Corregedor do TSE diz que cota para negros pode gerar “efeito reverso”

Para Luís Felipe Salomão, partidos podem boicotar decisão; cotas para candidatos negros são válidas a partir das eleições deste ano

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O ministro Luís Felipe Salomão, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), tomou posse como corregedor-geral da Justiça Eleitoral, e externou seu temor a respeito de um “efeito reverso” sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de aplicar cotas do fundo eleitoral para candidatos negros a partir da eleição deste ano.

“Espero que não haja retrocessos, mas o efeito pode ser reverso porque não haverá prazo suficiente para que os partidos se adaptem. Isso pode levar os partidos a lançarem menos candidatos negros para não serem obrigados agora a repassar recursos e tempo de TV na mesma proporção do número de candidaturas”, diz Salomão, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

Sobre as candidaturas laranjas – um dos grandes empecilhos das eleições de 2018 -, Salomão admitiu que a questão é um problema e que a quantidade de candidaturas no caso do gênero espanta.

“Teve fraude lá atrás, mas elas vão diminuir porque a sanção está sendo rigorosa, em muitos casos cassando chapa inteira. Não tenho dúvida de que é um processo que vai avançando até chegar um momento que vai ser natural. O tribunal tem sido muito rígido, basta levantar os números, que eu acompanho, o TSE cassa mesmo”, ressaltou.

 

 

Leia Também
Chile: ascensão e derrota de uma revolução desarmada, por Breno Altman
Freixo e Boulos vêm aí, por Gustavo Conde
Após afirmar seu desejo de entrar para política, 04 se reúne com Republicanos
Fiscais do Bolsonaro contra a inflação, por Ricardo Mezavila

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Em governo sem corrupção, casos suspeitos cercam Bolsonaro

2 comentários

  1. “Não tenho dúvida de que é um processo que vai avançando até chegar um momento que vai ser natural.” disse o ministro sobre laranjas.
    Escuto isso desde o retorno das eleições com o fim da ditadura militar. Fosse “à vera” o psl, um laranjal podre, ja teria sua sigla cassada há muito.
     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome