmo uma conversa áspera, não age deste modo. discordâncias e divergências fazem parte da relação entre as pessoas. é muitas vzs pelos pontos de vista absolutamente contrários aos nossos que conseguimos ver outros aspectos da realidade que nos escapavam.

          posto isto, digo-lhe que a maior parte dos gráficos que vc postou, que são invariavelmente os mesmos que o lulismo utiliza para justificar suas “conquistas sociais”, apresentam dados descontextualizados.

          pois bem, agora vc tem a opção de continuar lendo. e conhecer uma perspectiva contrária a sua. não que seja para vc mudar de opinião. mas apenas para compreender um outro tipo de abordagem.

          o trabalho de análise de dados é sujeito a enormes distorções. convenientemente torturados, os dados provam qualquer conclusão já existente previamente. dito de outra forma: os dados podem ser manipulados para embasarem qualquer opinião.

          então cabe uma escolha. o que se quer? analisar os dados para uma aproximação (pq é sempre uma aproximação, nenhuma análise é definitiva) da realidade? ou apenas manipular os dados para justificar uma determinada posição que já se tem?

          vejamos então o caso do Salário Mínimo. este é um dos principais indicadores para se aferir a melhoria de renda da população. é também uma das alegadas “grandes conquistas” do lulismo.

          um dos gráficos que vc postou compara o SM com o Dólar. não serve! por que não?! porque distorce. não considera a variação cambial. se há uma apreciação do Real, o SM em Dólar aumenta. mas isto não implica necessariamente em maior poder de compra do SM, já que o preço das mercadorias não sofreu a mesma desvalorização.

          além disto, uma apreciação do Real não é saudável para a economia brasileira. foi o que aconteceu no Plano real e em boa parte dos governos lulistas. este é um dos motivos de termos sofrido um duro processo de desindustrialização.

          é simples! é só uma questão de querer pensar fora da caixa. sem fanatismo. e sem fundamentalismo.

          o SM deve ser indexado ao que determina a Lei do SM. ou seja: a cesta de mercadorias relacionada na lei. o DIEESE faz isto todo mês. compara o SM nominal com o necessário. este foi o parâmetro que utilizei no “gráfico mequetrefe”.

          consulte o site do DIEESE. lá está tudo explicado.

          por este parâmetro (não sujeito as distorções) a dura e lamentável conclusão é que não houve nenhuma “recuperação estrutural” do SM sob o lulismo. ao contrário, a recomposição do SM menos pior com FHC do que com o lulismo!

          não adianta querer encaixotar à força a realidade em nossos desejos. é preciso fazer de nossos desejos a força que nos impele a transformar a realidade.

          .

      • Não entendi sua comparação

        Primeiro por que quando chamou Lula de o cara, estava no primeiro mandato, ganhado o nobel da paz e fingia-se paz e amor. Agora, sub-repticiamente armou o golpe com medo das pretensões brasileiras! Agora eu pergunto! E daí? O que tem a ver as calças do Lula com o reto do Obama?

        • Obama armou o golpe? Sinto

          Obama armou o golpe? Sinto muito lhe informar que o golpe foi armado às nossas barbas, pelos “nossos aliados” (!) como o PMDB, a mídia, o empresariado brasileiro e vastos setores do Estado, inclusive do judiciário e do MP, indicados “por nós”. O fato de empresas transnacionais terem seus interesses garantidos no Brasil não serve para essa ilusão compensatória de responsabilizar o “inimigo externo” por nossa derrota. Os inimigos estão à nossa volta, e não são o Psol nem o Obama.

          • Esperemoss o futuro

            Saberemos mais da relação moro xEUA. Por hora em 1964 todos negaram participação dos EUA. Hoje até 4º frota estava disponível para apoiar o golpe. A verdade está lá fora dizia Arquivo X!

             

            http://www.conversaafiada.com.br/politica/lula-o-que-derrubou-a-dilma

             

            Lula ouviu Barreto atentamente e respondeu (a transcrição é de memória):

            – Não acredito em teoria conspiratória, mas que há conspirações, há!
            – Temos que entender ainda o que aconteceu nas manifestações de junho de 2013.
            – Nossas primeiras interpretações talvez estivessem erradas, na suposição de que se tratava de um movimento espontâneo, apolítico…
            – Como explicar que a Globo tenha trocado a programação normal para dar espaço a movimentos políticos espontâneos, apolíticos?
            – Como explicar que a Globonews tenha, praticamente, conduzido as manifestações?
            – É preciso entender ainda o que aconteceu ali: não sabemos.

            – Não acredito em teoria conspiratória, mas, vamos lá. Tome nota:

            – a eleição do presidente da FAO e da OMC;
            – a integração ao G-20;
            – a criação dos BRICS;
            – do IBAS;
            – da Unasul;
            – da Celac;
            – do CDS;
            – o fortalecimento do Mercosul;
            – a entrada das empresas brasileiras na África, Cuba e América do Sul;
            – a aproximação pioneira com os países árabes;
            – a tentativa de uma acordo com a Turquia sobre o programa nuclear do Irã;
            – receber as Olimpíadas e a Copa do Mundo;
            – criar uma relação orgânica, política, com a China e a Rússia, além dos BRICs;
            – construir com os franceses, numa primeira etapa, o submarino nuclear;
            – e, daí em diante, produzirmos nós mesmos, com tecnologia e empresas nacionais;
            – refundar o programa nuclear;
            – trocar o regime de explorar o pré-sal para regime de partilha;
            – descobrir o pré-sal!

             

          • Até o Arkx reconehce a

            Até o Arkx reconehce a interferência externa no golpe.

            Já que a palavra do dia é aut-crítica, la vai uma. 

            Pq o PT, principalmente agora que Dilma já era, nã fala mais abertamente sobre os interesses internacionais no golpe ??? Receio de perder a “boa imagem” e o “papel de vítima” para a imprensa estrangeira ?? Pq se fala abertamente disso em outros países latino-americanos e não no Brasil ?? Como o povo vai lutar sem saber contra o que está lutando ??

            Até pq toda a imprensa estrangeira se derrete em elogios a Dilma Roussef e critica Maduro, que apesar do nome, não cai, mesmo submetido a pressões bem maiores do que ela. As medidas de Maduro que o permitem resistir ao golpe e as medids preventivas tornam Maduro um ditador junto a mesma imprensa que elogia Dilma. OS elogios a Dilma são hipócritas, pq talvez ela estivesse sendo xingada se tivesse tomado medidas preventivas contra o golpe.

      • Fui mal interpretado..

        Fui mal interpretado ou me expliquei mal…..ou um pouco dos dois….a palmas de Obama e Temer(fora)foram para a esquerda brasileira(neste caso especifico Psol e PT) e todos os comentarios deste post…realmente não me parece neste momento o mais importante a “lavagem de roupa” entre partidarios(de partidos diferentes) do mesmo lado…sera que não temos inimigos suficientes?Sem querer ser da turma do deixa disso, acho esta discussão que virou uma quase briga, no minimo, pouco inteligente….Sera essa a nossa prioridade?Serio?Tambem não tive a intenção de “atacar” ninguem…Dito isso, cada um tem a sua opinião, e a defende como bem entende, vivemos numa democracia…ou não….para min e essa a questão central.

        A esquerda desunida, sempre sera vencida, meus amigos…    

  15. a festa da derrota

    sobre a Esquerda que a Direita gosta e, principalmente, a Rede Globo, nas palavras do grande líder:

    “Roberto Marinho foi um homem que veio ao mundo a serviço – quase um século de vida de serviços prestados à comunicação, à educação e ao futuro do Brasil.”

    Lula (sobre a morte de Roberto Marinho)

    em 1993 Lula já era a Esquerda que Roberto Marinho gostava:

    .

    • O mais ironico foi a veja e

      O mais ironico foi a veja e globo apoiarem o freixo.

      isso voc~e não viu né?

      Eita massa de manobra.

      É melhor ir patrocinar a ambev no buteco.

      • Se Crivella é, para o PT,

        Se Crivella é, para o PT, esquerda, tá explicada a derrota de Freixo. Lamentável.

      • Crise existencial e de identidade da pequeno burguesia

        A classe média, os “alternativos” brancos de classe média, intelectuais orgânicos da burguesia, porque são pequenos burgueses, que navegam na moda e nas teorias da metrópole colonizadora, não gostam do povo, do populacho, e da diversidade popular étnica do Brasil.

         

        Querem ser os protagonistas sem os povos do Brasil, e depois dizem que o povo precisa ser tutelado, governado pela Luz da Razão dos iluminados com teorias políticas euronortemaericanas!!

         

        É isso a classe média pequeno burguesa é o atraso do país, sempre deu golpe nas forças populares e nunca admitiu o protagonismo popular de que eles não fosse a fonte de inspiração!!

         

        É preciso para a pequena burguesia de classe média que se diz o arauto da verdade verdadeira da política romper com seu ranço de classe e étnico e de fato abraçar o bloco social dos oprimidos, pois o resto é choramingo de intelectual pequeno burguês!! 

    • Palavras do único Senador que o PSOL elegeu até hoje.

      A Rede Globo é uma empresa de superlativos (…) é motivo de regozijo para todos nós brasileiros (…) quando temos um patrimônio superlativo, isso tem que ser reconhecido pelo Brasil e espalhado com motivo de orgulho (…) tem um papel que temos que reconhecer de integração nacional (…) através de um Jornal Nacional, da sua tele-dramaturgia, propagandear, ampliar espaços, torna essa rede de televisão um elemento fundamental para discutir os destinos do país. Porque como diria o bom e velho Gramsci, o papel da cultura, é o papel da superestrutura da sociedade. Hoje não tenho dúvida que o papel cumprido pela Rede Globo é indispensável na formação da cultura e na formação da opinião pública nacional. Por isso, em momentos como os de hoje, de crise que o país atravessa, de crise política, de crise moral, de crise econômica, é fundamental e indispensável o papel de uma rede de televisão que cumpra o papel fundamental de integração nacional e que estabeleça espaços de debates públicos. Além de tudo isso, a existência de uma emissora dessa natureza mostra o quanto para nós é fundamental a democracia e um dos principais valores da democracia, que é o valor da liberdade de expressão, o valor da liberdade de investigação característico do jornalismo investigativo. Este é um valor que é indissociável de qualquer regime democrático. Isto tem sido e tem que ser reconhecido por nós como um patrimônio defendido pela Rede Globo”.

      • a festa da derrota

        o fanatismo cega. e emburrece. o lulismo se tornou um tipo de fanatismo. portanto, de fundamentalismo.

        o lulismo já não sabe, e nem quer, discutir política. seu único e obcecado propósito é defender Lula.

        onde está citado no texto deste post uma única vez a sigla “PSOL”? quem está discutindo PSOL é vc e os demais lulistas!

        o foco do artigo é a campanha do Freixo. e sobre esta existem várias limitações que devem sim ser abordadas. inclusive os mapas de votação que eu acrescentei apontam para este debate.

        é também por causa de políticos como Lula e Randolfe (hoje filiado a Rede), com suas absurdas incoerências e persistente falta de ética, que chegamos a este pavoroso índice de abstenções, nulos e brancos. a esta desqualificação da política.

        .

    • Educação

      Esquerda de boteco dá nisso. Se perde a grandeza e a educação em momentos difíceis como a morte de alguém. Lula foi também ao hospital a visitar ACM. Educação e respeito pelos outros é algo que não se compra na farmácia. As ideias se combatem na urna.

  16. É preciso prestar atenção

    É preciso prestar atenção quando escreve. Arkx teve o seu espaço para escrever e argumentar sobre o que quiz. Mas, parece que a escrita não saiu boa, pois necessita de, constantemente, intervir para supostamente se fazer entender. 

    Escreveu mas não leu. Escreveu sem pensar. Ou, escreveu sem convicção.

    O que terá acontecido?

  17. a comemoração da derrota é um

    a comemoração da derrota é um ato de comunhão na desgraça.

    É uma forma de se fortalecer para enfrentar a dor e o terror da ditadura.

  18. Festa? Ou o amargor da derrota

    Adriana Facina foi cogitada para Secretária de Cultura (?) do Freixo, em uma eventual vitória. Na tarde de domingo, teve seu dia de fúria pela derrota, e publicou 3 postagens no Facebook. Depois, arrependida, apagou as duas primeiras, as mais pesadas. Mas o “print” tava na espreita, e não deixou passar. Parece que não foi só festa, teve muito amargor e ódio também. 

    • Horrível o que essa mulher escreveu, Fernando

      Infelizmente, tem muito petista por aqui do mesmo nível ou pior.

      Os petistas de carteirinha, outrora defensores dos fracos e oprimidos, que amavam o país e e seu povo, cheios de boas intenções, já não existem. Aos poucos foram se afastando (e então passando a odiar) os intelectuais, analistas e outras lideranças (ainda que modestas) populares que não rezavam a cartilha do governo ou que ousassem fazer qualquer crítica.

      Depois do golpe perderam qualquer resquício de nobreza de espírito. Se tornaram mesquinhos, cheios de ódio. (Bom lembrar que o golpe foi aplicado em grande parte com a ajuda preciosa do PMDB, partido aliado de primeira a última hora em nome da tão propalada governabilidade (sic).) Se enquanto no poder, crítica ao PT era coisa da esquerda que a direita gosta, autocrítica agora virou palavrão!

      Enfim, agora é assim:

      que se ferrem os funcionários públicos

      – que se ferrem os aposentados

      – que se ferrem os pobres

      – que se ferrem o país e as cidades

      – que se ferrem os outros partidos de esquerda

      E todo o resto!

      Repetindo um comentário que fiz em outro post:

      Pra mim, é no mínimo impressionante como uma grande ala da militância petista se impregnou com o espírito do ódio. Ódio ao mundo, de modo geral agora. Desde os pobres (porque não votaram no PT na última eleição) atè aos outros partidos de esquerda e mesmo analistas e/ou cientistas comprometidos com o país e seu povo, mas que por vezes criticam o PT. A lista de odiados é tão grande que é mais simples dizer que o PT de hoje odeia tudo o que não seja o espelho, tudo o que não for petista até o último fio de cabelo.

      É muito ódio! Isso só vai levar a mais isolamento. Eu, sinceramente, não reconheço mais o PT da estrela que brilha(va) lá. Da esperança, do amor… Posso passar por cima de alianças espúrias e inócuas (como se comprovou), de conciliação com as elites, de eventuais atos de corrupção, etc. Mas não suporto esse PT que ama acima de tudo a si próprio e odeia tudo mais.

      • De acordo, Vânia

        A desconstrução foi para cima de tudo que cheirasse minimamente a esquerda, não foi só antipetista. Claro que houve um forte antipetismo no resultado das eleições municipais, está claro, claríssimo. Porém, nenhum partido que se situe no espectro da esquerda terá sucesso, ou vai assumir o espólio do PT. A lobotomização da população foi sobre o PT e tudo que diga respeito a esquerda. A mídia, central no golpe, demonizou a esquerda ao longo dos últimos 10 anos, associando-a a todas as desgraças da humanidade. Ora seríamos uma nova Venezuela, Cuba e até Coréia do Norte, perda de liberdade, direitos, controle da informação (o pobre Marco Civil da internet foi vendido como a desgraça suprema), ideologia de gênero transformaram em obrigar os filhos a serem gays, e por aí afora. Tudo isso foi associado não só ao PT, é preciso que se entenda, mas a toda a esquerda em geral. Lobotomização em massa sim. Vai desconstruir isso agora, vai remover o que está sedimentado no imaginário das pessoas. 

        A desgraça atinge a toda a esquerda em geral, ninguém vai escapar ileso dessa. A Frente das Esquerdas pregada pelo Flávio Dino é um começo, senão o único caminho que se apresenta. Porém, será preciso que todos se juntem pelo que os une, e esqueçam as (muitas) diferenças. Estamos todos no mesmo barco. 

         

      • Tu estás te comportando de forma parecida

        aos petistas de carteirinha que criticas. Tenta justificar o rancor da tua colega destilando teu ódio contra os petistas, agora teus inimigos. É isto que se depreende do teu comentário.

      • Auto-crítica é um palavrão

        Auto-crítica é um palavrão cabeludo, mas tão cabeludo, que o PSOL em sua “auto-crítica”, culpou o PT pelo resultado das eleições. É evidente que as eleições foram disputadas em um clima de anti-petismo, que se estendeu as esquerda em geral, não tinham como ser ganhas. Mas a auto-crítica é o PSOL reconhecer o que ELE poderia ter feito a mais nesse quadro para perder de menos, ou se ele ganharia em um contexto mais favorável. A Auto-crítica se concentra no que nós podiamos ter feito de diferente. Culpar o PT é confundir análise de conjuntura (Que sempre deve ser feita) com Auto-crítica.

        Primeira auto-crítica que o pessoal poderia fazer é criticar essa auto-crítica de tudo é culpa do PT. Depois questionar o pq teve tanta baixa penetração com o eleitor da periferia, e tentar sair do esquema funcionário público/estudante/galera pra frentex !!!

        Quanto a conjuntura, até caberia uma autocriticazinha também. O PSOL alimentou o anti-petismo achando que ia colher os frutos, mas quem colheu foi o PSDB ?

  19. a festa da derrota

    via WhatsApp:

    Meu irmão, aqui é o Rio de Janeiro. Tu sabe o que a gente já aguentou?

    Já sobrevivemos ao Garotinho, Rosinha, Cesar Maia, Conde, Dudu Paes.

    Se rolar um apocalipse nuclear, só sobra barata e carioca. O mate da praia não mata, faz da gente mais forte.

    Aguentamos as piores tragédias do mundo e a pizza da Pizzaria Guanabara. Ser carioca é resistir. Duvida, parceiro?

    Inventaram que a capital era Brasília. Inventaram que o carnaval de Salvador é melhor. Inventaram um metrô que são duas linhas retas. Inventaram até a Barra da Tijuca. Depois ainda meteram uma estátua da liberdade lá pra esculaxar. E a gente ainda tá aqui.

    No Rio taxista escolhe corrida e o garçom tem sempre razão. Você não faz pedido, pede favor. Sabe por quê? Porque a gente aguenta.

    Só de sacanagem chamam o feijão mais sem gosto que tem de carioquinha, no diminuitivo mermo que é pra humilhar bem. A gente aguenta o preço do TT Burguer e o do chopp do Belmonte. Aguenta paulista usando camisa escrito Arpex e até quem falam top.

    Aguenta quando cai o Fluminense, o Vasco, o Botafogo, o Fluminense. Já falei que o Fluminense caiu? Aguenta gol do Cabañas, derrota em “mundial” pro Corinthians, eliminação pro São Caetano. Final de Copa no Maraca com a Argentina lá e a gente não.

    Sobrevivemos ao show dos Rolling Stones na praia de Copacabana, night na Bunker, banho de espuma no Scala. É muita matinê na Meli Melo nas costas pra pipocar pra pastor.

    Sobrevivemos à tequila de ambulante na Lapa. Pré com gegibrin no Bar da Cachaça. Sacolé de catuaba no Céu na Terra. Se o drink azul da Mariuzinn não matou a gente, nada vai.

    Fecharam o Ballroom, a Help, Casa Rosa, Canecão. E olha quem continua vivão aqui.

    Sobrevivemos à simpatia da Bombom na fila da Baronetti. Sufoco na Fosfobox. Via Show com Skol a um centavo. Furacão 2000 no Barra Music. Quem aguenta 12 horas de Boi Tolo cortejando e ainda emenda no Amigos da Onça não treme.

    Se liga em tudo que a gente já passou, cupadi. Quatro anos de IURD na prefeitura não é nada pra nós.

    O Rio não é mesmo pra amadores, é pra quem ama o Rio.

    Crivella, a gente vai te comer com farofa.

    .

  20. É impressionante ler os comentários!

    Parece até que os petistas navegantes não tem mais com o que se preocupar… E depois ainda chamam o PSoL e simpatizantes de rancorosos. 

    Bela campanha que o Freixo fez. Está de parabéns! Só quem viveu pode saber a dimensão do que aconteceu. Foi lindo!

  21. Freixo não quis ganhar.

    Freixo não quis ganhar. Se quisesse teria no segundo turno moderado o discurso, acenado mais em direção ao Centro-Esquerda, angariado mais votos dos indecisos. 

    Freixo não quis ganhar. Se quisesse teria direcionado sua campanha para as camadas mais baixas, para os bairros mais pobres, onde perdeu disparado no primeiro e segundo turno.

    Freixo não quis ganhar, seu objetivo no segundo turno foi se promover, reforçar sua imagem de líder de esquerda no estado. Com certeza estará eleito Deputado Federal em 2018. 

    Freixo não quis ganhar, até porque se ganhasse não saberia o que fazer, como adminstrar uma cidade como o RJ, como governar negociando maioria na câmara, cargos, lobes, propinas, milicias, tudo de bom e ruim na política e administração pública que o PSOL demoniza e teria que enfrentar, e com certeza, se contradizer.

    Pra essa ala da esquerda que vive de utopia, quando a realidade lhe bate a porta, é melhor não abrir.

  22. Deve estar sobrando munição

    Gente, o que é isso?

    Sofremos uma derrota acachapante em todo o Brasil e, ao invés de analisarmos nossos erros, ficamos trocando munição entre petistas, psolistas, lulistas, freixistas, esquerda que a direita gosta, esquerda de boteco, esquerda alice, esquerda mezzo alice, mezzo champignon.

    Parecem existir mais “esquerdas” que eleitores no Brasil.

    Uma potencial secretária de um eventual governo Freixo, solta uma enxurrada de palavrões e é criticada por quem já fez aqui exatamente a mesma coisa.

    Por favor, “me incluam fora disso”.

    Não dá para ficar culpando “o povo que não sabe votar” nem  a direita.

    Afinal, parece que nascemos ontem. Alguém esperaria que a direita… fosse a favor da esquerda?

    – Ah, mas a direita jogou sujo.

    Que ingenuidade política é esta?

    A direita pode, até pela sua própria conveniência, atravessar o rio no cangote do sapo. Este, entretanto, não pode jamais esquecer a natureza do escorpião. A ferroada virá inevitavelmente. E será tão mais mortal quanto o sapo estiver distraído brigando com outros sapos.

    Se sobra munição para alguns, para mim ela é bem escassa. Temos um governo golpista que vai acabar se legitimando enquanto a esquerda ao invés de combatê-lo, ao invés de concentrar suas poucas forças apoiando os novos movimentos que estão surgindo; movimentos criativos, que estão se formando na luta prática e que correm o risco de receberem porrada. Porrada de verdade; da polícia, como nos tempos de AI5, e nós estamos aqui criticando a esquerda isso, a esquerda aquilo…

    Vejo, hoje, o Freixo procurando fazer uma autrocrítica; procurando ver onde foram os erros do PSol.

    — Arrisco dizer que é o pior momento para a esquerda desde a ditadura. Não lembro de uma crise tão grande. A esquerda não deve dizer que a culpa é de outros atores e esquecer a sua responsabilidade. É hora de autocrítica e entender os erros — disse Freixo, em entrevista ao GLOBO. — Todo projeto de esquerda está pagando caro por isso. Há o fim de um ciclo, erros do modelo de governabilidade, erros cometidos principalmente pelo PT. Mas não adianta crucificar o PT. É fundamental que a esquerda não se vitimize.

    Às dificuldades nacionais da esquerda, Freixo acrescenta um dado específico do Rio, que se comprovou nas urnas: o PSOL não tem penetração na Zona Oeste, onde perdeu por grande diferença para Crivella.

    — É um desafio. É só por causa da milícia? Não é. Fato é que a candidatura do Crivella teve um cunho popular muito forte. Vem da Universal e da Record, que têm penetração grande no setor popular — analisou. — Não adianta querer resolver o distanciamento da Zona Oeste na eleição. É até mais fácil dialogar fora desse período, porque você não está ali pelo interesse imediato, a sua credibilidade aumenta. A gente conseguiu entrar um pouco, mas isso tem de ser permanente. Esse trabalho de base tem que chegar na Zona Oeste. Ainda é fraco, ainda é precário, da esquerda como um todo.

    O Freixo é um cara novo. Está tentando encontrar seu caminho. Tem errado, sim, mas tem sabido encarar seus erros e considero isso positivo.

    Nós estamos fu e mal pagos.

    Agora, o que nós não podemos é ficar gastando as nossas energias criando rótulos para cada pensamento de esquerda como se fossemos editorialistas do Globo, como se fossemos mervais ou reinaldos…

    Bem… falei….

    E o que propõe o “sabichão”? 

    Vamos voltar nosso olhar para o que está ocorrendo nas escolas do Paraná e se espalhando para o resto do Brasil. Essa garotada está nos ensinando muita coisa. Mas ela está em risco. Risco físico, sim.

    É uma nova geração surgindo. Com os ideais que um dia já foram nossos. Ideais que custaram muito caro a muitos entre  nós. Não podemos deixá-los sozinhos para sofreram o que nossas gerações sofreram. Eles estão precisando de apoio. Precisando do olhar da mídia para o interior das escolas. Se a mídia é reticente em cumprir com as suas obrigações, cabe a nós trazer essa luta da garotada para as redes sociais e fazermos a mídia correr atrás.

    Não temos muitas forças. Economizemo-las.

     

     

    • Muito, muito importante o seu

      Muito, muito importante o seu alerta sobre o perigo que ronda os nossos garotos em seu legítimo movimento de protesto. Mais de setenta comentários neste post e apenas dois até agora no post que  informa sobre a decisão da justiça do DF de permitir represálias aos estudantes. E tome discussão estéril, vã sobre o desempenho do Psol no Rio de Janeiro, ignorando uma questãozinha básica: quem armou um golpe vai perder uma  eleição logo em seguida?

      Votei no primeiro e segundo turno pensando nisso e na análise feita pelo Ciro D’Araújo (aqui trazida pelo Romulus) sobre a PEC 241 (no Senado PEC 55) que, do que lembro, concluiu:  com esse “austericídio”, doravante eleger um chefe em qq nível do poder executivo é como eleger miss.

        • Abdicar do meu voto

          Abdicar do meu voto na miss da minha preferência?

          Nem pensar, GalileoGalilei, embora duvide que o registro do voto siga sempre a trilha eletrônica correspondente. Desvios podem acontecer…

           

  23. Pelo que eu sabia.

    O PSOL foi aquele partido criado a partir do PT, e agora o renega, tal e qual a Marta Suplicy ? Ah não, é o PT que tem ojeriza (e c/ certeza até inveja ) do PSOL, conforme alguns comentaristas, tão cheios de SOBERBA e  pavonice, nem de longe imaginando que o Rio queria mesmo era votar na esquerda

    Durma-se com o barulho da briga das ESQUERDAS, como se já não tivessem inimigos o suficiente.

  24. O que não ajuda em nada, só atrapalha

    De quem alcança protagonismo político, espera-se postura, maturidade, e dimensão política à altura. Freixo vai para o 2º turno com pouquíssimos votos, tendo de enfrentar um adversário poderoso. Somados os votos da esquerda, totalizaram magros 32%. Seria preciso, portanto, um esforço tremendo de conciliação, articulação, moderação do discurso, para somar, atrair amigos. 

    No dia 3 de outubro, instalou-se nas redes sociais o dilema petista, de apoiar ou não o Freixo (*). E começou o debate. “É pelo Freixo, pelas esquerdas, pelo campo progressista, não é pelo Psol”, bradavam os petistas. E foi por esse caminho que os eleitores do PT, em peso, descarregaram seus votos no candidato do Psol. Muitos diziam que iriam votar 50 de nariz tampado, fazer o que, política é paixão, é do jogo. Uma parcela ínfima anulou o voto. 

    Talvez por não vislumbrar qualquer chance de vitória, o neófito candidato do Psol não só não moderou o discurso como passa a hostilizar possíveis aliados, com declarações despropositadas, fora da realidade, por exemplo, a respeito dos critérios de nomeação do secretariado.  

    E vem o segundo turno, Freixo obtém espetaculares 40% dos votos, pessoalmente achava que iria chegar no máximo a 30 ou 32%. Até onde se sabe, Freixo não é idiota, e se está lendo corretamente o cenário político do País, sabe que as esquerdas foram varridas do mapa. E sabe também que há uma articulação em favor de uma Frente de Esquerdas, tipo salvação nacional. Ora, quem sai com 40% de votos, vira referência do partido, passa a falar por ele, vira interlocutor. Luciana Genro se autoimplodiu, sobrou ele, logo é preciso medir as palavras. 

    E ontem Freixo vai na Globo e desanca o PT. As redes sociais incendiaram-se contra ele. Na hora que mais se precisava de um discurso conciliador, de união na desgraça, acontece exatamente o inverso, por uma fala desastrada, fragmenta ainda mais as esquerdas. A obsessão do Psol com o PT já é caso psicanalítico, precisam resolver isso. 

    Conclusão: 1. O Psol não está interessado em participar da ainda nem nascida Frente das Esquerdas; 2. Se participar, vai ser como? Com um pregador de roupas no nariz? Vai se sentar na ponta oposta da mesa, bem longe do PT?; 3. Freixo precisa agir e se comportar como uma liderança do pouco que restou das esquerdas, e não mais como franco atirador, o tempo de grêmio estudantil já passou.

    (*) Na madrugada do dia 5 de outubro, após ruminar tudo isso no Bar do Zé, escrevi na minha página do Facebook que não havia força humana capaz de me fazer votar no Psol, o que não queria dizer absolutamente nada, visto ser eleitor de SP. 

    Em tempo: “Perder bonito”, ou seja lá o que isso quer dizer, não resolve nada. 

  25. A festa só começa quando o estômago disser basta!
    Nassif, a esquerda festiva que um ex-presidente da Une incentivava está de volta ou estamos às voltas com a implosão dos destroços da oposição ao Psdb/Pmdb, para que nada renasça de novo em nossa política pelo menos no próximo quarto de século? Esse ódio fremente ao “lulismo” e o chamamento à guerra contra o golpe sob o argumento de que “vem vindo o verão” mais se assemelha ao canto de cisne psolista, sob a égide do pato das Fiespes neoliberais. Cisne ou drone, pois acreditar que o Pt derrubou a ditadura de 64 e tinha a obrigação de efetuar todas as reformas necessárias nos 13 anos em que presidiu a República está mais para drone inimigo a implodir escombros do que para cisne em cântico onílírico terminal. Ou seja, não podemos esquecer que o PT e Lula foram beneficiários do descontentamento popular com os governos pós-64, beneficiários de uma coalizão de todos os votos contrários à manutenção daquele establishment; e que o torneiro-mecânico só podia respeitar as regras e partidos políticos existentes à época, entre os quais um Pt anêmico e diminuto que teve de se compor com os demais partidos para lograr vitórias no Congresso Nacional, tendo como vice-presidente o Prb de José de Alencar. Nesse contexto, sua única subversão ou feito revolucionário foi o da redução das desigualdades, mas o custo da retirada de 35 milhões de pessoas da miséria e da ascensão de outro tanto à gigantesca pequena classe média foi exatamente a razão de sua queda, patrocinada pelos rentistas e banqueiros descontentes com o fim dos juros astronômicos, dos subsídios a fundo perdido às indústrias e demais auto-proclamados gestores e empreendedores. Sem maioria no Congresso para aprovar as reformas necessárias na economia, saúde, educação, justiça e comunicações, limitou-se a continuar o mesmo jogo de antes, mas o que era prática consuetudinária como o caixa dois eleitoral de repente virou crime e sob esguichos a jato operados por oponentes à redemocratização em curso tudo voltou ao que era, sem que os supostos dissidentes da suposta esquerda – os psolistas que em junho de 2013 se aliaram à direita para derrubar quem não lhe dava o munus ou poder – tenham ao menos conquistado a prefeitura carioca. E agora venham atribuir ao Pt a mesma derrota que celebram e festejam festivamente, sob o argumento de que Lula não fez o “giro à esquerda”, não fechou a Globo e os partidos nazi-fascistóides, como se fosse o vencedor de uma guerra habilitado a impor suas condições, do alto de uma Sierra Maestra. E não, apenas e simplesmente, um ex-metalúrgico que em uma dúzia de anos de presidencialismo de coalizão consagrou o combate à desigualdade social, via Bolsa Família e demais programas similares, em fator de crescimento da economia – o que lhe granjeou o reconhecimento público internacional de que desfruta – e da democracia, pois esses mais de 60 milhões de brasileiros que mudaram de vida para melhor serão os primeiros a sair à rua contra o neoliberalismo golpista em curso, assim que o estômago vazio superar a pregação político-midiática da elite e seus drones tipo Psol/Mbl/Mpf/Stf e essa primeira instância morista que nos assolam.

  26. Isso aqui tá parecendo um

    Isso aqui tá parecendo um diálogo de surdos que não usam a Libras (Linguagem Brasileira de Sinais). De um lado, a culpa é dos “lulistas”; de outro, é dos “travecos, maconheiros, e mulher feia querendo chamando atencao com o suvaco cabeludo”. Se continuarmos nesse nível, da ladeira abaixo a gente logo chegará ao esgoto. Devemos nos preparar para os tempos difíceis que já chegaram. A imensa maioria do povo ainda não percebeu que vai perder muito com as medidas que o executivo tem tomado, com apoio dos outros poderes, na educação e saúde públicas principalmente. Nem sabe que com a “flexibilização” dos direitos trabalhistas irá perdê-los, nem sabe que vai dançar com a reforma da Previdência. Vinte anos é muito tempo em muitas gerações. É um tempo de uma vida, da creche à universidade, que serão negadas a quem nascer hoje entre os muitos milhões de pobres do Brasil. Mas a maioria das pessoas vai perceber, no bolso e na vida, que perdeu (não foram só o PT e o PSOL que perderam). E essas pessoas vão reagir, mais cedo ou mais tarde.

  27. Eu poderia escrever um

    Eu poderia escrever um textão, mas prefiro só dizer que Freixo culpou o PT pela derrota 😀

    É o suficiente de idiotia 😀

    • Pois é

      O babaca recusou o apoio de Lula e do PT, fez uma campanha despolitizadora em que não denunciiou o golpe e ainda lançou aquela ridícula Carta aos Cariocas. O partidinho dele tem gente que nessas alturas vai às redes sociais para dar vivas à Lava Jato, instrumento maior do estado de exceção no país. E em cidades como a minha, o Recife, em que o PT tinha um candidato muito bom no 2º turno (foi bom prefeito de 2001 a 2008, tem origem operária e periférica etc.), o PSOL pregou o voto nulo.

      Apesar de tudo isso, ao contrário de gente como “Stanley Burburinho”, se carioca, eu teria votado em Freixo, para tentar derrotar Crivella, o mal maior. Porque eu não sou sem noção como os psolistas e acho que cidade nenhuma merece um prefeito de um projeto de poder perverso como é esse dos ditos “evangélicos”. MAS É MUITA CARA DE PAU O PSOL VIR CULPAR O PT PELA SUA DERROTA. O partidinho simplesmente não consegue sensibilizar eleitores do morro e da periferia. É um partidinho de classe média pedante e elitista que se diz “de esquerda”.

      Isso pra não falar em gente como Luciana Genro, que já adota toda o discurso da direita. Na prática, ela é um quadro da direita. Pronto, falei! Tô por aqui.

       

  28. a festa da derrota

    em respeito aos que de fato querem dialogar, com as devidas divergëncias sendo instrumento de construção coletiva de conhecimento, vamos repetir alguns dados sob o mapa de votação por ZE.

    nota:

    neste exato momento ocorre um ato do funcinalismo público na ALERJ. é luta todo dia. quem está nas ruas testemunha a imensa vitalidade do movimento popular. o que falta? falta a constelação geral dos diversos movimentois e coletivos. mas isto não pode vir de cima para baixo. tem que surgir da própria dinämica das lutas. vem vindo o verão.

    —————————————

    além do resultado total, mais relevante é apurar caso a caso a diferença por Zona Eleitorais.

    – Crivella teve esmagadora votação na Zona oeste.

    – abstenção, nulos e brancos somaram 46,73%.

    ZE com diferença bem menor do que o total:

    Zona Norte e subúrbio com vitória de Freixo:

    Freixo venceu com larga margem em toda área da Tijuca, Pça. da Bandeira, Maracanã, Vila Isabel, Andaraí e Grajaú:

    no Leblon, Freixo ganha por reduzida margem:

    17ª  –  Leblon, Jardim Botânico e Gávea: 49,72% 12.169 x 50,28% 12.307;

    melhor % de Crivella: 241ª – Santa Cruz, Paciência e Cosmos: 77,82% 31.791;

    melhor % de Freixo: 16ª – Laranjeiras, Cosme Velho e Catete: 67,09% 

  29. Desenroscando a Fita na “Festa da Derrota” (sic)

    Esse post é tudo do nada, pois leva-nos do lugar nenhum a nenhum lugar, por sinal o que mais gosta de trilhar certa expertise no digo, mas não faço: Discutir, não ouvir e filosofar, não exatamente nessa ordem, sempre.

    O PSOL precisa criar coragem, olhar de frente o mapa de votação no Rio e no Brasil e perceber que alguma coisa está fora da ordem e não são as Carmelitas que permanecem na delas. Precisa resolver de vez se fecha o boteco ou reabre-o sob nova direção, reconhecendo que o objeto do “desejo” e “perdição”, permanece sendo o PT, apesar de terem saído dele, e faz tempo, jamais permitem que ele saia.  Simples assim, esquecer o PT tanto quanto lembrar que o clã marinho é o inimigo comum, primeiro a ser batido.  

    • a festa da derrota

      -> o clã marinho é o inimigo comum, primeiro a ser batido.  

      é isto que enfraquece…o grande inimigo é a Tirania Financeira – com a qual a Rede Global é associada, com certeza.

      o grande inimigo são os banqueiros. por sinal, grandes financiadores das campanhas do lulismo.

      ou se enfrentam as contradições. ou as contradições devoram aqueles que não as enfrentam.

      .

      • “Você Decide”: Grande ou Primeiro?

        Não se trata do “grande inimigo” e sim do “primeiro a ser batido”, pois no Brasil apenas os que não tem olhos de ver e cabeça de pensar, não enxergam que escancarado está que mais importante que eleger o Presidente da República é eleger o Presidente das Organizações Globo, hoje nas mãos dos Marinho, sem o que não se sai do lugar, quanto mais derrotar quem quer que seja, para desenvolver o país para todos os brasileiros.

  30. a festa da derrota

    a grande questão que precisa ser respondida, com dados e análise, não com clichës e estereótipos:

    por que a zona oeste votou esmagadoramente em Crivella?

    a diferança a favor de Crivella, como alguns dados postados nos mapas eleitprais indicam, veio da zona oeste.

    esta não é apenas uma questão restrita e específica a esta eleição municipal do Rio. esta é a grande questão da Esquerda brasileira.

    não se esquecer que a geografia carioca mistura ricos e pobres em quase todos os bairros. praticamente quase todos os bairros tem favelas.

    também se deve frisar que argumenos do tipo ” pobre que vota em rico”  são de uma completa ignorância do processo de dominação. lembremos: ‘ as idéias e os valores dominantes em uma determinada época são as idéias e os valores da classe dominante naquela época”. portanto, os ‘”pobres”  assumem como seus o projeto e os valores daqueles que os oprimem. este é o mais eficaz e insidioso mecanismo de dominação.

    também são improcedentes argumentos que a campnha do Freixo não esteve na zona oeste. por problemas com a milícia. ao contrário, se fez bem presente. certamente, porém, não tanto quanto o necessário.

    currais eleitorais erguidos ao longo de décadas não são superados em apenas alguns dias de campnha;

    recorde-se tb a boa votação de Lula na zona oeste do Rio. se isto houvesse sido em consequencia de consciência política e organização popular, com certeza o voto em Crivella não teria sido tão grande.

    poder popular só é possível com organização pela base. com autonomia. e não com voto de cabresto, seja em que candidato for.

    ;

    • Digo o mesmo, Marly

      Ao contrário do que alguns acusam ou pensam, eu não sou psolista. Diria que sou mais petista do que psol.(votei a vida toda no PT. Meu primeiro voto para o PSoL foi agora – muito consciente e com prazer)  Mas não aguento injustiça e hipocrisia. 

      Nem concordo com o arkx em muito do que ele diz. Acho que ele exagera. Mas concordo menos ainda com essa histeria petista pra cima do psol – que tem muitos defeitos, sim – mas nao tem santo nessa história. Não tem santo em política. E quem se faz de vítima e se compara a Jesus tá bancando o santo também. Não tem direito de chamar os outros de “alices” e “puros”. Roto e esfarrapado.

      Enfim. sou libriana! hahahaha 

      • Pois é…

        A hora é de agregar, de dar as mãos…E não ficar brigando como primos birrentos. Jamais votaria em Crivella por vários motivos e, o principal: ele foi a favor do impeachment de Dilma. E além do mais, o Freixo estava na Cinelândia junto ao Chico Buarque em manifestações contra o golpe que se avizinhava. Votei Freixo. E meu maior lamento foi a derrota em São Paulo de Fernando Haddad. Mas como diz um grande amigo: povo é povo…

          • Eu vi, vivi isso também

            Adianta falar, Marly?

            No segundo turno das eleições presidenciais, o PsoL, pelo menos no Rio, cerrou filerias em favor da Dilma. 

            Em todas as manifestações que eu fui (quase todas) pré-golpe, agora em 2016, o PSoL estava em peso. Freixo à frente. 

            E… o pessoal da web os chamam de golpistas. 

            É isso que me deixa puta. Eu vi! Eu vivi! Se a Luciana Genro é uma idiota (igual ao Mercadante) o problema é dela (deles).

            Quem foi fazer programinha com a Ana Maria Braga? Quem escreveu artigos na Folha e quetais bajulando a grande mídia? Quem foi chorar e velar a morte do Marinho Mor?

            O Haddad teve mais votos proporcionalmente em Pinheiros (bairro de classe média/alta) do que em qualquer outro bairro de Sampa. Perdeu em todos os redutos até então petistas na periferia. O PT perdeu agora em segundo turno nas cidadedes do ABCD e no Nordeste.

            Ah! mas o PSoL é elitista.. O PSol isso e aquilo. Pô! O PSoL é uma merreca.. Quem deu o golpe? Foram os míseros opositores de esquerda? Claro que nao! Todo mundo sabe que foram os aliados de direita. Aí inclusos o poder judiciário e a mídia, tratados até então como amiguinhos. 

            Cansa.. viu? 

            bjs

    • a festa da derrota

      ->Nem concordo com o arkx em muito do que ele diz. Acho que ele exagera.

      é que sou mesmo exagerado (é uma brincadeira. música tb. do Cazuza, né).

      tenho muitas histórias super legais da campanha de 1989. e de certo modo a campanha do Freixo agora tem muitos pontos de contato com aquela.

      aqui era prá ser um espaço de diálogo. áspero, muitas vzs. mas de diálogo. mas a web é como o cotidiano. as pessoas não estão acostumadas com o diálogo.

      é muito difícil concordar com as coisas que eu digo. mas ao longo de minha vida, muitas vzs acabam me dando razão. não que eu me envaideça com isto. ao contrário, adoraria estar errado. enfim…

      as pessoas estão presas a estereótipos. clichês. a acham que sabem muito.

      nunca estiveram nas manifestações de Junho de 2013. mas sabem tudo a respeito. leram artigos. não tiveram a experiência direta. a experiência de vida.

      nunca estiveram em qualquer evento da campanha do Freixo. mas tb sabem tudo.

      lembra-me a fantástica cena do filme “Gênio Indomável”. quando o terapeuta derruba a couraça do genial jovem que já lera sobre tudo, mas ainda não vivera quase nada.

      só que no filme o cara era mesmo genial, só precisava amadurecer. já com a maior parte dos lulistas…

      tanto para se pensar e debater juntos. mas já sabem de tudo. sem saberem que não sabem de quase nada. um desperdício.

      exemplo? um dos mapas eleitorais que postei mostra como Freixo teve esmagadora votação na Tijuca, desde a Pça. da Bandeira, passando por Vila Isabel, Andaraí, Grajaú, até a Muda.

      mas esta não é uma região do Rio tida como conservadora?

      além disto, é uma região com muitas favelas.

      mais um mito cai por terra…

      por isto sempre é necessário nos livrarmos dos preconceitos e dos estereótipos. e ter contato direto com a realidade. analisar os dados. para ver o que eles nos revelam.

      uh! é o Freixo! brilha uma estrela! o sonho não acabou!

      grande abraço

      .

      • O X do Problema

        1-> Nem concordo com o arkx em muito do que ele diz. Acho que ele exagera. Mas concordo menos ainda com essa histeria petista –  é que sou mesmo exagerado 

        2-> aqui era prá ser um espaço de diálogo. áspero, muitas vzs. mas de diálogo. mas a web é como o cotidiano. as pessoas não estão acostumadas com o diálogo.

        Nem sei se começo pelo item 1 ou pelo item 2.  Bom, são partes complementares. Então vai tudo junto misturado.

        Acho que a web é pior do que o cotidiano. Eu convivo razoavelmente bem no cotidiano com pessoas que pensam de modo diferente, coisa que é difícil na web. Aqui a gente parece que precisa ampliar a magnitude do que diz (exagerar) para se fazer entender minimamente. E, talvez, na verdade muito provavelmente (rss), o resultado seja ainda pior.

        Por exemplo. Tenho muitos amigos petistas de carteirinha. E consigo conversar com eles numa boa, criticando o PT. Eu mesma já fui dessas petistas que não aceitam críticas. Mas… evoluí! hahahhahhaa (agora vão me matar aqui) 

        -> é muito difícil concordar com as coisas que eu digo. mas ao longo de minha vida, muitas vzs acabam me dando razão. não que eu me envaideça com isto. ao contrário, adoraria estar errado. enfim…

        Deixa de ser metido! hahahaa

        ->as pessoas estão presas a estereótipos. clichês. a acham que sabem muito. nunca estiveram nas manifestações de Junho de 2013. mas sabem tudo a respeito. leram artigos. não tiveram a experiência direta. a experiência de vida. nunca estiveram em qualquer evento da campanha do Freixo. mas tb sabem tudo.

        Acho que esse é o X do Problema. Acredito (posso estar errada) que a maioria dos que comentam por aqui – sobretudo os mais enfáticos/histéricos- têm pouca vivência de rua. Vivem de ler e comentar nos blogs. Vivem num mundo totalmente circunscrito. O pessoal que foi e vai pra ruas, mesmo muito ativo na militância do PT, por mais que tenha ressalvas contra o PSoL, não fica perdendo tempo em detonar o Freixo. Ao contrário, foram pra rua, colaram o adesivo e participaram ativamente da campanha.

        [video:https://www.youtube.com/watch?v=CkEFIVz8vmM%5D

        Resumo da ópera: Levantem as bundas dessas cadeiras e vão viver! 

         

         

        • a festa da derrota

          -> Acho que a web é pior do que o cotidiano.

          é a maldita “cultura do Facebook”. e tb a não menos famigerada “militância virtual”. quanto mais conectado se supõe estar, maior é o isolamento e a solidão.

          ontem estive à tarde nas escadarias da ALERJ. um ato do funcionalismo público contra o “estado de calamidade” do Rio. deparei-me com um grupo de jovens. alguns com uniforme do Pedro II. portavam uma bandeira. a do PT! o sonho não acabou!

          abraços

          .

  31. a festa da derrota

    Rio – 2º turno – apuração por ZE – matiz

    (por % de votos – mais detalhado que apenas por  resultado total)

    evidencia uma possível tendência de expansão rumo à Zona Norte/Oeste, caso seja trabalhada.

    .

    .

  32. Nossa parceria saiu, caro:

    O STF do(s) Golpe(s): Vol. 3 – a democracia “tropeçou”… em Lewandowski?, por Romulus & Arkx
     

     ROMULUS
     DOM, 06/11/2016 – 06:18
     

    O STF do(s) Golpe(s): Vol. 3 – a democracia “tropeçou”… em Lewandowski?

    Por Romulus

    – Como disse no Vol. 2 da série, houve no filme de high school o personagem do “presidente do grêmio estudantil. Aquele que, politicamente, transita e faz a ponte entre todos esses arquétipos, com a devida – e necessária! – cara de paisagem diante da infâmia, do escabroso”.

    – Por óbvio, trata-se do Presidente do STF – e Presidente da Comissão do Impeachment! – Ricardo Lewandowski.

    – Se, como aquele que “politicamente transita entre todos”, não desagrada ~de todo~ a nenhum dos lados, tampouco os agrada ~de todo~.
    Tarefa impossível!
    Acaba, portanto, apanhando de todos.
    Sendo, contudo, tolerado por todos.

    – Mas qual o saldo de ter alguém “correto” presidindo a infâmia?
    É pior?
    Ou menos ruim?

    O “tropeço da democracia” foi em…
    – … Lewandowki?

    *

    *

    Este volume da série de 3 posts sobre o STF – sem esquecer do vol. bônus sobre Gilmar Mendes – é um pouco diferente dos anteriores. E, na verdade, foi escrito bem antes. Isso porque não se trata de um artigo expositivo (de teses) e nem segue, tampouco, uma dinâmica unilateral.

    Trata-se, ao contrário, de uma discussão entre mim e outro blogueiro do GGN, Arkx, na seção de comentários de um post do Nassif sobre Ricardo Lewandowski, publicado logo após o fim do processo de impeachment.

    *

    continua em:

    O STF do(s) Golpe(s): Vol. 3 – a democracia “tropeçou”… em Lewandowski?, por Romulus & Arkx

  33. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome