Janot emite parecer contra auditoria das urnas feita pelo PSDB

Jornal GGN – Rodrigo Janot, procurador-geral eleitoral, enviou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parecer pelo indeferimento do pedido do PSDB para realização de auditoria especial nos sistemas de votação e de totalização dos votos das eleições de 2014. Para Janot, o pedido “não tem lastro em um único indício de fraude, limitando-se a reproduzir comentários feitos em redes sociais” e, além disso, que várias medidas solicitadas pelos tucanos já se encontravam à disposição dos partidos no momento da apuração dos votos ou logo após, “o que torna ainda mais descabido o pleito”.

Janot entendeu que, com base unicamente em comentários formulados em redes sociais, em boatos muitas vezes camuflados pelo anonimato, “não é possível pretender a instauração de um procedimento que pode comprometer a credibilidade do sistema eleitoral do País”.

Descarta também irregularidades no fato de que o processo de totalização de votos ter sido tornado público somente às 20h do dia 26 em razão da diferença do fuso horário entre Brasília e o estado do Acre. “Ora, não seria recomendável tornar pública a totalização dos votos nas demais unidades da Federação enquanto os eleitores de  uma delas ainda se encontravam votando, pois estes poderiam ser influenciados por esta ou aquela tendência de votação que já se apresentasse probabilisticamente majoritária nas outras unidades com urnas encerradas”, alertou Janot em seu parecer.

Explicou o procurador-geral que várias medidas solicitadas pelo PSDB já estavam disponíveis no momento da apuração dos votos ou logo após como a disponibilização, pelos cartórios eleitorais, de cópia dos boletins de urna de todas as sessões eleitorais do país. Isso porque, segundo a Resolução 23.399 do TSE, compete ao presidente da mesa receptora de votos e da mesa receptora de justificativas, no que couber, “entregar uma das vias obrigatórias e demais vias extras do boletim de urna, assinadas, aos interessados dos partidos políticos, coligações, imprensa e Ministério Público, desde que as requeiram no momento do encerramento da votação”.

Leia também:  Crise na Bolívia: missão da OEA não comprova fraude eleitoral e atua politicamente, diz CEPR em relatório

Em seu parecer, Janot afirma ainda estarem acessíveis aos partidos, também em função da resolução do TSE, a disponibilização de cópia dos arquivos eletrônicos que compõem a memória de resultados, obtidas a partir dos dados fornecidos por cada seção eleitoral, e a disponibilização de cópia eletrônica dos logs originais e completos das umas eletrônicas. Diz ainda, sobre a providência de acesso aos programas de totalização de votos utilizados pelos Tribunais Regionais eleitoral e pelo TSE, que é garantido o acesso da Ordem dos Advogados do Brasil, dos partidos e do Ministério Público, para fins de fiscalização e auditoria, a partir de seis meses antes do primeiro turno das eleições.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

19 comentários

  1. Com essa decisão de muita


    Com essa decisão de muita coragem nos tempos atuais, os procuradoa alinhados com o psdb do paraná de sp, sp devem estar planejando, junto com a veja, como matar a reputação de Janot.

    • Ter coragem para decidir como

      Ter coragem para decidir como interessa ao petismo, é do mesmo nível de ir praça cubana e fazer discurso de elogio ao Fifdel

  2. Considerando os “argumentos”

    Considerando os “argumentos” apresentados pelo deputado, todo mundo sabia que isso não poderia ser levado a sério. não caberia alguma punição, mesmo que simbólica, ao partido e ao próprio deputado? Afinal, gastou-se tempo e dinheiro público para uma coisa absolutamente iócua. Para pessoa física eu sei que existe a litigância de má fé. Deve haver alguma coisa que iniba esses factoides.

  3. Esse carlos sampaio 

    Esse carlos sampaio  comporta-se como um bobo da corte,  juridicamente falando, afoito enfia os pés pelas mãos, uma vergonha para um promotor de justiça licenciado.

     

    Parece mais um menino de recados da cúpula tucana, encarregado de dar alguma forma jurídica aos desvarios golpistas de seus chefes bicudos.

  4. O PT também fez isto…

    Até parece que o pessoal tem memória curta. O que saiu de boato de fraude nas eleições do Collor e FHC, lembro muito bem.

    Entrar com ação faz parte do jogo, como também o TSE indeferir.

    • Tens aí cópia do pedido do PT?

      Podes provar isso que afirmas – de que o PT entrou com pedido idêntico, baseado também em boatos?

      Ou, como bom oposicionista, vais ficar só no papo mesmo?

      • Vc deve ter 18 anos…

        Perder o meu tempo com criança.

        Pelo menos acertou no “como bom oposicionista”. Voto no PT desde antes de vc nascer, mas nem por isto me furto de fazer uma crítica aos coxinhas do PT.

        O que é certo é certo!

        E o PT fez as mesmas reclamações que o PSDB agora.

        • Errou tudo…

          Eu tenho 43 anos.

          Voto no PT desde que nasci – você é Tucano trolador, dizendo que vota mas ama o Aécio…

          E diz que não vai perder o tempo com criança e perdeeeeeeeu, kkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

          É muito Tucano mesmo!

    • Mais um abestado, Virgem Santíssima!

      Drigoeira, se você não concorda que a edição do debate entre Lula e Collor em 1989 foi uma enorme fraude, que vestir camisetas do PT nos sequestradores do Abilio Diniz foi fraude e que pagar dez mil dólares (pobre não toma jeito, poderia pedir milhões!) para a ex-namorada do Lula mentir na campanha eleitoral, dizendo que Lula tinha mandado ela abortar a filha de ambos (se fosse verdade, botaria o nome na filha de Lurian?). Você, drigoeira, você é um sem noção. Se defende a fraude, fraudador é.

  5. Carlos Sampaio, uma voz em busca de uma ideia…

    O deputado federal Carlos Sampaio, do PSDB/SP, que assina o pedido de auditoria especial, é um contumaz produtor de factoides e irrelevâncias. É uma voz em busca de uma ideia que possa chamar de sua. A lista de “denúncias” contra o PT apresentadas por ele pode matar uma pessoa – de vergonha alheia e de tanto rir:

    1. Protocolou na Procuradoria-Geral da República – PGR, uma representação em que acusa a presidenta Dilma Rousseff de improbidade administrativa por enviar cartões de Natal aos servidores públicos;

    2. Protocolou representação contra Dilma Rousseff na PGR e na Comissão de Ética da Presidência da República, por conta de uma escala da comitiva brasileira em Lisboa, na volta da viagem a Davos;

    3. Protocolou na PGR representação contra o então ministro da Saúde Alexandre Padilha, por convocar cadeia de rádio e televisão para divulgar a campanha nacional contra o HPV;

    4. Protocolou na PGR pedido de apuração de supostos crimes de apologia ao crime de lavagem de dinheiro, contra as pessoas que doaram dinheiro para os petistas condenados na AP-470 pagarem as multas a que foram condenados pelo STF;

    5. Representou contra a presidenta Dilma junto ao Tribunal Superior Eleitoral – TSE, para questionar um encontro entre a presidenta e o ex-presidente Lula no Palácio da Alvorada – alegou que a reunião se deu “em pleno horário de expediente”;

    6. Protocolou na PGR representação contra os dirigentes do PT, que estariam fazendo apologia de crime, ao fazer um ato de desagravo aos condenados na AP-470, durante o 5º Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores.;

    7. Por fim (mas não finalmente…), foi o autor da famosa (e patética) representação à PGR, contra o uso de roupa vermelha por parte da presidenta Dilma.

  6. Janot contra auditoria nas eleições

    Quem não deve não teme…    …se acham que não tem nada de errado, por que não permitir que seja feita uma auditoria e provado que foi tudo corretamente conduzido?    Isto desarmaria a oposição e talves até ganhe a simpatia dos que votaram no Aécio.    Isto tudo por que a quantidade de votos nunca foi tão próxima uma da outra e não há como afirmar que o Tóffolli não tem laços fortes com o PT.    Achar que permitir a auditoria leva a um descrédito no sistema, pelo contrário, se provada a lisura o descrédito tende a desaparecer e o crédito é que aumenta. 

  7. Motivos Obscuros.

    A petição de auditoria foi solicitada de uma maneira tão séria, quanto o próprio candidato:

    1. Faltou a assinatura necessária de Aécio e outros integrantes do partido;

    2. Baseada nos indícios dos anônimos do Facebook;

    3. Ele mesmo podia simplesmente ter auditado, se quisesse, sem complicações.

    E tem gente que vê isso, e acha normal.

    • Pior, Raul:

      Tem gente que vê, acha normal e ainda diz que o PT fez a mesma coisa!

      Comportamento típico de Tucano: faz a obra e põe a culpa no PT…

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome