Brasil já ganhou?, por João Sucata

Foto Getty Imagens

Brasil já ganhou?

por João Sucata

O Brasil já pode sair da Copa considerando-se vitorioso por chegar até as quartas de finais, tendo em vista o papel na última Copa. Foi convincente a vitória sobre o México. Claro que este perdeu oportunidades de fazer gols, mas o Brasil perdeu muito mais. Alguns dizem que se a seleção canarinha tivesse azar e o México fizesse um dos gols que perdeu, a história poderia ser outra. Mas sorte e azar fazem partes do futebol, o que importa é jogar melhor, ter mais oportunidades, portanto mais chances de marcar.

Neymar não conseguiu deixar de ter suas caídas, uma delas escandalosa, mas o fato e que participou mais, passou mais a bola, usou menos aquela sua imagem de principezinho ferido e necessitando de atenção e cuidados. O México tinha o goleiro Ochoa, muito bom, ou o placar teria sido mais dilatado.

Depois do vexame da Copa no Brasil, da baixa autoestima, da gozação mundial resultante dos 7 x 1 e outras derrotas, o fato do Brasil, manter-se invicto neste torneio, após tantas etapas de eliminação, já é uma vitória. Lembremos ainda que três grandes seleções, favoritas se despediram (ver abaixo). Tite tem enfrentado dificuldades: Daniel Alves nem chegou a ir para a Rússia; Douglas Costa, Danilo e Marcelo se contundiram ao longo do torneio; na lateral direita o técnico brasileiro teve que por a terceira opção: Fagner, que entrou muito bem. E assim mesmo tem ido longe. Na minha opinião deveria acentuar o jogo ofensivo, por em campo Douglas Costa e Firmino, nos lugares de Paulinho e Gabriel Jesus. Os adversários entrariam intimidados em campo, se encolheriam, e o Brasil mostraria seu grande futebol, ainda que correndo o risco de perder. O fato é que retornamos.

JOGOS EMOCIONANTES

A disputa entre Argentina 3 e França 4  foi de altíssimo nível e ficou claro que, ao contrário das últimas décadas, o time europeu tinha superioridade em craques. Mbappé infernizou a defesa argentina, sofreu um pênalti, marcou dois gols, e fez a diferença. Messi, mais uma vez, não conseguiu mostrar tudo que sabe, sendo de se considerar que não teve a ajuda necessária dos companheiros.

No jogo Portugal  1  x 2 Uruguai esteve presente não só a garra Uruguai, a vibração, mas também a habilidade de Cavani e Luiz Suarez, muito melhores que Cristiano Ronaldo.

Rússia e Espanha foi de matar cardíacos, no tempo normal e na prorrogação, mais tenso ainda nos pênaltis. A disputa foi ganha pela Rússia por ter o goleiro Akinfeev defendido dois deles. Para os mais jovens, a Rússia teve um goleiro na década de sessenta, Yashin, o Aranha Negra,  que é por muitos que viveram a época o melhor de todos os tempos.  

 

COPA DOS GOLEIROS

Se tem posição em que os craques evoluíram, esta foi a de goleiro. Nesta Copa difícil escolher o melhor. No jogo com o Brasil, o mexicano Ochoa competiu entre os melhores da partida. O russo Akinfeev foi diretamente responsável pela continuidade do seu time na Copa, tanto como o croata Subasic, que pegou três penalistas no jogo contra a Dinamarca. Esta partida foi um jogo de goleiros, pois do outro lado também Schmeichel  pegou outros três, um durante o tempo normal e dois nas disputas de penalidades, algo nunca visto em torneios mundiais. Outros grandes goleiros se destacaram, mas se for eleger a maior pichotada, esta ficará para o da Argentina.

ORGANIZAÇÃO TÁTICA DA EQUIPE E APLICAÇÃO TÁTICA DO JOGADOR ANULA TALENTO DOS CRAQUES

O que está se vendo na Copa é a importância da organização das equipes e aplicação tática dos jogadores. Não por outros motivos, times sem tradição e sem tantos craques tem vencido seleções favoritas. No jogo Espanha x Rússia a primeira foi muito superior em domínio de bola, seus jogadores são muito superiores, mas a organização tática e aplicação dos jogadores foi impressionante. O mesmo aconteceu nos jogos da Alemanha, contra times muito inferiores. O interessante é que apesar dessa importância dada aos esquemas táticos, e o futebol perder em dribles e ousadia individual, a emoção continua a mesma, ou está até maior.

 

FAVORITOS NÃO CHEGAM AS FINAIS

Alemanha, Argentina e Espanha, ex campeãs do mundo, estão eliminadas. O número de favoritas foi reduzido em mais da metade. Sobraram  Brasil e França. Pode haver surpresa: times como Bélgica, Uruguai  e Croácia, correm por fora. Poucas Copas apresentaram tantos imprevistos. A chave do Brasil está muito forte, ao contrário da que resultará no outro sobrevivente que disputará a finalíssima. Não fosse a distribuição dos times por chaves, a final seria Brasil x França ou Brasil e Bélgica. Respeite-se este pequeno país, que vive sua fase de ouro no futebol. O time tem De Bruyne, Lukaku, Kompany, Hazard, Courtois, daria para fazer um outro time da Premier League, e melhor do que o que representa a Inglaterra.

OS SOBREVIVENTES

Agora é hora da luta dos sobreviventes. Na chave do Brasil sobraram quatro: Brasil, Bélgica, Uruguai e França. Na sexta-feira, pela chave do Brasil, dia 6,  às 11 hs, teremos França x Uruguai e às 15 hs Brasil x Bélgica. E veremos quem sobrevive.

João Sucata

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Miguel F

- 2018-07-05 03:21:32

Sexta Feira acaba a

Sexta Feira acaba a farofada......

Nêmesis

- 2018-07-05 00:21:09

Exato. Futebol virou
Exato. Futebol virou mercadoria. E, como os "donos da bola" sabem da influência do mesmo no humor do povo, vão forjando resultados. Em 2014, tava na cara que a selecinha ia tomar uma coça dos alemães (só não pensava que viesse a ser tão feia). Desta vez, não está tão claro assim. A essa altura, é capaz de dar França (mais provável), ou talvez, a selecinha. Neste caso, é certeza de armação.

Nêmesis

- 2018-07-05 00:07:03

Fantasmas do passado
Pode até ser que a selecinha passe pela Bélgica, já que esta não é retranqueira, diferente dos adversários anteriores. Tem jeito de ser um jogo de muitos gols, para ambos os lados. Todavia, se classificar, fatalmente cairá na semifinal Para quem estava feliz com a eliminação precoce (e suspeita) da Alemanha, ter de enfrentar França ou Uruguai não é um pensamento muito animador. Buuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!! Só falta o Neymarketing ter convulsões.

CB

- 2018-07-04 22:04:14

O time da CBF só empurrou

O time da CBF só empurrou bêbado em ladeira, até agora. O adversário melhorzinho foi a Suíça. Depois foram aqueles 2 X 0 contra a poderosa seleção do Panamá com gols marcados nos acréscimos e a vitória sobre a Sérvia que já estava com um pé na cova da desclassificação. O México só ganhou sobrevida até a oitava de final porque a Coreia ganhou da vexaminosa Alemanha. O time da CBF vai enfrentar o primeiro adversário de melhor nível só agora. Só se surpreenderá com uma eventual desclassificação quem embarcou no oba oba da mídia e não avaliou a trajetória do time.

ze sergio

- 2018-07-04 21:45:59

MARIELLE DESCANSARÁ EM PAZ?

Aquela entregada dos 7 a 1. Depois outra goleada de 4 teve um único alvo. O mesmo que levou um VTNC. O golpe armado por todos lados e 'Aloprados' não perceberam. "Os caras são gângsters mas são meus amigos". E continuam todos aí na cúpula do Poder Político e Futebolístico. Inclusive no absurdo Monopólio sobre o Futebol. Assim como metade daquela Seleção. A outra sabia o "serviço" que faria antes da aposentadoria. O Futebol Brasileiro continua a mesma máfia. O Futebol Mundial deu uma 'limpada' na periferia do Poder, Am .Latina, Sudoeste Asiático e África, para vender o "Produto" aos Norte-Americanos. Futuro Proprietário do Esporte. Ou Blatter e toda Cúpula Europeía se preocuparam em não viajar de avião? abs.   

Geraldo Lino

- 2018-07-04 20:18:53

Ficou muito interessante, a

Ficou muito interessante, a única possibilidade de não se ter uma final inédita seria Brasil x Suécia, qualquer outra combinação será a primeira vez. E, fora a Inglaterra, campeã de 1966, uma dessas três equipes, que estão longe de serem potências futebolísticas - Suécia, Croácia ou Rússia - também poderá estar na final.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador