Na pesquisa CUT/Vox Populi, Lula lidera com 42%

Foto Ricardo Stuckert

Jornal GGN – Nova pesquisa CUT/Vox Populi aponta Lula como favorito em 2018. Segundo a pesquisa, Lula ganharia no primeiro turno. A pesquisa foi realizada entre os dias 27 e 30 de outubro.

Na pesquisa estimulada, quando é apresentado cartão com nomes dos candidatos, Lula tem 42% das intenções de voto contra 16% de Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Com relação a outros candidatos, a diferença aumenta. Marina Silva (Rede) com 7%, Geraldo Alckmin (PSDB) com 5%, e Ciro Gomes (PDT-CE) com 4%. Empatados com 1% cada, aparecem Álvaro Dias (Podemos-PR) e Luciana Genro (PSOL-RS).

Brancos e nulos somam 15%, e aqueles que não responderam ou não sabem somam 8%.

Com Luciano Huck na parada, Lula fica com 41% e o global fica com 2%. No caso dos outros candidatos, não há variação no percentual. E os que não sabem cai para 7%.

Em simulada com Alckmin, Lula mantém os 42% e Alckmin os 5%. Bolsonaro vai para 17% e Marina para 8%. Ninguém, brancos e nulos alcançam 16% e os que não sabem ou não responderam, 8%. Com Doria, citado por apenas 3% dos entrevistados, Lula sobe para 43%.

Na intenção de votos espontânea, Lula consegue o dobro da soma dos demais, levando-se em consideração Bolsonaro e em disputa que ainda considera dois tucanos no páreo. Com este cenário, Lula vem em primeiro com 35%, seguido de Bolsonaro com 10%, Marina com 2%. Alckmin, Doria e Ciro empatam com 1% cada e Aécio Neves zera. 6% dos entrevistados consideram outros candidatos, 18% não querem ninguém ou votam branco e nulo, e 26% ainda não sabe em quem votar.

Leia também:  Recado do Nassif: os últimos vagidos de Bolsonaro

No 2º turno, Lula aparece na dianteira de todos nas disputas contra Bolsonaro, Alckmin, Doria, Marina e Huck. Se o oponente for Doria, Lula vai para 51% das intenções de voto contra 14% do gestor de São Paulo. Brancos e nulos ficam com 26% e os que não sabem, 9%.

Contra Alckmin ou Huck, Lula teria 50% dos votos, contra 14% nos dois casos. Se for Huck, os brancos e nulos sobem para 28% e os que não sabem cai para 8%. Caso seja Alckmin, os brancos e nulos chegam a 27% e os que não sabem, 9%. Já com Bolsonaro, Lula teria 49% contra 21% do deputado federal, acompanhado de 23% de brancos e nulos e 8% daqueles que não sabem.

Um segundo turno com Marina daria 48% das intenções para Lula contra 16% da candidata. Brancos e nulos iriam para 27% e 8% não saberia dizer.

Rejeição é um tema forte também. Os tucanos Alckmin e Doriam empatam no índice de rejeição, com 72% dos entrevistados. 14% admitem votar no Alckmin e 16%, em Doria. De certezas, Alckmin carrega 6% e Doria, 3%.

Depois dos tucanos, o mais rejeitado é Ciro Gomes. Na pesquisa, 71% afirmam que não votariam nele de jeito nenhum, 14% admitem votar e 5% votariam com certeza. Huck tem rejeição de 66%, 21% admitem votar e 5% votariam com certeza. Em seguida vem Marina, com 65% de rejeição, assim como Huck, 19% dos que admitem votar e 8% dos que tem certeza que votam. Já Bolsonaro tem 60% de rejeição, com 14% de possibilidades de voto e 16% de certezas de voto.

Leia também:  Marco Aurélio critica Moro e Kotscho vê esperteza de Bolsonaro

Lula carrega a menor rejeição, de 39% de entrevistados que afirmam que não votariam nele, contra 15% que admitem votar e 41% dos que votariam com certeza.

A pesquisa CUT/Vox Populi foi realizada em 118 municípios onde 2 mil brasileiros acima de 16 anos foram entrevistados. Foram feitas entrevistas em áreas urbanas e rurais em todos os estados e no Distrito Federal, em capitais, regiões metropolitanas e no interior, em todos os segmentos sociais e econômicos. A margem de erro é de 2,2%, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

 

14 comentários

  1. na….

    Cachorro atrás do rabo. E ainda dizem não entender 1964.  Já imaginaram toda esta Esquerdopatia com a existência ainda da URSS e “Che” em nossas fronteiras? É este festival de mediocridades tendo oposição e mais de meio século de erros já vividos. Imaginaram naquela ilusão pueril dos anos 60? A maior parte da nossa Elite não conseguiu ainda se libertar dos anos 60. Se bem que com hecatombes de malas de dinheiro, agora parecem estar se livrando do pesadelo. Não precisaram nem de ánalise ou terapia. Lojas e shoppings finissimos de Milão, Roma, Lisboa, Paris ou NY resolveram o problema.  Aqueles que ainda não foram curados, esperam por Dom Sebastião e a continuidade dop Caudilhismo Tupiniquim. É muita novidade, muita vanguarda, muito protagonismo. 40 anos de uma farsa de Estado projetado a partir de uma ConstituiçãoEscárnioCaricaturaCidadã serão espiados pelo retorno de Emanuel. Ou seria Messias?  Vida Longa ao Rei. O Circo precisa ir onde o povo está. 

  2. POR ISSO ELE NÃO QUEBROU O MONOPÓLIO DA GLOBO!

    Sem a globo seria impossível a “cumpanherada” sair chutada do governo, por conta própria, para que o Temer fizesse o serviço sujo, e vendesse o Pré Sal. Confiram quanto e como a propina pode rolar nessas negociatas:

    http://democraciadiretabrasileira.blogspot.com.br/2017/02/como-enganam-os-pequenos-empresarios.html 

    Sem o monopólio da globo, o Brasil inteiro ficaria sabendo como o PT instituiu a ROUBALHEIRA, legalizando o crime no Brasil. Confiram:

    https://democraciadiretanobrasil.blogspot.com.br/2017/09/o-pt-apodrece-defende-aecio-e-impunidade.html

     

  3. Preocupação

    Caso a pesquisa vá se transformando em realidade em 2018 só restará uma alternativa para a direita (geral): os trncer ibunais modificarem os votos das urnas já que eles possuem acesso a elas. Como nossa democracia foi para o brejo, não vejo impedimento para tal procedimento. Farão de tudo para impedir Lula de vencer a próxima eleição. Isso se deixarem o Lula se candidatarem ou se tiver eleição.

  4. Infelizmente, quanto mais

    Infelizmente, quanto mais aumenta a chance de Lula, mais rápido será o processo no TR4 pra lhe colocar uma ficha suja e ele não participar das eleições. Pra mim será uma surpresa Lula não ser impedido de disputar a presidência e com chance de ganhá-la. Os que mandam e mamam os recursos do país querem, alinhados com o rentismo internacional, fazer do Brasil umgrande laboratório pras suas ‘teorias’ como foi a Argentina nos anos 90, com a sandice da paridade peso-dólar. E Lula e Ciro claramente são contra isso. Claro que pros que mandam o melhor do mundo seria bater lula nas urnas – e assim manter nossa democracia pra inglês ver. Mas como os candidatos dela não se mostram competitivos – Dória e Alkimin – então é melhor não correr o risco de Lula Lá de novo. Até porque ele ssabem que não tirariam Lula do poder com a facilidade com que tiraram Dilma. 

  5. 100-42=58
    Quer dizer então que a maioria do povo brasileiro não votaria em Lula? É isso que dá um sistema político em que somos obrigados a votar em pessoas, em vez de em propostas. E não se diga que pessoas estão associadas a propostas: com frequência elas fazem no poder o contrário do que prometeram na campanha. Esse sistema funciona bem em tribos (de, no máximo, 150 pessoas, que é o número médio de conhecidos com quem temos algum relacionamento). Não escala bem para 200 milhões. O respeito por nossos antepassados nos leva a reverenciar frases ditas por rapazes de 20 anos (Alexandre, o grande, por exemplo), sistemas políticos inventados para funcionar em clãs e superstições de camponeses da idade do bronze. Hora de mudar!

    • Claro que não, meu filho

      Uma boa parte da população brasileira tem menos de 16 anos. Essa parcela da população brasileira não tem direito (dever) ao voto. O voto é facultativo para os jovens na faixa etária entre 16 e 18 anos e o voto das pessoas a partir de 70 anos também é facultativo. Isso quer que seria dificílimo um candidato receber os votos da maioria do povo brasileiro.

      Volte para sua bodega e deixe de bodejar

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome