IBOPE: Efeito Bolsonaro deve garantir pelo menos 3 governadores no segundo turno


Foto: Divulgação
 
Jornal GGN – O Ibope divulgou neste sábado (27) os resultados de intenções de votos para o segundo turno nos estados brasileiros. 
 
No Rio de Janeiro, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) conseguiu diminuir em dois pontos percentuais a diferença, mas permanece atrás do ex-juiz Wilson Witzel (PSC), apoiador do presidenciável Jair Bolsonaro. Witzel marca 54% das intenções de votos válidos e Paes tem 46%.
 
Em Minas Gerais, os votos parecem já estar definidos para o empresário Romeu Zema (Novo), também declarado aliado de Bolsonaro. Na véspera das eleições, Zema obtem mais que o dobro de seu adversário: 68% contra 32% do ex-governador Antonio Anastasia (PSDB). A pesquisa anterior marcava o mesmo resultado.
 
Os números também permaneceram os mesmos para o Distrito Federal, com a liderança de Ibaneis Rocha (MDB), com 75%, sobre o Rodrigo Rollemberg (PSB), com 25% das intenções de votos válidos, que excluem os nulos, branco e indecisos. O Distrito Federal é o que traz a maior diferença de um apoiador de Bolsonaro contra seu adversário em um segundo turno nos estados.
 
No Rio Grande do Sul, os dados se mantêm estáveis, com a liderança que segue para Eduardo Leite (PSDB), com 57% das intenções de votos válidos, perdendo 3 pontos percentuais em comparação à pesquisa anterior, feita nesta terça-feira (23). 
 
José Ivo Sartori (MDB), que declarou apoio público a Jair Bolsonaro, subiu os 3 pontos percentuais perdidos pelo tucano, mas ainda aparece em segundo lugar, com 43% dos votos válidos.
 
Sergipe não tem o efeito Bolsonaro influenciando no resultado do segundo turno: o atual governador, Belivaldo Chagas (PSD), parece garantir a reeleição com 61% dos votos válidos, contra 39% de seu concorrente, Valadares Filho (PSB).
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora