Empresa de BH cria aquecedor solar de baixo custo

Do Eco Guia

Empresa mineira cria kit para captar energia solar a R$ 400

Desde a crise energética de 2001, muitas residências passaram a investir no sistema de energia solar, mas, até pouco tempo, a popularização desse recurso esbarrava no custo elevado. Como solução, uma empresa social de Belo Horizonte criou um aquecedor solar 90% mais barato que os tradicionais.

A tecnologia é construída com materiais de baixo custo, como canos de PVC e caixas d’água. Cada kit custa, em média, R$400. “Ao ficar exposto ao sol, o forro de PVC pintado de preto aquece a água. Ao longo do dia e da noite, você tem reservatório de água quente para utilizar de acordo com suas necessidades”, explica o geógrafo Rafael Xavier, criador do kit.

A média de economia proporcionada pelo aquecedor solar gira em torno de 40% do valor da conta de luz. Então, uma pessoa que gasta, em média, R$100 de luz por mês, passa a pagar R$60.

A empresa oferece, além da instalação, cursos de capacitação para quem quiser tornar isso um negócio e gerar renda fabricando e vendendo o aquecedor a outras famílias. Nestes cursos, 10% das vagas são gratuitas, para pessoas que não tem como pagar pelo treinamento. A intenção, segundo Xavier, é engajar nas pessoas esse comportamento sustentável que a sociedade demanda cada vez mais. Para conhecer melhor o aquecedor, acesse aqui.

Entenda mais sobre a empresa no vídeo abaixo:

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

21 comentários

  1. Aquecimento Solar

    O mais legal é que essa tecnologia foi franqueada pelo criador (já vi  isso  há mais de dois anos na rede), da mesma forma que a iluminação  com garrafas PET cheias de água,  e a empresa manteve o espírito de cooperacionistmo fazendo um preço justo e acessível. Com essa economia ela se paga em poucos meses.

    Brasileiros em ação

    • Que depre…Que

      Que depre…Que tecnologia?

      Cara, bata palmas para o empreendedorismo, mas tecnologia não. O cara é um empreendedor que criou um modelo de negócios sobre um produto barato. Ótimo para ele!

      Mas pare por aí!

       

        • O Athos é um chato, mas tem alguma razão

          Athos sempre com comentários agressivos e nada construtivos, mas em parte ele tem razão: o título do texto é totalmente falacioso, equivocado. Como ele disse é louvável que alguém tenha tido a iniciativa de fabricar e vender esse produto a um preço acessível, mas o que anúncio do EcoGuia descreve é o princípio básico de todo aquecedor solar não-fotovoltaico, deve ter mais de 100 anos e invenção de utilização. Eu tinha um livro de “faça você mesmo” nos anos 80 que tinha passo-a-passo um sistema até mais elaborado…

  2. Solução para a bosta!

    O cara criou uma solução que é melhor que o chuveiro elétrico que por sua vez não é usado em nenhum lugar do mundo por ser uma bosta.

    O pior é que perdi meu tempo lendo esta outra bosta!

     

    Além dos 400 vc tem que gastar uns 4 mil para colocar uma outra caixa d’água para ter água fria no verão.

     

    • Sempre olho os seus

      Sempre olho os seus comentários e fico pensando se o que você fala tem alguma coisa certa.

       

      dessa vez, você sanou minha dúvida. Obrigado.

  3. quase inacreditável

    Nassif,

    Esta proposta de aquecedor solar beira o inacreditável.

    Preço baixíssimo, estrutura prá lá de simplificada que, em caso de algum problema, pode ser recuperada por qualquer pessoa, me arrisco a dizer que este aquecedor solar, ao preço de U$ 100, deve ser o melhor do mundo.

    Os governos deveriam providenciar a instalação/ financiamento deste aquecedor solar para a população de baixa renda, além de torná-lo obrigatório nos projetos para residência unifamiliar e multifamiliar. 

    Só não entendo como é que a comunidade de pesquisa não conseguiu descobrir esta pólvora. Em termos de aquecimento solar, MG continua como destaque absoluto no ramo há mais de 40 anos.

    • Mas como faz para tomar banho

      Mas como faz para tomar banho frio?

      Sem querer ser chato, mas no verão fáz mais de 40 graus onde vivo. Numa situação destas, me explique como funciona o sistema?

       

      Isso é para chamar sua atenção que o produto não é para baixa renda, como vc imagina. O produto é para classe média baixa que pode ter dois sistemas de água(fria e quente) numa mesma residência.

      Não acredita? Olhe as fotos e VEJA!

      • Óbvio…

        …que precisa de um boiler (reservatório) para a água aquecida. E portanto basta um misturador no registro do seu chuveiro para dosar a temperatura. Isto implica em custos sim (boiler, misturador, quebrar parede, encanamento etc), mas assim mesmo o sistema tem ótimo custo benefício. No mercado o preço de um kit industrial de 200 l (2 placas + boiler) mais em conta está saindo a quase R$ 2 mil, sem contar os custos da entrega e de instalação.

        Então, faz as contas…

      • Famílias com renda muito

        Famílias com renda muito baixa têm dificuldade até para comprar e instalar caixa d’água comum, e por isso algumas usam somente a água ‘da rua’.

        A água aquecida pelo sol, mais leve, fica posicionada na parte de cima da caixa d’água e na parte de baixo a água fica mais fria. Um sistema com duas saídas de água da caixa para o chuveiro poderia fornecer, com um misturador e dois registros, água fria ou quente a partir da mesma caixa d’água. Para captar a água quente da parte de cima, um tubo flexível flutuante, que pode ser feito usando uma garrafa pequena de plástico fechada e vazia amarrada na ponta do tubo flexível (obs: vi isso uma vez  no youtube).

        No youtube há vídeos de sistemas baratos (não sei se são bons) usando mangueira em vez de painel solar.

      • preço de instalação

        Tudo bom ?

        Sergio SS  já deu uma alternativa, a mesma utilizada em minha casa há muitos anos.

        O preço de instalação de uma caixa d’ agua deve ficar pouco acima dos mil reais, preço acessível à maioria, além de ser acréscimo passível de ser financiado por qualquer governo. Para as residências novas (a construir) ou condomínios residenciais, mais barato ficará.

        Um abraço

         

  4. Precisamos saber a vida util disso

    O fator de degradação dos plásticos é a radiação ultra-violeta. Usa-se aditivos que retardem esse efeito no polímero, o que encarece o produto visto que esses aditivos são produzidos por transnacionais da industria química e metem a faca nos preços… Certamente para baratear podem usa negro-de-fumo (bem barato), mas este último tem um efeito limitado na prevenção da degradação. 

    Trabalhei num projeto nessa linha de aquecedores baratos de plástico em uma empresa aqui de SC, lá trás por volta de 1995, e ñ chegamos à um resultado satisfatório em termos de durabilidade. Por essa razão é que esses aquecedores são confeccionados preferencialmente com tubulações metálicas, de preferencia resistentes à corrosão, o que sempre preciona nos custos.

    Vai ser interessante acompanhar isso. Espero sinceramente ver o sucesso dos novos empreendedores com uma solução legal…

    • Agora sim uma avaliação

      Agora sim uma avaliação realista.

      Muito diferente do “rumo a Tokio” da torcida do Flamengo…

       

      Sobre as críticas…

      Custa ter pés no chão e avaliar corretamente o que está sendo TE PASSADO como informação.

      Vcs realmente recebem informação sem fazer qualquer senso crítico? É assim que sua mente funciona?

      Lamento muito por vcs e entendo, por isso, como o Brasil chegou na situação que se encontra.

       

      Continuando, ser melhor e mais barato que chuveiro elétrico não é mérito, é obrigação. Vcs estão tendo este debate porque desconsideram o fato de que usam este tipo de fonte de energia poque são mal governados.

      Porque em países bem governados, não é assim!

      MAs tudo bem. Temos a solução para o problema que ninguém no mundo tem.

      Ótimo, rumo a Tókio! Brasil il il.

      Nós somos demais!

      • Pois é Athos, todo mundo, ou

        Pois é Athos, todo mundo, ou quase, sonha com almoço, carro elétrico, e agora banho quente, grátis! Acham que energia vem do céu, até vem mas até chegar na água do chuveiro ou levar a caranga de 0 a 100 em 20 segundos, tem muito chão!

    • Outro problema dessa solução

      Outro problema dessa solução é o fato de não haver a caixa com vidro para criar o efeito estufa, não deixando que a placa coletora emita de volta ao ambiente o calor absorvido. O vidro e a caixa são responsáveis por um aumento considerável na eficiência do sistema..

      O grande mérito do inventor foi ter visto a oportunidade de se usar aquela placa de PVC, que contem aqueles canais por onde a água passa trocando calor.

      Também, a transferência de calor no plástico é pobre, abaixando a eficiência do sistema.

      Na internet tá cheio de aquecedores solares caseiros, até mais simples que esse. O mais simples é feito com uma mangueira de plático preta enrolada em espiral e colocada onde se bate sol.

      Agora, tudo isso em Sampa não serve prá nada, posto que água não há para aquecer!

      • Outra solução desse problema

        Uma vantagem a mais da água aquecida pelo sol é a de que não é preciso abrir totalmente o registro do chuveiro para tomar banho, como no caso do chuveiro elétrico, que somente esquenta a água quando há vazão mínima suficiente. Já no caso da água de aquecedor solar, pode-se tomar banho com uma vazão de água menor sem o problema dela esfriar. E quem tem Alckmin como governador precisa racionar água ou leva multa de 100% sobre a tarifa, afinal os sócios da Sabesp na bolsa de NY precisam lucrar…

  5. Gente,
    este projeto de

    Gente,

    este projeto de aquecedor foi desenvolvido pelo eng Augustin Thomas Gert Ernst Woelz, da Sociedade do Sol, batizado de “ASBC”: aquecedor solar de baixo custo, ainda no século passado, merecendo incluso o Prêmio Phillips de Simplicidade, entre outros!

    Conheci o trabalho deste engenheiro no CIETEC, Centro Incubador de Empresas Tecnológicas, sediado no IPEN, USP-SP em 1998, quando instalei em minha casa o sistema por ele desenvolvido, que aliás, vem funcionando perfeitamente desde então.

    O Eng. Augustin, doce figura, vem se dedicando a ministrar cursos de capacitação atravéz da ONG Sociedade do Sol (http://www.sociedadedosol.org.br). Cursos, diga-se de passagem, que não tem 10% das vagas oferecidas gratuitamente para quem não pode pagar, e sim 100%!

    Esta empresa mineira copiou grosseiramente o projeto do ASBC, e ainda o piorou, posto que ao não copiar também o “pescador” do sistema do Eg. Augustin, obriga a instalação do reservatório de água quente em separado. Faltou contar para os espertíssimos responsáveis por este plágio, que a água quente sobe, e fica acima da fria… Longe de algum mérito, conseguiram apenas multiplicar várias vezes o custo do produto para o consumidor final, gerando lucro, coisa fácil de fazer sobre uma tecnologia que nasceu com cunho estritamente social.

    Então Athos, atenção: Bata palmas para a tecnologia (e a quem de direito!) mas ao empreendedorismo, não.

    Aos outros amigos frequentadores do blog, que publicaram comentários, recomendo a visita ao site da Sociedade do Sol, onde poderão conhecer em detalhe o ASBC, entre outras iniciativas de igual importância, e informo que:

    1: o grande vilão do consumo energético residencial é o chuveiro elétrico, de uso amplamente difundido no nosso país, e responsável por picos de consumo que já foram, há não muito tempo, uma grande dor de cabeça para nosso sistema.

    2: de fato o ASBC (com pescador) funciona tão bem, que é preciso ter o misturador com água fria, para um banho confortável nos dias mais quentes, mas é preciso considerar que um segundo banheiro é coisa rara entre a população carente, e que o custo de uma simples linha de água fria é irrizório. Na maioria dos casos a sobra da barra do tubo de PVC (vendida com 6m) é mais que suficiente.

    3: a simples pintura do elemento de captação com tinta UV basta para que o PVC não calcine, exigindo pouquíssima manutenção. Minhas placas estão sob o sol há 15 anos e ainda não foram repintadas. Nem vou fazê-lo, seu custo é tão barato, que vou esperar até que rachem, só para ver quanto duram.

    4: aliado a outra grande sacada tecnológica também brazuca, o “Banter” (http://www.automatus.com.br/produtossantorelle/mp15), o sistema se torna ainda mais econômico, mais confortável, e mais eficiente, do que qualquer outra opção de mercado, por mais cara, ou complicada de instalar que seja.

    Mais sobre ambientalismo e energia em http://www.synapsis.org.br/ambientalismo/energia/

  6. Peço desculpas.
    Depois de

    Peço desculpas.

    Depois de postar o último comentário, assisti ao vídeo, então vi que o Xavier dá os nomes aos bois, e cita a Sociedade do Sol, incluso repetindo o slogan de 1992: “um aquecedor solar em cada lar”. É só o texto que mente ao afirmar que “uma empresa social de Belo Horizonte criou um aquecedor solar 90% mais barato que os tradicionais”…

    Perdoa Xavier!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome