É hora de discutir o papel da grande imprensa nas eleições, por Wagner Iglecias

É hora de discutir o papel da grande imprensa nas eleições

por Wagner Iglecias

em seu perfil no Facebook

Tá certo, galera, já deu pra entender: as esquerdas fizeram muita cagada, o PT errou muito, os pastores evangélicos estão há anos trabalhando a periferia etc, etc, etc. Mas chega de só fazer a auto-crítica e a auto-flagelação.

Nos tempos em que o Brasil crescia acima de 5% ao ano e Lula tinha 70% de popularidade quase ninguém falava que o PT estava errando.

O fato concreto é: em 2012 o PSDB governava 16 milhões de pessoas, e agora após a eleição municipal vai governar 34 milhões. Já o PT governava 27 milhões de pessoas e agora vai governar apenas 4 milhões. Todos os outros grandes e médios partidos não sofreram grandes alterações nesse quesito. Vão governar mais ou menos o que já governavam.

Conclusão: houve uma enorme transferência de eleitores do PT para o PSDB. Ou seja, apesar dos pastores, dos petistas e dos tucanos, tá na hora de discutir o papel da grande imprensa nessa derrota fragorosa da esquerda e nessa vitória acachapante da direita.

Aqui, guardadas honrosas exceções, televisões, rádios, jornais, portais e revistas falam mal desde ciclofaixa do Haddad até a política externa do Lula 24 horas por dia, 365 dias por ano. Fora as denúncias de corrupção, sempre em letras garrafais quando relativas ao PT e em notinhas de rodapé quando relativas aos demais partidos. É isso o tempo todo na cabeça da galera.

Leia também:  Olhando para 2022, Maia fala de "lunáticos" no governo e comenta Moro na disputa

Quem desconsiderar a variável MIDIA numa análise sobre conjuntura política estará fazendo uma análise incompleta. E provavelmente equivocada.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

12 comentários

  1. Agora?
    Ja passou da hora de

    Agora?

    Ja passou da hora de tacar fogo nesta midia brasileira.

    Enquanto discutimos eles mandam e desmandam

    Ação, precisamos ir alem das palavras faladas e escritas

    Precisamos de gente que estaja afim de ação.

  2. O papel da “grande imprensa”

    O papel da “grande imprensa” é tão decisivo, mas tão decisivo, q o PT ganhou 4 eleições seguidas pra Presidente da República!

    • o papel….

      Luis Carlos: definitivo. Estamos num país pseudo-democrata erguido sobre uma Constituição de socialistas anti capitalistas. E o resultado é esta merda que estamos vendo. E a culpa indefinidamente é dos outros? Onde estão as escolas, o lazer, a assistência pré-natal, os esportes. Tivemos presidente professor, um dos alicerces da USP. Tivemos presidente “metalurgico do povo”, guerilheira das ideologias socialistas. O PAÍS DAS DESCULPAS TERMINOU. Além de tudo, com a inominável RGT, governos municipais, estaduais, federais, todos de tucanos a petistas, foi feito conluio por Copa do Mundo, estádios e todo tipo de mamatas, entre outros milhares de exemplos que podem ser dados.  Agora são eles que não prestam? Não prestam mesmo, mas canalhas e vagabundos, protagonistas do Poder Público nestes 30 anos, nada fizeram para mudar esta realidade.  

  3. Globo e Record prazer em conhecer

    Os partidos políticos e não só o PT se implodiram. O Brasil vive um ano em que passará para a história como um país que como os Estados Unidos optou somente por dois, a saber: O PAGODE(Partido do Golpe Descarado) dominado pela Globo. E o PEDIR(Partido do Edir) dominado pela Record. No final todos dançarão ao som do PAGODE enquanto outros se dignarão a PEDIR PEDIR PEDIR!!!

  4. mídia ou it’s economy, stupid?

    Sim, é fato que a mídia se fechou como nunca depois de 2014 em ataques intermitentes ao pt, dilma e lula, e que abandonaram de vez o qeu ainda havia de jornalismo. Por outro lado, desde 2006 a mídia já caçava o pt e lula, tendo clara influência nas elições, mas fracassando no final. Vieram  as eliç~eos municipais de 20166 e , agora, o pT foi varrido e a direita enfim deu uma sura nas urnas. Vem a pergunta: Foi a  mídia que, após tantos anos, e agora sob ataques dioturnos e uníssonos, que enfim conseguiu convencer o povão? Ou o poder da mídia é o mesmo de antes, poderoso, mas teria falhado masi uma vez SE NÃO FOSSE A ECONOMIA EM FRANGALHOS, DESEMPREGO CRESCENTE, EMPOBRECIMENTO, FALTA DE PERSPECTIVAS E SOLUÇÕES POR PARTE DA ESQUERDA,E A DILMA E SUA EQUIPE DE GOVERNO NOTADAMENTES PERDIDOS? Pois havia mensalão, mas com economia bem, a Globo não se impôs sobre o brasil. Porque? Porque tudoq eu importa ao povão é ter emprego e perspectiva de melhora econômica ( e nada mais importa, posso ser governado pelo satanás se estiver me dando bem)? Ou porque a globo e o resto da grande mídia não tinham chegado ao nível de coesão de ataque jornalístico implacável consolidada após 2014?

    • Faltou considerar o advento da parceria.

      Pois bem. A partir de 2005 a grande mídia cartelizada. liderada pela Globo/Mossack-Fonseca e Abril/Cachoeira, fechou questão contra o PT, atacando diariamente as suas principais lideranças.

      Como bem nos explica o preclaro Nassif, contando a história de como ocorreu a transformação definitiva do oligopólio midiático em Partido Político:

      https://jornalggn.com.br/noticia/a-globo-vai-se-perder-por-excesso-de-competencia

      Mas, o fator determinante da transformação da força política do sistema midiático em poder avassalador de destruição em massa de seus adversários ocorreu com o surgimento da parceria com o judiciário que se tornou comparsa das organizações criminosas de empresários corruptos controladores de empresas de rádio, TVs e jornais impressos, a partir do momento em que o STF submeteu-se a produzir sentenças condenátórias encomendadas para atender o clamor da opinião publicada no JN e seus tentáculos. Em 2013, com a ajuda do MP, a Globo/Mossack e Fonseca vitou o jogo convertendo as “manadas de junho” em 2013, em protesto contra o Governo Federal. Aí entrou o Moro e sua gangue, reforçando a referida parceria com o crime organizado e construindo a partir de 2014 a crise que desaguou em

      “…ECONOMIA EM FRANGALHOS, DESEMPREGO CRESCENTE, EMPOBRECIMENTO, FALTA DE PERSPECTIVAS E SOLUÇÕES POR PARTE DA ESQUERDA,E A DILMA E SUA EQUIPE DE GOVERNO NOTADAMENTES PERDIDOS…” a partir de 2014, a que vc se refere. Como muito bem nos explica a análise do Cientista Político Jessé de Souza, em entrevista ao Nassif no Sala de Visitas:

      http://jornalggn.com.br/noticia/para-jesse-souza-golpe-nasceu-em-junho-de-2013

      A mesma jogada utilizada em 54 para matar o Getúlio e em 64 para derrubar o Jango.

      Quem não conhece e não entende a história está sempre sob o risco de cometer os mesmos erros.

    • Sugiro a você a leitura do

      Sugiro a você a leitura do artigo de André Singer, cutucando a onça com vara curta. Dilma atravessou o muro de contenção do “mercado” quando desafiou os bancos privados com a redução do spread dos bancos públicos, ao mesmo tempo, reduziu a taxa de juros básica da economia (tanto a nominal e quanto a real) para os níveis mais baixos de nossa história recente (que me lembre dos últimos 30 anos). Não sei se seria um exagero falar-se em uma “greve” do capital, uma espécie de lockout, mas definitivamente o setor financeiro não gostava nada do rumo produtivista tomado pelo governo petistas especialmente a primeira Dilma. Os meios de comunicação são parte econômica e ideológica da frente que se formou com a clara convicção de por fim a experiência petista. Machiavel num tratado sobre a guerra dizia muito bem que as necessidades podem ser muitas, mas a mais forte é aquela que te obriga a vencer o morrer. A esquerda parece não ter aprendido esta lição do mestre do realismo político.

  5. Os partidos e políticos de

    Os partidos e políticos de direita não devem se vangloriar dos resultados das eleições, muito menos devem se esquecer de que o “Ninguém” (brancos + nulos + abstenções) ganhou em muitas localidades. O Partido da Imprensa em coligação com o Partido do Judiciário foram os grandes vencedores em 2016. Prefeitos foram eleitos com menos de 1/3 dos votos totais. A minoria, através da mídia, impôs sua vontade.

    http://observatoriodaimprensa.com.br/armazem-literario/a-imprensa-como-partido-politico/

  6. Meu grande e velho amigo

    Meu grande e velho amigo Wagner!

    Como dizia o velho bordão daquele personagem de desenho animado, o Confuso: “Mas eu te disse, eu não te disse? te disse!”

    É a imprensa idiota!!!!!

    É o neoliberalismo idiota!!!!!

    É a imprensa e o neoliberalismo idiota!!!!

    Um abração

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome