PCdoB reafirma Manuela candidata, mas pede união da esquerda no 1º turno

Foto: Flickr/Manuela D’Ávila

Jornal GGN – O PCdoB se reuniu no último final de semana para discutir a eleição de 2018 e decidiu reafirmar a pré-candidatura de Manuela D’Ávila, que tem levado à mensagem do partido às massas, nessa fase que antecede a campanha oficial. Mas a legenda chamou atenção por ter conclamado PT, PDT, PSB e PSOL a “construírem a unidade já no primeiro turno” da disputa presidencial, contra a agenda dos postulantes de centro e direita.

“(…) o PCdoB conclama o PT, PDT, PSB, PSOL e demais forças progressistas a construírem a unidade, já no primeiro turno, para vencer as eleições, derrotar a agenda neoliberal e neocolonial de Alckmin, Temer e Bolsonaro, retirar o Brasil da crise e encaminhá-lo a um novo ciclo de desenvolvimento soberano com geração de empregos, distribuição de renda e direitos”, afirmou o partido em nota oficial.

Enquanto essa união não ocorre, “reiteramos que Manuela d’Ávila [é a pré-candidata], que segue com sua exitosa pré-campanha, renovará seu empenho para que se viabilize a união do campo progressista, condição imperativa para que alcancemos a quinta vitória do povo”, acrescentou.

A presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, disse durante os encontros do partidos que “este é o pleito eleitoral mais complexo desde a redemocratização. Não é por menos, trata-se de uma mudança de ciclo político, de recomposição de forças e alianças.”
 
“Neste quadro, o que nos orienta é vencer as eleições e derrotar a agenda neoliberal e neocolonial que busca ganhar a legitimidade das urnas. Somados a esse objetivo maior, estão os objetivos diretos de nosso projeto eleitoral nesta disputa”, comentou.
 
OUTROS PARTIDOS
 
Na última semana, o PDT confirmou a candidatura de Ciro Gomes ao Planalto. O PT insiste que Lula será registrado na Justiça Eleitoral no dia 15 de agosto, prazo final para pleitear a candidatura. O PSOL tem apostado em Guilherme Boulos, líder do MTST.
 
O PSB ainda discute com quem fará alianças, com chances de aderir à campanha de Ciro. Um dos caciques do partido em São Paulo, Márcio França, candidato ao governo do Estado, disse em entrevista ao Diário do Grande ABC que o PSB não fará aliança com o PT no plano nacional.
 
METAS DO PCdoB
 
As metas do Partido são: seguir avante com pré-candidatura de Manuela d’Ávila à Presidência da República, garantir uma bancada forte no Congresso Nacional, reeleger o governador Flávio Dino e a senadora Vanessa Grazziotin (AM) e outras candidaturas ao Senado Federal e a Vice-governador, passando pela superação da cláusula de desempenho de 1,5% de votos em nível nacional, e 1% de votos em pelo menos nove estados ou a eleição de deputados nesses nove estados.
 
Leia, abaixo, a nota completa:
 
PCdoB conclama PT, PDT, PSB e PSOL: Unidade desde já
 
Aberto o calendário das convenções partidárias, vem à tona uma nítida orquestração das forças conservadoras que entronizaram o desastroso governo Temer para tentar vencer as eleições presidenciais com uma candidatura do consórcio golpista. Desenha-se uma coesão do campo político da direita e centro-direita em torno do candidato do PSDB Geraldo Alckmin. Faz parte dessa orquestração tentar isolar o candidato do PDT Ciro Gomes e, também, concorrentes do tucano pertencentes ao seu espectro político e, ainda, manter a candidatura do MDB, Henrique Meirelles, com o intuito de descolar Alckmin de Temer.
 
Não se deve subestimar esse movimento de reforço a Alckmin e nem o candidato de matiz fascista Jair Bolsonaro, mas a disputa presidencial está longe de estar definida, seguirá acirrada e de resultado incerto, mesmo com o líder das pesquisas, o ex-presidente Lula, mantido arbitrariamente encarcerado. O PCdoB prossegue a luta pela liberdade do ex-presidente e pelo seu legítimo direito de ser candidato. Alckmin carregará nos ombros, mesmo que se esquive, o governo que imputou grande sofrimento e tragédias ao nosso povo; e seu programa é antinacional, antipopular e autoritário.
 
Neste cenário, o PCdoB reafirma a convicção de que a estratégia política da esquerda e das demais forças democráticas, populares e patrióticas deve ter por centro a vitória eleitoral em outubro, o que exige marcharem unidas desde já.
 
Para isto, o PCdoB conclama o PT, PDT, PSB, PSOL e demais forças progressistas a construírem a unidade, já no primeiro turno, para vencer as eleições, derrotar a agenda neoliberal e neocolonial de Alckmin, Temer e Bolsonaro, retirar o Brasil da crise e encaminhá-lo a um novo ciclo de desenvolvimento soberano com geração de empregos, distribuição de renda e direitos.
 
Da parte do PCdoB, reiteramos que Manuela d’Ávila, que segue com sua exitosa pré-campanha, renovará seu empenho para que se viabilize a união do campo progressista, condição imperativa para que alcancemos a quinta vitória do povo.
 
São Paulo, 22 de julho de 2018
 
Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

10 comentários

  1. Só há uma saída

    A necessidade da unidade dos democratas (socialistas e liberais) já no primeiro turno é tão óbvia que dá até raiva ter que comentar sobre isso.

    Dilma foi derrubada (sem crime de responsabilidade); Lula está enjaulado (sem crime tipificado); o Brasil sendo saqueado; o fascismo em ascensão…

    O que mais precisa para vencer o sectarismo ?

  2. Lula tem entre 30 e 40% das

    Lula tem entre 30 e 40% das intenções de votos no 1º turno e seu candidato terá algo em torno de 30%. Por que raios o PT deveria abrir mão de todo o seu patrimônio eleitoral e político para apoiar um candidato instável e traiçoeiro como o Ciro Gomes?

    O PT está certo em insistir na candidatura do Lula e, caso for impugnada, tem todo o direito de indicar um substituto. Quando o PT era governo e tinha a chave do cofre todos os partidos ditos de esquerda eram aliados. Agora que o PT sofreu um golpe estão todos os ditos partidos de esquerda abandonando-o, isso sem falar que o PSB e o PDT foram determinantes no impeachment.

    O  PSB e o PDT não são partidos de esquerda, são na verdade partidos oportunistas, eles não tem compromisso com os setores sociais oprimidos. O PT deve seguir com a candidatura do Lula ou de quem ele indicar, pois é o único partido com condições reais de viabilizar um governo que beneficie os mais pobres e vulneráveis. 

  3. 30 a 40 % em pesquisas públicas ??… Cuidado: Não acreditemos.

    pesquisas verdadeiras são as internas,encomendadas pelos partidos e grupos,CNI,etc,e são guardadas a 7 chaves.Tais pes-quisas públicas podem,se forem com método decente,dizer sobre o exato momento.São manipuladoras da opinião pública,dos simpatizantes,dos filiados,da hierarquia e cúpula(esta que tem um discurso oficial pro público,e outro, em 7 chaves, internamen-te,na luta de foice e martelo,predominando as estrelinhas e os personalismos).Não é questão de quantidade,de número,mas de qualidade.E, O MAIS IMPORTANTE: perceber a dinâmica das novas realidades de 2013 pra cá. Tem gente que pensa que bons governos de tempo atrás poderiam ser repetidos, ou que fariam alguma coisa. Doce ilusão, credulidade, coisa de seita.

  4. Parabéns ao PCdoB

    Parabéns ao PCdoB por essa postura patriótica ratificada por essa conclamação aos demais partidos. É imperioso pensar no Brasil e, nesse momento, o melhor quadro para brigar com essa bandidagem é a candidatura do Ciro Gomes. Ele reúne as melhores qualificações para brigar com qualquer candidato. Tem a ficha limpa, tem plano de governo, tem equipe e tem tesão pelo Brasil, o mais importante de tudo!

    Estou preocupado com o Lula porque sinto uma eira de vaidade que pode jogar o Brasil numa situação jamais vista dantes. Lula preso é uma certeza de que todos os esforços estão sendo feitos para evitá-lo e, mesmo que ele concorra, farão de tudo para caçar sua candidatura antes e depois (até mesmo se eleito for). Lula hoje representa a separação do Brasil em nós e eles, de igual sorte do Bolsonaro.

    O PT tem emitido sinais de que está pensando só nele, no seu legado político. É preciso pensar no Brasil, viu PT? Vcs tiveram a faca e o queijo nas mãos e permitiram que chegássemos a esse ponto. Resultado, assumam a culpa e pensem na importância da decisão que terão de tomar. Estou ansioso para ver se Lula é patriota como ele diz que é.

    A chapa deveria ser Ciro com Haddad. Com isso o partido teria força no próximo governo e poderia contribuir muito para interromper esse caos atual e caminhar para mudanças mais efetivas para o país.

    O plano de governo do Ciro não é tão distante dos partidos de esquerda, dessa sorte, fica muito fácil equacionar uma agenda que equilibre as forças e impulsione a nação para novos rumos.

    Minha solidariedade ao PCdoB nesse momento de imenso patriotismo e visão do partido.

  5. Parabéns ao PCdoB

    Parabéns ao PCdoB por essa postura patriótica ratificada por essa conclamação aos demais partidos. É imperioso pensar no Brasil e, nesse momento, o melhor quadro para brigar com essa bandidagem é a candidatura do Ciro Gomes. Ele reúne as melhores qualificações para brigar com qualquer candidato. Tem a ficha limpa, tem plano de governo, tem equipe e tem tesão pelo Brasil, o mais importante de tudo!

    Estou preocupado com o Lula porque sinto uma eira de vaidade que pode jogar o Brasil numa situação jamais vista dantes. Lula preso é uma certeza de que todos os esforços estão sendo feitos para evitá-lo e, mesmo que ele concorra, farão de tudo para caçar sua candidatura antes e depois (até mesmo se eleito for). Lula hoje representa a separação do Brasil em nós e eles, de igual sorte do Bolsonaro.

    O PT tem emitido sinais de que está pensando só nele, no seu legado político. É preciso pensar no Brasil, viu PT? Vcs tiveram a faca e o queijo nas mãos e permitiram que chegássemos a esse ponto. Resultado, assumam a culpa e pensem na importância da decisão que terão de tomar. Estou ansioso para ver se Lula é patriota como ele diz que é.

    A chapa deveria ser Ciro com Haddad. Com isso o partido teria força no próximo governo e poderia contribuir muito para interromper esse caos atual e caminhar para mudanças mais efetivas para o país.

    O plano de governo do Ciro não é tão distante dos partidos de esquerda, dessa sorte, fica muito fácil equacionar uma agenda que equilibre as forças e impulsione a nação para novos rumos.

    Minha solidariedade ao PCdoB nesse momento de imenso patriotismo e visão do partido.

  6. FRENTE AMPLA URGENTE

    Correto o posicionamento do PC dp B, ao defender a proposta de formação da frente ampla de esquerda. E Manuela D’Ávila demonstrou atitude exemplar com a disposição de abrir mão de sua candidatura à presidência da república em prol da união da esquerda para disputar o primeiro turno nas eleições de 2018.

    O PT insiste em manter postura mesquinha e danosa, que ameaça vir a inviabilizar a real possibilidade de reverter o domínio nefasto da direita golpista e predatória, o que gera o risco de lançar o futuro do partido no lixo da história.

    Ao repelir a alternativa de formação de uma frente ampla de esquerda embasada num projeto político bem definido, o PT demonstra que deseja repetir a trajetória passada, através de uma campanha eleitoral personalista e da busca de alianças eleitoreiras, as quais resultaram na deletéria composição atual do parlamento.

    Desse modo, o PT demonstrar não haver aprendido ainda a importância de superar as influências de personagens sombrios, a exemplo de Antonio Palocci, Eduardo Cardoso e Jacques Wagner, haja à vista o recente anúncio do apoio ao PSD na Bahia, ao referendar a candidatura ao senado de um conhecido baluarte do carlismo, eleito vice-governador em 1998 através do ditatorial e malsinado PFL.

    Nesta medida, ao optar pelo vale-tudo eleitoreiro, o PT tende a obstar a eleição de uma maioria parlamentar que tenha real compromisso com legítimas causas populares, e sinaliza a pretensão de lotear o governo com aliados de ocasião.

    Ao insistir nesta conduta estranha, o PT corrobora a opinião emitida por conceituada jornalista em recente artigo cujo título é Esquerda Quer Eleger o Alckmin.

    A intransigência do PT contra a formação da frente de esquerda para viabilizar a eleição de um governo democrático amparado por uma expressiva maioria parlamentar demonstra a necessidade urgente de evolução da cultura política.

    Nesta medida, urge mobilizar os formadores de opinião e as comunidades populares, a fim de cobrar das lideranças petistas a indispensável viabilização de uma frente ampla de esquerda, para possibilitar a reversão dos retrocessos.

  7. Mais do mesmo… Nao desistem

    Isso NAO VAI ROLAR. Lula nao vai indicar Ciro, e se indicasse metade dos petistas ainda assim nao votaria nele. Mas vcs ficam insistindo, insistindo, insistindo… Aliás, alguns membros do Blog, mas um grande número de gente que nunca apareceu antes. Ciro pode nao ter votos, mas a campanha tem recursos para contratar…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome