Mídia e PSDB paulistas expuseram vida pessoal de Aécio

Há uma enorme hipocrisia no ar. Quando o PT e a rede trazem para campanha fatos dos hábitos “heterodoxos” de Aécio Neves, tanto como governador quanto como senador, não fazem mais do que repetir o que o próprio tucanato paulista trouxe à tona, através de seus jornalistas aliados, quando o político mineiro ameaçava a campanha de Serra à Presidência.

Mesmo depois da eleição de 2010, a imprensa paulista continuou trazendo fatos delicados da vida do atual candidato, porque esperava ver um paulista candidato de novo. Mesmo que mais recentemente pareçam “se esquecer” do que fizeram, porque hoje apoiam Aècio, e criticar a atitude petista. Mas como esta afirmação é delicada, importante será mostrar as fontes que comprovam o que estamos falando.

Por exemplo. O suposto uso de cocaína pelo ex-governador foi insinuado por um jornalista diretamente ligado ao também ex-governador José Serra. Isso se deu na época em que os dois tucanos disputavam o direito a ser o candidato à presidência, em 2010. Aqui embaixo a insinuação já famosa PÓ PARA GOVERNADOR. O Estadão retirou o artigo de Mauro Chaves do arquivo digital, mas diversos sites recuperaram o texto no símile da página. Você pode encontrá-lo aqui:

http://www.blogdacidadania.com.br/2013/05/como-o-estadao-fez-sumir-sua-chantagem-contra-aecio/

O próprio programa Roda Viva, da TV Cultura, hoje ocupada pelo tucanato paulista, voltou ao assunto na entrevista com Aécio. Inclusive citando José Serra.

https://www.youtube.com/watch?v=1f6LmE7vHIo

O segundo “podre” da vida do candidato, a agressão a uma ex-namorada, também veio das mãos de um jornalista serrista. Juca Kfouri, no mesmo contexto eleitoral, divulgaria que Aécio bateu em sua namorada. Este artigo foi publicado no seu blog no portal Uol. Pode ser encontrado aqui.,

Leia também:  Bolsonaro é fraude eleita, por Janio de Freitas

http://blogdojuca.uol.com.br/2009/11/covardia-de-aecio-neves/

Já depois da eleição de 2010, veio à tona o caso do bafômetro. O primeiro jornal a noticiar foi a Folha de S. Paulo. Você pode ler a nota aqui.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po1804201106.htm

A entrevista com Aécio bêbado foi divulgado pelo Estadão ainda neste ano:

https://www.youtube.com/watch?v=1f6LmE7vHIo

A denúncia sobre distribuição de ingressos no Mineirão por Aécio Neves foi de Jorge Kajuru, pela Band (outro veículo paulista), que o demitiu. E curiosamente foi o SBT, também paulista, por Hebe Camargo, que veio em defesa do jornalista. Uma outra entrevista sobre o caso foi feita na MTV, pertencente à Abril, também de SP.

https://www.youtube.com/watch?v=yQycsM2nYXI

A única “denúncia” que veio efetivamente do que Aécio chama de “submundo da iinternet” foi este aqui. Nele Aécio aparece embriagado num bar do Rio. Mas o PT não usou este vídeo.

https://www.youtube.com/watch?v=-5fC8dVTmL0

Portanto, antes de falar da rede, Aécio deveria criticar os “amigos” tucanos paulistas e a imprensa bairrista de São Paulo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

53 comentários

  1. Na foto acima veiculada pela

    Na foto acima veiculada pela Internet vê-se claramente um Aécio gordo, com a cara de quem mamou muito. O vídeo com ele claudicando ao entrar num bar da Zona sul do Rio dispensa comentários. O caso relativo à recusa do bafômetro é policial, portanto com provas mais que concretas. Já o comentário de Juca Kifuri deixa dúvida por não ter sido filmado, embora já esteja na consciência de muitos, como na minha, de ser verdade. 

    O fogo amigo tem a sua relevância, afinal ninguém melhor que Serra e outros tucanos para melhor saberem da conduta de Aécio. De alguma maneira está servindo para que hoje saibamos bem quem é esse candidato que diz ser o único capaz de acabar com o PT, justo ele, tão envolvido em ações que não condizem com alguém que se pretende governar o nosso país. Ao lado dessa intrigas tucanas, está, também, a série de denúncias contra a gestão do moço nas Minas Gerais, que, a bem da verdade, não serão investigadas, nem terão peso nesta campanha, visto que a justiça brasileira é tucana pelo muito que estamos assistindo desde o julgamento dos petistas.

  2. Relembrando:  o rumor que

    Relembrando:  o rumor que liga Aecio ao uso de cocaina precede a “blogosfera suja” em muitos e muitos anos.  Eu nunca tinha ouvido falar de Aecio Neves no comeco dos anos 2000 quando primeiramente ouvi essa fofoca.  Nao tenho razao pra inventar isso e nem sequer sou contra uso de drogas, que se esclareca.

    E isso mostra o que eh o comportamento de um complexado, tambem gloriosamente exemplificado pelo PQP do “vice” de Aecio em video por causa de uma “Pergunta Que Nao Poderia Ter Sido Feita”.  Se Aecio tivesse se dirigido publicamente aos rumores que ja existiam ha mais de 10 anos atraz isso nao colaria nele.  Colou porque nao podia ser perguntado, e nao foi.  Francamente, so acho o rumor chatinho, mais chatinho que o grafitti em rua de Paris no comeco dos anos 80 berrando “John Lennon was a drug user” logo apos a morte dele.  Ora, eu tenho o que fazer!

  3. Nassif
    Aécio sabe que os

    Nassif

    Aécio sabe que os verdadeiros inimigos são tucanos paulistas, tanto é que ele sempre foi manso com o Lula….Tu sabes muito bem que nem o Tancredo gostava de FHC e propagava que ele era um “guela”….Sei não se até a semana que vem os pasquins paulistas pautados pelo Serra não der mais um “cruzado” no queixo do playboy…..Tu conhece bem o vingativo zumbi né…???…

    Weden

    Ótima providência seu artigo.

    Abração

  4. Aécio Neves usa uma tática

    Aécio Neves usa uma tática bem própria dos tucanos: jogar tudo nas costas do PT, como fossem revelações dos petistas, exatamente para desqualificarem as denúncias. O que não me impressiona tanto como existir pessoas(algumas até de bem) que levam fé em mentirosos de carteirinha.

    Aécio mereceria um debatedor do nível de um Leonel Brizola. Ele só fala grosso mesmo é com mulheres.

    PS: o vídeo com ele mais melado do que espinhaço de pão-doce, hiper-super-embriagado, pode ter vindo do sub-mundo da internet, mas é VERDADE. 

     

    • É mais do que normal

      O PT se acovardou nesses 12 anos e hoje está colhendo os frutos desastrosos. Por exemplo, como que a Dilma mantem um ministro da justiça que não passa de um tucanalha enrustido. Isso eu não entendo. O PT cavou a própria cova e depois vai ser uma lamentação. Agora é tarde, pois os fascistas estão aumentando e pior que é de todas as classes sociais. Mesmo que a Dilma ganhe, não vai ser extremamente difícil governar, pois os eleitos para congresso na sua grande maioria é conservador e depois o povo reclama. 

      “Se você não for cuidadoso(a), os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo.” ( Malcolm X.)

    • Prá mim, quando os tucanos

      Prá mim, quando os tucanos apontam o dedo para algo que imaginam estarem os petistas fazendo, podes crer, eles já estão fazendo isso há mt tempo, na surdina, como sempre.

       

  5.  
    “supremo” Dias Toffoli! E

     

    “supremo” Dias Toffoli! E os estertores do ‘golpe jurídico-midiático ainda ora em curso’! Este Toffoli deve ter um baita ‘telhado de vidro’!… ################# (…) Toffoli apontou que o entendimento de eleições passadas era no sentido de que acusações ácidas seriam permitidas, se baseadas em publicações na imprensa, o que não será mais admitido. O presidente do TSE criticou o uso de terceiros – seja por meio de notícias de jornal ou utilização de figura alheia à campanha na propaganda – para fazer acusações contra os adversários. (…) *CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: http://atarde.uol.com.br/politica/noticias/1632051-tse-tenta-conter-baixo-nivel-da-campanha ############ … No mínimo, estão querendo mudar as regras durante o transcurso do jogo!Canalhas! Terroristas! Subversivos de togas IMUNDAS!… RESCALDO FASCIGOLPISTA – ninguém de sã e liberta consciência não se engane: ‘o golpe jurídico-midiático ainda ora em curso’ apelará para qualquer tipo de sordidez, covardia e falta de decoro e ética!… O escopo do ‘golpe jurídico-midiático ainda ora em curso’: com ou sem o joaquim barbosa, materializar o mote: ‘Honduras é também aqui!’ Permitiremos?!… Ou PT irá confiar nas “urnas eletrônicas deste STE”?!… Quem (sobre)viver, verá! Tragédia anunciada! Veremos! E rezemos!… (… Republicanismo de araque, subdemocracia de fachada… E, ‘nois’, digamos, uns ‘bananas’!…) Justiça?! Qual Justiça?!

  6. Aécio, Marina, e todos o que

    Aécio, Marina, e todos os que seguem a mídia ficam cegos. Uns por oportunismo, outros por inocência.

    A mídia representa mais do nunca a direita.

    E o que foi e é a direita?

    Alguém sabe como era o estilo UDN, ACM, Serra, Lacerda, e outros?

    Cuspiam, agrediam, e à menor reação se mostravam ofendidos, a mídia os vitimizavam, e passo seguinte a classe média os abraçavam.

    A falsa moral cristã brasileira, a da indignação seletiva, parece que ainda dá frutos.

    E olhe que os que se acham “iluminados” são exatamente os que formam a direita.

  7.  
    … A DIREITONA brasileira

     

    … A DIREITONA brasileira é ou não estúpida, beócia, um caso de polícia?! 

    No jogo sujo, a ala togada “bate cabeça” com os bandidos de paletó e gravata paga com o dinheiro público! Entenda mais esta lambança aloprada!

    ###############

    [Os de togas imundas!]

    Com liminar, TSE tenta conter ‘baixo nível’ da campanha

    Beatriz Bulla

    Conteúdo Estadão

    Sáb, 18/10/2014 às 07:48 

    [Agora os de ternos sórdidos pagos com o dinheiro do honesto povo trabalhador brasileiro!]

    Aliados querem que Aécio mantenha o tom agressivo na campanha

    http://painel.blogfolha.uol.com.br/2014/10/18/aliados-querem-que-aecio-mantenha-o-tom-agressivo-nos-proximos-debates/

     

    ############

     

    … Durma com um barulho destes, e diga que sonhou com ‘a musa do Brasileirão’!…

  8. ótimo post.
    o calcanhar de

    ótimo post.

    o calcanhar de aquiles, a parte fraca que

    poderá fulminar a´wecio, é o da cocaína…

    pó de parar é um artigo estarrecedor.

     

    • quem conhece reconhece só de

      quem conhece reconhece só de ver a cara e os gestos dele nos debates, mas o mais chocante é como ele faz isso num debate pra presidente ao vivo pra todo pais ? 

  9. Coisas que deixamos pelo

    Coisas que deixamos pelo caminho

    Drogadição

     

    “A análise de amostras de cabelo tem sido amplamente usada, especialmente nos EUA, em testes de seleção ocupacional. O exame do cabelo fornece informações de longo prazo – meses ou até anos. A maconha e a cocaína, assim como outras substâncias, são incorporadas ao cabelo durante o crescimento e como este ocorre em média de 1,1 a 1,5 cm por mês, é possível realizar análises sobre os últimos meses ou anos de exposição, sendo um método mais efetivo na identificação de usuários.”  Parte de texto sobre métodos de exames toxicológicos.

     

    Penso que temos que ter a coragem de fazer abertamente a discussão sobre o uso ou não de drogas por candidato a cargos eletivo. Não é mais possóvel que continue a pairar suspeita sobre esse ou aquele candidato, pois caso se confirme tais suspeitas depois de eleita isso trará prejuízos desastrosos para toda a sociedade.

    Como vimos acima é fácil e rápido o exame toxicológico, basta para tanto que os candidatos forneçam ao vivo e a cores um fil de cabelo para análise, deixando seus eleitores despreocupados.

    De minha parte, gostaria muito que a minha candidata se apresentasse para esse exame, de forma voluntaria, sem exigir que seu adversário também o fizesse.

    Se deixarmos de conversar sobre essas coisas agora, se deixarmos essas coisa pelo caminho, poderemos entregar o nosso país para ser governado por aluguel que não tem governo se quer sobre si mesmo.

    A todos os que atuam nas redes sociais e especialmente aos profissionais de comunicação, exorto a fazerem essa discussão que ronda candidaturas de forma serena, mas sem varrer para baixo do tapete, começando com um convite para que todos que ainda estão disputando eleições se submeta ao exame toxicológico acima especificado.

  10. É o Serra

    O Serra, eleito senador por São Paulo, está rifando Aécio para impedir que ele, vencendo a eleição, seja candidato natural à reeleição pelo PSDB. Para Serra, o melhor seria, após a derrota do Aécio nestas eleições, disputar com o próximo candidato petista em 2018. Na reta final da campanha, os maiores inimigos do tucano mineiro são os tucanos paulistas. Vão jogar muita m…. no ventilador contra o mineirim.

    • Se foi esse, então a sua

      Se foi esse, então a sua turma foi que ensinou petista para destruir Marina, já que esses inocentes nunca souberam como se d fazia isso

      • Destruir Marina?
        A “fada” tá

        Destruir Marina?

        A “fada” tá aí, lépida e fagueira. Dever cumprido.

        Tudo conforme o programado. Igualzinho 2010.

        O lero-lero da “destruição” é só tentativa de manter o séquito em caso de retorno em 2018.

        Po fim, quem foi mesmo que disse que o PT nomeou diretor na petrobrás para roubar? Afirmação de alto nível, não?

      • E o (a) inocente nem percebeu

        E o (a) inocente nem percebeu que quem destruiu a candidatura da Marina foi ela mesmo. O PT, assim como o PSDB, apenas mostraram as incongruências dela, seu vai e volta, mostrando que não tinha preparo nenhum para ser presidente de um país como o Brasil. Queria ir além de seus conhecimentos  e competência. Uma traíra aproveitadora de defuntos, uma destruidora de partidos, isto sim. Até os da Rede já estão desembarcando dela, que mostrou claramente qual é a sua cara e seus propósitos. Acabou o mito Marina.

         

  11.  
    ESCÂNDALO! GOLPE!
    Vamos

     

    ESCÂNDALO! GOLPE!

    Vamos denunciar o STE às instâncias internacionais! Ou nós iremos permitir que o mesmo STE legitime o golpe da “invulnerabilidade” das urnas eletrônicas brasileiras reconhecidamente inseguras?!…

    Depois de toda sorte [sorte?!] de baixarias perpetradas/”vazadas” (sic) pela DIREITONA fascigolpista… Agora “a liberdade de expressão” não quer permitir a veiculação das verdades que o PIG esconde – e que o [podre e nefasto] Poder Judiciário “engaveta”, sórdida e CRIMINOSAMENTE!

    Estou de saco cheiro(!): esses fascistas insistindo em querer nos fazer de “trouxas”!

    Seres (quase-)anencéfalos são vocês, “lote” de aloprados terroristas e subversivos!…

    ##################

    TSE tenta conter ‘baixo nível’ da campanha

    O Tribunal Superior Eleitoral decidiu ser mais duro com as candidaturas presidenciais neste 2º turno a fim de evitar ataques pessoais. Ontem, liminar do tribunal já proibiu uma propaganda de TV.
    A peça proibida foi da presidente Dilma Rousseff. A propaganda afirmava: “Compare. Enquanto Dilma modernizou aeroportos para o Brasil receber 203 milhões de passageiros ao ano, Aécio só fez dois em Minas. Um deles, na fazenda que era da própria família e a chave ficava nas mãos de seu tio. Na dúvida em quem votar, é melhor comparar”. Era uma referência à construção do aeroporto na cidade de Cláudio, interior de Minas, no qual o governo do Estado investiu R$ 13,9 milhões na pista quando Aécio Neves era governador. Para fazer o investimento, o governo desapropriou as terras do tio-avô de Aécio.
    (…)

    CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: http://atarde.uol.com.br/polit

    #################

    … Esculhambação tem limite! Ou não, no ‘braZil’ da [eterna] Casa Grande?!…

     

    Justiça?! Qual Justiça?!

  12. da safadeza. Se a dita

    da safadeza. Se a dita namorada, que é de maior, levou uns tapas e não foi prestar queixa, o quê um sujeito deve ganhar dinehiro e fama divulgado isso, já que não sabe fazer outra coisa para se sustentar?

    • Safadeza?

      Safadeza é um sujeito que dá na cara da namorada em público se candidatar a presidência da república, direito dele se candidatar, dever das testemunhas cantar a pedra…

      Reprovável moralmente, muito mais reprovável moralmente agredir do que ser agredida e não registrar queixa. Ou a culpa é da mulher que apanha por ser “safada”? Lembre-se: evento público cercado de testemunhas…

  13. Por isso que eu digo, o PT

    Por isso que eu digo, o PT vai ser governo federal até, pelo menos, 2030. Ainda tem a volta do Lula e os 8 anos de Haddad.

  14. Bravo !!!
    Lembrando também,

    Bravo !!!

    Lembrando também, que quem IMPORTOU este “estilo americano” de campanha eleitoral foi o PSDB via ARTUR VIRGÍLIO. Este “honrado senhor” que defendeu PEDOFILIA de aliados numa CPI, foi acompanhar a campanha americana e “seus padrões éticos, onde até posição fetal intra uterina de candidato é “analisada” pela “MÍDIA ATENTA”.

    Como se vê, MAIS UM LEGADO PODRE DO PSDB.

  15. Compartilhar essa matéria na

    Compartilhar essa matéria na rede , muita gente vai ficar sabendo dessas reportagens sobre o Aécio.

  16. Não basta saber falar em

    Não basta saber falar em publico, ser um politco profissional!

    Para QUALQUER CARGO PUBLICO é necessário TER ÉTICA, ACUMULAR VALORES!

    Fora isso, quem se ferra é a sociedade!

    Se em sua vida pública você é um médico e em sua vida privada você é um assassino, para onde você deve ir?

    Para uma cadeia ou um hospital?

    Se ele tem desvios, bye, bye, a OPOSIÇÃO que arrume outro!

    • A própria oposição é um desvio

      p { margin-bottom: 0.25cm; line-height: 120%; }

           Os fatos de junho de 2013 que o digam e eu os associo aos acontecimentos recentes: no Egito, na Líbia, na Síria e na Urania. Pensem bem no risco que corremos, e a bacia só não transbordou por conta da televisão RUSSA, a Globo et caverna já acusavam o governo federal pela morte do jornalista da Band, cometido pela policia estadual, qualquer semelhança com o acontecido nos países acima citados é por que eles são iguais mesmo e em todos existe a ação de ongs financiadas por George Soros que já foi ou é PATRÃO DO ARMINIO e um dos MANTENEDORES DA MARINA, com todas as implicações que disso resulta.

           Então eu digo: BAY BAY OPOSIÇÃO E LEVE O PIG JUNTO.

  17. O pig é o rei da baixara

    Bem lembrado Weden. E reforço informando que o episódio da lei seca teve reportagem na TV Globo em sua edição regional, o RJ TV. 

    E além disso, o que são as “balas de prata” que o pig usa toda eleição para abater o candidato do PT? Usar um vazamento crimonoso de um juiz tucano, sem comprovação de absolutamente nada é não ou não baixaria? O pig é o rei da baixaria, e portanto se Dilma não reage à altura contra o candidato piguento, ela apenas cumprirria tabela

  18. Se alguém bebe e usa drogas,

    Se alguém bebe e usa drogas, mas não faz mal a ninguém, isso é problema dele. Se está bêbado e drogado enquanto dirige um carro ou um país, aí é bem diferente…

    Como apontado acima, quem fez referências na grande mídia a certos hábitos de Aécio foi o fogo “amigo” de seu rival Serra, não o PT.

    • Não é tão simples assim!

      Brasil não produz drogas.

      Quem usa drogas incentiva o tráfico e a chegada de droga de outros países, Quem usa drogas gera mercado para meninos pobres se matarem entre sim, visando chegar com a mercadoria para qualquer playboy safado.

      Quem se droga é como o corruptor, em casos de corrupção.

      Aécio faz discurso contra Bolívia ao invés de criticar o consumo de gente graúda aqui no Brasil

    • Aqui, trata-se de um cidadão

      Aqui, trata-se de um cidadão que ocupa o cargo de “Senador da República” – e não de um adolescente no caso “Justin Bieber” – ser flagrado dirigindo um veículo em via pública, alcoolizado e sem a necessária habilitação naquele ato, são elementos que o tipificam, de forma inconteste, ser uma pessoa irresponsável e até mesmo transgressora, por afrontar os comandos normativos contidos na Legislação de Trânsito Brasileira, ora em vigor. Assim, resta evidente que, tal cidadão, não se veste dos Princípios da Moralidade, da Legalidade e da Responsabilidade, para o exercício do cargo que pleiteia ocupar, portanto, se mostrando inepto para o exercício de qualquer cargo público, ainda mais, como Chefe de Estado de uma Nação Politicamente Constitucionalizada: é, no mínimo, uma avaliação decente e honesta que se pode fazer da conduta do Candidato. 

      • Complementando a avaliação da conduta do Candidato*

        Complementando o tópico anterior sobre a avaliação do Candidato do PSDB à Presidência da República, tem-se, agora, três afirmativas que podem ser produzidas com provas incontestáveis, contra todas as afirmativas ditas pelo então Candidato, durante todo o decorrer da campanha eleitoral, afirmativas essas destituídas de qualquer fundamento verídico. Afirmou o Candidato, de forma repetida e veemente que, nunca havia perdido uma eleição em Minas Gerais, entretanto, em 1992, quando concorreu ao cargo para Prefeito de Belo Horizonte, obteve apenas um melancólico terceiro lugar, na disputa contra Patrus Ananias, Maurício Campos e Sérgio Ferrara. Agora, após as apurações dos resultados das Eleições de 2014, perdeu novamente no Primeiro Turno, para sua maior Oponente, justamente no Estado de Minas Gerais e, por fim, no Segundo Turno, perdeu de novo, exatamente no Estado de Minas Gerais e, evidentemente, perdendo as eleições, como um todo, na disputa para o Cargo de Presidente da República. São, por essas pequenas mentiras que, na maioria das vezes, podem ser avaliados o perfil de seriedade e a formação do caráter de honestidade de um pretenso Candidato ao cargo de Chefe de Estado. Por conseguinte, após o encerramento do atual processo eleioral, não existem mais motivações para, o então Candidato, voltar a reproduzir as insistentes afirmativas de que “nunca perdeu uma eleição no Estado de Minas Gerais”, a não ser que, à época da realização do Pleito de 1992, o Município de Belo Horizonte estivesse localizado em outro Estado Membro da República Federativa. Mais uma vez, uma avaliação decente e honesta que se pode fazer do pretenso Candidato.      

    • Mídia e PSDB paulistas expuseram vida pessoal de Aécio

      Jair, não é bem assim quando o assunto é cocaína. Para consumir, o o sujeito tem de recorrer a traficantes, ao comércio ilegal. Suponho que isso não iria funcionar com alguém que ocupasse o cargo de Presidente da República. Imagine um “dealer” levando “mercadoria” para o Sr. Presidente lá no Alvorada para a festinha de fim de semana??? Não dá!

      • Pô!!! 
        Eu achei que era um

        Pô!!! 

        Eu achei que era um vídeo de Lula dirigindo bêbado com a carteira vencida!!!

  19. Tem saído tanta sujeira de

    Tem saído tanta sujeira de Aécio na grande mídia (grande e bandida) esses dias que já tenho minhas dúvidas se estão apoiando ou não o mineiro.

    Pode ser que a dupla Serra/Alckmin esteja detonando o rival. A eleição de Aécio não seria boa nem pra um nem pra outro, porque liquidaria com pretensões em 2018. Nas eleições com Serra nada aparecia na imprensa. Hoje até editorial da folha culpando o PSDB pela falta d’água teve.

    Agora vem o TSE com esse ferrolho na propaganda de Dilma http://www.cartamaior.com.br/?/Coluna/O-TSE-acaba-de-violar-o-processo-eleitoral-brasileiro-de-forma-grave/32030

    Está tudo muito esquisito, vocês não acham?

    • o texto e interessante, mas
      o texto e interessante, mas comete essa indelicadeza com o Juca, que não e serrista.

  20. Os boatos de que Aécio é

    Os boatos de que Aécio é chegado à cocaína são tão antigos quanto sua vida política, portanto o acompanham desde a adolescência. Não foram inventados nem pelo Serra nem pelo PT em época mais recente.

  21. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/especial/191539-aecio-perde-bat
    Folha de S. Paulo
    Especial
    • TEXTO ANTERIOR
    • PRÓXIMO TEXTO
    Ricardo Melo
    Aécio perde batalha da verdade
    Insistência do tucano em chamar de “mentiras” fatos incontestáveis derrete sua própria credibilidade
    A frase atribuída ao nazista Joseph Goebbels -uma mentira repetida mil vezes se transforma em verdade- tem sido a resposta preferida do candidato Aécio Neves e sua equipe diante de críticas. O problema é quando a verdade, repetida mil vezes, continua sendo verdade, sem contraponto ou contraditório capaz de desmenti-la.
    O candidato tucano construiu uma pista de pouso em propriedade familiar. A chave da mordomia ficava na mão de parentes, os quais, aliás, ele empregou aos montes. Tudo documentado. Nenhum estudo, mesmo fabricado às pressas, provou a necessidade da obra. Isso não é uma questão íntima. É dinheiro público queimado para fins pessoais. Existe uma ação em curso, por improbidade administrativa. É um fato, não depoimento selecionado de delação desesperada, desculpe, premiada.
    O governo de Minas destinou uma gorda fatia de publicidade para empresas de telecomunicações dos Neves. Nem o candidato nega. É deselegante perguntar como o rapaz lida quando se encontram o público e o privado? Cabe aos brasileiros descobrir o montante, pois envolve gente disputando a Presidência. “Não registramos quanto foi gasto”, respondem o tucano e seu staff.
    Documentos do Tribunal de Contas de Minas Gerais apontavam suspeitas de irregularidades no governo do atual senador. A capivara foi citada durante um dos debates. Horas depois, a papelada desapareceu do site oficial do tribunal, uma instância pública (!). Tomou Doril. Sumiu. E nada se faz a respeito.
    O drible no bafômetro e outros momentos pouco edificantes da rotina noturna do senador estão fartamente documentados na internet e imprensa escrita. Não são montagem, assim como não é falso o stand-up daquele artista de fim de noite que relacionou Maradona e Aécio quanto ao consumo de drogas. Hoje o mesmo personagem posa de aecista desde criancinha. Mas nunca desmentiu a performance.
    Balela a história de que trazer a público tudo isso é baixaria etc, etc. Isso é falta de argumento de quem não tem resposta.
    Pense bem: quantas vezes já não deparamos com indivíduos brilhantes (o que não é propriamente o caso…), mas com uma trajetória errática, que seríamos incapazes de indicar para uma função, mesmo menor, numa empresa? Não há nisso preconceito nenhum; somente o desejo de saber qual é a pessoa certa para o lugar certo.
    “Ah, mas e os programas, as propostas?”, indagam os puritanos habituais. Bem, todos conhecem o que pensam tanto Dilma quanto Aécio e seu braço direito, Armínio Fraga.
    A primeira pelo que ela e seu partido fizeram nos últimos tempos no Planalto. Aécio, pelo que ele e sua equipe revelam em entrevistas e jantares. Coisas como corte de gastos sociais, esvaziamento de bancos públicos, encolhimento de salários, facão nas empresas, tarifaço, mudança nas leis trabalhistas e por aí vai. As tais medidas impopulares. Para ele, sem isto o Brasil vai piorar. Acredite quem quiser.
    Com a campanha perto do fim, supostas regras de etiqueta surgem para esconder o essencial. Cortina de fumaça. Estão em jogo a vida e o futuro de milhões de pessoas. Elas têm todo o direito de conhecer quem pretende ocupar o cargo mais alto da República.
    Pesquisas são só pesquisas. A depender delas, o PT não teria ganho no primeiro turno na Bahia e em Minas Gerais, Aécio não teria os votos obtidos em São Paulo, e o PMDB estaria fora do segundo turno no Rio Grande do Sul.
    A questão não é satanizar institutos. É dar aos seus levantamentos o peso que merecem. Mais do que nunca, o primeiro turno mostrou que a palavra final é do eleitor, não de pesquisados. Da mesma forma que é patética a tática de carimbar como mentiras verdades inapagáveis, registradas em vídeo, áudio e folhas de papel.

    Folha de S. Paulo
    Especial
    • TEXTO ANTERIOR
    • PRÓXIMO TEXTO
    Ricardo Melo
    Aécio perde batalha da verdade
    Insistência do tucano em chamar de “mentiras” fatos incontestáveis derrete sua própria credibilidade
    A frase atribuída ao nazista Joseph Goebbels -uma mentira repetida mil vezes se transforma em verdade- tem sido a resposta preferida do candidato Aécio Neves e sua equipe diante de críticas. O problema é quando a verdade, repetida mil vezes, continua sendo verdade, sem contraponto ou contraditório capaz de desmenti-la.
    O candidato tucano construiu uma pista de pouso em propriedade familiar. A chave da mordomia ficava na mão de parentes, os quais, aliás, ele empregou aos montes. Tudo documentado. Nenhum estudo, mesmo fabricado às pressas, provou a necessidade da obra. Isso não é uma questão íntima. É dinheiro público queimado para fins pessoais. Existe uma ação em curso, por improbidade administrativa. É um fato, não depoimento selecionado de delação desesperada, desculpe, premiada.
    O governo de Minas destinou uma gorda fatia de publicidade para empresas de telecomunicações dos Neves. Nem o candidato nega. É deselegante perguntar como o rapaz lida quando se encontram o público e o privado? Cabe aos brasileiros descobrir o montante, pois envolve gente disputando a Presidência. “Não registramos quanto foi gasto”, respondem o tucano e seu staff.
    Documentos do Tribunal de Contas de Minas Gerais apontavam suspeitas de irregularidades no governo do atual senador. A capivara foi citada durante um dos debates. Horas depois, a papelada desapareceu do site oficial do tribunal, uma instância pública (!). Tomou Doril. Sumiu. E nada se faz a respeito.
    O drible no bafômetro e outros momentos pouco edificantes da rotina noturna do senador estão fartamente documentados na internet e imprensa escrita. Não são montagem, assim como não é falso o stand-up daquele artista de fim de noite que relacionou Maradona e Aécio quanto ao consumo de drogas. Hoje o mesmo personagem posa de aecista desde criancinha. Mas nunca desmentiu a performance.
    Balela a história de que trazer a público tudo isso é baixaria etc, etc. Isso é falta de argumento de quem não tem resposta.
    Pense bem: quantas vezes já não deparamos com indivíduos brilhantes (o que não é propriamente o caso…), mas com uma trajetória errática, que seríamos incapazes de indicar para uma função, mesmo menor, numa empresa? Não há nisso preconceito nenhum; somente o desejo de saber qual é a pessoa certa para o lugar certo.
    “Ah, mas e os programas, as propostas?”, indagam os puritanos habituais. Bem, todos conhecem o que pensam tanto Dilma quanto Aécio e seu braço direito, Armínio Fraga.
    A primeira pelo que ela e seu partido fizeram nos últimos tempos no Planalto. Aécio, pelo que ele e sua equipe revelam em entrevistas e jantares. Coisas como corte de gastos sociais, esvaziamento de bancos públicos, encolhimento de salários, facão nas empresas, tarifaço, mudança nas leis trabalhistas e por aí vai. As tais medidas impopulares. Para ele, sem isto o Brasil vai piorar. Acredite quem quiser.
    Com a campanha perto do fim, supostas regras de etiqueta surgem para esconder o essencial. Cortina de fumaça. Estão em jogo a vida e o futuro de milhões de pessoas. Elas têm todo o direito de conhecer quem pretende ocupar o cargo mais alto da República.
    Pesquisas são só pesquisas. A depender delas, o PT não teria ganho no primeiro turno na Bahia e em Minas Gerais, Aécio não teria os votos obtidos em São Paulo, e o PMDB estaria fora do segundo turno no Rio Grande do Sul.
    A questão não é satanizar institutos. É dar aos seus levantamentos o peso que merecem. Mais do que nunca, o primeiro turno mostrou que a palavra final é do eleitor, não de pesquisados. Da mesma forma que é patética a tática de carimbar como mentiras verdades inapagáveis, registradas em vídeo, áudio e folhas de papel.

  22. pó pará, governador

    Abaixo, o artigo de Mauro Chaves.

    Pó pará, governador?

    Em conversa com o presidente Lula no dia 6 de fevereiro, uma sexta-feira, o governador Aécio Neves expôs-lhe a estratégia que iria adotar com o PSDB, com vista a obter a indicação de sua candidatura a presidente da República. Essa estratégia consistia num ultimato para que a cúpula tucana definisse a realização de prévias eleitorais presidenciais impreterivelmente até o dia 30 de março – “nem um dia a mais”. Era muito estranho, primeiro, que um candidato a candidato comunicasse sua estratégia eleitoral ao adversário político antes de fazê-lo a seus correligionários. Mais estranho ainda era o fato de uma proposta de procedimento jamais adotada por um partido desde sua fundação, há 20 anos – o que exigiria, no mínimo, uma ampla discussão partidária interna -, fosse introduzida por meio de um ultimato, uma “exigência” a ser cumprida em um mês e meio, sob pena de… De quê, mesmo?

    O que Aécio fará se o PSDB não adotar as prévias presidenciais até 30 de março? Não foi dito pelo governador mineiro (certamente para não assinar oficialmente um termo de chantagem política), mas foi barulhentamente insinuado: em caso da não-aprovação das prévias, Aécio voaria para ser presidenciável do PMDB. É claro que para o presidente Lula e sua ungida presidenciável, a neomeiga mãe do PAC, não haveria melhor oportunidade de cindir as forças oposicionistas, deixando cada uma em um dos dois maiores colégios eleitorais do País. E é claro que para o PMDB, com tantos milhões de votos no País, mas sem ter quem os receba, como candidato a presidente da República, a adoção de Aécio como correligionário/candidato poderia significar um upgrade fisiológico capaz de lhe propiciar um não programado salto na conquista do poder maior – já que os menores acabou de conquistar.

    Pela pesquisa nacional do Instituto Datafolha, os presidenciáveis tucanos têm os seguintes índices: José Serra, 41% (disparado na frente), e Aécio Neves, 17% (atrás de Ciro Gomes, com 25%, e de Heloisa Helena, com 19%). Por que, então, o governador de Minas se julga capaz de reverter espetacularmente esses índices, fazendo sua candidatura presidencial subir feito um foguete e a de seu colega e correligionário paulista despencar feito um viaduto? Que informações essenciais haveria, para se transmitirem aos cerca de 1 milhão e pouco de militantes tucanos – supondo-se que estes fossem os eleitores das “exigidas” prévias, que ninguém tem ideia de como devam ser -, para que pudesse ocorrer uma formidável inversão de avaliação eleitoral, que desse vitória a Aécio sobre Serra (supondo que o governador mineiro pretenda, de fato, vencê-las)?

    Vejamos o modus faciendi de preparação das prévias, sugerido (ou “exigido”?) pelo governador mineiro: ele e Serra sairiam pelo Brasil afora apresentando suas “propostas” de governo, suas soluções para a crise econômica, as críticas cabíveis ao governo federal e coisas do tipo. Seriam diferentes ou semelhantes tais propostas, soluções e críticas? Se semelhantes, apresentadas em conjunto nos mesmos palanques “prévios”, para obter o voto do eleitor “prévio” cada um dos concorrentes tucanos teria de tentar mostrar alguma vantagem diferencial. Talvez Aécio apostasse em sua condição de mais moço, com bastante cabelo e imagem de “boa pinta”, só restando a Serra falar de sua maior experiência política, administrativa e seu preparo geral, em termos de conhecimento, cultura e traquejo internacional. Mas se falassem a mesma coisa, harmonizados e só com vozes diferentes, os dois correriam o risco de em algum lugar ermo do interior ser confundidos com dupla sertaneja – quem sabe Zé Serra e Ah é, sô.

    Agora, se os discursos forem diferentes, em palanques “prévios” diferentes, haverá uma disputa de acirramento imprevisível. E no Brasil não temos a prática norte-americana das primárias – que uniu Obama e Hillary depois de se terem escalpelado. Por mais que disfarcem e até simulem alianças, aqui os concorrentes, após as eleições, sempre se tornam cordiais inimigos figadais. E aí as semelhanças políticas estão na razão direta das diferenças pessoais. Mas não há dúvida de que sob o ponto de vista político-administrativo Serra e Aécio são semelhantes, porque comandam administrações competentes.

    Ressalvem-se apenas as profundas diferenças de cobrança de opinião pública entre Minas e São Paulo. Quem já leu os jornais mineiros fica impressionado com a absoluta falta de crítica em relação a tudo o que se relacione, direta ou indiretamente, ao governo ou ao governador.

    O caso do “mensalão tucano” só foi publicado pelos jornais de Minas depois que a imprensa do País inteiro já tinha dele tratado – e que o governador se pronunciou a respeito. É que em Minas imprensa e governo são irmãos xifópagos. Em São Paulo, ao contrário, não só Serra como todos os governos e governadores anteriores sempre foram cobrados com força, cabresto curto, especialmente pelos dois jornais mais importantes. Neste aspecto a democracia em São Paulo é mais direta que a mineira (assim como a de Montoro era mais direta que a de Tancredo). Fora isso, os governadores dos dois Estados são, com justiça, bem avaliados por suas respectivas populações.

    O problema tucano, na sucessão presidencial, é que na política cabocla as ambições pessoais têm razões que a razão da fidelidade política desconhece. Agora, quando a isso se junta o sebastianismo – a volta do rei que nunca foi -, haja pressa em restaurar o trono de São João Del Rey… Só que Aécio devia refletir sobre o que disse seu grande conterrâneo João Guimarães Rosa: “Deus é paciência. O diabo é o contrário.”

    E hoje talvez ele advertisse: Pó pará, governador?

  23. Pó parar, geovernador

    Achei o artigo aqui.

    http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,po-para-governador,331197

     

    Pó pará, governador?
    Mauro Chaves – O Estadão de S.Paulo
    28 fevereiro 2009
    Em conversa com o presidente Lula no dia 6 de fevereiro, uma sexta-feira, o governador Aécio Neves expôs-lhe a estratégia que iria adotar com o PSDB, com vista a obter a indicação de sua candidatura a presidente da República. Essa estratégia consistia num ultimato para que a cúpula tucana definisse a realização de prévias eleitorais presidenciais impreterivelmente até o dia 30 de março – “nem um dia a mais”. Era muito estranho, primeiro, que um candidato a candidato comunicasse sua estratégia eleitoral ao adversário político antes de fazê-lo a seus correligionários. Mais estranho ainda era o fato de uma proposta de procedimento jamais adotada por um partido desde sua fundação, há 20 anos – o que exigiria, no mínimo, uma ampla discussão partidária interna -, fosse introduzida por meio de um ultimato, uma “exigência” a ser cumprida em um mês e meio, sob pena de… De quê, mesmo? O que Aécio fará se o PSDB não adotar as prévias presidenciais até 30 de março? Não foi dito pelo governador mineiro (certamente para não assinar oficialmente um termo de chantagem política), mas foi barulhentamente insinuado: em caso da não-aprovação das prévias, Aécio voaria para ser presidenciável do PMDB. É claro que para o presidente Lula e sua ungida presidenciável, a neomeiga mãe do PAC, não haveria melhor oportunidade de cindir as forças oposicionistas, deixando cada uma em um dos dois maiores colégios eleitorais do País. E é claro que para o PMDB, com tantos milhões de votos no País, mas sem ter quem os receba, como candidato a presidente da República, a adoção de Aécio como correligionário/candidato poderia significar um upgrade fisiológico capaz de lhe propiciar um não programado salto na conquista do poder maior – já que os menores acabou de conquistar. Pela pesquisa nacional do Instituto Datafolha, os presidenciáveis tucanos têm os seguintes índices: José Serra, 41% (disparado na frente), e Aécio Neves, 17% (atrás de Ciro Gomes, com 25%, e de Heloisa Helena, com 19%). Por que, então, o governador de Minas se julga capaz de reverter espetacularmente esses índices, fazendo sua candidatura presidencial subir feito um foguete e a de seu colega e correligionário paulista despencar feito um viaduto? Que informações essenciais haveria, para se transmitirem aos cerca de 1 milhão e pouco de militantes tucanos – supondo-se que estes fossem os eleitores das “exigidas” prévias, que ninguém tem ideia de como devam ser -, para que pudesse ocorrer uma formidável inversão de avaliação eleitoral, que desse vitória a Aécio sobre Serra (supondo que o governador mineiro pretenda, de fato, vencê-las)? Vejamos o modus faciendi de preparação das prévias, sugerido (ou “exigido”?) pelo governador mineiro: ele e Serra sairiam pelo Brasil afora apresentando suas “propostas” de governo, suas soluções para a crise econômica, as críticas cabíveis ao governo federal e coisas do tipo. Seriam diferentes ou semelhantes tais propostas, soluções e críticas? Se semelhantes, apresentadas em conjunto nos mesmos palanques “prévios”, para obter o voto do eleitor “prévio” cada um dos concorrentes tucanos teria de tentar mostrar alguma vantagem diferencial. Talvez Aécio apostasse em sua condição de mais moço, com bastante cabelo e imagem de “boa pinta”, só restando a Serra falar de sua maior experiência política, administrativa e seu preparo geral, em termos de conhecimento, cultura e traquejo internacional. Mas se falassem a mesma coisa, harmonizados e só com vozes diferentes, os dois correriam o risco de em algum lugar ermo do interior ser confundidos com dupla sertaneja – quem sabe Zé Serra e Ah é, sô. Agora, se os discursos forem diferentes, em palanques “prévios” diferentes, haverá uma disputa de acirramento imprevisível. E no Brasil não temos a prática norte-americana das primárias – que uniu Obama e Hillary depois de se terem escalpelado. Por mais que disfarcem e até simulem alianças, aqui os concorrentes, após as eleições, sempre se tornam cordiais inimigos figadais. E aí as semelhanças políticas estão na razão direta das diferenças pessoais. Mas não há dúvida de que sob o ponto de vista político-administrativo Serra e Aécio são semelhantes, porque comandam administrações competentes. Ressalvem-se apenas as profundas diferenças de cobrança de opinião pública entre Minas e São Paulo. Quem já leu os jornais mineiros fica impressionado com a absoluta falta de crítica em relação a tudo o que se relacione, direta ou indiretamente, ao governo ou ao governador. O caso do “mensalão tucano” só foi publicado pelos jornais de Minas depois que a imprensa do País inteiro já tinha dele tratado – e que o governador se pronunciou a respeito. É que em Minas imprensa e governo são irmãos xifópagos. Em São Paulo, ao contrário, não só Serra como todos os governos e governadores anteriores sempre foram cobrados com força, cabresto curto, especialmente pelos dois jornais mais importantes. Neste aspecto a democracia em São Paulo é mais direta que a mineira (assim como a de Montoro era mais direta que a de Tancredo). Fora isso, os governadores dos dois Estados são, com justiça, bem avaliados por suas respectivas populações. O problema tucano, na sucessão presidencial, é que na política cabocla as ambições pessoais têm razões que a razão da fidelidade política desconhece. Agora, quando a isso se junta o sebastianismo – a volta do rei que nunca foi -, haja pressa em restaurar o trono de São João Del Rey… Só que Aécio devia refletir sobre o que disse seu grande conterrâneo João Guimarães Rosa: “Deus é paciência. O diabo é o contrário.” E hoje talvez ele advertisse: Pó pará, governador? Mauro Chaves é jornalista, advogado, escritor,administrador de empresas e pintor. E-mail: mauro.chaves@attglobal.net
     

  24.      Interessante como a

         Interessante como a mídia produz suas matérias e depois as oculta. Fica evidenciado que os jornalões e as tvs se utilizam desses seus veículos para fazerem política em prol de  seus “aliados de ocasião”. Se em determinado momento tentaram alavancar José Serra e não conseguiram, parte para o “plano B” que é Aécio. Então tudo o que disseram contra Aécio como forma de intimidá-lo e fazê-lo desisti-lo da corrida presidencial é esquecido. Mais que isso: tenta-se apagar dos arquivos, da memória. Como se nunca houvessem reportado determinadas notícias constrangedoras sobre o agora “escolhido” para enfrentar o adversário de sempre: candidatos com real apelo popular em seus programas de governo.

         Agindo dessa maneira, quando vem a tona as mesmas informações produzidas na luta intra-classe, ou seja, pelas frações da burguesia litigantes, essas informações são, agora, atribuidas a baixeza, a vileza daqueles que não conseguem discutir a real politik com grandeza de espirito e desenvoltura intelectual. Com isso, vão distorcendo a realidade, sempre ao sabor dos acontecimentos supervenientes. Já passou-se do momento de institui no Brasil uma Lei de Mídia que coiba esse tipo de abuso, que coiba os malfeitores presentes nessa imprensa repugnante.  

  25. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome