Petrobras pode ser privatizada “em parte”, diz Bolsonaro

Estatal diz que ainda não recebeu “qualquer comunicado” da equipe de transição sobre indicação de Roberto Castello Branco
 
Foto: Reprodução Youtube
 
Jornal GGN – Em entrevistas para jornalistas que faziam plantão em frente à sua casa, no Rio de Janeiro, o presidente eleito Jair Bolsonaro declarou que parte da Petrobras pode ser privatizada. A declaração foi feita em resposta à pergunta sobre a linha administrativa de Roberto Castello Branco, indicado hoje para a presidência da empresa de petróleo nacional.
 
“Nós estamos conversando sobre isso aí. Eu não sou uma pessoa inflexível. Mas nós temos que, com muita responsabilidade, levar avante um plano como esse aí. Eu vi lá atrás com muito bons olhos a questão da Embraer. Nós podemos conversar, tá certo? Mas entendo como um empresa estratégica que pode ser privatizada em parte”, disse Bolsonaro. 
 
Castello Branco foi escolhido pelo futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, e já defendeu privatização da estatal, em junho deste ano, quando relacionou a administração da Petrobras às questões que levaram à greve dos caminhoneiros. 
 
“Uma das lições que se tira desta crise é a urgente necessidade de privatização não só da Petrobras, mas outras estatais”, disse na ocasião. 
 
Durante a campanha eleitoral e, em entrevista à Globo News, Bolsonaro também defendeu a privatização da companhia brasileira “se não tiver solução”.
 
Segundo informações do G1, até o início da tarde de hoje, a Petrobras não havia recebido qualquer comunicado do governo de transição sobre a indicação de Castello Branco. Pela legislação, a indicação deve “ser submetida aos procedimentos de governança corporativa da Petrobras, incluindo as respectivas análises de conformidade e integridade necessárias ao processo sucessório da companhia, com apreciação pelo Comitê de Indicação, Remuneração e Sucessão e, posteriormente, deliberação do Conselho de Administração”, respondeu a estatal à imprensa. 
 
O atual presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, assumiu a empresa em junho, após a saída de Pedro Parente. 
 

6 comentários

  1. A Petrobrás é uma empresas

    A Petrobrás é uma empresas integrada de petróleo: do poço ao posto. Essa condição lhe dá meios para suportar os pesados custos de exploração, produção, refino e transporte de petróleo e seus derivados, com condições de autossuficiência em todas as suas atividades, com grande capacidade de investimentos. Domina toda a tecnologia da indústria do petróleo e tem técnicos experientes e qualificados em todas as suas áreas de atividade. Tudo foi alcançado com a luta de muitos brasileiros, ao longo de mais de sessenta anos, Romper com o equilíbrio da empresa, desestruturando sua integração é um crime de lesa pátria, é enfraquecer a Petrobras diante da concorrência estrangeira, é entregar nosso mercado de petróleo. A Petrobras não depende de ação governamental para operar. Chega a ser ridículo alguém, dizendo-se nacionalista, anunciar que pode vender partes da Petrobras, que não seja para enfraquecê-la em defesa do capital estrangeiro. Diga-se, inclusive, que a Petrobras é o maior exemplo da capacidade gerencial do estado brasileiro. Fica a pergunta: vender o quê e por quê?

  2. Ele não é uma pessoa inflexivel
     

    Então, a petrobrás vai para a caixa de gato do Schrödinger.

    Ela vai ser privatizada e não vai ser privatizada.

    Afinal, estamos vivendo um governo de paradoxos

    que tido por improvável alguém escolhe como realidade.

    Um governo “quântico”, com um presidente vivo e morto ao mesmo tempo, que diz e desdiz a toda hora.

    Está nos trinques!

    Ficheiro:Schrodingers cat.svg

     

    https://www.hipercultura.com/o-gato-de-schrodinger/

  3. No meio do pregão

    Bolsonaro largou essa no meio do pregão. Se ninguém soubesse que o Guedes é um operador do mercado financeiro, poderíamos pensar que foi por acaso. Um acaso que deve ter enchido o bolso (naro?) de quem sabia o horário da declaração. A variação foi de mais ou menos 2,5%. 

    Amanhã será com o BB ou outra estatal, talvez Eletrobras?

  4. O debate em níveis abissais

    É simplesmente inacreditável ler o que este novo presidente da Petrobrás defende.

    Ele afirma que a empresa deve ser privatizada porque ela segue o preço dos mercados internacionais de combustíveis?

    Ora, por óbvio, só sendo uma empresa estatal é que ela pode ditar qual será o preço dos combustíveis!

    O nível do debate no Brasil é simplesmente inacreditável.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome