PSB esteve alheio à compra do jato de Campos, afirma presidente

Jornal GGN – Na noite desta segunda-feira (1/9), o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, enviou um comunicado à imprensa para afirmar que o partido “esteve alheio” às negociações de compra do jato Cessna Citation, que caiu em 13 de agosto, provocando a morte de sete pessoas. Entre elas, do então presidenciável Eduardo Campos, substituído por Marina Silva. Segundo o informe, o uso do jato será declarado ao Tribunal Regional Eleitoral pelo comitê de Campos, até o final da campanha. 

Desde que o avião sofreu um acidente em Santos, no litoral paulista, a Polícia Federal tenta chegar aos proprietários. A corporação suspeita que o avião tenha sido adquirido com dinheiro de caixa 2. Essa semana, a imprensa revelou que o suposto contrato de venda do avião para empresários pernambucanos, conhecidos de Campos, não têm nome do comprador. Na semana anterior, também veio à tona que empresas laranjas foram usadas para efetuar pagamento de parcelas do equipamento.

Marina Silva, pressionada pela imprensa, disse que explicaria tudo que sabe em entrevista ao Jornal Nacional. A candidata, contudo, apenas reafirmou que não sabe da procedência do avião, que apenas pegou uma carona. O candidato a vice-presidente, Beto Albuquerque, chegou a declarar que o grupo não deve nenhuma explicação sobre o episódio.

Abaixo, a nota do PSB na íntegra:

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) vem a público prestar os seguintes esclarecimentos a respeito do acidente ocorrido em 13/08/14, com a aeronave prefixo PP-AFA, que vitimou o seu presidente e então candidato à Presidência da República,  Eduardo Henrique Aciolly Campos.

·      O uso da aeronave foi autorizado pelos Srs. João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira, dos grupos empresariais BR-Par Participação Ltda. e Bandeirantes Cia. Pneus Ltda. de Pernambuco;

·      Apurou-se que tais empresários haviam negociado o mencionado avião com a empresa AF Andrade, de Ribeirão Preto, que era sua arrendatária junto à Cessna Finance;

·      A transferência de leasing ao Grupo de Pernambuco foi comunicada pela AF Andrade à ANAC, por petição datada de 15 de maio de 2014;

·      Referida transferência de leasing, segundo nota à imprensa, não foi ainda concretizada, porque a Cessna Finance não aprovou as garantias oferecidas;

·      Como também informou o grupo Andrade à ANAC, os empresários pernambucanos pagaram, no dia 08 de maio, oito parcelas do leasing da aeronave.

O Partido Socialista Brasileiro presta esses esclarecimentos para deixar patente que esteve alheio às negociações efetuadas entre os empresários de Pernambuco e a empresa AF de Ribeirão Preto.

Cumpre ainda esclarecer que a utilização da aeronave está sendo incluída na prestação de contas de Eduardo Campos ao Tribunal Regional Eleitoral.

Roberto Amaral – Presidente nacional do PSB 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora