Ibope: números sinalizam para segundo turno

Jornal GGN – Segundo pesquisa Ibope, contratada pelo Estadão e TV Globo, o candidato Jair Bolsonaro chegou a 41%, aumento de três pontos percentuais, nas intenções de votos válidos divulgada nesta noite de sábado, dia 6. Fernando Haddad vem a seguir, com 25% dos votos válidos, porém com ligeira queda na comparação com a pesquisa anterior.

Assim como a pesquisa do Datafolha, o Estadão também aponta que Bolsonaro, para conseguir ser eleito em primeiro turno, precisaria ter 50% dos votos válidos, ou seja, conquistar mais nove pontos percentuais desta noite para amanhã.

Em um segundo turno, a pesquisa aponta que Bolsonaro teria 52% contra 48% de Haddad, com empate técnico no limite da margem de erro. Isso representa uma possibilidade de estarem empatados.

Caso Ciro Gomes fosse ao segundo turno, teria hoje 52% contra 48% de Bolsonaro, também com empate no limite da margem de erro.

Ciro, no primeiro turno, oscilou de 12% para 13% dos votos válidos e ficou em terceiro, seguido de Geraldo Alckmin, que se manteve com 8% e Marina Silva, que caiu um ponto percentual, indo para 4%.

Nos votos totais, com os brancos e nulos, Bolsonaro subiu quatro pontos, de 32% para 36%, enquanto Haddad oscilou de 23% para 22%. Na simulação de segundo turno com votos totais, o candidato do PSL teria 45%, e o do PT, 41%. Nulos e brancos seriam 12%, e os indecisos, 3%.

O Ibope entrevistou 3.010 eleitores entre 5 e 6 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para baixo ou para cima e o intervalo de confiança é de 95%.O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo Nº BR-01537/2018. Os contratantes foram o Estado e a TV Globo.

Leia também:  Lula deixa a prisão, agradece Vigília, enquadra Lava Jato e critica Bolsonaro

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

10 comentários

  1. Eleições

    Eleitores brasileiros que moram no exterior já começaram a votar

    Votação foi iniciada pelos eleitores que residem na Nova Zelândia. No exterior, brasileiros votam para eleger o novo presidente da República

    TSE—06.10.201816:50 

    Os eleitores brasileiros que residem no exterior já começaram a votar para escolher o novo presidente da República. Os eleitores brasileiros que moram na Nova Zelândia iniciaram a votação às 16h do horário de Brasília. A partir das 19h, começarão a votar os eleitores residentes na Austrália, seguidos pelos do Japão e da Coreia do Sul. Às 12h deste domingo (7), começarão a votar os últimos eleitores no exterior: os que moram em San Francisco e Los Angeles (EUA) e os residentes em Vancouver (Canadá).

    De acordo com os dados do TSE, 500.727 eleitores brasileiros residentes no exterior estão aptos a votar em 171 localidades eleitorais de 99 países para eleger o presidente da República.

    Estados Unidos, com 160.005 eleitores; Japão, com 60.708; seguido de Portugal, com 39.118, são os três países que detêm os maiores contingentes de eleitores brasileiros. Neste ano, serão utilizadas 744 urnas nas seções no exterior. Em 2014, o total de eleitores brasileiros fora do país chegou a 354.184.

    Já entre as cidades estrangeiras, as norte-americanas Boston e Miami contam com os maiores números de eleitores brasileiros no exterior. Boston dispõe de 35.044 eleitores inscritos e Miami tem 34.356. Tóquio, a capital do Japão, é a terceira cidade com o maior número de eleitores brasileiros, com 26.092.

    Faixa etária

    A faixa etária com o maior volume de eleitores no exterior é a que reúne cidadãos entre 35 e 39 anos de idade. São 78.938 brasileiros, número que equivale a 15,76% do universo de eleitores que votam fora do país. Em seguida, estão os eleitores que se encontram na faixa etária de 40 a 44 anos, que reúne 71.798 pessoas, correspondentes a 14,34% do total.

    Gênero e nome social

    Segundo dados do Cadastro Eleitoral, a maioria do eleitorado brasileiro no exterior pertence ao gênero feminino, totalizando 292.531 eleitoras que representam 58,4% do total de cidadãos aptos a votar em outros países. O gênero masculino reúne 208.196 cidadãos, o que corresponde a 41,6% do eleitorado.

    As Eleições 2018 serão as primeiras em que pessoas transexuais e travestis poderão optar por ter o nome social impresso no título de eleitor e no caderno de votação nas seções eleitorais. No exterior, apenas cinco pessoas solicitaram esse tipo de registro.

    Como votar

    O Código Eleitoral prevê, como condição para a criação de mesas de votação no exterior, o número mínimo de 30 eleitores aptos ao voto. As seções eleitorais funcionam preferencialmente nas sedes das embaixadas, em repartições consulares ou em locais em que existam serviços do governo brasileiro.

    Para votar, basta que o eleitor apresente um documento brasileiro oficial com foto. Para conhecer o local de votação, consulte o portal do TSE, por meio da seção Serviços ao eleitor > Título de eleitor > Título e local de votação. A consulta pode ser feita pelo nome do eleitor (ou número do título eleitoral), data de nascimento e nome da mãe. Além da cidade e endereço de seu local de votação, lá aparecerá o número de seu título e de sua seção. Também é possível obter a versão digital do título de eleitor por meio do aplicativo e-Título, disponível para celulares e tablets nas lojas virtuais App Store e Google Play.

    O primeiro e o segundo turnos de votação no exterior ocorrem nas mesmas datas da eleição no Brasil, das 8h às 17h, de acordo com o horário local.

    Se não votar e nem justificar sua ausência, além das demais penalidades previstas para quem não vota no território nacional, o eleitor residente fora do país estará, ainda, sujeito à proibição de solicitar qualquer documento perante a repartição diplomática a que estiver subordinado, enquanto não justificar sua ausência à urna.

    URL:
    http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2018/Outubro/eleitores-brasileiros-que-moram-no-exterior-ja-comecaram-a-votar

  2. Urnas Fraudadas… profecia auto-realizável???

    A equipe de Bolsonaro bate tanto na tecla das urnas fraudadas que eu já estou até desconfiando que eles mesmo arrumaram um jeito de fraudar as urnas e lançaram uma cortina de fumaça para encobrir tudo. Já fizeram o mesmo com os “600 milhões da Veja”, já fizeram o mesmo com as “fakenews”….

    O grupo de Bolsonaro é afixionado por esse tema há anos… podem até ter descoberto uma tecnologia para fraudar essas urnas ao pesquisar maneiras de frauda-las… ao descobrir um furo no sistema preferiram guarda-lo para usar na hora certa.

    Eu não duvido de mais nada… nenhuma instituição passa credibilidade!

  3. Violação de urna eletrônica

    Recebi um vídeo de um sujeito que se diz “Hugo Herschel”, que se apresenta como um especialista em urna eletrônica e alerta da violabilidade da urna eletrônica para desqualificar o u uso desta; Procurei no Google e não deu outra; o video foi postado por uma tal de OP News. Essa empresa é de um “jornalista” Wanderlei Bernardine de Cabo Frio, RJ,  que entre os gurus e admiradores apresenta Lobao, Roger, Joyce, o Coiso, entre outras personalidades do pensamento;É mais uma pitada de sal que essa turma vai colocando no caldeirão de golpe 4.0 com a derrorta que eles já pressentem em 2o turno do candidato 171;

  4. O PERIGO BOLSONARO E A MÍDIA

    O PERIGO BOLSONARO E A MÍDIA MUNDIAL

    https://www.redebrasilatual.com.br/politica/2018/10/a-maior-democracia-da-america-latina-esta-em-perigo-diz-jornal-britanico/

    THE GUARDIAN

    ‘A MAIOR DEMOCRACIA DA AMÉRICA LATINA ESTÁ EM PERIGO’, diz jornal britânico

    04/10/2018

    São Paulo – Jair Bolsonaro representa uma ameaça “enorme” à democracia brasileira. O ”risco impensável” de que ele se tornasse presidente do Brasil passou a ser real. Esta é a análise de editorial publicado nesta quinta-feira (4) pelo jornal britânico The Guardian. “A visão do Guardian sobre as eleições no Brasil: democracia em perigo” é o título do editorial.

    O Guardian afirma que, de congressista “visto anteriormente como ofensivo, mas irrelevante”, a partir de uma campanha populista o candidato do PSL nas eleições de 2018 capitalizou os problemas do país, num contexto em que o país “está lutando para se recuperar de sua pior recessão de todos os tempos”. “E a taxa chocante de crimes violentos – o Brasil registrou um recorde de 63.880 homicídios no ano passado – aumentou o apelo de um punho de ferro”, diz o editorial.

    Segundo o jornal, a campanha do ex-capitão do Exército foi impulsionada pelo atentado que sofreu. “Ele se apresenta como um forasteiro que vai limpar a política”, construindo apoio por meio da “mídia social”. “No entanto, ele também extrai força das antigas forças brasileiras: os militares, os ricos fazendeiros e os empresários, os socialmente conservadores; igrejas evangélicas têm jogado seu peso para empurrá-lo“.

    The Guardian afirma que chamar Bolsonaro de “Donald Trump da América Latina, como alguns fizeram, é ser gentil demais”. “Bolsonaro é um misógino e homofóbico cujas opiniões sobre comunidades indígenas e o ambiente são muito sombrias. Ele elogia torturadores e a ditadura militar que governou o Brasil entre 1964 e 1985. Recentemente defendeu tiros contra seus oponentes.”

    A publicação ressalta que sua ascensão foi alimentada pela queda do PT, “expulso do poder em circunstâncias duvidosas há dois anos com o impeachment da então presidente Dilma Rousseff”. Diz ainda que as políticas de austeridade de Michel Temer alimentaram o clima antipolítica no país. “No entanto, a figura dominante do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, continua muito popular mesmo cumprindo sentença de 12 anos por corrupção.”

    O editorial afirma que “apelos para que os candidatos centristas Ciro Gomes, Geraldo Alckmin e Marina Silva se unam como alternativa unificadora chegaram tarde demais”.

    Além do editorial, o jornal britânico publicou matéria intitulada “Brasil está em guerra: eleições acontecem em meio a violência homicida.”

    “A senhora Farias tinha acabado de concluir um censo de sua favela em ruínas nos arredores de uma das cidades mais violentas do mundo quando ouviu uma saraivada de tiros e sua contagem ficou subitamente desatualizada.  Em uma rua não pavimentada, seu vizinho Ruan Patrick Ramos Cruz, de 17 anos, jazia morto no chão depois de ser repetidamente baleado na cabeça e no peito por assassinos desconhecidos.”

    A matéria revela que Cruz foi a 296ª pessoa a morrer em Feira de Santana este ano. Foi também a última vítima de uma escalada da crise de homicídios que transforma a segurança pública a questão-chave num contexto em que o Brasil realiza sua “mais imprevisível eleição presidencial em décadas”.

    Esse clima de terror social alimenta o apoio popular ao candidato “de extrema-direita” Bolsonaro, até o momento líder das pesquisas, seguido por seu “rival mais próximo, o candidato do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, com muitos seguidores”. diz a matéria.

    O Guardian lembra que “a maior democracia da América Latina” teve um recorde de 63.880 homicídios em 2017, quase 10% no estado da Bahia. Nesse contexto, “Bolsonaro prometeu soluções insensatas, incluindo o afrouxamento das leis de porte de armas”.

    O jornal destaca ainda que, por sua vez, Haddad propõe um “sistema unificado de segurança pública” e a federalização de alguns crimes para que as autoridades estaduais se concentrem em combater assassinatos, femicídios, estupros e roubos.

    Pelo Mundo

    A “ameaça Bolsonaro” é notícia também de jornais e revistas dos principais países do mundo.

     

    Confira abaixo algumas das manchetes que abordam a candidatura extremista

     

    ALEMANHA

     

    – Zeit

    Um Fascista Se Apresentando Como Homem Honesto

    https://bit.ly/2y7Gskf

     

    – Der Spiegel

    Jair Bolsonaro – ascensão de um populista de direita

    https://bit.ly/2OzW22k

     

    – Frankfurter Allgemeine

    Alerta vermelho para democracia

    https://bit.ly/2Qr2YMC

     

    – Sueddeutsche

    O demagogo do deserto é de repente uma nova estrela política no Brasil.

    https://bit.ly/2DOTU2E

     

    – Deutsche Welle

    Analistas alemães veem democracia no Brasil em risco

    https://bit.ly/2IuN7Km

     

    – Handelsblatt

    O fascista popular. Até agora, os políticos brasileiros são considerados corruptos e ineficientes, mas ideologicamente flexíveis e educados. Isso mudou com Jair Bolsonaro – o populista poderia até se tornar presidente. Uma história mundial.

    https://bit.ly/2Iy10aB

     

    ***

    ARGENTINA

     

    – La Nacion

    Linha dura e Messianismo: Bolsonaro, o candidato mais temido, se lança para a presidência. 

    https://bit.ly/2ya60NR

     

    – El Clarín

    Jair Bolsonaro: militarista, xenófobo e favorito para a eleição brasileira

    https://clar.in/2y7zImH

     

    ***

    ÁFRICA DO SUL

     

    – The Star

    Mulheres brasileiras marcham contra ‘formas misóginas

    https://bit.ly/2NiZnOO

     

    ***

    ÁUSTRIA

     

    – Die Presse

    Ex-Presidente Detido e o Trump Tropical

    https://bit.ly/2NiHgIG

     

    ***

    AUSTRALIA

     

    – News.Au

    Seria este é o político mais repulsivo do mundo?

    Pensando que Donald Trump é ruim? Conheça o possível presidente brasileiro cujas crenças repulsivas chocaram o mundo.

    https://bit.ly/2IwRrIO

     

    – The Australian

    Conheça o Candidato que é um risco a democracia

    https://bit.ly/2xVQdCN

     

    – The Sydney Sunday Herald

    Por que alguns no Brasil estão se virando para um explosivo candidato de extrema-direita para o presidente?

    https://bit.ly/2E09LvA

     

    ***

    CHILE

     

    – El Mercurio

    “Bolsonaro assusta com soluções simplistas e autoritárias”

    https://bit.ly/2OuWDSV

     

    – La Tercera

    “Bolsonaro conseguiu captar o sentimento de revolta no Brasil”

    https://bit.ly/2xU0sYj

     

    – La cuarta

    Jair Bolsonaro: O Trump do Brasil.

     

    ***ESPANHA

     

    – El País

    Bolsonaro é um Pinochet institutional para o Brasil 

    https://bit.ly/2DAJgfG

     

    – El Mundo

    Lider Polemico. Bolsonaro: o candidato racista, homofóbico e machista do brasil.

    https://bit.ly/2xYOzj4

     

    – La Vanguardia

    Bolsonaro: o Candidato Ultradireitista que canalizou a insatisfacao no Brasil

    https://bit.ly/2Iy2UIh

     

    – El Confidencial 

    Jair Bolsonaro: o “Le Pen tropical” que pode ser o próximo presidente do Brasil.

    https://bit.ly/2P9ETtH

     

    ***

    ESTADOS UNIDOS

     

    – Revista Time 

    Jair Bolsonaro ama Trump, odeia pessoas gays e admira autocratas. Ele poderia ser o próximo presidente do Brasil

    https://ti.me/2wjfg16

     

    – Fox News

    Um olhar sobre os comentários ofensivos do candidato brasileiro Bolsonaro

    https://fxn.ws/2O0QMFI

     

    – HuffingtonPost

    Jair Bolsonaro e o violento caos das eleições presidenciais no Brasil

    https://bit.ly/2zNnod4

     

    – Washington Post

    Um político parecido com Trump no Brasil poderia ter o apoio de um poderoso grupo religioso: os evangélicos

    https://wapo.st/2Rk6tFZ

     

    – The New York Times

    Brasil flerta com um retorno aos dias sombrios

    https://nyti.ms/2xsXSYv

     

    – Americas Quarterly

    Ditadura militar iminente no Brasil?: Ganhando ou perdendo, a ascensão de Jair Bolsonaro colocar em perigo a jovem democracia brasileira. 

    https://bit.ly/2OWpYCW

     

    – Financial Times

    O “trágico destino” brasileiro de uma rebelião antidemocrática surge novamente:

    A raiva pública contra uma elite corrupta poderia precipitar outra revolta

    https://on.ft.com/2DRGxyO

     

    ***

    FRANÇA

     

    – Le Figaro

    Brasil nas garras da tentação autoritária

    https://bit.ly/2vqsb0S

     

    – Le Monde por Rádio França Internacional RFI

    Trump tropical, homofóbico e machista

    https://bit.ly/2zMhaKL

     

    – Liberation

    No Brasil, um ex-soldado para liquidar a democracia

    https://bit.ly/2P9qIEZ

     

    ***

    HOLANDA

     

    – Der Volkskrant

    Centenas de milhares de mulheres no Brasil nas ruas contra a extrema direita: “Ele nunca!”

    https://bit.ly/2DQvPsj

     

    ***

    ÍNDIA

     

    – India Express 

    Deixe a polícia matar criminosos, diz o candidato presidencial do Brasil, Jair Bolsonaro

    https://bit.ly/2NiJdFd

     

    ***

    ITÁLIA

     

    – La Republica

    Bolsonaro, líder xenófobo e anti-gay que dá o assalto à Presidência do Brasil

    https://bit.ly/2Qrb73H

     

    – Corriere della Sierra

    Um pesadelo chamado Bolsonaro

    https://bit.ly/2zNdkRF

     

    ***

    MÉXICO

     

    – La Jornada

    Bolsonaro: O candidato Imprevisível

    https://bit.ly/2OD93sh

     

    – Milenio

    Bolsonaro, o Neofascista que seduz o Brasil

    https://bit.ly/2zNQjhl

     

    – El Universal

    Militar de ultra-direita: um voto pelo passado?

    https://bit.ly/2P6jjWO

     

    ***

    MOÇAMBIQUE

     

    – O País

    Bolsonaro que lidera sondagens de intenção de voto no país com a preferência de 27% dos eleitores terá irritado muitos brasileiros com comentários percebidos como sexistas, racistas e homofóbicos.

    https://bit.ly/2DQlP29

     

    ***

    PERU

     

    – La Republica

    Brasil resiste:a promessa autoritária de Bolsonaro é desafiada pelas mulheres.

    https://bit.ly/2zFQ0Vy

     

    ***

    ÁFRICA DO SUL

     

    – The Star

    Mulheres brasileiras marcham contra ‘formas misóginas

    https://bit.ly/2NiZnOO

     

    ***

    PORTUGAL

     

    – O Público 

    Bolsonaro, o jagunço à porta do Planal

    https://bit.ly/2xXbM5Y

     

    – Diário de Notícias

    Jair Bolsonaro é perigo real no Brasil e segue passos de Adolf Hitler

    https://bit.ly/2yaPMUz

     

    ***

    POLONIA

     

    – Gazeta Prawna

    Trump brasileiro e outros. Escândalos de corrupção abrem caminho para o poder dos populistas

    https://bit.ly/2xWanga

     

    ***

    QATAR (MUNDO ÁRABE)

     

    – Al Jazeera

    Milhares de Mulheres protestam contra Bolsonaro

    https://bit.ly/2RhJjQF

     

    ***

    REINO UNIDO

     

    – The Economist (CAPA)

    A mais nova Ameaça na América Latina

    https://econ.st/2OuXKlO

     

    – The Times

    Jair Bolsonaro, populista “perigoso” promete tornar o Brasil seguro

    https://bit.ly/2uxPG8p

     

    – The Telegraph

    Dezenas de milhares dizem “ele não” ao principal candidato do Brasil

    https://bit.ly/2qKHkYA

     

    – The Economist

    Brasília, nós temos um problema

    O perigo representado por Jair Bolsonaro

    https://econ.st/2vxMFWu

     

    ***

    SUIÇA

     

    – Neuen Zürcher Zeitung

    O Faxineiro Racista do Brasil 

    https://bit.ly/2QoJTdW

     

     

  5. A CRISE DO CAPITALISMO E AS

    A CRISE DO CAPITALISMO E AS ELEIÇÃO

     

    Dois lados – duas visões de capitalismo – disputam as eleições. Você escolhe o seu.

     

    1 – De um lado estão os banqueiros, os mega-especuladores, os grandes grupos multinacionais monopolistas. O CAPITAL FINANCEIRO ESPECULATIVO, virtual e fictício, de apostas em títulos e derivados, das bolhas financeiras.  Autofágico. Improdutivo e egoísta, gerador de desigualdades e injustiças sociais.

     

    2 – De outro lado, está a indústria nacional (pequena, média e grande).  O campo, a produção agrícola, o produtor rural e o da agricultura familiar. O comércio varejista e atacadista. O trabalho e o emprego. O CAPITAL EMPREENDEDOR, de circulação virtuosa do dinheiro, gerador de riquezas, de promoção integral e de respeito à pessoa humana em todos os seus aspectos.

     

    Quem é a favor da visão do CAPITAL FINANCEIRO ESPECULATIVO, vota em candidados alinhados ao Alckimin (45), Bolsonaro (17), Almoedo (30), Meirelles (15), Álvaro Dias (19) e Marina Silva (18).

     

    Quem é a favor do CAPITAL EMPREENDEDOR vota em candidados alinhado com Haddad (13), Ciro (12), Boulos (50), João Vicente Goulart (54), Vera Lúcia (16).

     

    Para os cargos de Senador, Deputado Federal, Governadores e Deputados Estaduais quem é a favor do CAPITAL FINANCEIRO ESPECULATIVO vota nos candidatos de números iniciados por: 45, 17, 30, 15, 19, 18 e 27, 10, 11,14, 20, 22, 25, 28, 31, 36, 51, 90.

     

    E para os cargos de Senador, Deputado Federal, Governadores e Deputados Estaduais quem é a favor do CAPITAL EMPREENDEDOR vota: 13, 12, 50, 54 e 20, 21, 23, 29, 33, 35, 40, 43, 54, 55, 65, 77.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome