Segundo Comissão de Ética da Presidência, Padilha só precisa de reprimenda

Jornal GGN – Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil do governo Michel Temer, passou incólume pela denúncia de infração ética. A Comissão de Ética da Presidência da República (CEP) inocentou o ministro de denúncias realizadas por deputados do PT, por declaração dele de que o governo faz nomeações buscando apoio no Congresso. O presidente da CEP, Mauro Menezes, emitiu recomendação a Padilha “para que tenha mais cuidado em suas declarações sobre nomeações”.

Segundo Menezes declarou em coletiva, a comissão analisou e entendeu não haver infração ética, mas que entendeu ser necessária uma recomendação ao ministro de que redobre seus cuidados ao fazer declarações, “evitando a dubiedade das interpretações”.

Em sua defesa à comissão, Padilha alegou que, mesmo a busca de apoio do Congresso não afasta a preocupação do Governo com o perfil técnico dos nomeados aos cargos públicos. Menezes apontou que a recomendação caminhava neste sentido, de que não deixasse margem para interpretação no sentido de que tais nomeações se devam somente, e exclusivamente, “na base de uma troca política de votos”.

A função da CEP é analisar casos que envolvam ocupantes de alta direção do Poder Executivo Federal na época da suposta infração. Sua função, ao analisar, vai desde uma advertência até recomendação de exonerar o faltoso do cargo.

A CEP anunciou, em maio, que iria analisar os conteúdos das delações da JBS, envolvendo Michel Temer, presidente. Mas na reunião realizada nesta segunda-feira, dia 19, nenhuma informação prestada pelo empresário havia sido apreciada. A comissão pretende fazer uma reunião extraordinária só para este tema e não há data marcada. Segundo Menezes, poderá ocorrer no início de julho.

Com informações da Agência Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora