Eleições brasileiras e políticos corruptos são alvo de reportagem internacional

Sugerido por Jns

A persistência da corrupção na política brasileira

Por Philipp Barth, para o DW (Deutsche Welle)

“Todos os políticos brasileiros, sem exceção, são corruptos e criminosos”, diz Isaac, eleitor de Anthony Garotinho, com uma risada. “Ele não está na prisão, então está tudo bem, certo?”

Um certo número de políticos brasileiros são corruptos e parece que ainda não vão diminuir as suas chances na época de eleições. Alguns políticos veteranos conhecidos permanecem apesar de terem registros eleitorais duvidosos.

Por que os bandidos continuam tão popular entre os mais de 142 milhões de pessoas que estavam aptos a votar nas eleições presidenciais e legislativas de domingo?

Durante anos, o peculato e a corrupção têm atormentado as eleições brasileiras e o eleitorado ainda continua a votar nos mesmos políticos condenados.

No Rio de Janeiro, o político Anthony Garotinho alcançou votação muito alta nas pesquisas. Em 2010, o ex-governador foi condenado por corrupção e estabelecer uma organização criminosa. Ele foi acusado de dirigir uma “milícia” – um grupo de ex-policiais que extorquem dinheiro para proteção e organizam justiça paralela em muitas regiões do Rio de Janeiro.

Para pesquisador da courrupção, Marcos Bezzerra, a compra de votos é uma parte da cultura política brasileira

Mas Garotinho não ficou atrás das grades por muito tempo. A sua sentença de prisão foi reduzida a uma ordem de serviço da comunidade e agora ele está de volta às elieções. Apenas um único político do estado do Rio de Janeiro é apontado por nunca ter caído em desgraça com a lei.

O Rio de Janeiro não é uma exceção inglória no Brasil. Em São Paulo, o ex-governador Paulo Maluf acaba de ser nomeado como membro do parlamento brasileiro. Para os seus compatriotas, o político de 83 anos é conhecido por seu slogan “Corrupto, mas FAZ”.

Leia também:  Candidatos na área da saúde aumentam quase 20% nestas eleições

O verbo “Malufar”, na verdade, deriva do nome dele e tornou-se uma palavra comum no vocabulário brasileiro, que significa “roubar o Estado”. Os críticos afirmam que o ex-governador desviou centenas de milhões de euros ao longo dos anos. A Interpol expediu um mandado internacional para a sua detenção.

Maluf é apenas um em uma longa linhagem de políticos que fizeram aparições em processos judiciais conhecidos. Mas para os analistas, a questão permanece:

Por que os brasileiros continuam a votar nesses políticos?

Para o pesquisador da corrupção brasileira, Marcos Bezzerra, da Universidade de Niterói, no estado do Rio de Janeiro, a razão reside na relação entre os brasileiros e seus políticos: “Os políticos locais e os membros do parlamento assumem como sua, a tarefa de contrabandear, tanto quanto possível, dinheiro a partir da capital para os seus eleitores”. Na selva administrativa do enorme país sul-americano, que é composta por 26 estados, isso é um pouco de um desafiador. Por isso, o eleitorado paga a sua dívida através da votação.

Esta compra de votos indireta é particularmente abundante em áreas onde a população conta com todos os tipos de doações, por exemplo, nas favelas das grandes cidades. Bezzerra, o pesquisador da corrupção, argumenta que tudo se resume a uma falta de informação política dos brasileiros.

Endurecimento das Leis

Durante a campanha eleitoral deste ano, o tema da corrupção surgiu novamente. O escândalo do mensalão, envolvendo pagamentos subornos mensais a membros do parlamento do Partido dos Trabalhadores – PT, faz aparição em cada eleição. As alegações atuais que a petrolífera semi-governamental Petrobrás,  efetuou pagamentos a políticos,  também deram, à oposição da presidente Dilma Rousseff, o material de cobertura ideal para a mídia.

Leia também:  Eleições municipais: partidos apostam em candidaturas conservadoras para conseguir voto da direita

A luta contra a corrupção tornou-se, consequentemente, um tema de discussão nacional. Em junho de 2013, os brasileiros mostraram o seu desagrado e tomaram as ruas. Entre outras coisas, os protestos levaram ao endurecimento do poder legislativo contra a corrupção que passou a ser classificada como um crime capital.

“Governo do Povo”

Desde 2010, a lei anti-corrupção “Ficha Limpa”, supostamente,  impede que os políticos condenados possam se candidatar a cargos públicos, eliminando assim a imunidade para as acusações que um assento no parlamento ou um cargo ministerial fornece .

Por fim, apesar de seus primeiros anos como um tigre sem dentes, a lei está começando a mostrar seus primeiros sinais de sucesso, obrigando vários candidatos a se retirar das campanhas. Depois de décadas, até mesmo a carreira política de Paulo Maluf pode estar chegando ao fim. O processo contra a sua candidatura está no tribunal de última instância, depois que os seus advogados interpuseram recurso de apelação.

No Rio de Janeiro, no entanto, todas as tentativas para impedir a candidatura do ex-governador Anthony Garotinho fracassaram. E assim os seus eleitores continuaram apoiando a campanha do político condenado na pitoresca Baía da Guanabara.

Para Geilson Oliveira, de 50 anos, corretor de imóveis, todos os pontos de julgamento são uma “mentira”. Você só tem que perguntar para quem sabe a verdade para ao saber que Garotinho é “um bom homem”, um “governador do povo”, diz ele.

O condenado Anthony Garotinho e os seus partidários durante a campanha eleitoral

O colega de Geilson, Isaac, carregando uma bandeira que carrega um retrato gigante de Garotinho, imediatamente descarta os julgamentos. “Todos os políticos brasileiros, sem exceção, são corruptos e criminosos”, diz ele com uma risada. “Ele não está na prisão. Então, está tudo bem, certo?”
 

10 comentários

  1. Alguém avisa os alemães…

    … que o candidato que está disputando o segundo turno fez um aeroporto na fazenda do tio com dinheiro público e o Ministério Público Federal diz que não tem nada de mais.

    A justiça é seletiva no Brasil.  Assim como a imprensa…

    Por isso, solta essa pérola: ” tudo se resume a uma falta de informação política dos brasileiros”

    Ou seja, o mesmo argumento de FHC.  Engraçado, não?

  2. Sabe porque o povo

    Sabe porque o povo brasileirocontinua votando nesses políticos? Porque quem os denúncia eh infinitamente mais corrupto que eles. Ou vocês acham que alguém acredita que o padrão de vida milionário de juízes, procuradores e jornalistas (indignados) eh de graça?

  3. um dos problemas do combate à

    um dos problemas do combate à corrupção

    é a exacerbação das denúncias,

    muitas falsas, falaciosas.

    quem não lembra do histórico udensta

    carlos lacercda, o corvo, que

    denunciava sempre o getulismo e o janguismo?

    tudo falso, tudo jogo polítco para beneficiar

    a direita, essa que rouba mas faz, a malufista.

    essa exacerbação nivela tudo por baixo,

    todo mundo passa a ser considerado corrupto.

    inevitável, daí, o macartismo, as perseguições

    a todo ser político.

    como as denúncias

    são frágeis ou inventadas, como faz a veja,

    tudo fica por isso mesmo,

    mas o rescaldo simbólico continua aí na mente das pessoas

    ou nos registros históricos como farsa. 

    pois, como é que a justiça vai julgar um

    factóide ou um mentirão a não ser o doido e

    dono do domínio do fato joaquim barbosa

    que extrapolou toda a jurisprudencia anterior??

  4. Materia paga ………………

    Matéria paga sem dúvida, plois o autor não faz uma análise lem profundida e não compara a corrupção, inerente ao ser humano, com o ue ocorre em outros paises, tão ou mais.

    Mas, as baterias do artigo, indiretamente, ou melhor diretamente está direcionada ao Garotinho, e acredito que em virtude do mesmo em sua entrevista à Globo, ter dito alto e bom lsom que a mesma estava sendo processada pelo Ministério Publico.

    Daí, agora e para sempre, será alvo da globo, como foi o Brizola.

    E espear para ver !!!!!!!!!!!!

  5. As estruturas da sociedade

    As estruturas da sociedade brasileira deixa como rastro a convivência com a corrupção e sua contra-propaganda!

    Essa “maleabilidade” é resultado de aparências, que diz coisas que não faz, mas pratica o errado.

    É uma sociedade que conviveu com poderes corruptos e aprendeu a sobreviver nele, algumas coisas são escandalo, mas sempre para os outros. O rouba, mas faz não é escandalo!

    Isso veio de portugal no descobrimento…

  6. Gente como o Tiririca só se

    Gente como o Tiririca só se elege com milhões de votos e porqu e o partido é  nanico. Para se eleger com poucos,  precisa de partido forte e isso esses não vão  ceder se já não for esperto na arte da gatunagem. E gente treinando nessa arte, vide movimento estudantil, é o que não falta.  Ou seja: quando o eleitor chega na boca da urna, há poucas chances de escolher algum que já não seja até mcaco velho do c* pelado na arte de roubar

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome