Novas regras eleitorais são centrais na estratégia de Temer

Governo estuda usar R$ 30 bilhões para aprovar Previdência e consolidar base para lançar candidatura única para isolar Lula  (Foto: Agência Brasil)
 
temer_foto_antonio_cruz_abr.jpg
 
Jornal GGN – Uma coisa os apoiadores do fim do financiamento privado de campanhas eleitorais não esperavam, que a nova regra traria mais poder de barganha ao presidente da República, ainda mais porque desde 2015 se tornou obrigatório o governo federal disponibilizar recursos através de emendas parlamentares permitindo ao Congresso Nacional ampliar a participação na elaboração do orçamento anual da União.
 
Segundo levantamento do Estado de São Paulo, o governo Temer usará R$ 30 bilhões que têm em caixa para emendas parlamentares, a fim de tentar aprovar a reforma da previdência ainda em fevereiro e, ainda, consolidar uma base para fortalecer uma candidatura única à Presidência da República que isole o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 
 
Cerca de R$ 20 bilhões são de restos a pagar de emendas parlamentares do ano passado e novas emendas do Orçamento de 2018. Outros R$ 10 bilhões é o que o governo espera economizar ainda este ano caso a reforma da Previdência seja aprovada. Todo esse recurso pode ser destinado por deputados federais e senadores aos seus redutos eleitorais. 
 
Ainda com a nova lei que proíbe empresas fazerem doações para campanhas eleitorais e a criação do fundo eleitoral, as direções partidárias serão fortalecidas pois caberá a elas centralizar a distribuição de verbas punindo com menos recursos o deputado que for “rebelde” nas votações. Diante desse quadro, as novas regras eleitorais são estratégicas para Temer. 
 
Ainda segundo Estado, em 2017 a liberação de recursos para emenda parlamentar aumentou 48% em relação a 2016 e 68% em relação a 2015, quando a execução se tornou obrigatória. Vale destacar que no ano passado Temer escapou de duas denúncias encaminhadas pela Procuradoria-Geral da República que foram suspendidas no Congresso. O presidente estava sendo acusado pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça, mas a maioria dos parlamentares achou melhor não levar adiante as investigações.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. SE O LULA NÃO PUDER

    SE O LULA NÃO PUDER CONCORRER, TOMARA QUE O TEMER VENÇA AS ELEIÇÕES; OU O BOLSONARO! O POVO MERECE O QUE ESTÁ VIVENDO E VAI VIVER!!!! QUALQUER TRIBULACÃO FUTURA É SÓ PEDIR AJUDA PARA O PATO AMARELO!!!!!! ESTE PAÍS SERÁ SEMPRE “BABA OVO” DOS GRINGOS! POR MUITO TEMPO SERÁ, NÃO UMA NAÇÃO, MAS UM AMONTOADO DE GENTE! VIVAS AO LULA, O MAIOR PRESIDENTE QUE JÁ TEVE O BRASIL!!! 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome