Um balanço da primeira rodada das eleições 2014

 
Hoje, programa Brasilianas.org aborda o impacto econômico e social sobre os rumos destas eleições
 
A decisão para o segundo turno das eleições presidenciais 2014 foi acirrada. Há poucas semanas o enfrentamento entre Dilma e Marina na segunda fase era dado como certo, mas o candidato Aécio Neves surpreendeu e agora está no pário para disputar a cadeira presidencial. Quais fatores explicam essa guinada? Mais ainda, quais forças sociais poderão levar Aécio à presidência, e quais poderão manter Dilma no Palácio do Planalto?
 
Para responder essas questões, hoje, a partir das 19h30, na TV Brasil, o apresentador Luis Nassif receberá três especialistas para também analisarem os fatores econômicos e sociais responsáveis pelos rumos destas eleições. São eles o presidente do Instituto Data Folha, Renato Meirelles; o especialistas em políticas públicas no governo do Estado de São Paulo, e professor de Gestão de Políticas Públicas da USP, Fabio Alvim Klein e o Cientista Político da UnB, que trabalha há mais de 20 anos no Senado, Antonio Flavio Testa. Participe do debate encaminhando suas perguntas que poderão ser selecionadas ao vivo. Clique aqui.
 
Onde sintonizar a TV Brasil:
 
UHF Analógico Canal 62 (SP)
UHF Digital Canal 63 (SP)
VHF Canal 2 (RJ), (DF) e (MA)
Net – Canais 4 (SP), 16 (DF), 18 (RJ e MA)
Sky-Direct TV – Canal 116
TVA digital – Canal 181
Ou assista pela internet: www.tvbrasil.ebc.com.br.
Para assistir as edições anteriores: http://tvbrasil.ebc.com.br/brasilianas/videos

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  PT deve aderir a Boulos se Tatto não crescer nas pesquisas, diz jornal

24 comentários

  1. Penso que deveriam fazer uma

    Penso que deveriam fazer uma auditoria nas urnas eletrônicas utilizadas em são paulo.

    Seria melhor e mais confiável se nossas urnas emitissem um comprovante do voto para o eleitor e outro para ser colocado em uma urna. Depois, que houvesse uma auditoria aleatória(batimento entre o que foi registrado pelo sistema e o que foi depositado na urna) em pelo menos 50% das urnas.

    O erro das pesquisas foi grosseiro. Como é um reduto tucano com imprensa, TJ, MP e provavelmente justiça eleitoral tucana, dá para desconfiar.

    Só não digo certeza porque paulista é burro mesmo.

    • Não se preocupe. Irá ter

      Não se preocupe. Irá ter MUITAS auditorias.

            Sobretudo na Petro.

          ps: Vc não quer uma auditoria  na Bahia tbm?As pesquisas erraram muito por lá. Não interessa?

                Interessante, trocentos reclamaram das pesquisas em SP e no governo federal, e nem um pio na Bahia.

                        Por que será hein? 

                           Esse tal de PT é um horror!!!!!!!!!

      • Por acaso você pertence ao

        Por acaso você pertence ao sábio povo paulista. Aquele morador do tucanistão, onde é governado por  anjos a mais de 30 anos?

    • Concordo com a pouca confiabilidade das urnas

      Aqui em Santos, a apuração da  eleição de 2008 para vereadores só terminou 9 horas da manhã do dia seguinte, se especulou de tudo.

      O Almicar, que é do PDT já cansou de provar que uma vez carregado os dados das urnas no computador do TRE não existe mais segurança e é possível se alterar o resultado das eleições.

      A urna eletrônica não é confiável.

  2. Queria que alguém analisasse

    Queria que alguém analisasse os períodos de grandes oscilações na bolsa durante o último mês de novembro e o discreto aumento, nao tão propagado pela mídia, no dia de sexta feira,  3? Não sei se posso fazer duas perguntas, mas vai mais essa, o que aconteceu com as novissimas urnas digitais que até o presidente do TSE disse ter sido uma solução para um problema não existente? Concluindo na mesma pergunta, como explicar a ausência de 40 milhões de votos , em que categoria nas pesquisas estava contemplado um número tão alto de votos (brancos, nulos, abstenções)? Na realidade, as pesquisas apontavam para um número em torno de 7 ou 8%, se não me engano.

  3. O SUICÍDIO CONSCIENTE DA TV RECORD

    Trabalhei quase 30 anos numa das maiores emissoras de TV do Brasil. Recentemente conversei com um ex-Vice-Presidente de uma emissora de nacionalidade árabe que me disse a seguinte frase:

    A TV Record no afã de ficar parecida com a Rede Globo atacou tanto o Governo Dilma que agora corre o risco de, caso Aécio Neves seja eleito, ficar sem a publicidade oficial do Governo Federal, pois é mais do que certo de que 90% das verbas das empresas federais serão carreadas para a TV Globo caso a oposição vença as eleições.

    Este fato é particularmente perceptível na Record News, onde Heródoto Barbeiro, diariamente, critica ferozmente qualquer assunto que diga respeito ao Governo Dilma e elogia Alckmin pelo seu “talento” em enfrentar a crise da água dos paulistas.

    Infelizmente este “tiro no pé” da TV Record não pode ser publicado nos blogs de PHA e de Azenha pois são sumariamente censurados.

  4. A EXPLICAÇÃO SOBRE A PÍFIA VOTAÇÃO EM SÃO PAULO

    O PT tem que mudar a sua realidade. Preocupou-se, e muito, com a base aliada e deixou de cultivar em seu partido.

    Para este modesto comentarista,  é facilmente perceptível os seguintes fatos que trouxeram a pífia votação dos candidatos do PT em São Paulo:

    I  – Diretórios frágeis ou inexistentes nas cidades do interior de São Paulo. É uma realidade que o PT parece desconhecer. O PT não existe em muitos municípios como partido político, ou ainda seus diretórios são formados por políticos frágeis e pouco eficazes.

    II – os partidos da base não dão suporte, na hora H, no momento em que se mais precisa à candidatura a governador, senador  e Presidente. Com a péssima imagem criada pelo PIG da nossa presidenta Dilma e do PT,  os aliados políticos não têm coragem de se exporem ao pedirem votos para os seus deputados. Não se viu nenhum deputado da base aliada, que o próprio PT, com cédulas casadas, presidente, governador, deputados estaduais e federais.  Só mesmo os candidatos a deputados do PT é que tiveram esse arrojo e bravura.

    III – os políticos dos municípios – façam um estudo para verificar esta realidade – mesmo sendo oposição aos prefeitos, estes que apoiavam Alckmin e Aécio,  pediam votos para seus deputados, unanimemente, com a chapa completa. Pareciam que estava vendendo pacote de canais de televisão fechado, ou seja, Aécio, Alckmin, Serra e os  nomes de seus deputados – inclusive de partidos da base aliada. E o povo comprou o pacote fechado. Deu no que deu!

    IV – não se viu – principalmente em cidade pequenas – ninguém pedindo votos para Dilma. Nenhum carro de som ou distribuição de material de campanha. Nada. Nadinha de nada. O PT esteve ausente – pelo que se percebeu – nestas eleições; os votos de Dilma foram nos grandes centros e sobretudo pelo prestígio de Lula e da própria Dilma (esta mesmo com a imagem desgastada pela campanha implacável dos manchetômetros do PIG, que a ligaram, é incrível,  com a corrupção)

    V- A atuação republicana. Sou a favor da forma republicana como Dilma se comportou em seu mandato, buscando servir o povo, mesmo que o estado ou município seja governado pela oposição. Antes, o governo só beneficiava os prefeitos e governadores de sua base. E Dilma mudou esta maneira de agir. Vê o interesse do povo e não dos governantes.

    Porém, era importante valorizar o diretório local dos partidos aliados, principalmente o PT, colocando-os sempre no palanque da entrega das obras e dos maquinários, mostrando ao povo de onde os benefícios que estão recebendo está vindo. Foi muito comum na administração de Dilma atribuir-se a este ou aquele – sem nunca falar-se em Dilma, sequer em governo federal – as obras e maquinários e serviços que os municípios e estados receberam do governo federal.

    Há muitos outros motivos, mas basicamente, acredito, estes foram os mais importantes,  relevando-se o desmonte partidário, ou seja, se não fosse o Lula, o débâcle, a ruína seria muito maior.

    Daí a votação pífia em São Paulo..

                                  

    • Em parte

      Mas, isso não explica a virada de última hora, dos paulistas em favor do Aecim.

      Acredito que acontece principalmente que os tucanos souberam conquistar o coração dos paulistas, no discurso do locomotiva do Brasil, o Estado mais desenvolvido, etc. Os caras já se acham 1o mundo!

      Ainda, somando o preconceito contra Nordestinos. Houve aqui um radicalismo, e isso deverá ser desfeito urgentemente, entre: Nordeste contra Sul/Sudeste; Ricos contra pobres; os baseados em “meritocracia” contra os que recebem planos sociais; os PT e os anti-PT.

       

      • Concordo plenamente com você

        Nos meus comentários, quis relevar aspectos que trouxeram queda, máxime de candidatos a deputados estaduais e federais do PT, aqui em São Paulo.

        É claro que há outros aspectos. E você menciona vários deles, com muita propriedade. Concordo com todos. É importante, no  entanto,  deixar claro que os tucanos não conquistaram os corações paulistas. A grande maioria está alheia a tudo, alienada, infelizmente, e vota por votar, impulsionada, inclusive pela campanha midiatica, que inseriu a corrupção no colo petista.

        Os paulistas votaram como se isto não fosse legar consequências desastrosas ao País, inclusive aqui em São Paulo. A alienação, o desconhecimento dos reais problemas brasileiros, a inexistência de uma reflexão mais aprofundada, está levando São Paulo e o Paraná a estes infelizes resultados.

  5. Se a Dilma conseguir os votos

    Se a Dilma conseguir os votos dos partidos (PSOL- Luciana Genro 1,55% +Eduardo Jorge-PV – 0,61 % +Zé Maria – PSTU-0,09+Mauro Iasi -PCB- 0,05 +Rui Costa – PCO – 0,01 % = 2,31% ).

    Portanto se cosiderarmos Dilma  41,59 % + Partidos de esquerda 2,31% = 44,90 % .

    Considerando que na eleição de 2010 a porcentagem transferida da Marina foi de 60% ,poderíamos prever que se a Dilma conseguir neste ano de 2014 obter 30 % dos votos válidos  ,a coligação do PT conseguiria quase 52 % ,o que garantiria a vitória no segundo turno.

    Mas como eleição é uma caixinha de surpresa ,resta-nos esperaros acertos,promessas,coligações,etc.

  6. A POLITICA EXTERNA NAS

    A POLITICA EXTERNA NAS ELEIÇÕES – Foi pouco ou nada debatido o tema politica externa nas eleições.

    Trata-se de um tema que reverte na politica economica e forma atitide de empresarios e expectativas economicas.

    Uma nitida derivação para o antimaricanismo explicito e pelo incondicional alinhamento com o bolivarianismo teve importante reflexo na formação de uma postura reativa do empresariado e da classe media alta profissional que é muito grande e influente em São Paulo. A escalada antiamericana dos ultimos dois anos e o apoio à outrance de todos os regimes bolivarianos, não só retorico mas tambem de financiamento preferencial a regims sem credito,

    alem de atitudes de continua confrontação da ordem economica global, provavelmente mais na retorica do que na realidade foram parte importante dessa construção de imagem negativa da Presidente Dilma perante o empresariado e a classe media alta. Em São Paulo mais de 100 mil profissionais e executivos estudaram ou estagiaram nos EUA,

    mais de 200 mil paulistas tem casas ou apartamentos na Florida, há um “link” muito forte desse grande grupo com os EUA eles se sentem incomodados com as agressõs do Planalto ao bloco dos paises centrais e um exagerado namoro com os BRICS, como se estes fossem a “”nova ordem”” alternativa  onde o Brasil deve se engajar.

    Essa visão do Governo, destoante da visão da elite profissional e economica, criou um crima de repulsa aos rumos da politica de inserção do Brasil no mundo e sendo São Paulo o nucleo globalista do Pais essa percepção negativa tirou muitos votos do PT. Muita gente no circutio night and day dizia nos bares e clubes ” Não quero o Brasil como uma nova Venezuela” essa visão contaminou a classe media média e a media baixa, com bom acesso à informação.

    Lembremos qu em 2013 dois milhões de brasileiros visitaram os EUA e o Consulado em São Paulo emitiu 900 mil vistos, a ligação entre São Paulo e os EUA é muito sólida seja através de turismo, de estudos, de empregos. O grosso dos investimentos estrangeiros no Brasil passa por São Paulo, quanto melhores as relações mais investimentos virão,  mais trabalho nos escritorios de advocacia internacional, nas mesas de cambio, nas consultorias, no aluguel de torres de escritorio na Faria Lima. Mesmo quando os investimentos vem da India, da China, da Espanha, a baliza vem dos EUA, de suas agencias de rating, fundos de investimentos, auditores, estar mal com Nova York e Londres não ajuda a captar investidores da China e do Oriente Medio, que olham para as notas que os EUA dão aos paises.

    A politica externa a patir de certo ponto tem influencia na politica eeconomica internacional. O esquerdismo do Governo Dilma está prejudicando as relações do Brasil com os grandes centros financeiros internacionais, isto está se acentuando nos ultimos dois anos e o eleitorado mais esclarecido já percebeu isso, há um preço a pagar por ter um Marco Aurelio ou um Franklin ao lado, nada é de graça em politica.

    • Como nos velhos tempos

      Concordo com vc Motta Araujo (AA) quanto a premissa de que temos dentro do Brasil um grande grupo partidário dos usa.

      Tinhamos (e temos) a escola das americas no Panamá, onde nossos militares eram (ou são) treinados para fazerem o que o seu patrão (os USA) mandar.  Assim tinhamos e temos militares alinhados com o pensamento americano e em caso de defesa do território brasileiro estes não participariam do nosso lado, com a desculpa de que com este governo (PT) seremos do contra. Não importa para este grupo a totalidade dos brasileiros, só importa eles próprio e seus alinhados civis, como foi em 1964. 

      Hoje são os cursos em escolas americanas, que apenas uma pequena parte da elite pode fazer. O restante do Brasil como sempre está relegado ao esquecimento. 

      Concordo com seu principio, sobre a elite que temos, mas sou contrário a decisão de alinharmos sem pensar com os usa. Deveremos ter a oportunidade de alinharmos com todo o mundo que desejarmos e onde as nossa oportunidade  de negócios nos levar. Alinhamento automático é burrice.

       

       

    • Motta,
      Terias que corroborar

      Motta,

      Terias que corroborar isso com NÚMEROS, não com juízos de valor. Os Estados Unidos ainda continuam sendo o segundo parceiro comercial do Brasil. Tanto no quesito exportações como no das importações. 

      Em que se materializa esse alegado “bolivarianismo”? O Brasil não é mais uma republiqueta que no passado se rendia, porque não havia outra opção, aos interesses americanos. Somos uma potência média com capacidade de se relacionar com todas as nações do Globo sem a interveniência de filtros ideológicos. 

      • Politica exterior não é

        Politica exterior não é apenas importação e exportação. É muito mais do que isso, no auge da Guerra Fria os EUA era grande exportador de trigo e carne para a URSS, o que não os impedia de serem inimigos. Comercio é uma coisa,  apenas um aspecto de um conjunto de ações que constituem a politica exterior como estrategia de posicionamento geopolitico de um Pais.

        O Brasil é o maior aliado, em termos de territorio e presença continental, dos EUA, ou  DEVERIA SER, com grande, enorme proveito, seriamos herdeiros da projeção de poder dos EUA na America Latina e Africa, como os EUA foram herdeiros do Imperio Britanico na Asia.

        Inves disso preferimos um papel insignificante de aliados de circunstancia dos paises bolivarianos, bloco mediocre porque inteiramente contaminado por uma ideologia sem futuro , ligamos o Brasil, como potencia regional de enorme peso ao destino da Bolivia e da Venezuela, paises erraticos de pequeno ou nenhum peso em politica externa, perdendo o bonde da Historia.

        Bolivia e Venezuela por natural imantação deveriam ser paises na ‘ AREA DE INFLUENCIA DO BRASIL”e não o contrario, hoje somos comandados por Caracas e La Paz, esta ultima capital teve o desplante de pedir a cabeça do Chanceler Antonio Patriota e foi atendida. O Brasil está fazendo um papel ridiculo, desprezivel e está sendo tratado pelos grandes como pais sem importancia porque não se dá importancia e não assume um papel de potencia regional e mandar e não ser mandada.

  7. Ninguem neste espaço lembrou

    Ninguem neste espaço lembrou de uma coisa: os apelos do Nassif em postagem do inicio de setembro para muitos não embarcarem na canoa (furada) de Marina Silva e aguardassem a recuperação do Aécio. Nassif, meu caro, você foi ouvido muito bem, à julga pela votação do candidato tucano à Presidência aqui em SP.

  8. O PT não está enfrentando amadores

    O Cavalo Paraguayo, Marina Silva, entrou no circuito quando o Eduardo já não garantia o segundo turno, estava com menos de 8% e caindo nas pesquisas.

    Com a Marina e seu piso de 20% já consolidado no Brasil, foi só desidratá-la da carga emocional, que lhe ajuntava alguns pontos nas pesquisas,  para colocar o Aécio na disputa para valer.

    Do lado de lá está a banca que já sabe que a Dilma reeleita  a Selic cai na primeira reunião do Copom, vai para nível internacional de país equivalente.

    Mais ainda, com os investimentos em infra estrutura maturando, as licitações deslanchando e o pré-sal melhor do que se Deus fosse brasileiro, fica difícil de manter o Brasil e a AL na órbita de um presidente americano cada vez mais desmoralizado.

    Tudo me faz desconfiar que vão jogar todas as fichas, all in, nesta eleição de segundo turno.

    Por mim, liquidava o Aécio logo na primeira semana, sem dar chance para o azar. Descontruia a candidatura pelas oito direções simultaneamente, sem dó nem piedade.

    • Todo mundo tem essa mesma

      Todo mundo tem essa mesma vontade (eu inclusive), mas o sangue frio sempre foi eficiente em política. O que me anima é o PT não estar de salto alto nestas eleições, por mais que muitos discordem, estão com o pé no chão. Só não vê quem não quer.

    • De pleno acordo

      Aécio Neves é puro marketing e, me desculpem, foi melhor no debate, no quesito COMUNICAÇÃO. Ficou soltinho e somente perdeu as estribeiras quando apontou o dedo para Luciana Genro. Ontem, conversando com amigos especialistas em comunicação, todos foram unânimes em dizer: A CAMPANHA DE AÉCIO ESTÁ USANDO TODAS AS FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO, mesmo ele não tendo mensagem. Todas. Sem conteúdo, ele está abusando do MARKETING para mostrar que é melhor. Mas não tem conteúdo. Até agora, não.

       

      By the way, como é que alguém que compra um aeroporto em MG com dinheiro público o qual somente sua família usa pode estar concorrendo a presidente? Isso é grave. É o fim da picada.

  9. No Debate

    O Aécio blefa, esconde falcatruas, finge de indignado (como quando a Luciana o cobrou pelo Aeroporto). O PIG ajuda, escondendo tudo, até o aeroporto. Dilma fica às vezes um pouco insegura por causa de tanto ataque do PIG e se atrapalha pela sua própria inteligência, de pensar mais rápido do que fala. Dilma deve ser curta e clara. No “jogo da verdade” o eleitor saberá ver quem é sincero e quem blefa. Uma ou duas coisas bem colocadas, em 30 segundos, é melhor que dar uma enorme lista de escolas e de obras, excedendo o tempo. Ninguém sabe (nem interessa) quem é Armínio Fraga ou sobre o tal de “engavetador” do Governo FHC, de 20 anos atrás. Fale de agora e do futuro. Dilma é honesta e isso basta. É hora de mostrar contundência conceitual. 

  10. Abstenções

    Ainda está por ser analisada a influência da distribuição espacial das abstenções nas divergências entre os resultados das urnas e das pesquisas – mesmo as de boca de urna.  Acredito que os o partidos, em suas pesquisas internas,  levem em conta algum cenário desta distribuição em suas estimativas,  mas – talvez por se tratar de uma variável pouco previsível – nada se fala a respeito nas pesquisas. Alcançando a elevadíssima proporção de quase 20%, e sabendo-se das maiores dificuldades de deslocamento – por motivo de logística e baixo poder aquisitivo – nos municípios do interior e do Norte / Nordeste, redutos lulodilmistas, é mais do que razoável suspeitar de influência relevante deste fator nas divergências observadas. 

  11. Eleitor brilhante!

    A votação em Tiririca por duas vezes e em Maluff por inúmeras vezes, o primeiro nunca apresentou um único projeto e o segundo enxovalhado de processos escandalosos de corrupção, realmente constata que o eleitor paulista é muito sábio e sabe votar. Quem não sabe votar, vota em Dilma e é da Zona da Mata, segundo as mentes brilhantes do Globo News.   

  12. PT-12 ANOS NO PODER RESPINGA EM DILMA

    Prezados, discordo dos meus amigos comentárias deste blog, entendo que  12 anos do PT no poder acaba jogando contra Dilma. O ser humano gosta do novo, exige mudança, e muito tempo no poder  o mandante mesmo que não enxerga, más é natural relaxo pontuais, e aí, pessoas que pouco depende diretamente das bonécias dos programas sociais,  é  freado com elevadas carga tributárias, e enxergam na manutenção deste governo, um futuro embaçado, onde os tem ultimamente engatado marcha ré. Este breve comentário coincidem com o pleito ora encerrado; vejamos, Dilma somente é bem votada onde tem grande influência seus programas sociais, tendencioso a ser vitálicios, afogando as aspirações de um povo generoso e bom. abraços

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome