Disputa civilizatória nos municípios, por Sandro Valeriano

Disputa civilizatória nos municípios, por Sandro Valeriano

A essa altura da disputa eleitoral, está em jogo não apenas a presidência da república. A democracia, valores humanos e civilizatórios entraram na disputa que ganha novos contornos.

Nesse sentido apresentamos como contribuição o mapeamento dos vencedores por municípios, considerando no caso do Bolsonaro, a força política que perdeu esse território para a proposta autoritária.

A concentração principal de votos do Bolsonaro se dá em áreas que foram de predomínio do PSDB, principalmente no sul e sudeste.

No entanto, no norte de Minas Gerais, no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Centro-Oeste, o candidato do retrocesso cresceu sob áreas de predomínio do PT.

Abaixo o quadro geral em que informamos quantas cidades venceu e sobre quem o vencedor em 2018 prevaleceu.

Observe que o PSDB a Marina não venceram em nenhuma cidade em 2018. Seu espólio foi incorporado quase que totalmente pelo Bolsonaro, 52,20% da votação dele veio de cidades em que venceu e havia predomínio do PSDB, 10,05% cidades em que venceu e havia predomínio da Marina Silva. Em torno de 85% de seu capital eleitoral está em cidades em que venceu a eleição.

Assim a centro-direita abriu as portas primeiro para as pautas de costume da extrema direita e por fim perdeu sua base eleitoral para essa mesma extrema-direita.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Sem Bolsonaro no caminho, Witzel articula concorrer à Presidência em 2022 pelo PSL

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome