Debate da Band exclui PT, mas Haddad e Manuela reagem com medidas

PT realiza uma série de atos para escancarar a “ausência forçada” de Lula e ao “não” da Band para Haddad ser sabatinado
 

Foto: Reprodução
 
Jornal GGN – Após a Justiça Federal decidir que o debate da Band, o primeiro com os principais presidenciáveis, não terá a participação de Lula, o PT ainda tenta no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) a presença do líder petista.
 
É que após um primeiro recurso da defesa de Lula ser negado na segunda instância e remetido diretamente à Justiça Federal, sem analisar o mérito, o partido entrou com um mandado de segurança e agora tenta nas últimas horas reverter a ausência de Lula.
 
Mas enquanto isso, a estratégia do partido tem sido a de realizar um tipo de protesto. Porque a Band não quis aceitar a participação de Fernando Haddad, registrado como o vice de Lula, para substituir as propostas eleitorais da chapa.
 
Haddad e Manuela D’Ávila (PCdoB), que será a vice oficial da chapa com o PT, decidiram realizar uma série de atos para escancarar a impossibilidade do ex-presidente participar do debate. Pediu à Band que deixe um púlpito vazio para representar a “ausência forçada” de Lula. 
 
Ainda, o partido quer marcar presença na Band, levando Haddad e Manuela a acompanhar o debate dentro do estúdio, como convidados, e durante os intervalos devem conceder entrevistas no estúdio e comentar as respostas dos adversários.
 
Também entre as ações, o PT pretende realizar manifestações em São Paulo, próximo da emissora de televisão. 
 
E como outra medida, o PT anunciou que vai realizar um debate próprio, que será transmitido pelas redes sociais, no mesmo horário do evento da Band, com a participação de Haddad, como o atual registrado a vice para disputar a Presidência e que assumirá como presidenciável da chapa se Lula for impedido, e Manuela D’Ávila (PCdoB), que será a vice. 
 
Também participam deste debate alternativo a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), e o coordenador-executivo da campanha de Lula, José Sergio Gabrielli.
 
A Band é a primeira emissora a realizar os debates com os candidatos à Presidência, às 22h desta quinta-feira (09). Ao todo, estão marcados nove debates com os presidenciáveis: no próximo dia 17 pela RedeTV e IstoÉ, no dia 27 pela rádio Jovem Pan, no dia 9 de setembro pela TV Gazeta e Estadão, no dia 18 de setembro pela revista Piauí e site Poder360, no dia 20 pela TV Aparecida, no dia 26 pelo UOL, SBT e Folha, no dia 30 de setembro pela Record, e no dia 4 de outubro pela rede Globo.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

15 comentários

  1. A guerra eleitoral começou

    Se não for imposto às emissoras e demais imprensa a participação do vice de Lula nos dabates podem fazer suas apostas de que Haddad e Manuela serão ignorados até que Haddad assuma a cabeça de chapa. 

  2. Eu estou achando que esse

    Eu estou achando que esse será o primeiro e único debate que deixará o PT de fora.

    Os candidatos que participarem terão que se degladiar, sobrando desgaste pra todo mundo. Já os que resolverem acusar Lula ficarão com a imagem de covardes por estarem acusando quem foi proibido de estar ali para se defender.

    Acho que depois das divulgações das pesquisas pós-debate, a direita vai perceber que essa ausência forçada mais ajuda do que prejudica a candidatura de Lula.

  3. Brincando com fogo

    Essa é uma faca de dois legumes.

    Podem excluir o PT e podem provar que são inúteis se nada mudar substancialmente.

    Se perderem a utilidade, vão perder o financiamento também…

  4. Esse debate sem o PT não tem

    Esse debate sem o PT não tem a menor graça. É a mesma coisa de ter o campeonato espanhol de futebol sem o Barcelona!

  5. IBOPE?

    Como mede a BAND o seu próprio IBOPE?

    Será que acham que sem o PT no debate vão ganhar mais rating?

    A BAND reconhece explicitamente que o seu público não é PT?

    A quem serve a TV?

  6. Marcar debate na mesma hora do outro é bobagem…

    Boa parte das pessoas vai preferir ver o da TV, menos os já convencidos, que nao acrescentam muito. Seria melhor marcar noutro horário, e anunciar isso, se Haddad conseguir estar lá nos bastidores.

  7. Nassif não assisto hà 20 anos

    Nassif não assisto hà 20 anos essas TVs e Emissoras brasileiras. Depois participo lendo seus comentários. Se o PT participasse abriria uma exceção. Não tenho mais estômago para enfrentar tais ignorância.

  8. Debate da band
    Lamentável a exclusão da participação do PT do debate. Deveríamos ouvir o posicionamento do partido aos temas debatidos através do candidato a vice na chapa. Ele representa o partido na ausencia do titular.

    • As bases precisam resgatar o partido

      Harry Heart,

      É mais do que urgente que as bases e militâncias retomem o controle do partido, ocupado pelos quinta-coluna liderados por José Eduardo Cardozo e outros próceres do chamado PRT jurídico-judicial. Há mais de 15 anos o PT não é mais o partido dos trabalhadores, fundado em 1980 em bases sindicais, das comunidades eclesiais de base, intelectuais e acadÊmcicos realmente de esquerda, guerrilheiros, jornalistas e outros perseguidos pela ditadura, etc.

      Lula está preso há quatro meses e NÃO tem controle sobre as decisões dopartido. Esse papo de que Haddad foi o escolhido por Lula para substitui-lo, em caso de impugnação, não convence as bases e militâncias, muito menos os eleitores que se identificam com Lula, mas NUNCA com a burocracia em que se transformou o PT (e esses eleitores são a esmagadora maioria dos que hoje votariam em Lula, mas não necessariamente em quem o partido disser que Lula indicou).

      Temos de pressionar a burocracia do PT a retirar, desde logo, o nome de Haddas, seja como vice, seja como substituto. Depois dessas declarações e do que acompanho sobre ele há três anos, NÃO voto em Haddad de jeito nenhum.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome