Lula diz que não se candidatará à Presidência em 2022

Em entrevista a Leonardo Sakamoto, Lula também criticou FHC, elogiou as medidas tomadas por Dória frente ao coronavírus, criticou o governo Bolsonaro e disse que o Congresso hoje é "nefasto"

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou interesse em participar das eleições presidenciais em 2022. “Quero ajudar a eleger alguém que tenha compromisso com o povo trabalhando”, disse, em entrevista concedida ao colunista do Uol, Leonardo Sakamoto, na manhã desta quinta-feira (30).

O jornalista questionou a Lula se ele gostaria de enfrentar Sérgio Moro em hipotético segundo turno da disputa eleitoral em dois anos mais. Lula disse que a idade poderia complicar essa proposta. “Fico olhando minha vida já fui longe demais, espero que quando chegar 2022 o PT tenha candidato. Eu, sinceramente, vou estar com 77 anos quando chegar outubro de 2022.”

“Para que eu fosse candidato em 2022 teria que estar com 100% de saúde, com a disposição que eu tenho agora, porque não posso ser candidato e ficar um velhinho arrastando o pé dentro do palácio, isso não é bom. Já prestei serviço para o país. Espero que o Brasil e o PT não precisem de mim”, cotinuou.

Ainda, na mesma entrevista, Sakamoto questionou a opinião de Lula sobre o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o governador de São Paulo, João Dória (PSDB). “Ele tem se comportado de forma muito mais verdadeira do que o Bolsonaro. O problema está sempre na mão de governador e prefeito, Planalto está muito distante”, disse Lula, sobre Dória.

“Todos os governadores têm tido comportamento mais digno, mais respeitoso com o povo do que o Bolsonaro. Ele poderia até não gostar de um ou de outro governador, mas não pode julgar a culpa. Ele tem responsabilidade enquanto presidente”, continuou, voltando as críticas ao governo Bolsonaro.

Leia também:  Quem perdoará a Globo?, por Francisco Celso Calmon

Já sobre FHC, Lula disse que esperava mais do ex-presidente, durante seu julgamento na Operação Lava Jato. “Tenho muito desencanto pelo FHC, ele não conseguiu sobreviver com meu sucesso. Não fui um fracasso e ele não voltou nos braços do povo. Na Lava Jato em nenhum momento me defendeu, e ele sabe que sou honesto”, resumiu.

Ainda a Sakamoto, Lula disse que a atual composição do Congresso é “ideologicamente tão grosso”, “nefasto para a democracia”.

“O Congresso é resultado da cabeça política do eleitor no dia que ele foi votar. Esses cidadãos viraram deputados. Maioria eleita é muito conservadora. Nós nunca tivemos um Congresso ideologicamente tão grosso como esse. A quantidade de militares, delegados…é uma coisa nefasta à democracia”, disse.

Acompanhe a entrevista completa:

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. Com a sua tradicional lucidez política em ponto de bala e a sua inabalável humildade, que sempre toma a liderança dos seus pensamentos, mais uma vez ele direto na objetividade de suas pretensões futuras. É verdade que em assunto de missão política, algumas importantes decisões não dependerá dele. Porém, só o tempo irá dizer e enquanto esse tempo ainda não o que dizer, Lula vai discretamente esculpindo a sua obra para 2022, que está sem face e ainda não tem nome.

    8
    1
  2. Que bom. Lula não precisa mais do desgaste de um cargo no sistema público. Já fez até demais não só pelo Brasil. Já basta o desgaste em ter de lidar com a perseguição da injusta, podre e degradada “justissa”.

    10
    1
  3. Está, mais uma vez,correto o presidente Lula.
    Ele não tem porque fazer campanha eleitoral em um momento como esse e a melhor forma de fazê-lo é adiantar que não será candidato.
    Agora,se o PT e o Brasil precisarem dele, ele estará à disposição.
    O Brasil não precisará dele. O Brasil precisa dele! É precisa agora.
    Ninguém tem bola de cristal para adivinhar o futuro mas podemos olhar para trás, para o passado e ver o crime que os golpistas cometeram contra o Brasil é,ouso dizer, contra o mundo.
    Tento imaginar como seriam diferentes os atos se o presidente Lula estivesse no comando do país. Como poderia ser diferente a discussão de propostas no mundo se ele,com sua capacidade aglutinativa ainda estivesse nos BRICS.
    Que crime cometeram contra a humanidade.

    9
    1
  4. Deveria vir como candidato ao Senado por dois motivos:
    Manter-se como um suporte e liderança
    Ter um foro previlegiado. Reduzindo a chance que qualquer Marreco o pertube no futuro.

    6
    1
  5. Parabéns Lula pela decisão. Ajude agora a formar novas
    lideranças para o país. E buscar dentro do PT aquele que dará continuidade ao
    seu projeto, ou ao projeto de esquerda.

    Conto uma pequena história. Eleito em 2006, Evo Morales
    promulgou a nova Constituição Boliviana aprovada após ampla consulta popular.
    Essa Constituição estabeleceu uma série de avanços, como o Estado
    Plurinacional, dando reconhecimento político constitucional a comunidades antes
    segregadas, como os indígenas. Foi a Constituição do movimento de esquerda na
    Bolívia. Porém, o artigo 168 dessa Constituição Boliviana estabeleceu mandato
    de 5 anos com direito a uma reeleição apenas, o que não incomodou Morales naquele
    momento. Eleito e reeleito sob a égide da nova constituição, Evo tentou alterar
    o artigo 168 via plebiscito para poder novamente disputar a presidência, sendo
    derrotado por 52% dos votos nesse plebiscito. Não satisfeito, parlamentares
    governistas intentaram uma ação no Tribunal Constitucional Plurinacional, para
    que fosse alterara a regra desse artigo, obtendo decisão favorável. Aí Evo
    disputou a eleição de 2019. A oposição, por ser a oposição que é, ao invés de
    denunciar a artimanha e se recusar a participar do processo eleitoral, ela
    resolve dar um golpe no mandado do Evo, que se encerraria em fevereiro de 2020,
    e mergulha o país em uma crise institucional, país que agora é governado por
    usurpadores, sem legitimidade popular, estando Morales no exílio. Morales
    admitiu o erro dele a jornalistas estrangeiros. Ele ficou quase 14 anos no
    poder. É bastante tempo. Era bastante popular, mas a Constituição proposta por
    iniciativa dele vedava a possibilidade de nova reeleição.

    FHC foi eleito sob a égide de uma regra constitucional, que
    estabelecia mandato de quatro anos sem reeleição. Insatisfeito, ele dá um golpe
    branco, comprando o congresso (segundo notícias e denúncias feitas na época) e
    estabelece a possibilidade de reeleição. Não para os futuros presidentes, mas
    sim para ele mesmo. Mudou a regra com o jogo em curso. Tempo de mandato é uma
    matéria sensível de qualquer constituição, porque interfere no curso político
    de qualquer nação. FHC ficou oito anos poder. E entregou o país literalmente
    sem luz por conta dos apagões.

    Lula não está proibido de participar do pleito eleitoral de
    2022 (se ocorrer) porque não viola a regra de reeleição. Ele está proibido de
    participar porque está enquadrado da lei da ficha limpa, ironicamente
    promulgada por ele, e considerada constitucional por decisão do STF. A lei
    considera inelegíveis aqueles condenados, justa ou injustamente, em segunda
    instância. Que a condenação é injusta, me parece flagrante, mas não me parece
    que o STF vá julgar o HC que pode anular a condenação do tríplex.

    Considero Lula o maior Presidente depois de Getúlio Vargas.
    Mas mesmo Getúlio teve as suas crises de abstinência do poder.

    4
    1
    • Os ministros do STF foram empossados e exercer seu lugar na corte até os 70 anos sendo depois, através da PEC da bengala elevar a idade para 75 anos.

      Portando inconstitucional?

      Mas se outra PEC for aprovada reduzindo para 70 vão dizer que não pode porque é “direito adquirido”.

      Não Tentem achar alguma lógica nas decisões do STF.

  6. Coerente e lúcido como sempre.
    Corretissimo ao afirmar que “nunca tivemos um Congresso ideologicamente tão grosso como esse. A quantidade de militares, delegados…é uma coisa nefasta à democracia”
    Verdade. É um congresso LEGO montado por facções.
    Obvio que os eleitos precisam alinhar com suas ideologias que, afinal, motivaram seus eleitores. Mas o que observamos é a virulência daquelas facções, sem nenhum compromisso com o crescimento do país apenas com o poder. Estes grupos usaram a democracia para chegar onde estão e agora tentam destrui-la incitando a turba contra os poderes constitucionais.
    O PT precisa voltar a conversar com o povo. Precisa, inicialmente, quebrar o conceito de gado incutido por pastores, bispos, apóstolos e outros farsantes mercadores da fé de certas seitas religiosas. Isso pra começar e Lula é o oráculo.
    A humanidade segue sem seus grandes líderes, Lula sabe disso. Mas, chefe, voce ainda está por aqui e existem muitas lições não aprendidas, dedique-se a apontar o melhor caminho para o amadurecimento político do campo progressista.

  7. Mas mesmo que quisesse não poderia por questões legais. O máximo que conseguiria fazer é tentar a cartada que deu em 2018 de criar uma cruzada em torno de seu nome para na última hora apostar para um poste. Obviamente que uma segunda cartada como essa não teria o mesmo efeito quatro anos depois.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome