Datafolha: Lula lidera disputa, mas dificilmente ganha 2º turno

Petista tem vantagem no 1º turno, mas perde competitividade contra outros candidatos na 2ª fase eleitoral 

 
Jornal GGN – Em uma nova simulação de intensões de voto para presidente de 2018, realizado pelo Datafolha, o ex-presidente Lula lidera as pesquisas no 1º turno. Num cenário enfrentando Aécio Neves, o petista aparece com 22% nas intensões de voto, contra 17% para Marina Silva e 14% para o tucano.
 
Já num eventual 2º turno, Lula enfrentaria maior dificuldade, sobretudo contra Marina Silva que venceria por 44% a 32%. O Datafolha também calculou que o ex-presidente poderia ser derrotado se o oponente no segundo turno for José Serra, por 35% a 40%, Aécio Neves, por 38% a 36% e, até mesmo, Geraldo Alckmin, por 38% a 36%.
 
O instituto de pesquisa avaliou, no entanto, que ainda é cedo para determinar os contornos da corrida presidencial em 2018, isso porque um a cada quatro eleitores entrevistados não definiram seus candidatos sendo que boa parte afirmou que se as eleições fossem hoje votaria branco ou nulo.
 
 
 
FERNANDO CANZIAN
DE SÃO PAULO
 
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera as pesquisas de intenção de voto do Datafolha para o primeiro turno da eleição presidencial de 2018.
 
O petista não garante, no entanto, a vitória em um eventual segundo turno e poderia ser derrotado pela ex-senadora Marina Silva (Rede) ou pelo ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB).
 
Após dividir a preferência do eleitorado com Marina nos últimos levantamentos para o primeiro turno, Lula oscilou positivamente e abriu vantagem sobre a potencial adversária, que caiu.
 
Já os possíveis candidatos do PSDB consultados no levantamento (José Serra, Aécio Neves e Geraldo Alckmin ) oscilaram negativamente ou mantiveram patamares anteriores, o que favoreceu Lula.
 
Em um eventual segundo turno entre Lula e Marina, a ex-senadora venceria o petista por 44% a 32%. Lula também seria derrotado, por 35% a 40%, se o candidato no segundo turno fosse Serra, considerando a margem de erro do levantamento, de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
 
No geral, porém, o quadro eleitoral para 2018 permanece muito indefinido: cerca de um quarto dos eleitores (independentemente do cenário) dizem que, no primeiro turno, votariam em branco ou nulo ou não quiseram opinar sobre suas preferências.
 
CENÁRIOS
 
No cenário de primeiro turno em que Aécio é testado como candidato do PSDB, Lula aparece com 22%, Marina com 17% e o tucano com 14%.
 
No mesmo cenário vêm depois Jair Bolsonaro (PSC) com 7%, Ciro Gomes (PDT) com 5%, Michel Temer (PMDB) com 5%, Luciana Genro (PSOL) com 2% e Ronaldo Caiado (DEM) empatado com Eduardo Jorge (PV) com 1%.
 
Nessa mesma simulação, brancos e nulos somam 18%, e 7% não opinaram. Nenhum dos candidatos supera, portanto, a soma de brancos, nulos e indecisos (25%).
 
Aécio Neves , que disputou a eleição presidencial de 2014 com Dilma Rousseff, tem hoje metade das intenções de voto que detinha em dezembro de 2015, quando aparecia com 27%.
 
Entre os demais tucanos, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, aparece hoje com 8% (tinha 14% em dezembro) e José Serra com 11% (detinha 15% em fevereiro).
 
Do final de 2015 para cá, Marina Silva perdeu mais pontos nos cenários em que os candidatos tucanos são Alckmin ou Serra. Com Aécio, ela se manteve praticamente no mesmo patamar.
 
A pesquisa mostra que Lula mantém um desempenho eleitoral acima da média entre os mais pobres e menos escolarizados, e que é ultrapassado pelos adversários conforme o avanço da renda e do nível de escolaridade.
 
Mas o petista, que é investigado pela Polícia Federal (assim como seu partido), segue como o candidato mais rejeitado entre os eleitores: 46% dizem que não votariam nele de jeito nenhum. Ele nega irregularidades.
 
Aécio, que na simulação de segundo turno está em situação de empate técnico com o Lula, é alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora