Amanhã, a onda Haddad será um tsunami contra o fascismo, por Marcio Valley

Amanhã, a onda Haddad será um tsunami contra o fascismo

por Marcio Valley

Nesse momento, Haddad materializa a única opção antifascista que o Brasil possui. As instituições, com STF com tudo, não demostram possuir, como não tiveram no passado, a força moral necessária para, em sendo eleito o fascismo, segurar essa barra. Se o autoritarismo vencer, serão engolidas. Felizmente para nós, há uma ampla probabilidade da única candidatura antifacista remanescente, amanhã, dia 28 de outubro de 2018, ser eleita para a presidência da República. Em que pese as aparências e o pensamento dominante na opinião publicada, hoje as chances de Haddad são maiores do que as do adversário.

Profecia? Wishful thinking? Sim, mas também uma conclusão racional a que se chega a partir dos elementos dados. A bússola fática orienta para esse norte em detrimento da candidatura adversária. Por que digo isso? Porque a “boca de jacaré” das pesquisas eleitorais começou a se abrir em favor de Haddad e, em princípio, não há mais tempo para o surgimento de uma nova “onda” pró-fascismo.

Além disso, a maré “stevebannoniana” das “fake news” minguou severamente no final do segundo turno, não sendo mais capaz de dar suporte fraudulento ao mito que ocultou a verdadeira natureza do perigo fascista. Em paralelo, firmou-se definitivamente em favor da candidatura do PT a opção eleitoral dos setores mais intelectualizados que, nessa condição, são formadores de opinião. Reitores de universidades, representações de diversas categorias (psicanalistas, bibliotecários, publicitários, professores, estudantes, escritores, editores, livreiros, sociólogos, filósofos, antropólogos e outras), entidades suprapartidárias e representativas de diversas religiões se posicionaram majoritariamente contra as ideias autoritárias e violentas do fascista e seus correligionários.

Leia também:  Haddad fez "revolução nas finanças" e entregou SP com capacidade de investimento a Doria-Covas

A grande imprensa, por sua vez, equilibrou um pouco a balança das manchetes: não deixou de atacar o PT, como se acostumou a fazer ao longo dos últimos anos, mas aparentemente relaxou em relação à liberdade de opinião de seus articulistas, que em grande parte pôde expôr o ideário irracional e as inúmeras contradições da candidatura fascista.

Por conta disso, os eleitores balançaram, a roda viva parou por alguns preciosos instantes para reflexão e, quando voltou a rodar, rodou no sentido contrário. A nova direção do movimento eleitoral não mais será alterada pelo simples fato de que não há mais tempo.

Pode-se afirmar, como se tem afirmado com lógica, que a diferença era grande no instante em que os ventos mudaram de direção, com pouco tempo para a recuperação, o que favoreceria a candidatura da violência, do preconceito, da homofobia e da misoginia. Isso é, em grande medida, verdade. Porém, não leva em conta que todos os tsunamis, na origem, são gerados por forças tectônicas imensas, incontroláveis, mas que, num olhar inicial, resultam em pequenas ondas que parecem inofensivas. Contudo, ao chegarem no momento final, ao se encontrarem com o continente, se agigantam e avançam de forma formidável, carregando tudo o que encontram terra firme adentro, nada ou ninguém sendo capaz de impedi-las.

A onda eleitoral em favor de Haddad, nesse sábado, dia anterior ao pleito de 2018, age exatamente assim: ainda parece pequena e mansa. Todavia, embute em si, ocultas, imensas forças populares que somente amanhã serão percebidas em toda a sua dimensão e exuberância. A onda em favor de Haddad será um tsunami de democracia e de dignidade que afogará as pretensões fascistoides que jamais deveriam ter sido despertas e, em tendo sido, deveriam ter sido sufocadas no nascedouro pelas instituições.

Leia também:  Boulos diminui diferença de Covas em São Paulo, segundo Datafolha

Para dar força ao tsunami da dignidade, o Brasil não pode parar de gritar: Ele não! Ele nunca! Ele jamais!

Esclareço não ter utilizado, no texto, o nome do adversário de Haddad e não tive dúvida em classificar ele, seu movimento e seus correligionários de fascistas, em decorrência de ter compreendido que a Justiça Eleitoral, ao declarar que um cartaz contra o fascismo exposto na fachada da Faculdade de Direito da UFF, em Niterói, que não exibia o nome de ninguém em particular, era uma menção clara a ele e contra a sua candidatura, tacitamente reconhece e imputa essa condição ao candidato. Ao declará-lo fascista, cumpro a obrigação de qualquer cidadão de submeter-se às decisões judiciais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

27 comentários

  1. Discordo
     

    Do começo ao fim

    Do começo, quando você diz :

    “As instituições, com STF com tudo, não demostram possuir, como não tiveram no passado, a força moral necessária”

    As instituições não demonstraram possuir força de vontade necessária, pois, como se sabe, com uma canetada elas acabariam com toda essa agonia cívica por que passamos e cancelaria essa ameaça real às nossas liberdades.

    Do fim, quando você diz:

    “Ao declará-lo fascista, cumpro a obrigação de qualquer cidadão de submeter-se às decisões judiciais”.

    Você declara a sua submissão cega  à uma instituição que, sabidade indigna de confiança,  colocou-nos nessa situação limite.

     

      • Força de vontade
         

        Não no sentido de continência ou de  insistência.

        Força de vontade, na circunstância, será a vontade de fazer força, de trabalhar e honrar os polpudos proventos para fazer prevalecer a força da justiça.

        Será força obrigacional, já que a força moral passa longe.

         

        ET- Também não invoco o nome do coiso nem na escrita e nem na fala que é pra não dar poder.

        Inté!

           

  2. A mensagem está clara, como
    A mensagem está clara, como está claro o perigo do qual a onda Haddad (tsunami que constroi e não devasta) nos salvará. Excelente texto!

  3. Não existe fascismo no Brasil

    Este negócio de fascismo é o inimigo que não existe que é vencido pelo mocinho de araque. No Brasil não existe fascismos, existem patrimonialismo, oligarquias, corporativismo, compadrios,etc… E isto nem o Haddad, nem o Bolsonaro ousam sequer falar que existem, quanto mais combaterem.

    A diferença entre o Haddad e o Bolsonaro é que o segundo é uma incógnita, já o Haddad é a certeza do que deu errado, com mais do mesmo.

    O Povo não é burro! 

    Só existe esperança com o Bolsonaro, que pode ou não vingar, já o PT no poder é lambança que não se aguenta mais.

    • Alexandre, claro que você tem

      Alexandre, claro que você tem o direito de possuir a opinião que quiser. Prefiro, porém, acompanhar Christian Laval ou Domenico de Masi, que pensam diferente de você.

      Somente pode ser compreendido na dimensão do fascismo um político que há décadas utiliza o discurso apologético a um governo autoritário, que se sobreponha, prepondere ou não se submeta ao mecanismo de freios e contrapesos da tripartição dos poderes, de feição militarizada, que afirma que a tortura e o extermínio de adversários políticos é legítimo para a manutenção da ordem arbitrariamente por ele estabelecida, que enxerga distinção entre raças e sexos, que legitima a violência contra a homossexualidade e um sem-número de outras barbaridades que vazam ininterruptamente de sua boca.

      Como você definiria? Falastronice? Por favor….

      No caso, utiliza-se a democracia meramente como um mecanismo de alçada ao poder. Depois de instalado, como retirá-lo se se demonstrar que o que muitos pensavam que era bazófia se revelar realidade?

      Por outro lado, estou no polo oposto a essa certeza de desastre que você enxerga no Haddad. Pelo contrário, considero-o um político muito acima da média dos demais em termos de preparo como pessoa, como gente. Ainda que não estivesse, votaria nele por que sou humanista e a favor da dignidade humana. O voto “moralista” que permite a ascensão de um autodeclarado defensor da tortura e do extermínio de inimigos, a meu ver, e me perdoe de antemão, é a desculpa mal-ajambrada de quem se identifica com o mesmo ideário fascistoide. Entre Bolsonaro e Al Capone eu votaria no mafioso porque roubo é apenas uma questão material. Eu me preocupo com as pessoas.

      Obrigado pelo comentário.

      • A dúvida pertinente que leva a se votar em Bolsonaro

        Obrigado pela resposta longa e considerada sobre meu singelo comentário Márcio. O respeito pelas opiniões divergentes é característica dos debates onde se busca a verdade, como parece ser o nosso intúito.

        Você ressalta na sua resposta que têm dúvidas sobre o que é propalado na campanha do Bolsonaro e o que será feito no seu governo efetivamente, lhe cabe justa razão, é useiro e vezeiro aqui no Brasil o discurso de campanha ser um e o de governo, com ações e medidas outro.

        É justamente aí que o voto no Bolsonaro é a única esperança, pois o Haddad, por mais que se lhe doure a pílula, foi rifado pelo PT e a candidatura Lula até o undécimo segundo do prazo final, o que indica claramente, a falta de confiança do partido nele, bem como sua real capacidade de se impor por suas idéias ou proezas.

        Quanto a relativização da democracia, é um processo muito mais civilizatório de uma população, do que um voto em uma eleição como esta, transcender o voto em um candidato para uma tragédia civilizacional é forçar um pouco a barra.

        Comparar com Hitler e Nazismo, fenômenos do século passado e amplamente estudados e compreendidos  é uma estultice das maiores, hoje um fenômeno como aquele não surgirá jamais, insistir nisto sabendo  como as coisas são é no mínimo má fé.

        O mundo do século XXI é outro, mais tecnológico, com notícias e contra-notícias em tempo real, fora os vídeos e os celulares com câmeras,  fenômeno social que aponto há decadas aqui no Nassif (consulte-o).

        O Haddad não conseguiu colocar-se de pé, esta é a realidade, teria de ter trazido um plano de governo que o elegê-se, com sua marca, seu DNA, não fez isto e irá perder a eleição.

        O Bolsonaro é a incógnita que pode ser o que precisamos, sou um otimista icorrigível, oxalá acerte desta vez.

    • Eleições

      Alexandre prefiro os bolsominions autenticos os disfarçados como voce com esse  verniz fuleiro consegue ser ainda mais asqueroso que os outros.

    • Quem espera nunca alcanca
      Seo problema do Brasil nao eh o fascismo mas o patrimonialismo, as oligarquias, o corporativismo, o compadrio, etc. e se o Bolsonaro nem sequer ousa reconhecer a existencia de tais problemas, quanto nais combate-los, como ele pode ser a unica esperanca?
      Esperanca de que mesmo, Cara Palida?

      • A esperança é a última que morre

        Esperança de que o discurso de campanha seje isto mesmo, discurso de campanha e as ações  e medidas de governo algo muito mais bem elaborado, levando em consideração as complexidades e usando os recursos humanos, tecnicos, artisticos, etc… para orientá-las.

        Mudar o governo, do binário ineficiente PT/PSDB para um novo time já é uma grande mudança.

        Sangue novo, idéias novas a serem testadas, o mundo mudou e velhas cabeças conservadoras, que só pensam em manter o poder para usufruir de privilégios inconfessáveis não podem perenizar.

        Bem vindo novos ares.

        Posso estar errado, mas pior do que está, só com uma guerra interna deflagrada, o que não me parece ser uma possibilidade nem remota por enquanto. Por enquanto todas as autoridades reforçam que as instituições democráticas continuam firmes, fortes e atuantes e que o respeito a Lei será mantido.

        • Sua esperança ressuscitou?

          Sr. Weber, se o Senhor afirmou que o Bolsonaro não ousa nem sequer falar nos problemas que afligem a população brasileira, quanto mais combatê-los, você não tem esperança. Mas agora você afirma que a esperança é a última que morre, então eu concluo que a sua esperança ressuscitou.

          Não é mais digno você reconhecer seu vacilo e dar o braço a torcer?

          • Só se morre uma vez rsrsrsrs…

            Estava com a tônica das minhas palavras em cima da diferença entre o discurso dos candidatos a presidente do Brasil nas campanhas e o que acontece depois de eleitos. 

            Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa rsrsrsrs…

            Óbvio que me contradizer em assunto mesclado de tempos e espaços diferentes em uma conversa digital informal e um forum open como este não traduz na sua totalidade a força do pensamento envolvido, ficam sempre algo subtendido, omisso ou mesmo mal compreendido, uma vez que o entendimento é feito por terceira pessoa, nem sempre atenta a todos os detalhes, filigranas e escaninhos que a interação que ocorreu produziu.

            Agora longe de mim de ser o dono da verdade ou infalível, erro e não tenho a menor peja de admitir meus erros e me desculpar deles, muito pelo contrário, como tento apresentar minhas idéias com fundamento e consideração, quando as vejo corrigidas me orgulho da proeza de ter conseguido provocar reações que não imaginava e poder aprender com isto.

            É óbvio que a generalização de se falar “Bolsonaro não ousa nem sequer falar nos problemas que afligem a população brasileira” como colocado pelo Sr. em minha escrita e que na verdade é uma simplificação grosseira do que escrevi e uma deturpação da idéia esposada em meu discurso não corresponde à verdade nem ao que eu escrevi, nem ao que eu estava debatendo. 

            Reitero aqui então:

            Discurso de candidato em campanha é um,

            Dircurso de candidato eleito é outro.

            Quanto aos problemas que afligem o Brasil, são muitos e os que frequentam este espaço democrático, mantido a duras penas pelo Nassif (obrigado Nassif por  aguentar esses malas que aparecem por aqui rsrsrsrs…) os conhecem de cor e salteado, divergimos nos meios, táticas e estratégias para enfrentá-los, mas nos unimos por um Brasil onde o povo e o terrritório sejam respeitados e possam usurfruir dele  com liberdade, dignidade e respeito.

            Quanto a esperança….

          • Só me resta pedir desculpa pela minha simplificação grosseira

            “Bolsonaro não ousa nem sequer falar nos problemas que afligem a população brasileira, quanto mais combatê-los”.

             

            Quer dizer que a frase acima não corresponde à verdade? Fui eu que deturpei, que simplifiquei grosseiramente?

            Desculpa

          • para bom entendedor, meia palavra bas

            A frase não está citada por inteiro e não está contextualizada, como ressaltei na outra mensagem. Mas vamos lá, a forma como  escrevi não expressa com clareza a idéia em discussão por mim.

            Eu não tive a intensão de deturpar, assim peço descupas se o sentido não lhe agradou.

            Por mim dou por encerrada esta discussão.

            Forte abraço, Rui

          • Quanto mais pavras vc usa, menos se faz entender
            Mesmo assim ainda culpa os outros por nao entender o que voce escreve. Ora, se o que vc escreveu nao expressa o que vc queria dizer, que culpa tenho eu de vc nao se expressar com clareza?
            No texto nao ha esperanca do Bolstonaro sequer reconhecer quanto mais combater os verdadeiros problemas do Brasil, quanto mais combate-los, mas no contexto ha esperanca do Bolsonaro combater problemas que ele nem sabe que existem.
            Acho que sria mais honesto da sua parte ter a humildade de retirar o que disse, ateh porque errar eh humano, botar a vilpa nos outros, entao, nem se fale.
            Fui

          • Agora sim você falou algo que posso rebater

            Voce escreveu: “No texto nao ha esperanca do Bolstonaro sequer reconhecer quanto mais combater os verdadeiros problemas do Brasil, quanto mais combate-los, mas no contexto ha esperanca do Bolsonaro combater problemas que ele nem sabe que existem.”

            E disse que eu escrevi isto: MENTIRA!

            Vamos lá: o que disse é que o povo que não é burro, percebeu que a única esperança de mudança é com o Bolsonaro e que o LULA/HADDAD seriam a continuidade dos governos passados.

            Tal vem se concretizando, com a eleição do Bolsonaro e a bateção de cabeça do PT, seus filiados e simpatizantes, que estão mais por fora que umbigo de vedete rsrsrsrsrs….

            Quanto aos problemas que elenquei em que nem o Bolsonaro, nem o Haddad sequer tocam no assunto, continuam lá, esperando reconhecimento, equacionamento e solução.

            Mas tenho esperança na turma que entra, pelo menos no número de ministérios, que implica na reforma administrativa à qual eu preconizava prioridade, está indo na direção certa, logo, a esperança continua renovada.

            Rui procure citar as pessoas sem lhes falsear as palavras ou o sentido do que foi dito, isto se chama desonestidade intelectual e é muito feio.

             

          • Não é mentira, não, Amigo, é verdade

            Se você escreve no seu texto que o Bolsonaro sequer sabe quais são os verdadeiros problemas do brasil – patrimonialismo, compadrio, oligarquias, etc.- e se não sabe, não tem como combater algo que ele nem sabe que existe, então no seu texto não há esperança.

            Quando confrontado com a sua própria falta de esperança de que o Bolsonaro vai solucionar os verdadeiros problemas do Brasil, você disse:

            “A FRASE não está citada por inteiro e NÃO ESTÁ CONTEXTUALIZADA, como ressaltei na outra mensagem. Mas vamos lá, a forma como  escrevi não expressa com clareza a idéia em discussão por mim”.

            Você assume que a forma como você escreveu não expressa com clareza as suas idéias, ou seja, você reconhece que no seu texto não há esperança de que o Brasil vá mudar com Bolsonaro na Presidência, mas diz que se o texto não tivesse sido descontextualizado, haveria, sim, esperança de o Governo Bostonaro solucionar os verdadeiros problemas do Brasil. E ainda me acusa de agir com desonestidade intelectual.

  4. E O QUE VOCÊ QUER, ALEXANDRE?

    POR QUE NÃO SE CANDIDATOU JÁ QUE O BOÇAL É INCÓGNITA E O HADDAD É MAIS DO MESMO (PRA VOCÊ, QUE NÃO CONSEGUIU ENXERGAR TODOS OS GRANDES ACERTOS DOS GOVERNOS PETISTAS, SÓ LHES VENDO ERROS….MAS EU LHE DIGO, O BOÇAL NÃO É INCÓGNITA, É MERDA NA CERTA, JÁ QUE VOCÊ NÃO QUER ADMITIR QUE SEJA FASCISMO.      DEIXE DE CAFAJESTICE E ACEITE QUE O BOÇAL NÃO PODE NEM PASSAR PERTO DO PODER, POIS ISSO SERIA CONDENAR O BRASIL A MUITOS ANOS DE RETROCESSO.    É UMA PENA QUE UMA VITÓRIA DE HADDAD NÃO VÁ PERMITIR QUE SE CANCELE O PRIMEIRO E O SEGUNDO TURNOS PARA VOTARMOS DE NOVO E, QUEM SABE, ELIMINARMOS A ELEIÇÃO FRAUDULENTA (VIA ZAPS FINANCIADOS ILEGALMENTE) DOS DEPUTADOS E SENADORES DO PSL……UMA CORJA DE BANDIDOS QUE O TSE NÃO TEM CORAGEM DE ENFRENTAR……..    MAS SERIA ÓTIMO COMEÇAR TUDO DE NOVO, POIS DAÍ O HADDAD GANHARIA NO PRIMEIRO TURNO QUANDO A POPULAÇÃO VISSE QUE O LEGISLATIVO TINHA SE FORMADO À CUSTA DE MARACUTAIAS DAS REDES SOCIAIS COMPRADAS POR BANDIDOS DO EMPRESÁRIO CALHORDA QUE TEMOS……..

  5. E O QUE VOCÊ QUER, ALEXANDRE?

    POR QUE NÃO SE CANDIDATOU JÁ QUE O BOÇAL É INCÓGNITA E O HADDAD É MAIS DO MESMO (PRA VOCÊ, QUE NÃO CONSEGUIU ENXERGAR TODOS OS GRANDES ACERTOS DOS GOVERNOS PETISTAS, SÓ LHES VENDO ERROS….MAS EU LHE DIGO, O BOÇAL NÃO É INCÓGNITA, É MERDA NA CERTA, JÁ QUE VOCÊ NÃO QUER ADMITIR QUE SEJA FASCISMO.      DEIXE DE CAFAJESTICE E ACEITE QUE O BOÇAL NÃO PODE NEM PASSAR PERTO DO PODER, POIS ISSO SERIA CONDENAR O BRASIL A MUITOS ANOS DE RETROCESSO.    É UMA PENA QUE UMA VITÓRIA DE HADDAD NÃO VÁ PERMITIR QUE SE CANCELE O PRIMEIRO E O SEGUNDO TURNOS PARA VOTARMOS DE NOVO E, QUEM SABE, ELIMINARMOS A ELEIÇÃO FRAUDULENTA (VIA ZAPS FINANCIADOS ILEGALMENTE) DOS DEPUTADOS E SENADORES DO PSL……UMA CORJA DE BANDIDOS QUE O TSE NÃO TEM CORAGEM DE ENFRENTAR……..    MAS SERIA ÓTIMO COMEÇAR TUDO DE NOVO, POIS DAÍ O HADDAD GANHARIA NO PRIMEIRO TURNO QUANDO A POPULAÇÃO VISSE QUE O LEGISLATIVO TINHA SE FORMADO À CUSTA DE MARACUTAIAS DAS REDES SOCIAIS COMPRADAS POR BANDIDOS DO EMPRESÁRIO CALHORDA QUE TEMOS……..

  6. Querido amigo Márcio, como

    Querido amigo Márcio, como sempre seu texto é preciso e lúcido. Também considero a onda pró-Haddad tal qual um tsunami que se mostrará incontrolável, amanhã. Que assim seja, para o bem do Brasil e de todos nós. Bj!

  7. Num Dado País Menos Assimétrico…

    Boa noite. Num país qualquer, com menos seletivismo da justi$$a, com uma mídia hertziana que respeite o âmbito da sua concessão, supõe-se, nem estaríamos discutindo a desejável, por quem milita a liberdade, via Haddad, vez que o nefando seria apenas histriônico, jamais uma ameaça real e imediata de retrocesso, o verdadeiro Armagedão, já que aqui se faz o laboratório da CIA das Indústrias, para, em funcionando, “espalhar democracia” alhures. Rogo que a civilização vença e que a esquerda, voltando, claro, entenda que há reformas que são inadiáveis.

  8. Você fez a análise mais

    Você fez a análise mais correta e mais em conformidade com a realidade, abordando o intangível que as pesquisas apenas subentendem e que os analista oficiais da grande(?) imprensa, não consideram ou não querem enxergar!

  9. Tsunami

    Vamos la comemorar o tsunami do bem contra o dragao da maldade. Segunda feira o Brasil vai acordar mais alegre sem golpistas e sem fascistas.

    Parabens Marcio ,pelo seu artigo lucido e claro.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome