Jaques Wagner avisa que não quer ser plano B e sugere que PT não tenha substituto a Lula

 
Jornal GGN – Bernardo Mello Franco e Plínio Fraga publicaram na Época, nesta sexta (3), uma matéria informando que Jaques Wagner já mandou avisar Lula que não quer ser o plano B do PT em caso de inviabilidade eleitoral do ex-presidente.
 
O ex-prefeito Fernando Haddad foi escolhido como emissário, mas pediu que Wagner conversasse pessoalmente com Lula. O ex-governador da Bahia é candidato a senador com condições de vitória (ele lidera com 35% dos votos nas pesquisas) e, para além do projeto pessoal, confirmou aos jornalistas que tem outra visão sobre a estratégia do PT.
 
“A tese é que, não sendo Lula, o PT não deve indicar o substituto. A discussão não inclui necessariamente a questão de vice, a menos que o PT queira estar na chapa. Não estou tratando de Ciro [Gomes], mas do conceito”, disse Wagner à Época.
 
Segundo a revista, Wagner, em caso de plano B, aceitaria se oferecer como candidato a vice-presidente de Ciro Gomes (PDT). Mas a fala dele aos jornalistas deixa claro que a questão não é propriamente Ciro, mas a ideia de que, sem Lula como candidato, as chances do PT ganhar são pequenas.
 
Para Wagner, um substituto de Lula dificilmente conseguiria atingir a mesma votação do ex-presidente e a transferência de votos imaginada pelo PT pode ser um risco. Além disso, sem Lula – que é o favorito em todas as pesquisas de opinião até agora – o PT teria de resolver um problema: a resistência de parte da sociedade ao PT por causa da Lava Jato – algo que somente Lula, mesmo sendo o principal alvo da operação, parece ter refreado.
 
Ciro, neste caso, seria a opção natural porque ele teria condições de reunir os partidos de esquerda em torno de uma frente única, com o apoio do PT. O partido de Lula indicar ou não um vice para Ciro seria outra questão, segundo a declaração de Wagner.
 
O PT da Bahia realiza no sábado (4), às 9h, a convenção que vai homologar as candidaturas de Rui Costa a governador; João Leão, como vice, e Jaques Wagner e Angelo Coronel ao Senado. 
 
Leia a matéria completa aqui.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Lula recebe as mensagens hackeadas de Moro e Dallagnol

17 comentários

  1. Espero que Jacques Wagner já

    Espero que Jacques Wagner já tenha vindo a público e desmentido o que saiu na Época. CAso contrário, eu diria a ele = “Não sei o que você anda bebendo ou cheirando, mas, por favor, pare! rs “

    A transferência de votos de Lula prum candidato do PT [ acho que será Haddad ] é arriscado, mas mesmo assim não consigo imaginar que só no primeiro instante dessa transferência o candidato do PT não esteja no mínimo com 10 por cento. Numa eleição super pulverizada sem a presença de Lula, e com uma boa chance de Bolsonaro e Marina perderem votos por não contarem com o mínimo de infra estrutura partidária, a chance de um candidato do PT ir pro segundo turno é plausível. 

  2. Caraca ! ele não está falando

    Caraca ! ele não está falando de Ciro, tá falando daquela aberração que quer que a parte seja maior que o todo ! Eles querem que 30% apoie 4% ? O 4% em vez de procurar o Centrão da Direita deveria, lá atrás, ter procurado Lula e ser seu “humilhante” vice. Lula não sendo alijado seria eleito no 1o. turno e Ciro seria um vice atuante. No caso, provável, de Lula ser alijado, mas a eleição mantida,  ele assumiria a cabeça da chapa sem traumas. Com apoio de Lula também se elegeria, talvez até no 1o. turno, qualquer que fosse seu vice, nem precisaria de Jaques Wagner. Deixaram passar o cavalo encilhado e agora choram. Bezerros desmamados ! 

  3. Caraca !
    Isso é hora de abrir
    Caraca !
    Isso é hora de abrir divergência.

    Se depender de algumas liderança do PT, Lula vai morrer na cadeia.

    Lula é maior que o PT, se Lula sucumbir o PT já era.

  4. A hora em que o sino toca

    Desta hora, sim, tenho medo” — Congresso Internacional do Medo, Drummond.

    Nassif: certo esta o PT, em manter o SapoBarbudo (versão caserna) candidato. Certo está Wagner, pelo menos em parte, de querer uma indicação (que não ele) de provável substituto. Viu como os golpistas estão assanhados, sem saber pra onde correr? O risco, para o partido, é grande. Mas quem está no fundo do poço, com seu lider impedido de concorrer, o que mais tem a perder? E não me venha com essa de “a Democracia”. A dos ladrões? Porque é isto que estamos vivenciando. Deixemos que a corja do atual presidente do TSE impeça, com suas declarações terrorista. A família já está empregada no Tribunal. E que o Çupremo confirme. Que pegue fogo a lona do circo. Quero ver para onde correm as feras.

    O partido tem uma só bala na agulha. E os canalhas são muitos, financiramente ricos e fortemente amparados pelos fuzis da caserna e a toga corrupta e partidária dos Tribunais.

    Ciro, com todo respeito que me inspira, é uma incognita. Com tendência à tragédia. Tenho que a capacidade de fazer caca deve superar a de bom presidente. Não que seja desonesto. Mas política requer, igualmente, mais que honestidade. O risco de um coronelato não pode ser descartado. E coronel por coronel, deixemos os de farda, que ai estão associados aos da toga.

    Se Meireles emplacar a história do entreguismo se completa.

    Os outros 95% só quer seus troquinhos do fundo partidário e outras maracutaias.

    E já se diz que 4/5 do Congresso se reelejerá. Ora, se mais de 2/3 do atual é de corruptos e ladrões, que diferença faz quem ira presidir, se Marina, Ciro ou Meirelles? Temos mais é que nos preparar para pagar a conta.

  5. Enfim, ao menos um do PT salvou-se da insanidade coletiva

    …Wagner, em caso de plano B, aceitaria se oferecer como candidato a vice-presidente de Ciro Gomes (PDT).  (…) deixa claro que a questão não é propriamente Ciro, mas a ideia de que, sem Lula como candidato, as chances do PT ganhar são pequenas.

    Para Wagner, um substituto de Lula dificilmente conseguiria atingir a mesma votação do ex-presidente e a transferência de votos imaginada pelo PT pode ser um risco. Além disso, sem Lula – que é o favorito em todas as pesquisas de opinião até agora – o PT teria de resolver um problema: a resistência de parte da sociedade ao PT por causa da Lava Jato (…)

    ***

    Os poderosos orixás do Jaques Wagner fecharam seu corpo e blindaram seu espírito – e sua sanidade – contra o delírio coletivo do PT. E viva a Bahia!

  6. Solução é usar a estratégia

    Solução é usar a estratégia “Cámpora al gobierno, Peron al poder”, ou seja, o PT lança uma chapa com o Haddad e Celso Amorim. Após eleitos, concedem graça constitucional ao Lula e em seguida ambos renunciem para que seja convocada novas eleições em 90 dias com a participação do Lula. Essa foi a estratégia utilizada por Peron na Argentina.

    Um fato interessante sobre essa manobra é que ela coicidiria com a condenação do juiz Moro, da força tarefa da lava jato e do Estado brasileiro pela perseguição ao Lula no Comitê de Direitos Humanos da ONU. 

    • Decodificando

      Wilton, pelo que eu depreendi, vc quer os blindados na rua, é isso? 

      PS.: acompanho todos seus escritos, há tempos, por relevantes, desde que vc apoiava ardorosamente o Ciro, esse destoou completamente pela absoluta insensatez. Prezado, os tanques vão pra rua. 

      • O Ciro foi um decepção. Ele

        O Ciro foi uma decepção. Ele poderia ser o líder natural do campo progressista, mas sua instabilidade emocional e imprevisibilidade o torna um candidato perigoso. Como ele pretende governar com propostas tão polêmicas acreditando numa governabilidade lastreada no DEM e outros partidos do Centrão. O país precisa não só de um presidente comprometido com pautas progressistas, mas também de partidos de esquerda fortes que apóiem o governo federal.

        Ciro Gomes acredita que governará com a “caneta”, ou seja, à base do fisiologismo. Além disso, o PDT e o PSB ultimamente tem se mostrado partidos pouco confiáveis, como por exemplo na votação da intervenção militar e a reforma trabalhista. É complicado apoiar o Ciro Gomes e ajudar a eleger bancadas de direita contrárias ao seu projeto polítco, como o PP, PR, DEM e assim por diante. O flerte do Ciro com o Centrão revelou uma face preocupante dele.

        O Lula tem hoje 41% de intenções de votos (58% vtotos válidos), se essas pessoas votarem no PT, PCdoB e PSOL seu governo será viável. A questão de apoiar um candidato do PT envolve também apoiar a formação de força de esquerda no Congresso Nacional. Por isso acredito ser mais coerente apoiar uma plataforma política baseada em partidos político ideológicos do que em um líder que despreza forças sociais importantes na esquerda. O Ciro sozinho não conseguirá viabilizar seu projeto político, ainda mais contando com partidos fisiológicos.

        Outra  questão que me desapontou muito foi sua posição dúbia quanto a globo e a necessidade de regulamentar os meios de comunicação. Não enfretar o monopólio dos meios de comunicação é manter o país refém da globo. O Ciro já demonstou que não está disposto a fazer o enfrentamento necessário com a globo. Ele acredita naquela história de controle remoto.

        Além de tudo, o programa político apresentado pelo Haddad, apesar de ainda incompleto, é muito mais avançdo do que o do Ciro. Só de tocar na questão da democratização dos meios de comunicação já é um avanço significativo. Outros pontos importantes previstos no Plano de Governodono PT é a revogação das medidas do governo Temer, a reforma política e assim por diante.

        O PT tem muito mais condições de viabilizar tais propostas do que o Ciro Gomes que é muito imprevisível e não possui base social capaz de sustentar eventuais embates.

        Quanto a tanques nas ruas, acredito que mais cedo ou mais tarde essa massa de desmpregados que estão sofrendo com o golpe vão se dar conta de que lado eles deverão estar. A direita fracassou e agora a esquerda deve recuperar sua base social e avançar com pautas mais ousadas. 

  7. O famigerado Plano B

    Não acredito na essência dessas matérias. Para mim, voluntária ou involuntariamente, o jornalista está prestando serviço para algum político, partido ou grupo de poder. Pode até ser que seja para o próprio PT, para dissimular ou até tentar construir alguma estratégia. No entanto, tendo ou não algum fundo de verdade, o texto não apresenta qualquer verossimilhança. Alguma alma ingênua consegue imaginar Jaques Wagner, com eleição garantida para Senador, aceitar ser vice de Ciro, ainda mais quando a candidatura deste tenta se salvar de um inevitável naufrágio? Avento, adiante, algumas possibilidades do que pode estar por trás da matéria: 1) o próprio Wagner está fazendo um jogo de cena, abrindo a possibilidade de uma saída honrosa para Ciro, que, em um gesto de humildade, aceitaria ser vice do próprio Wagner; 2) Ciro ou quem tem interesse em sua candidatura usam Wagner em um ensaio para analisarem a reação da opinião pública e das ostes petistas frente a um suposto apoio a Ciro Gomes; 3) o texto é verdadeiro, Wagner perdeu o juízo, se oferece para ser vice do Ciro e o PT abriu mão de qualquer protagonismo e da própria unidade.

     

     

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome