Indústria brasileira paga a 11ª tarifa de energia mais cara do mundo

Jornal GGN – A indústria brasileira paga a 11ª tarifa de energia mais cara do mundo, aponta um levantamento elaborado pela Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), que também considerou informações de outros 27 países, cujos dados são divulgados pela Agência Internacional de Energia.

De acordo com a Firjan, a energia elétrica no Brasil custa R$ 292,75/MWh (megawatt-hora). Na comparação com a média dos outros países inclusos na pesquisa, a indústria nacional paga 8,8% a mais.

O custo da energia para o setor industrial brasileiro supera, inclusive, as tarifas de países desenvolvidos como os Estados Unidos (R$ 126,16/MWh) e o Reino Unido (R$ 242,02/MWh). Considerando apenas o bloco dos BRICS, o Brasil só fica atrás da Índia (630,92/MWh), que lidera o ranking.

Em 2011, quando o levantamento começou a ser feito, a tarifa industrial de energia no país custava R$ 329/MWh, 50% acima da média internacional, resultado que colocava o Brasil na quarta colocação do ranking, então à frente da Itália, Turquia e República Tcheca.

Estados

A Firjan também divulgou os valores praticados neste ano em cada estado brasileiro – incluindo os tributos. Tocantins é o dono da tarifa mais cara do país (R$ 403,91/MWh), seguido por Mato Grosso (R$ 379,36/MVh), Rondônia (R$ 377,49/MVh) e Pará (R$ 362,19/MWh).

Em São Paulo, a energia elétrica custa R$ 273,11/MWh, valor inferior à média brasileira. As indústrias localizadas no Distrito Federal (R4 248,98/MWh), Roraima (R$ 229,39/MWh) e Amapá (R$ 159,05/MWh) são as que pagam as menores tarifas do país. O levantamento completo pode ser conferido no site da Firjan.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome