O problema deles é que milhões já pensam como o Lula, diz ex-presidente

Foto: Ricardo Stuckert

Jornal GGN – O ex-presidente Lula disse no último ato da Caravana pelo Sul do País, na noite de quarta (28), que o problema dos grupos que apoiaram o golpe e tentam impedir sua candidatura ainda não perceram que a prisão não vai adiantar, pois milhões de homens e mulheres já pensam “como o Lula”.
 
No ato que contou com a participação de Manuela D´Ávila e Guilherme Boulos, presidenciáveis do PCdoB e PSOL, Lula afirmou que a grande mídia tem parte na culpa pelo ódio disseminado à direita e que culminou num atentado com arma de fogo contra os ônibus da caravana.
 
Já Boulos e Manuela falaram da necessidade de uma frente de esquerda contra o fascismo e os desdobramentos do golpe de 2016.
 
Da Rede Brasil Atual
 
 
No ato que encerrou a quarta etapa da Caravana de Lula pelo Brasil em Curitiba, a defesa da democracia e a condenação aos atos de agressão sofridos pela comitiva do ex-presidente deram a tônica de vários dos discursos feitos na noite desta quarta-feira (28).
 
“Nós não podemos jamais nos dividir naquilo que é central. O Brasil vive há dois anos sob um comando golpista. Sofremos um golpe que, além de antidemocrático, tem um sentido antinacional, ressaltou a pré-candidata à presidência da República Manuela d’Ávila (PCdoB). “É o golpe da entrega do Brasil, do pré-sal, do congelamento dos investimentos sociais. Que pensa a partir da judicialização da política, para que Lula não possa concorrer às eleições.”
 
Para Manuela, defender a candidatura de Lula não é uma algo que deva ser feito apenas por “petistas e lulistas”. “É tarefa para aqueles que defendem a democracia.”
 
O pré-candidato do Psol à presidência, Guilherme Boulos, falou sobre o atentado sofrido pela comitiva do ex-presidente ontem, a caminho de Laranjeiras do Sul, no Paraná. “Não sabemos o nome do fulano que apertou o gatilho, mas quem apertou é quem está semeando esse ódio todo dia e temos que responsabilizar Jair Bolsonaro por isso. Bandido, criminoso, sem vergonha. Ele tem semeado essa onda fascista no país e temos que cobrar isso deles.”
 
Boulos clamou pela unidade do campo progressista. “Na esquerda, temos diferenças de posição e pontos de vista. Mas nossa tradição não é a da intolerância e do pensamento único, isso é do outro lado, pontuou. “Essas diferenças não podem e não vão nos impedir de sentar à mesa para defender a democracia nesse país e enfrentar o fascismo. Por isso, já passou da hora de a gente sentar e formar uma frente democrática para enfrentar o fascismo entre os partidos e as candidaturas de esquerda por que o que está acontecendo nesse país é muito grave.”
 
Em sua fala, o ex-presidente Lula também atribuiu à mídia tradicional parte da responsabilidade pelo clima de ódio que propiciou agressões como as sofridas pela sua Caravana na região sul. “A imprensa foi conivente com isso o tempo inteiro. Vocês sabem, o culpado desse ódio no Brasil, o estimulador desse ódio no Brasil chama-se Rede Globo de Televisão.”
 
Ele ressaltou que parte da mídia chegou a relativizar as agressões sofridas pela Caravana, adotando outro posicionamento em seguida. “Alguns até tentaram defender os ataques à Caravana. Essa imprensa brasileira tem complexo de vira-latas e como a imprensa estrangeira condenou os fascistas, hoje todo mundo começou a mudar de opinião.”
 
O ex-presidente voltou a reafirmar sua inocência em relação à condenação no caso do tríplex do Guarujá. “Não tenho nada contra a Lava Jato. Tenho contra a mentira. Digo todo dia: estou sendo vítima de uma mentira do jornal O Globo, da Polícia federal e de um inquérito mentiroso, do Ministério Público da Lava Jato que fez uma acusação mentirosa, e do Moro, que aceitou uma peça mentirosa e fez uma sentença mentirosa me condenando.”
 
“Não sei qual a intenção deles de ficar dizendo que vão me prender. Eles acham que sou eu o problema deles. Eles não sabem que o Lula é apenas um ser humano feito de carne e osso, não sabem que já tem milhões de mulheres e homens que pensam como Lula. Nós somos uma ideia, e eles não conseguirão prender as ideias e sonhos”, disse.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A estreia de Guilherme Boulos na Folha, por Gustavo Conde

6 comentários

  1. Há FASCISMO, somos contra

    A grande vitória de Lula ao final da Caravana, no comício suprapartidário de ontem, além de um passo importante para a unificação do campo progressista, foi ter carimbado na opinião popular a rubrica FASCISMO para o que é de fato FASCISMO.

    O atentado que Lula sofreu foi um ato FASCISTA. Quem comemorou, apoiou ou manteve-se indiferente à barbárie agiu como um FASCISTA. Dois presidenciáveis, Alckmin e Bolsonaro, em busca de votos de FASCISTAS, se comportaram como FASCISTAS após o atentado. Um pôs a culpa na vítima (“Colheu o que plantou”). O outro, burro como um poste, “brincou” de matar com revólver de dedo o boneco do Lula para os fotógrafos, além das esperadas merdas que normalmente evacua ao abrir a boca.

    FASCISMO é diferente de oposição. O FASCISTA usa de violência para matar ou destruir o inimigo político, sem outra alternativa. A oposição política dialoga, propõe, disputa eleições, tem humildade para aceitar os resultados e entende que ganhar ou perder faz parte do jogo da vida. Serra, por mais corrupto e sujo que seja, aceitou as 2 derrotas que sofreu para Lula e Dilma. Aécio agiu como um FASCISTA, destruiu a democracia e seu próprio futuro político.

    O comício de Curitiba foi um ato contra o FASCISMO. Foi uma derrota da Globo, que conseguiu por um tempo higienizar a execução de Marielle Franco, criou às pressas o fakenews de Fachin e da 3ª denúncia de Temer, na tentativa de tirar Lula do foco, mas perdeu. Ali Kamel perdeu. O Brasil é contra o FASCISMO: não há truque de mídia que transforme um ato FASCISTA num episódio apenas “triste” ou “lamentável”. Ao FASCISMO o que é do FASCISMO. Merval Pereira, o porta voz de Kamel, perdeu. E nós, do campo progressista, vencemos uma importante batalha semiótica. Não é pouca coisa.

    O Brasil corre o risco de se tornar uma ditadura FASCISTA. A elite branca, atrasada, escravocrata que apedrejou, xingou, chicoteou e baleou jornalistas e membros a comitiva de Lula, na frente de crianças, seus filhos, é FASCISTA. Seus pares e seus representantes na mídia, nas redes e no Poder Judiciário, que fizeram a opção preferencial pelo FASCISMO em benefício próprio, por meio do implacável lawfare contra Lula, são FASCISTAS.

    O Brasil está farto de ódio. Deixe o ódio para quem tem, disse Chico Buarque.

    O Brasil está farto da violência FASCISTA. Deixe o FASCISMO para quem é.

    O Brasil quer voltar a sonhar com um futuro justo e bom para todos, com paz, segurança e trabalho. E isso, no momento, só a esquerda pode oferecer.

  2. Sempre o mesmpo papinho

    Se existe alguem arrogante, hipócrita e egocêntrico ao extremo, é o Lula.

    Se julga o homem do povo, mas não é.

    Se considera integro e honesto, mas é tudo farsa.

    Se vende como solução, mas não entende que o seu tempo já passou.

    Se diz como alguém para resgatar o país, mas apenas vende o mais do mesmo da nossa política.

    Lula representa o passado e a esquerda está perdendo a oportunidade de traçar um novo futuro, por medo, preguiça, ignorância, prepotência e arrogância.

    Esta é a verdadeira esquerda. Perdida em seus fantasmas, atreladas ao passado, onde Lula não permite que novos nomes cresçam dentro do partido, ao centralizar toda a decisão. 

    O PT é refém de Lula por culpa dos seus simpatizantes e partidários, que vivem da ilusão do passado.

    Se o Brasil está com o Lula, é porque querem viver do passado e do mundo da fantasia.

     

    • Diz ai esperto.
      Pela sua
      Diz ai esperto.

      Pela sua ótica, quem seria ou será o grande Salvador da Pátria amada Brasil , ex terra de Pindorama .

      Quem será o Agnus Die que vai remir todos os pecados do Brasil .

      Diz ai esperto !

      • Te respondo espertão.

        Sinceramente, não vejo nenhum candidato a altura para ser presidente.

        Lula vive das glórias do passado.

        Bolsonaro é um falastrão.

        Ciro Gomes é um zero a esquerda em economia.

        Fernando Collor está indo no Oba oba.

        Boulos nem sabe o porque se candidatou ainda.

        Marina Silva é uma melancia, verde por fora e vermelha por dentro, mas ela não sabe disso ainda.

        Alckimin não tem perfil para ser presidente.

        NENHUM NOME.

        Qualquer um que seja eleito, ainda viveremos no caos, no atraso e na ilusão.

        Satisfeito?

        • Porque você não se candidata, Twig?

          Você é o contrário do Lula. Seria, portanto, o candidato ideal da burguesia, dos latifundiários, dos Coxinhas, etc.

          Eu votaria no seu partido.

    • “a esquerda está perdendo a

      “a esquerda está perdendo a oportunidade de traçar um novo futuro”

      Preocupe-se com o seu lado – a direita – que com a esquerda nos preocupamos nós.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome