Presidente da Eletrobras explica apoio à privatização

A respeito do post “Presidente da Eletrobras era contra sua privatização“, o GGN recebe as seguintes explicações do presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior:

A respeito do vídeo publicado no blog do jornalista Luis Nassif, o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, esclarece:

a) as declarações foram dadas no início do seu mandato como presidente, no segundo semestre de 2016,  e refletem a ótica de um executivo do setor que enxergava a Eletrobras de fora, com base em seu papel histórico para o setor elétrico brasileiro;

b) ao ingressar  na empresa e começar o trabalho, a realidade da companhia revelou-se bem diferente, sem a agilidade e a eficiência necessárias para o enfrentamento de seus desafios – que não são poucos;

c) a atual gestão iniciou, então, um processo de reestruturação interna e de recuperação de valor da empresa, reduzindo custos e o endividamento;

d) apesar de se mostrarem bem-sucedidas nos últimos meses, com recuperação expressiva do valor de mercado da Eletrobras, essas medidas não representam uma garantia para o futuro, posto que as ingerências políticas e as amarras burocráticas constituem um impedimento real para que a Eletrobras ocupe o papel de destaque que deveria ter no cenário brasileiro e global;

e) as medidas adotadas até agora, expressas no Desafio 21, o Plano Diretor de Negócios e Gestão da empresa para o período de 2017 a 2021, só terão resultados duradouros com uma Eletrobras livre das amarras estatais.

f) a Eletrobras deve continuar com uma parcela relevante de participação da União, que deixará de exercer o controle, para que a empresa possa competir em condições de igualdade com os grandes players mundiais. Apenas desta forma, a Eletrobras terá condições de assumir papel de destaque como uma grande corporação do setor elétrico no Brasil e no mundo.

O apoio a esta nova alternativa, portanto, reflete o posicionamento de quem agora conhece a empresa por dentro e vem trabalhando para recuperá-la, tendo tido a chance de conhecer seus principais entraves e as ameaças à retomada de seu crescimento. Permanece a defesa de uma empresa grande, forte, com papel estratégico no Brasil e no mundo. Mas, agora, diante de um novo caminho, fruto das alternativas avaliadas ao longo de mais de um ano de trabalho pela recuperação da Eletrobras.

Resposta
 
Continuo respeitando a história de Wilson, como um dos técnicos mais respeitados do setor.
 
Mas pondero o seguinte:
 
1. O Executivo foi assaltado por uma organização criminosa, que está aparelhando todos os poros da República. No entanto, esta situação não é definitiva.
 
2. Ao propor a privatização da Eletrobras como saída contra o saque, Ferreira adota uma linha de não retorno, para um ativo que é essencial para os grandes desafios energéticos que o país irá enfrentar nas próximas décadas. Enfrenta-se um problema passageiro com uma saída sem retorno.
 
3. Wilson faria melhor para o país se usasse sua reconhecida competência técnica e, agora, os conhecimentos por dentro da Eletrobras, para elaborar um plano de complience a ser empalmado pelos próximos candidatos à presidência da República. Como gestor, ele sabe que há instituições brasileiras bem sucedidas em sua governança, como o Banco do Brasil e o BNDES. Mais fácil ainda a Eletrobras, podendo contar com quadros técnicos que resistiram a essa invasão política.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A nova crise de Itaipu, por Ronaldo Bicalho

25 comentários

  1. Essa geração de homens

    Essa geração de homens públicos é simplesmente uma tragédia. De Norte a Sul todos todos tem um preço, poucos tem um propósito maior na vida, poucos se preocupam com legado para as gerações futuras.

  2. Perguntas ao presidente da Eletrobras

    1- Qauis são as ingerências políticas e as amarras burocráticas que impedem que a Eletrobras ocupe o papel de destaque que deveria ter no cenário brasileiro e global?

    2- Qual seria o papel de destaque da Eletrobras mundialmente? É realmente importante? Ou o importante não seria assegurar um bom fornecimento de energia no Brasil?

    3- O Desafio 21 só terá resultados duradouros com uma Eletrobras livre das amarras estatais. Por quê? Quais são estas amarras estatais?

    4- Competir em condições de igualdade com os grandes players mundiais. Para quê? Não basta assumir uma liderança aqui no Brasil e implantar diretrizes e de integrar o país todo pafa garantir um excelente fornecimento de energia? A Eletrobras terá condições de assumir papel de destaque como uma grande corporação do setor elétrico no Brasil e no mundo. No mundo para quê? A Eletrobras atualmente é suficientemente grande aqui no Brasil para ser naturalmente uma grande “player” mundial.

    5- Ele é um dos técnicos mais respeitados no setor de energia Ele não sabia de tudo isto antes de assumir a presidência da Eletrobras?

    6- Se ele foi escolhido para ser o presidente de uma estatal e está dizendo que não é possível administrar uma estatal sob estas condições. Ele está assumindo uma incapacidade de presidir uma estatal?

  3. Perguntas ao presidente da Eletrobras

    1- Qauis são as ingerências políticas e as amarras burocráticas que impedem que a Eletrobras ocupe o papel de destaque que deveria ter no cenário brasileiro e global?

    2- Qual seria o papel de destaque da Eletrobras mundialmente? É realmente importante? Ou o importante não seria assegurar um bom fornecimento de energia no Brasil?

    3- O Desafio 21 só terá resultados duradouros com uma Eletrobras livre das amarras estatais. Por quê? Quais são estas amarras estatais?

    4- Competir em condições de igualdade com os grandes players mundiais. Para quê? Não basta assumir uma liderança aqui no Brasil e implantar diretrizes e de integrar o país todo pafa garantir um excelente fornecimento de energia? A Eletrobras terá condições de assumir papel de destaque como uma grande corporação do setor elétrico no Brasil e no mundo. No mundo para quê? A Eletrobras atualmente é suficientemente grande aqui no Brasil para ser naturalmente uma grande “player” mundial.

    5- Ele é um dos técnicos mais respeitados no setor de energia Ele não sabia de tudo isto antes de assumir a presidência da Eletrobras?

    6- Se ele foi escolhido para ser o presidente de uma estatal e está dizendo que não é possível administrar uma estatal sob estas condições. Ele está assumindo uma incapacidade de presidir uma estatal?

    • Igualdade de condições com players

      A mídia é iludida quando o presidente Wilson Pinto diz que empresa não tem condição de competir em condição de igualdade com grandes “players” mundiais: a Eletrobrás participou de leilões de energia. A Eletrobrás participa de parcerias público privadas (SPE’s) onde grandes obras foram executadas SANTO ANTÔNIO, GIRAU etc. O sr. Wilson Pinto não lembrou dos desafios que a ELETROBRAS construiu sozinha no passado : linhão de Itaipú, linhas de transmissão de extra alta tensão, sistema híbrido AC-DC com subestações conversoras, sistema interligado (invejado por outros países), usinas a fio d’agua, várias patentes de manutenção em linha viva, operação de usina nuclear etc. E ainda reitero o brilhante comentário do Ronnie Menezes: Se ele foi escolhido para ser o presidente de uma estatal e está dizendo que não é possível administrar uma estatal sob estas condições. Ele está assumindo uma incapacidade de presidir esta estatal ? Pregunta que não quer calar !!!!

  4. Legitimidade

    Sequer uma palavra sobre a ausência de legitimidade desse governo  para vender a Eletrobrás e qualquer outro bem público. Sequer uma palavra para relembrar que, em TODAS as eleições que aconteceram depois da redemocratização do país, a maioria absoluta dos eleitores, legítimos patrões desse senhor, disse um sonoro NÃO às privatizações. Nem uma palavra sequer para explicar a urgência em liquidar mais esse patrimônio do povo brasileiros. Claro, nós, maioria dos eleitores, sabemos muito bem a razão. Querem terminar a pilhagem antes de nós nos pronunciarmos novamente, em 2018. O ditado vem bem a propósito: rápidos como quem rouba . . .

  5. Do jeito que anda o macartismo. . .

    Do jeito que anda o macartismo desse governo Temer, se a posição desse executivo não fosse a da privatização ele já teria sido demitido, por isso não é de se admirar sua opinião, que para mim é lamentável. A privatização da Telebrás reduziu os preços das linhas telefônicas, mas em troca temos as mais altas tarifas de telefone do mundo, creio que o mesmo acontecerá com as tarifas de energia elétrica.

  6. tudo

    O Brasil não presta. Entregaremos tudo para qualquer estrangeiro administrar. Inclusive as universidades públicas. Para que présal, submarino nuclear, amazonia para esse povo chulé e moreninho? No mundo existe gente boa (fora do Brasil) para administrar Interlagos e Ibirapuera. Nem siderurgia temos mais, compramos da China. Petrobrás para o saco, Eletrobrás idem, Telefonia doamos no passado. Dessa vez o sonho de fêgacê se realiza: Fim da era Vargas! Abaixo Pricesa Isabel! Esse povo indolente e corrupto vai ver o que é bom para a tosse quando os feitores forem …chineses.

    Com a volta da política café com leite, se nada der certo, nossos filhos, tratados com leitinho integral, que não conseguiram um lugarzinho na sombra da bandeira, com salário acima do teto, sempre poderão ir para Miami lavar pratos. Em inglês, que …..xique! 

  7. Eletrobras
    Privatizar para ter nome lá fora?
    O certo é ter respeito só, e somente só, aqui, dentro do país, dos consumidores e pagadores da criação e manutenção..

    • eletrobras…..

      A Energia Elétrica mais barata do Mundo. Temos os maiores recursos hídricos para isto. Praticamente tudo dentro do território nacional. Construímos dezenas de Usinas Hidrelétricas. Capacidade e Investimentos Brasileiros. Faltava dar autonomia à parte do Nordeste e Norte do país: Santo Antônio, Girau, Belo Monte. Já existia Tucuruí. Centenas de Usinas Eólicas pelo Nordeste. Faltava Rede de Transmissão e Distribuição, para interligar e dar segurança impar a todo Sistema. Capacidade e Investimentos Brasileiros. Tudo isto, depois de pagas todas prestações de Itaipu. 30 anos pagos religiosamente. Inteiramente nossa com a sociedade do Paraguai, que consome 40% da sua parte. Energia Elétrica mais barata do Mundo nas casas dos Brasileiros? Salto de qualidade na mlhoria de Vida dos Brasileiros? Iluminação, Segurança, Espetáculo de Luzes em áreas públicas e turisticas? Produtividade e expansão industrial através deste recurso nacional, soberano, pago? Aumento de Linhas de produção, Fabricas, Empregos Nacionais? Quem precisa disto, quando se pertence à Elite do Poder Público? Só é necessário manter o cabresto, a sua parte na Capitania Hereditária, a manutenção da Corte Tupiniquim e ir vendendo o país aos pedaços. Não é o que fazemos desde o Pau Brasil? Quem precisa de desenvolvimento e empregos? Precisamos é de um Cargo, uma Diretoria nos 40% que sobrará da Eletrobras, ou Distribuidores ou Transmissoras. Ou na parte que sobrará nas Usinas Hidrelétricas ou Rodovias ou Portos e Aeroportos. Trabalhos Braçais, 12 por 36, nova Política Trabalhista para as novas Multinacionais Chinesas, Americanas, Suecas, Norueguesas, Francesas que nosso Governo criará a partir do Território e Soberania nacionais. Mas de forma socializante e anticapitalista. Por que de outra forma é coisa de Direita, não é mesmo?!        

      • Agilidade e competência ELETROBRÁS

        O comentário do Zé Sergio já explica para o sr. presidente Wilson Pinto Jr. a competência e a agilidade da Eletrobrás que ele insiste em mascarar e distorcer para mídia. Mas para aqueles que desconhecer vou dar um exemplo: em 30 de setembro deste ano houve uma tempestade que derrubou 11 torres de transmissão de energia em Goiás e FURNAS uma empresa da ELETROBRÁS, conseguiu recuperar todas as torres  com 3 dias antes do prazo determinado pela ONS / ANEEL. A outra “player” privada que opera outras torres e inclusive é uma das que tem interesse em arrematar a ELETROBRÁS ainda não havia sequer recuperado as torres sob a responsabilidade dela. Esta reportagem foi noticiada no dia 6/10 no telejornal da TV Anhanguera , filiada á GLOBO. Este fato já põe por terra a teoria inverídica dos itens b e f da reposta do sr. presidente Wilson Pinto Jr na qual ilude a mídia que a ELETROBRÁS não tem agilidade e nem eficiência. Quanto a igualdade de condições com os grandes players mundiais : a ELETROBRAS supera as privadas. Por isso eles querem arrematar bem baratinho esse patrimônio do POVO.

  8. E Nassif se cultivando o auto-engano

    Como sempre comento, Luís Nassif é teimoso, não admite nem reconhece os erros. Mais: ele adora se auto-enganar. Nem uma criança de 8 anos acredita nesse blá blá blá neoliberal privatista representado pelo atual ocupante da presidência da Eletrobrás. apenas os tolos, os ingênuos e os incautos não sabem que a quadrilha política que o colocou no cargo fez isso exatamente para que le destruísse/desmontasse a empresa, fatiando-a e privatizando-a.

    Esse que hoje está na presidência da Eletrobrás é o Pedro Parente do setor elétrico. A ficha corrida do tucano que está desmontado e destruindo a Petrobrás fala por si; a do que está na cadeira de presidente da Eletrobrás também. Só não vê isso que não quer, for míope, ingênuo, incauto ou cultivar o auto-engano. Ou, claro, aqules que faturarão grana alta com a privataria do setor elétrico.

    Falta ao atual ocupante da presidência da Eletrobrás combinar com os “russos”, ou seja com as oligarquias locais, como a dos Sarney e dos Barbalho. Quem viu Sarney indicar o no DG-PF sabe que esse clã ainda tem força. No Pará e na região norte os Brabalho são eminências – nem sempre pardas – com muito poder.

  9. “Competir” ! SQN

    Tucanês: “competir em condições de igualdade com os grandes players mundiais” 
    Tradução: tirar do governo o controle das empresas, vendê-las a preço de banana mas com altas propinas que não vem ao caso em CUritiba, desnacionalizar ativos essenciais e rastejar (sem sapatos!) nos tapetes dos “grandes players mundiais”!

    Um país sem futuro autodeterminado.

  10. Cúmplice de bandidos é bandido também?

    Não tem que ter conversa pra boi dormir com esses caras.

    Ponto.

    De resto, replico o exelente comentário do Ronnie Meneses:

     

    Perguntas ao presidente da Eletrobras novo

    1- Qauis são as ingerências políticas e as amarras burocráticas que impedem que a Eletrobras ocupe o papel de destaque que deveria ter no cenário brasileiro e global?

    2- Qual seria o papel de destaque da Eletrobras mundialmente? É realmente importante? Ou o importante não seria assegurar um bom fornecimento de energia no Brasil?

    3- O Desafio 21 só terá resultados duradouros com uma Eletrobras livre das amarras estatais. Por quê? Quais são estas amarras estatais?

    4- Competir em condições de igualdade com os grandes players mundiais. Para quê? Não basta assumir uma liderança aqui no Brasil e implantar diretrizes e de integrar o país todo pafa garantir um excelente fornecimento de energia? A Eletrobras terá condições de assumir papel de destaque como uma grande corporação do setor elétrico no Brasil e no mundo. No mundo para quê? A Eletrobras atualmente é suficientemente grande aqui no Brasil para ser naturalmente uma grande “player” mundial.

    5- Ele é um dos técnicos mais respeitados no setor de energia Ele não sabia de tudo isto antes de assumir a presidência da Eletrobras?

    6- Se ele foi escolhido para ser o presidente de uma estatal e está dizendo que não é possível administrar uma estatal sob estas condições. Ele está assumindo uma incapacidade de presidir uma estatal?

     

  11. Cúmplice de bandidos é bandido também?

    Não tem que ter conversa pra boi dormir com esses caras.

    Ponto.

    De resto, replico o exelente comentário do Ronnie Meneses:

     

    Perguntas ao presidente da Eletrobras novo

    1- Qauis são as ingerências políticas e as amarras burocráticas que impedem que a Eletrobras ocupe o papel de destaque que deveria ter no cenário brasileiro e global?

    2- Qual seria o papel de destaque da Eletrobras mundialmente? É realmente importante? Ou o importante não seria assegurar um bom fornecimento de energia no Brasil?

    3- O Desafio 21 só terá resultados duradouros com uma Eletrobras livre das amarras estatais. Por quê? Quais são estas amarras estatais?

    4- Competir em condições de igualdade com os grandes players mundiais. Para quê? Não basta assumir uma liderança aqui no Brasil e implantar diretrizes e de integrar o país todo pafa garantir um excelente fornecimento de energia? A Eletrobras terá condições de assumir papel de destaque como uma grande corporação do setor elétrico no Brasil e no mundo. No mundo para quê? A Eletrobras atualmente é suficientemente grande aqui no Brasil para ser naturalmente uma grande “player” mundial.

    5- Ele é um dos técnicos mais respeitados no setor de energia Ele não sabia de tudo isto antes de assumir a presidência da Eletrobras?

    6- Se ele foi escolhido para ser o presidente de uma estatal e está dizendo que não é possível administrar uma estatal sob estas condições. Ele está assumindo uma incapacidade de presidir uma estatal?

     

  12. Acredito no Nassif….

    Quando disse que o doto Wilson Ferreira Junior é muito competente e conheçe bem o assunto……So que no frigir dos avos, sofre do mesmo mal que o resto da turma, uma falta de carater sem tamanho, a ponto que eu me pergunto se essa epidemia de falta de carater não seria doença transmissivel…..

    Perguntas ao doto Wilson Ferreira Junior:

    1-Como é possivel que paises muito menores, com muito menos recursos naturais e população, cosigam ter empresas estatais de energia, e ainda tenham lucro….so no Brasil não rola….se motivo é a “ingerências políticas e as amarras burocráticas” primeiro tem que se definir exatamente o que quer dizer isso e depois se corrigem os “disfuncionamentos”, não me parece ser a coisa mais complicada do mundo, se faz em outros lugares…so no Brasil não rola….

    2-Setores/Areas estratégicos/as sabe o que é?Vai uma definição por via das duvidas…..

    “São aquelas atividades econômicas que, por sua natureza, cumprem uma função motriz e estimulante do sistema econômico geral, e que, portanto, formam uma área cujo controle é reservado exclusivamente ao Estado para garantir sua exploração e uso racionais”

    3-“Eletrobras deve continuar com uma parcela relevante de participação da União, que deixará de exercer o controle, para que a empresa possa competir em condições de igualdade com os grandes players mundiais. Apenas desta forma, a Eletrobras terá condições de assumir papel de destaque como uma grande corporação do setor elétrico no Brasil e no mundo”

    E isso mesmo???Quer dizer que se tenho uma goteira na minha casa que não consigo reparar, devo vende-la e morar na rua pois essa é a melhor solução para a minha casa……Se o Wilson Ferreira Junior não fosse doto eu diria assim: Móooooooo 171 , hein mano…..vai vende a praia de ipanema pra gringo, mermão…..cada um….

    PS:E quanto aos “players mundiais”, hoje em dia ta mais pra “gamblers mundiais”…..

  13. Eletrobrás

    Pergunta simples: No caso de quisição da Eletrobrás por empresas estrangeiras para onde vai o lucro dessas empresas?

  14. Não posso falar de uma pessoa

    Não posso falar de uma pessoa que não conheço….. Mas as declarações e os pensamentos por trás delas são infelizes, não levam em conta justamente o fator principal: o (des)governo Temer!

    Por cinismo ou ingenuidade poliana, quem quer entregar nossas riquezas, nosso futuro, e acima de tudo, nossa soberania em área tão essencial,  presta um imenso desserviço ao Brasil!

  15. Esquecimento

    Esqueci de dizer. Ele “explica” para iludir os incáutos. Mas nem chega perto de justificar. Aliás, justificativa plausível, séria, correta, honesta não há. É impossível. 

  16. Estratégia

    As pessoas precisam falar mais do que simplesmente uma palavra.

    Dizer que as empresas estatais tem interesse estratégico para o povo brasileiro não é suficiente.

     

    Todas as desculpas não cabem dentro da palabra Estratégia.

     

    É preciso bem mais que uma simples palavra, é preciso reduzir impostos, prestar bom serviços e pagar as contas.

  17. Fanfarrão da Eletrobras
    Este cara é um fanfarrão, os caras dizem que ele é competente, nuca vi esta anta falando de um assunto técnico, é se centro de serviços compartilhados, projeto 21, blá blá blá, é um incompetente, perdedores e incompetente só tem uma saída na vida fazer Administração de Empresas ou ir para a política, ele é vim perdedor ao cubo, fez Administração, está indicado para ELETROBRAS por política e como cereja do bolo, é confirmando a incompetência fez um MBA.

  18. O Nassif precisa dar chance

    O Nassif precisa dar chance aos Técnicos Competentes que são contra a Privatização da Grande Empresa de Energia – a ELETROBRAS.  Eles vão demonstrar verdades essenciais para o futuro do Brasil, como Nação Independente.

  19. Mordendo um dinheirinho forte!

    Ou seja,

    este golpista tá mordendo um dinheirinho forte pra fazer o jogo da entrega.

    Bem, quanto ao país, ao povo , bem quanto a isso, bem : o botão F de dane-se.

    esses são os verdadeiros corruptos, os grandões.

     

  20. Fanfarrão da Eletrobras
    Já observaram, que o “governo” está incentivando a por meio de PDVs é PDIs que os funcionários das estatais se aposentem mas ao mesmo tempo querem elevar a aposentadoria, tem lógica isso, talvez o pintinho, com o seu MBA, possa explicar.

  21. Privatização da Eletrobras e controladas
    Muita cara de pau, ou mais educadamente, muita desfaçatez do senhor MME, para minha vergonha um pernambucano, e do presidente da Eletrobras, quando opinam sobre tentativa de privatizar o Setor Elétrico nacional. Pautam-se pela eficientização empresarial e consequente queda de tarifa. Sabem MUITO BEM essas pessoas, por exemplo, que a Chesf vende energia a menos de R$ 40,00/MWh. Consta porém na Nota Técnica 5/2017/AEREG/SE, em seu item 3.137, comentário sobre a venda de energia, pós descontratação, a R$ 200,00/MWh. ANEEL estimou um impacto de 17% nas tarifas com esse movimento. E aí vêm os gestores tentar convencer, e a opinião pública nada conhece quanto ao relatado, que vai haver uma redução de 40 para 200? Prendo na minha mente o palavrão que aqui caberia inserir. Fico horrorizado ao constatar conterrâneos por questão ideológica defender uma ação que FORMAL e OFICIALMENTE é exposta como um vetor a incrementar despesas para TODA a população brasileira. Querem isso? Eu não.

  22. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome