Entendendo o problema do GSF

Do Canal Ilumina

O chamado “problema do GSF” sintetiza a crise do setor elétrico brasileiro. Neste vídeo, Ronaldo Bicalho, do Instituto Ilumina, apresenta esse problema que envolve bilhões de reais e cuja evolução definirá o futuro do setor elétrico no País.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A nova crise de Itaipu, por Ronaldo Bicalho

1 comentário

  1. Garantia Física não é geração prevista

     Garantia física não é geração prevista. A chamada garantia física atribuida a cada usina é o limite para a venda de energia de cada usina mediante contrattos bilaterais. Serve também como parâmetro para o mecanismo de compartilhamento de risco entre as usinas Hidrelétricas (MRE).

    Ao estabelecer o limite de venda por contratos bilaterais a garantia física, ao mesmo tempo que se obriga a que todo o consumo tenha que comprar a sua energia (consumida) mediante tais contratos, procura-se evitar que, o risco do sistema elétrico não ser capaz de atender todo o consumo, fique dentro de um valor pedeterminado.

    Quando as chuvas são abundantes e, consequentemente, as vazões dos rios elevadas, a geração do conjunto das hidrelétricas tende a ser superior a garantia física, pois as térmicas não são despachadas. Quando as vazões não são tão boas, ocorre o inverso e, eventualmente, as hidrelétricas podem gerar menos que suas respectivas garantias físicas.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome