Gleisi, Luciana e Haddad anunciam as bases da campanha PT-PCdoB

Foto: Reprodução

 

do Portal Vermelho

Gleisi, Luciana e Haddad anunciam as bases da campanha PT-PCdoB

O anúncio oficial da coligação entre PT e PCdoB ocorreu no final da noite deste domingo (5). Ao anunciar a aliança, os partidos informaram que o ex-presidente Lula convidou a deputada Manuela D’Ávila para ocupar a vaga de vice na sua chapa.

Gleisi Hoffmann, presidenta do Partido dos Trabalhadores (PT), ao anunciar a aliança com o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) disse que estava comunicando formalmente que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedira que ela convidasse a candidata Manuela D’Ávila para ser a sua vice. Após explicar que o anúncio deveria ser formalizado dentro do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral para não dar motivos à controvérsias judiciais, Gleisi Hoffmann lembrou que o PT sempre atuou em coligação, com o candidato a vice indicado por outro partido — com exceção de 1994, por circunstâncias excepcionais. 
Segundo ela, a pré-candidatura de Manuela D’Ávila cumpriu papel importantíssimo na construção da unidade formalizada no domingo (5), um importante acordo do campo progressista e popular para dar sustentação à candidatura do ex-presidente Lula. Gleisi Hoffmann também disse que o PT tem carinho, respeito e consideração por Manuela D’Ávila. “E muito nos alegra esse convite feito pelo presidente Lula”, destacou, lembrando que essa aliança fortalece a presença da mulher e dos jovens na disputa eleitoral. De acordo com a presidenta do PT, Manuela D’Ávila é uma pessoa de força, vigor e determinação. 

Ela lembrou também que as conversas entre os dois partidos definiram a tática eleitoral para assegurar a manifestação do ex-presidente Lula, além da estratégia de campanha até a regularização da situação judicial da chapa. Nesse processo, a representação do candidato caberá ao ex-prefeito paulistano Fernando Haddad, pela proximidade com Lula e pela identificação com o PT. A decisão foi tomada conjuntamente pelas direções do PT, do PCdoB e do Pros, que também está na coligação. 

Leia também:  Ao Vivo: Advogado de Lula fala sobre os próximos passos da defesa

De acordo Gleisi Hoffmann, a pré-campanha da coligação começa imediatamente. “Fernando Haddad e Manuela D’Ávila vão sair pelo Brasil com uma agenda firme, uma agenda forte, defendendo um programa de governo progressista e popular, que o PCdoB, o PT e o Pros construíram para esse processo. E vamos estar juntos e irmanados também com o apoio do PCO”, anunciou. 

Luciana Santos

A presidenta do PCdoB, Luciana Santos, disse que mais uma vez os dois partidos de esquerda estão escrevendo a história. Segundo ela, o país está diante de um cenário complexo desde que projeto nacional foi interrompido pelo impeachment fraudulento da presidenta Dilma Rousseff. De acordo com ela, é necessário derrotar a agenda antipovo e antionacional imposta ao povo brasileiro pelo golpe de Estado. Nesse sentido, afirmou, as eleições ganham uma dimensão extraordinária.

Nesse embate, disse Luciana Santos, está a oportunidade de retomada do projeto nacional e popular no Brasil. “É por isso mesmo que as nossas forças, com a responsabilidade de termos sido protagonistas, sobre a liderança do Partidos dos Trabalhadores, no ciclo político de Lula e Dilma, nos treze anos em que houve enfrentamento das desigualdades regionais, em que assistimos ao Brasil sair do mapa da fome, em que vimos a ampliação das universidades públicas e a expansão das escolas técnicas, que vimos, portanto, um período virtuoso de crescimento econômico, de inclusão social, precisam reafirmar diretrizes e compromissos, da retomada não só do que já existia, mas também com desafios novos diante de circunstâncias tão nefastas”, enfatizou. 

De acordo com a presidenta do PCdoB, o retrocesso foi muito grande, avassalador. Segundo ela, o Brasil não suporta mais essa agenda ultraliberal, que dá a dimensão da responsabilidade da esquerda nessa batalha. Luciana Santos lembrou que o PCdoB defendeu, desde o início do processo eleitoral, a unidade ampla, de todos os seguimentos progressistas. “Nos embandeiramos disso com convicção por achar que esse é o caminho a percorrer. Houve muito esforço nessa direção”, rememorou. 

Para ela, o ideal seria uma frente mais ampla, com a participação do candidato Ciro Gomes “para fazer o desenho de uma frente mais ampla possível”. “Mas estamos fazendo o desenho da frente que foi possível construir. Entendendo que vai ser necessário um forte debate de ideias, um pacto de muita afirmação, de muita identidade programática das candidaturas do nosso campo”, afirmou, citando também a candidatura do PSOL.

Leia também:  Lula, Ciro & Marta, por Patrícia Valim

Segundo Luciana Santos, essa é a disposição da coligação. Fazer com que o convite de Lula e do Partido dos Trabalhadores a Manuela D’Ávila se transforme em ações políticas em todo o país, “pregando a unidade, pregando a necessidade de saídas para essa crise, desempenhando um papel extraordinário”. 

A presidenta do PCdoB lembrou que Manuela D’Ávila sempre disse que não seria óbice a qualquer tipo de unidade política. “E estamos construindo a unidade que foi possível no primeiro turno”, destacou, enfatizando que Fernando Haddad e Manuela D’Ávila vão percorrer o país debatendo ideias e fazendo com que a relação de trinta anos entre PT-PCdoB novamente produza bons resultados. E terminou registrando que o convite para o PCdoB ocupar a vice “nos honra muito e temos certeza de que vamos fazer um bom combate, um bom debate de ideias, e vencer as eleições pela quinta vez consecutiva”. 

Fernando Haddad

O ex-prefeito Fernando Haddad, iniciou o discurso falando da honra de estar com duas mulheres que presidem importantes partidos de esquerda. E destacou o papel da “Manu”, segundo ele uma “mulher extraordinária”, que “vem fazendo um trabalho de peregrinação pelo país, levantando bandeiras, um capital político importante no campo progressista num país que sofre ameaças contínuas de setores obscurantistas da sociedade brasileira, que acabaram ganhando voz no último período”. 

Segundo ele, a coalizão liderada pelo PT é uma resistência que está se estabelecendo, “muito importante para a unidade em torno dessa figura extraordinária, que é o Lula”. Para Haddad, a união se dá também na certeza absoluta da inocência de Lula, na defesa incondicional da pessoa e do maior líder político do Brasil. “Estivemos juntos, inclusive nas derrotas. Perdemos juntos e ganhamos juntos”, sintetizou.

De acordo com Fernando Haddad, o constrangimento e a perseguição política tem feito crescer o entusiasmo, a determinação e a vontade do ex-presidente Lula de voltar a governar, “de resgatar a dignidade das pessoas”. “Tenho certeza que estamos anunciando ao país uma grande aliança, rumo a esse resgate. Não tenho dúvida de que vamos ter êxito para cumprir fielmente aquilo que a nossa militância desejou e expressou nos programas anunciados. Vamos agora compatibilizar nossos programas, que têm desejos comuns, anseios comuns, para compartilhar com a sociedade brasileira”, afirmou. 

Leia também:  Lula: "Progressão de pena é para ladrão. Eu quero o julgamento do mérito do meu processo"

E finalizou dizendo que vai ser um prazer cruzar o pais levando a voz de Lula. “O PCdoB é um parceiro histórico do PT. Nos governos Lula e Dilma teve um papel extraordinário na elaboração e formatação de importantes ações. “Falo com a experiência de quem foi ministro da Educação”, lembrou, citando diálogos com a União da Juventude Socialista (UJS) para a elaboração de programas voltados para os estudantes. “O Brasil vai voltar a festejar o seu grande futuro, o seu grande destino”, concluiu. 

 Da redação 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

13 comentários

  1. 3º golpe

    se confirmarem a chapa haddad/manu, a estorinha de Lula A a Z, Lula ou nada, era mentira..

    .. quantas vezes vc viu/ouviu a Gleisi falando que “não tinha plano B”?

    Porque estão protelando ao máximo o anúncio?

    Então será o 3º golpe.

    Derrubaram a Dilma, prenderam o Lula, agora lançaram uma chapinha que perderá para Alckmin (ou Ciro)..

    .. sim, Haddad não ganha nem do dória..

    Lula não sai da prisão nunca mais..

    .. falaram para ele que era só uma semana, que ele poderia se candidatar..

    .. o povo está sendo enganado..

    .. só que dessa vez “surprise”, tem muita gente da chamada “esquerda” envolvida..

      • sério? Se estiver falando de

        sério? Se estiver falando de boa fé me deixa preocupado..

        .. o povo quer Lula.. que é um homem inocente, ilegalmente preso..

        .. qualquer coisa fora disso é o 3 golpe..

        .. com gigantescas chances do resultado ser alckmin (ou ciro), seja no voto, seja na urna manipulada..

        Lula se deixou levar numa prisão ilegal porque foi orientado nesse sentido.. talvez ele, com a força do povo, decidisse outro caminho, se soubesse que por ali ficaria anos preso e o golpe seria legitimado via eleições fajutas..

  2. Vai pra historia

    Os ciristas vão ficar injuriados… Tempos atras argumentei que me parecia que Ciro tinha se antecipado um pouco demais e saltado antes do cavalo passar à sua frente… Eh isso ai. Agora a realidade é essa chapa que me parece acertada do ponto de vista da esquerda, do golpe, da importância de um vice que tenha mais ou menos os mesmas preocupações e valores.

    Boa sorte à Manuela D’Avila e ao Haddad. Lula la!

    •  
       
      O HOMEM DE HARVARD E O

       

       

      O HOMEM DE HARVARD E O ARTEZÃO DA MAIS ALTA COSTURA NORDESTINA

      Êita Maria Luisa. Vosmecê acaba por desvendar a provável causa para o esquisito
      comportamento do presidenciável Ciro. Então, pode-se dizer que o estabanado coronel
      Ciro precipitou-se, pulando sobre a sela antes dos arreios serem colocados no cavalo?

      É muito bizarro. Um cabra já feito, um nordestino da cepa. Cair da sela antes mesmo do
      cavalo chegar? Oxente!….Vai que é sequela daquela temporada em que viajou pra Cambridge,                                           estudar economia.

      O Homem foi estudar no estrangeiro, como se dizia outrora, pois, além de mais chique,
      a Universidade de Harvard é o máximo. Ali, nomes como o do brilhante ex-presidente Bush
      Junior, dentre outros luminares da humanidade, adquiriram seus valiosíssimos canudos.                                                                                                          

      O diabo desse deslumbramento com as coisas boas da metrópole, é que vicia. E, ao retornar o cabra                                     está desenraizado. Isso, ao ponto de não saber mais quem ele é. Não reconhecer pai e mãe.                                               Esquece de onde veio, Chega a desaprender que arreios, mesmo sendo importado, sem a montaria,                                     não serve pra nada. Portanto, não leva ninguém a lugar algum.

      Orlando

      Minha preocupação atual com o rapaz é como reagirá o moço de Harvard, quando for informado                                                do bordado que o artezão Lula acaba de tecer, entrelaçando com sucesso, uma chapa belezinha para o                                que der ou vier. Não vai nem precisar do cavalo encilhado.

      • Orlando

        Acho que não foi por culpa do curso em Harvad que o apressado Ciro deu o salto para o penhasco. De qualquer forma é um prazer ler seus divertidos e brejeiros comentarios.

  3. Nada será como antes…

    Não é mais uma questão meramente eleitoral…

    Esqueça tudo que foram as eleições passadas…

    Não é só o candidato prometer isso ou aquilo…

    Não é simplesmente o candidato acusar de mensaleiro ou de preso da lava-jato…

    O efeito dois pesos e duas medidas do judiciário entram para decidir nesta eleição…

    Ou seria mito o ditado popular do preto, pobre e prostituta…

    Não é só o candidato ter dezenas de minutos a mais…

    Ou afirmar que é o representante da pureza de Jesus na terra…

    Isso tudo fez parte das eleições que aconteceram antes do golpe…

    Agora isso já é passado, não nos pertence mais…

    A grande mídia perdeu grande parte de seu poder de persuasão!

    Hoje o que conta é o nosso bolso, é a certeza das injustiças, cada vez mais caindo sobre nós, é o cansaço das velhas promessas…

    Eles não publicam em seus jornalões, mas dia a dia estamos vendo o fracasso de coisas que eles disseram…

    Queremos mais esperança na vida, no futuro!

    Qualquer poste que represente os nossos desejos, na prática, não na teoria vão vencer!

    A grande mídia achou que o jogo continuaria o mesmo e que ninguém viu a mão do gato?

     

  4. Escatologia Global

    “De todos os candidatos a vice escolhidos até ontem nas, pelo menos, treze candidaturas confirmadas à Presidência, um é mais importante: Fernando Haddad, na chapa petista encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    O motivo é óbvio: Lula não poderá ser candidato, em virtude da Lei da Ficha Limpa, que veta a cadidatura de condenados em segunda instância como ele. A escolha de Haddad, com o aval dele da cadeia em Curitiba, é o primeiro sinal oficial de uma alternativa a seu nome. A decisão encerra a maior dúvida que ainda cercava o cenário eleitoral.

    A chapa petista deverá, depois que o registro do nome de Lula for impugnado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ser encabeçada por Haddad, com a candidatura a vice ocupada pela comunista Manuela D’Ávila, que desistiu de ser a postulante do PCdoB ao Planalto.

    Em todos os cenários em que seu nome é apresentado ao eleitor, Lula lidera as pesquisas de intenção de voto. A Operação Lava Jato alimentou o discurso de vitimização e resgatou sua popularidade do limbo. O poder de transferência de votos a Haddad será testado na urna em 7 de outubro. Não é absurdo supor que seja alto…

    … No cenário atual, Haddad, ainda que seu desempenho se revele insignificante nos cenários em que aparece como substituto de Lula, é o candidato com mais chance de crescer a ponto de chegar ao segundo turno. A outra vaga deverá ser disputada entre o deputado Jair Bolsonaro e, provavelmente, o ex-governador paulista Geraldo Alckmin….

    … Como Bolsonaro fará para, ao mesmo tempo, manter o voto antipetista dos mais instruídos e seduzir os menos instruídos, simpáticos a Lula – e distantes da confusão ideológica das redes sociais? Eis o principal paradoxo que sua campanha deverá contornar para chegar à vitória.

    Se conseguir, é provável que tenhamos um segundo turno entre Haddad e Bolsonaro. Se vencer, Bolsonaro estará diante de outro dilema. Para governar e aprovar as leis e reformas prometidas, precisará de apoio no Congresso, daqueles mesmos políticos tradicionais que menosprezou ao longo da campanha.

     

    Não haverá escapatória: ou bem o país estará diante de novo estelionato eleitoral – em que o candidato “antissistema” terá de montar uma aliança cedendo espaço no governo, aderindo às práticas políticas que prometeu combater na campanha –, ou então diante de uma ruptura autoritária, para conter os protestos inevitáveis no campo petista.”

    https://g1.globo.com/mundo/blog/helio-gurovitz/post/2018/08/06/haddad-e-o-candidato-real-do-pt.ghtml

     

  5. bom post.

    O resultado de tudo isso ( as candidaturas à esquerda) não chega a entusiasmar.

    Poderia, e deveria ser melhor.!!!

    Mas vamos lá. Com fé e coragem.

    PITACOS.

    Na minha humilde opinião a campanha deve ser centrada em:

    – apresentar o Alkimin como candidato do golpe e do Temer. Meireles é candidato-coelho.

    – mostrar o vazio que são as administrações do mesmo em SP. Não tem o que mostrar!

    – comparar a situação atual com situação do tempo do Lula.

    – mostrar quem é a vice do Alkmin.

    – lembrar, com insistencia, o calcanhar de aquiles de Alkimin, aquele assunto relacionado com segurança, que voces já trataram variás vezes…Vocês sabem qual é…

    Se Haddad mostrar firmeza nas propostas, clareza e falar simples pode ganhar sim. 

    Boa sorte para nós!

  6. Haddad será bombardeado em debates e entrevistas

    HADDAD DEVE ADOTAR UMA MUDANÇA RADICAL EM SUA POSTURA EM DEBATES E ENTREVISTAS:

    Se for para o Haddad adotar a mesma postura “paz e amor” que adotou em debates e entrevistas até hoje… não precisa nem subir no palanque.

    Da mesma forma que Meireles se candidatou para ser “para-raio” do governo Temer… Haddad pode se tornar saco de pancadas do “anti-petismo”.

    Haddad já foi completamente humilhado em entrevistas ingenuas concedidas à Jovem Pan… sinceramente… atitude puramente burra! 

    Adotar um perfil mais agressivo nesse momento é questão básica de sobrevivência. Os entrevistadores serão mais Tucanos que os candidatos do PSDB. O fascismo e o marcathismo é uma realidade.

  7. Gosto de ler

    os comentários que esquecem do basico em qualquer eleição

    É a economia, estupido !!!!

     

     

    Temos 65 milhões de desempregados que estavam empregados durante os anos LULA/DILMA e que serão lembrados disso

    o PT ganha no primeiro turno.

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome